História 10 Motivos para odiar Jacob Black! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Tags Saga Crepúculo
Visualizações 19
Palavras 754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora! Boa leitura!

Capítulo 4 - 3 capítulo


- Minha filha, você está sendo imatura. - dizia minha mãe.

Já fazia uns quinze minutos que eu estava na casa da minha mãe, e ela tinha a cara de pau de querer que eu voltasse para casa.

Eu não suportava nem olhar para cara dela, era impossível, mas tentei.

- Não mãe, eu não estou sendo imatura - argumentei - Eu tenho o direito de ter minha vida, eu quero ser independente!

Dona Sue pensou um pouco. Aquela tensão estava me deixando louca.

- Independente? Independente, Leah? Me responde? - ela estourou - Como você quer ser independente? Morando de favor na casa do Billy? Nem um trabalho você tem, a única coisa que sabe fazer é jogar esse seu veneno nos outros. Você  acha que seu ódio e amargura vai trazer seu pai ou o Sam de volta? Pois eu lhe digo " Eles não vão voltar, não vão".

 Ali foi a gota d'água, Jacob, eu queria chora, gritar, queria sumir!

Era fácil ouvir aquilo das outras pessoas, mas, não dá minha mãe, não dá pessoa que me colocou no mundo.

Não falei nada, a raiva me consumiu. Eu estava cega!

Deixei o copo com água que estava bebendo em cima da mesinha do centro, tinha que sair  dali o mais rápido possível.

Antes de sair minha mãe falou:

- Seu irmão sente sua falta! 

Claro, era fácil ela me humilhar e tentar consertar usando meu irmão.

Sair pela porta e não olhei para trás.

Quando minha mãe assumiu o namoro com o Charlie, eu fiquei em choque. Lembro-me de você, Jacob, ter ficado feliz da vida. Todos ficaram, menos eu.

Eu não fiquei  feliz porque eu achei uma completa sacanagem não só comigo, mas principalmente com meu pai.

Ela assumiu o namoro com o homem que dizia ser melhor amigo do meu pai, e o pai da pessoa que mais odeio. Ela não esperou nem um ano após morte do meu pai. Eu  não admitia aquilo, por isso preferi sair de casa. E a pessoa que acolheu, Jacob, foi seu pai.

Foi difícil para me, sair de casa e ter que deixar o Seth, foi muito difícil, mas ele parecia feliz, por isso preferir não interferir na felicidade dele.

Era engraçado como naquela época conseguimos ser tão insuportável, eu tive que me mudar para a casa do meu Alpha. Coisa que não foi tão legal assim.

Tirei minha roupa e me transformei, minha loba queria correr, ser livre e eu também. Por isso sair correndo sem rumo, sem direção. 

Enquanto corria em forma de lobo, você, Jacob, não saia da minha mente.

Quando eu corria, uma parte da minha tristeza ia embora. Por alguns minutos, mais ia.

Me peguei pensando em você novamente, e aquilo não era nem um pouco normal. Eu não podia mais cair na besteira de mim apaixonar, eu já tinha sofrido demais com o Sam, e não queria mais passar por isso. Não mesmo!

Voltei para casa, fui saindo da floresta, em frente ficava a pequena casa vermelha do tio Billy. Por algum motivo, aquela casa mim fazia muito bem. E nos dois anos que morei lá, eu fui feliz. Não sei se a felicidade era por sua causa, mas eu sempre me senti bem perto de você, Black!

- Vem almoçar minha filha- chamou tio Billy.

Ele estava em uma parte da mesa e você, Black, em outra. Não sei se foi verdade ou minha mente me pregou uma peça. Mas eu senti que você deu um daqueles seus sorrisos. 

- Falou com sua mãe, minha querida? - Tio Billy, puxou assunto.

Tinha terminado de fazer meu prato, queria prestar atenção na minha comida ou em o quê o tio Billy estava falando, porém, só prestava atenção em você.

-  Falei, mas só me fez perceber que minha mãe não é mais a mesma. 

Ele me olhou com pena, eu sentir isso. Eu odiava que as pessoas sentisse pena de me. Mas me salvou, novamente:

- Clearwanter, a Sue sempre sabe o que faz - pela primeira vez naquele dia voce se pronunciou - Mas dessa vez ela errou feio, você é uma filha incrível.

Você deu aquele assunto por encerrado, ah Black, você sabia como terminar com assunto que mim fazia mal.

Eu precisava ouvir aquilo, pensei em te abraçar ou dizer que você sabia muito sobre mim, mas eu só sussurrei um obrigado. 

Antes de sairmos da mesa você se voltou para me e falou: 

- Me encontra na praia as oitos! 

E ali eu repensei se eu deveria ir realmente, a essa tal festa. 

Então o terceiro motivo para te odiar é:

Você sabia exactamente o quê falar, principalmente para mim.



Notas Finais


E ai gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...