História 3 Love And Madness: Hate And Love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Edwin Jarvis, Fandral, Heimdall, Jane Foster, Lady Sif, Loki, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pepper Potts, Phillip Coulson, Steve Rogers, Thor, Visão
Tags Loki, Ninadobrev, Tomhiddleston
Visualizações 27
Palavras 1.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Murmuradora


Fanfic / Fanfiction 3 Love And Madness: Hate And Love - Capítulo 4 - Murmuradora

Pov.Becky.

Loki continua mentindo e faz minha filha mentir também, ela é apenas uma bebezinha e já inventa histórias, assim que a vi no cavalo fiquei com muito medo da mesma se machucar, Loki pode ser louco, mas eu sabia que ele cuidaria da segurança de Frigga, mas mesmo assim todo o cuidado é pouco, não demorou para Loki se sentir observado e olhou em minha direção ele parecia surpreso, eu caminhei até eles apressada, Loki parou o cavalo, eu me aproximei e peguei minha filha, depois de falar o que eu pensava, minha filha ficou em um dilema de escolher a mim ou ao seu pai, logico que ela escolheu a mãe. Com Frigga nos braços eu andei rumo ao palácio.

-Safy o que eu disse sobre mentir a mamãe.-Falei a olhando.

Frigga mordia a manga da sua blusa, sinal de nervosismo dela.

-Queria me divertir.-Falou ela agora manhosa.

-Sei que queria, mas a mamãe se preocupa e muito com você, a mamãe já perdeu muita gente que amava, e você é muito preciosa para mim.-Falei e beijei a testa dela.

Com ela no colo caminhei até o seu quarto, quando entrei lá a coloquei sentada na cama.

Sentei do seu lado.

-Me conta como você conheceu meu papai.-Falou ela e eu ri da situação, é a primeira vez que ela pergunta sobre isso.

-Também quero ouvir.-Falou Loki que entrou no quarto e eu ri mais alto ainda.

-Contarei meu ponto de vista, você conta o seu.-Falei sorrindo.

Loki sentou do lado oposto ao meu e Frigga ficou no meio.

-Quem vai me contar primeiro?.-Indagou ela.

-Eu falo.-Disse a olhando.- Eu era uma estagiaria novata na S.H.I.E.L.D, meu chefe me ligou dizendo que ia dar a oportunidade da minha vida, eu logo de cara aceitei, queria muito algo relevante para fazer, meu chefe falou que eu trabalharia e vigiaria um tal Asgardiano, mas como sua mãe aqui estava feliz por ter sido chamada para fazer algo tão inesperado não prestei atenção de quem se tratava, um certo dia... estava eu vagando pelo prédio da S.H.I.E.L.D e recebi um toque no tablet, dizendo que minha missão tinha acabado de chegar, eu tive um surto, fiquei nervosa, seria minha primeira missão fora de campo, cuidando de alguém que nem era do meu planeta, depois do meu surto, eu caminhei até o laboratório da S.H.I.E.L.D, antes de entrar eu comecei a receber várias mensagens do meu amigo Oscar, me felicitando sobre minha missão nova e me distrai respondendo, a porta se abriu e eu entrei no laboratório, levou um tempo até minha visão periférica detectar algo vermelho reluzente, que era a capa do seu tio Thor, devo admitir que vi seu tio primeiro, porque ele era o Thor, depois eu vi seu pai, mas eu tentei manter meu foco no seu tio, depois de muito perguntar e falar sem parar eu tentei arrastar seu pai para digamos colocar uma coleira nele, seu pai não quis ir e eu tive que apelar para seu tio que ameaçou seu pai, seu pai aceitou relutante e eu consegui fazer o que eu tinha que fazer, depois disso seu pai e eu ficamos naquele laboratório sozinhos, e eu fiquei na minha porque a última coisa que eu queria era levar uma facada dele, mas depois de muito silencio começamos a falar e eu fiz muitas perguntas e seu pai riu de algumas delas e eu contei coisas de mim que nem sei porque as contei, depois seu pai como é tentou brincar comigo e nessa brincadeira eu quase morri, depois fomos em uma missão juntos e seu pai quase me deixou morrer, depois tomado pelo remorso ele veio até mim, eu perdoei e abracei seu pai, seu pai sendo esperto como é descobriu que eu não era uma simples humana e bla bla bla o resto você já sabe.-Falei recuperando o ar, Loki me olhava incrédulo.

-Eu nunca cravaria uma faca em você, e não a deixaria morrer na nossa primeira missão.-Falou Loki se defendendo.

-Quero ouvir do meu papai agora.-Falou Frigga que se virou para Loki.

-Seu pai, que sou eu, foi castigado pelo pai, seu avô Odin, como castigo seu avô me mandou para o planeta da sua mãe fazer alguns trabalhos caridosos em prol do bem da humanidade, eu como bom filho e príncipe fui, contra a vontade mas fui, chegando lá fui recebido de maneira fria, levado a um laboratório mortal, um mortal muito insolente que hoje deve estar morto me falou sobre como eu deveria me manter na linha e que se asseguraria disso, foi ai que a porta se abriu e sua mãe entrou grudada naquele maldito equipamento dela, eu já estava bravo por estar naquele local, sua mãe chegou e me ignorou indo em direção ao meu irmão babar por ele, ela me ignorou por muitos e muitos segundos, eu como boa pessoa que sou fiquei na minha, depois de babar sua mãe me notou ali, e foi grossa tentando me levar a força até uma cadeira de metal, eu relutante depois de muito ser ameaçado fui até lá, sua mãe cravou uma agulha muito grande em mim me injetando malditos chips eletrônicos mortais que como bruxaria poderiam dizer onde eu estava e quando, sua mãe era muito estranha, ela ria sozinha mexendo no seu tablet, eu a achei louca e tentei caçoar dela, numa dessas brincadeiras inocentes sua mãe tentou me machucar, mas claro que quem saiu ferida foi a mesma, eu sendo o cavalheiro que sou cuidei da ferida dela, depois fomos em uma missão onde sua mãe tinha que manipular um homem mal, devo dizer que sua mãe fez o papel com excelência, ela saiu do lugar em que estávamos com esse tal homem, eu me sentia ofendido por ter sido colocado sobre a vigilância dela e cogitei deixa-la morrer, mas algo que nunca senti se apossou de mim, no dia pensei que era culpa, no dia seguinte quando sua mãe me abraçou eu senti que era algo mais, quando sua mãe veio a Asgard e cometeu algumas loucuras e eu quase a perdi eu descobri que estava apaixonado, e depois de salva-la da morte eu fiquei muito ferido e sua mãe cuidou de mim, e foi nesse momento que eu descobri que amava sua mãe.-Falou ele por fim me olhando, essa me emocionou.

-Vocês dois são loucos, eu serei louca também?.-Indagou minha filha olhando nós dois.

-Eu não sou louca.-Falei levantando as mãos em defesa.

Loki apenas a fitou com um sorriso.

-Meu pai é louco mamãe?.-Indagou ela me olhando.

-Sei pai é apenas temperamental, mas te garanto que de louco ele não tem nada.-Falei e Loki riu.

-Vocês dois namoraram e depois casaram, quando eu vou poder fazer o mesmo?.-Indagou Frigga eu ri e Loki pigarrou forte.

-Daqui alguns anos você vai conhecer alguém, vai se apaixonar, namorar e casar.-Falei sorrindo.

-Não vai.-Falou Loki.

-Porque Papai?.-Indagou Frigga.

-Vamos fazer um acordo, quando eu morrer você namora.-Falou Loki e eu ri.

-Mas papai você nunca morre.-Falou Frigga decepcionada.

Loki riu alto.

-Por isso mesmo.-Falou ele sorrindo.

-Quantos namorados você teve mamãe?.-Indagou Frigga eu fiquei boquiaberta.

-Antes do seu pai apenas 1.-Falei tentando não causar confusão já que Loki por sua face não gostou da pergunta.

-E você papai quantas namoradas teve antes da mamãe?.-Indagou Frigga e Loki revirou os olhos e a olhou.

-Nunca namorei.-Falou Loki por fim.

-Mamãe você namorou e meu papai não, você era indigna dele.-Falou ele e eu me ofendi.

-Sua mãe não era indigna, posso garantir que não, seu pai aqui gostava de liberdade, nunca namorei mas conheci pessoas interessantes. -Falou Loki e eu me senti ciumenta.

-Quero conhecer a terra da minha mãe.-Falou Frigga e eu sorri.

-Vocês duas estão de armação?.-Indagou Loki nos olhando.

-Não.-Falamos em uníssono.

-Midgard não é segura para nenhuma das duas.-Falou Loki.

-Midgard não é segura? por isso você tentou ir lá e matou vários mortais?.-Indagou Frigga e eu senti a tensão.

-Já chega de perguntas mocinha.-Falei a olhando séria.

-Quem falou isso a você?.-Indagou Loki sério.

-Loki é só uma criança.-Falei o olhando.

-Não importa, quero saber, quem falou isso a você?.-Indagou Loki olhando Frigga com seriedade.

-Titio Thor.-Falou ela e eu vi a cara de Loki se fechar.

-Seu tio é mal, fez muitas maldades ao seu pai, me prendeu e roubou tudo de mim, seu tio é mal e os filhos dele são muito perversos como o pai e vão fazer mal a você.-Falou Loki manipulando Frigga.

-Para! não invente coisas a ela.-Falei o olhando séria.-Seu tio fez o que era certo.-Falei por fim olhando Frigga.

-Defende ele no meu lar.-Falou Loki incrédulo.

-Você está falando coisas que sabe que não são verdade.-Falei olhando ele triste.

-Ela é minha filha, deve aprender e pensar como o pai.-Falou ele que olhou pra mim bravo.

-É minha filha também, não gosto que cresça em meio de mentiras.-Falei brava.

Ficamos nos encarando.

-Não briguem pessoinhas, não briguem pessoinhas, não briguem ohhh pessoinhas porque eu as amo demais.-Começou Frigga a cantar e eu e Loki a olhamos.

-Não estou brigando com sua mãe.-Falou Loki que me olhou.

-Nem eu.-Falei cruzando os braços.

-Dois loucos que são meus papais, minha mamãe é muito estranha ela atirou minhas cobrinhas pela sacada ela é bonita e abraça todo mundo, meu pai é louco e corre de cavalo, ele gosta de usar o cabelo feio, meu tio é um burro que só cai em trapaças, minha tia é uma mulher que só sabe ter bebês, meus primos são dois...- Cantava Frigga eu senti uma energia densa e pesada e Loki me olhou também estranhado, Frigga saiu do quarto cantando e fechou a porta atrás de sí.

-Que?.-Eu e Loki indagamos juntos olhando um ao outro.

-Você ensinou isso ela?.-Indagou Loki.

-Eu não, nem canto e nem sei o que está acontecendo. -Falei revoltada.

Sai do quarto de Frigga correndo atrás dela e Loki veio atrás de mim.

Frigga estava ainda cantando no corredor do palácio e o que eu e Loki vimos nos apavorou, conforme ela cantava os guardas iam caindo inconscientes no chão.

Ela continuava cantando.

-Loki?.-Indaguei assustada.

-Frigga!.-Falou ele alto e preocupado, ela parou de cantar e olhou os soldados no chão e nos olhou estranha.

Eu estava sem palavras.

Eu corri até minha filha e Loki também.

-O que você tem?.-Indaguei colocando minha mão em sua testa uma reação natural de uma mãe que acha que a filha está doente.

-Ela tem o dom do murmúrio, é uma murmuradora. -Falou Loki e eu o olhei incrédula.

-O que?.-Indaguei.

Olhei minha filha e ela parecia desnorteada, eu sabia que teria problemas.


Notas Finais


😨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...