História 17 outra vez - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Visualizações 134
Palavras 1.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tem alguém acordado aí? Vim atualizar agora pq só terminei de revisar o capítulo agora, enfim tá aí.
.
.
.
.
Boa leitura e boa madrugada pra vcs, fofoletes!

Capítulo 8 - Capítulo 6


E lá estava eu, sentada do lado de fora da sala da diretora depois de entrar numa briga com um adolescente que enfiou a língua na boca da minha filha bem na minha frente, na minha frente! Tive que perder a cabeça, não tinha como não perder ele estava desrespeitando minha filha! Agora eu to aqui, com um gelo na bochecha, esperando minha maravilhosa mãe chegar pra entrarmos na sala de Normani, ou, se depender da Dinah, na sala da minha madrasta. 


- Eai filinha! -  Dinah chega de repente, e eu assustada pula na cadeira e ponho a mão no peito.


- Ai Dinah que susto! - ela ri e bate no meu ombro.


- Deixa de bobeira! - a loira chega mais perto - Adorei saber que você arrumou uma briga, quem ganhou?


- Eu! - ela me olha desconfiada. 


- Certeza? - arqueia a sobrancelha esquerda.


- Tá, tá foi um empate.


- Jura? Na Internet parecia que você tava apanhando.


- Vai se fuder! Foi um empate. - ela levanta as mãos em rendição e começa a rir. Torno a olhar pra ela e vejo que Dinah estava toda produzida, parecendo até que ia a uma festa.


- Por que você estava vestida assim?


- Assim como? - ela olha pro seu corpo e alisa o vestido vermelho chamativo - maravilhosa? Bem... - joga os cabelos pro lado - eu me produzi assim pra chamar a atenção da Normani - olho pra ela curiosa -  Esse vestido magnífico vai mexer com a libido dela deixando-a molhadinha por mim.


Arregalo os olhos incrédula, Dinah tinha algum problema, só pode ser isso. A secretária passa por nós e diz que Normani já esperava por nós duas. Entramos na sala e adivinha só? Normani realmente fica pasma com o corpo de Dinah no vestido vermelho, tanto que abre a boca logo que vê Dinah se aproximar.


- Isso foi pra chamar minha atenção? - perguta e arqueia as sobrancelhas. 


Dinah senta e cruza as pernas devagar, e a diretora prontamente acompanha o movimento com os olhos. 


- Sim - apóia o cotovelo na mesa dela - Está funcionando?


Fala de modo sedutor e Normani pisca e seus lábios se abrem. Então, como num passe de mágica ela se recompõe.


- Não - empurra o cotovelo de Dinah pra fora da mesa. - Vamos começar?


A reunião segue com Normani dizendo que não aceita nem um tipo de confusão na escola dela, e que se isso tornar a acontecer eu tomarei uma advertência ou serei expulsa. No caminho de volta pra casa de Dinah acabo desviando e vou até minha casa, ou ex-casa. Paro o carro e entro no quintal dando de cara com Lauren que tentava tirar alguma coisa da mala do seu carro.


-Sra. Cabello, como vai? - ela se atrapalha toda ao me ver.


- Ah, oi Camila - me cumprimenta meio desconcertada - Meu deus ainda preciso me acostumar com isso. - susurra baixinho e eu finjo que não escutei. 


- Como vai?


- Eu vou bem! Você é filha da Dinah né?


- Sim, sim, Dinah me deu a luz - Lauren me olha confusa.


- Ela te deu a...


- Não, não, ela não me deu a luz! Ela e minha mãe... bom, ela colocou o negóci... quero dizer ela... Ah, você entendeu. - ela me olha de senho franzido, e depois sorri, um sorriso lindo, o mais lindo que já vi.


- Sim, sim eu entendi. 


Um silêncio constrangedor se instalou entre nós e passo a mão no cabelo, vendo seus olhos brilharem mais uma vez com o ato. Legal!


- Então... - limpo a garganta - Tá arrumando o jardim? - aponto pro saco de adubo dentro da mala.


- É tô sim - Sorri alegre e olha pra mim - Você quer ver?


- Claro! - pego o saco de adubo e a acompanho até o portão que leva a outra parte do quintal, onde fica a piscina e algumas árvores em volta dela, tinha sacos com terra e adubo espalhados por todo o lugar.


- UAU!


- É aind não está pronto, mas eu quero colocar bastante plantas em volta e também quero colocar um caminho de pedras aqui e um... - Conforme ela ia falando era possível ver sua paixão por tudo que ela estava fazendo. Lauren parecia tão feliz e seus olhos brilhavam tanto, de uma maneira que eu não via a muito tempo. Perceber isso me deixou mal, não por ela estar feliz, e sim porque não sou eu quem está causando essa sensação nela - E umas luizinhas por todo o lugar, pra que toda noite seja estrelada.


- Nossa vai ficar muito lindo Lo.


- O quê? - ela me olhava espantada.


-O quê, O quê?


- Vo-Você - ofega  - Você me chamou de Lo, só minha mulher me chama assim!


Droga, Camila, você tinha que falar muito como sempre, que saco!


Relaxa, ralaxa, é só se fazer de desentendida.


- Chamei? - coço a nuca - Sério? - ela assinte e eu solto um riso nervoso - Nossa que estranho. Hum, mas então você não quer uma ajudante? Se precisar eu posso te ajudar.


Ela fica me olhando durante um tempo, então balança a cabeça.


-Olha isso... bom, sei que deve ser legal isso de querer conquistar a mulher mais velha e tudo mais... mas não vai rolar.


É o quê? Do que ela...


- É o quê? 


- Sei bem como vocês jovens querem se divertir e sempre querem pegar a mãe do amigo e se divertir...


- Espera Sra. Cabello, Do que você tá falando? Eu estava realmente te oferecendo ajuda.


-Jura? - confirmo com a cabeça e ela fica vermelha. Que linda.


- Bem eu estava só querendo fazer isso pra ter pontos na faculdade - digo, querendo deixa-lá um pouquinho constrangida, ela fica tão gostosa com as bochechas vermelhas - mas se você quiser levar pra esse lado...


- Eu... - ela fica ainda mais desconcertada e vermelha - Eu vou pegar as coisas pra gente começar.


Entra dentro de casa apressada, e eu começo a rir. Isso vai ser interessante.


As semanas passam correndo, e eu me dividia em ajudar minha mulher a construir o jardim, ajudar meu filho a treinar todos os dias pra conseguir entrar no time de basquete, e atrapalhar todas as sessões de amassos da minha filha com o tal troglodita. Devo confessar que tenho vivido dias maravilhosos ao lado da minha família. Ajudar Lauren com o jardim foi incrível, nós brincávamos, conversávamos, trocávamos olhares e era simplesmente incrível. Eu estava sempre provocando Lauren, como quando estávamos limpando a piscina e eu tirei toda a roupa, ficando apenas de roupas íntimas. O jeito que ela me olhava na quele dia chegou a me deixar de pau duro, o que não foi tão legal, pois ela descobriu que eu tinha pau de uma maneira um tanto peculiar, e surtou. Depois disso ela não parava de me encarar e me dizer que eu parecia tanto com sua ex-mulher, e que eu tinha até o mesmo tamanho que ela, e não, eu não estou falando da altura. Depois desse dia ela sempre me olhava com desejo e culpa.


Agora, ajudar meu filho foi muito menos tenso, nós treinavamos na quadra da escola, na quadra que tinha no quintal de casa, e até na praça, eu  treinava sua residência, fazendo ele correr na praia, fazia ele subir as arquibancadas da escola correndo. Era tão bom passar um tempo com ele, acho até que nos tornamos melhores amigos, acho não, tenho certeza! Sempre estávamos juntos, jogavamos vídeo game, íamos a sorveteria, a lanchonetes, a livrarias, era inacreditável de tão perfeito que nossos momentos juntos estavam sendo. 


Pena que com a minha filha não seja bem assim, a garota vivia se agarrando com o ridículo do Chuck, sempre que eu a via ela estava com ele, e isso me impossibilitava de chegar perto dela. Toda vez que eu chegava eles estavam se comendo, e eu? Bem, sempre dava um jeito de interromper, como quando eles estavam se comendo encostados no carro e eu molhava o jardim, logo que vi a cena joguei água nos dois, o que deixou o Chuckizinho puto da vida, também teve a vez em que eles se comiam no sofá  da sala e eu acionei os alarmes de incêndio, e bom... teve tantas vezes que acho que minha filha esteja desconfiando que eu tenha um crush nela, bizarro eu sei, mas eu não ligo contando que ela não fique perto do viado de pinto pequeno. Enfim, estou feliz que finalmente eu esteja me entendo com a minha família, mesmo que seja em um corpo de adolescente. 




Notas Finais


Erros eu corrijo depois!
Espero ter alegrado a madruga de vcs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...