História 50% -Camren - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camren, Fifthharmony, Larry, Norminah, Vercy
Visualizações 571
Palavras 9.007
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pqpx demorei pra caralhoooooo, foi bem difícil de escrever esse capítulo, pourraaaaaa.

O maior capitulu que já escrevi POURRAAAA

Capítulo 29 - Dividindo Lauren


Fanfic / Fanfiction 50% -Camren - Capítulo 29 - Dividindo Lauren

Aquilo estava a maior zona, Camila, Laura e Lauren não  mexiam um músculo sequer,  os olhos arregalados estavam em direção a Dinah,  que socava o rosto de Karla sem dó,  já  sentia sua mão  dolorida,  mas não a impedia de continuar o ato, já  Karla...  Esssa ai estava quase  desmaiado. 

- Isso... É... Por você... Ter... Se aproveitado... DA MINHA AMIGA!  Foi mais um murro para fazer Karla perde a conciência,  mas Dinah continuou a socar,  Camila que já percebia a gravidade das coisas  foi a primeira a levantar e tirar a amiga de cima da irmã. 

- Você  está  louca  ? Ela já  desmaiou, chega!  Tentou empurrar a loira. 

- Saia daqui,  Camila!  Dinah exclamou ainda irritada,  agora foi Lauren quem ajudou a latina a tirar a polinésia de cima da outra. 

- Para,  Dinah,  ela está  apagada. Puxou a amiga para longe,  olhou por trás  dos ombros e viu Camila sentada no chão, ao lado do corpo da irmã,  estava assustada com  o tamanho estrago que a loira fez,  escorria tanto sangue que chegava a sujar o chão, Laura não  demorou muito para se juntar a latina. 

- Eu te ajudo e ainda fica defendo dessa imunda,  dessa aproveitadora e você  me manda para parar?! Dinah dizia irritada,  seu peito inflava em puro ódio. 

- Olha lá  como fala da minha irmã  ! Camila se levantou já com o instinto protetor,  nem ligava se era Dinah alí, só  não queria que xingassem Karla  sem pampanparamstá consciente para se  defender,  suas mãos  estavam sujas de sangue,  pois a minutos atrás  tocava no rosto fa gêmea. 

-Grande merda a sua irmã  ! A latina apertou os punhos  irritada.  - não  venha bancar a boazinha,  Camila,  você  sabe que é  verdade,  sua irmã não passa de uma aproveitadora! Isso pode até  ser estupro!  Lauren gelou com aquilo, não  sabia ao certo o que realmente tinha acontecido,  Camila piscou os olhos confusa.

- Estupro?  Pergunto com a voz baixa enquanto seus punhos relaxavam. 

- Isso mesmo,  sabe a merda daquela festa?  Então,  essa coisa que você  chama de irmã  com tanto orgulho,  esperou  a minha amiga cair bêbada para se aproveitar dela.  As palavras atingiram em cheio  Camila,  ela não  queria acreditar naquilo, olhou para a outra gêmea  caida e sentiu seu peito apertar,  Karla  não  seria capaz disso... Ou seria? - Eu vou embora.  Falou ao se afastar,  passou pelo corpo da garota no chão  e saiu pela porta,  deixando as três  totalmente perdidas. 

Camila aproximou-se do corpo da irmã com bastante cuidado e com a ajuda de Laura,  conseguiu colocar o copo desacordado de Karla em pé,  conseguiu carregar ela até  as escadas,  se sujou um pouco de sangue,  mas nem se importou,  sua preocupação era ajudar a irmã, mesmo com tantas palavras perambulando pela sua mente. 

Conseguiu tirar as roupas sujas,  deu um banho,  colocou roupas novas,  até colocou alguns  criativos pelo rosto. 

Era impossível não  se sentindo mal,  olhando o rosto da irmã machucado, o nariz não  quebrou,  nem sabia como ele ainda estava intacto,  mas tinha  alguns locais roxos e inchados, poucos cortes ao redor da boca,  era lamentável encontrar a irmã  assim.

-

Polv's Lauren. 

Desci as escadas com todo cuidado,  a porta logo a frente estava fechada,  nem bati na mesma,  pelo fato de não  querer fazer barulho,  já  se passava das  1h da manhã,  meu coração se apertou ao ver Karla daquele jeito. 

O pior era que nem tinha lhe ajudado,  me aproximei com cautela observando o rosto calmo de Karla dormindo, essa ai não  acordaria tão  cedo. 

 -Pare de me olhar assim.  Dei um pulo do lado da cama ao escutar a sua voz fraca.  - Não  gosto  que me olhem com pena. Ela tentou fazer uma careta e acabou gemendo,  rir de leve com aquilo. - e ainda rir. 

- Não  seja mais idiota do que já  é.  Digo ao me aproximar e sentar-me na cama ao seu lado. - como está ?

- Ah bem,  só  com alguns  hematomas pelo rosto,  quase um nariz quebrado,  a boca machucada,  mas nada demais.  Rolei os olhos.  

- Idiota.  Sussurei rindo. 

- perdoe-me.  Olhei para ela confusa.  - Eu não  tinha o direito de ter tirado a sua virgindade. Mordi meu lábio  inferior com aquilo,  era um assunto delicado,  não  queria falar sobre ele, mas era necessário. 

- Não  tenho o que te perdoar, Karla.  Suspirei ao encostar as minhas costas na cabeceira da cama. -   não  tem culpa,  estavamos bêbadas, não  sabíamos o que estávamos fazendo. 

- Eu sei,  mas droga! Poderíamos ter evitado,  eu poderia ter evitado,  se não  tivesse bebido tanto naquela hora. Lamentava,  sabia que ela iria continuar,  procurava o que falar,  mas parecia que não  sabia quais  palavras ao certo usar,  por isso lhe dei um tempo,  deixando o quarto silencioso,  tinha apenas uma luminária,  enquanto o quarto  estava  um pouco escuro,  a porta do banheiro estava aberta com a luz ligada,  dando um pouco de iluminação para o ambiente.        - você  já  me disse uma vez que...  O quão  a sua virgindade era importante para ti,  que esperava um momento certo,  a pessoa certa.  Abrir minha boca para protestar, mas ela acabou continuando. - já  ouvir uma conversa sua com a Dinah sobre isso, me desculpe por escutar, mas o banheiro da escola não  é  tão  privado. Rir negando com a cabeça. - continuando... Eu sei que  não  era a pessoa certa para tal coisa,  me perdoa,  Lern. Karla começou a chorar, um.  nó   formou-se em minha garganta,  não  sabia o que falar. 

- e-eu... 

- Você  estava  todo esse tempo chorando,  arrependida por ter bebido demais e ter se entregado para mim, não sou a melhor pessoa para tal coisa, pois eu não prest...

- Pode ir parando por ai ! Engoli choro. - Eu sei que você estava tão bêbada quando eu, quem sabe até mais, mas o problema não foi esse, pode até ter sido, eu errei, você errou,  mas não podemos mudar nada, o que aconteceu, a conteceu, não volta mais. 

-então você não se arrepende ?

- Não é isso, não é pelo fato de ter perdido a minha virgindade com você, mas é pelo fato de não ter me lembrado de nada, Kaki. Respirei fundo ao perceber que me faltava ar, o silêncio reinava no quarto, olhava para os pés de Karla balançando, só observando o tempo passar. - você não é uma péssima pessoa, Karla, só age por impulso. Beijei sua testa e me afastei, saindo da cama e já indo dereto para a porta.

- Lern ! Me virei para Karla. - obrigada. Sorri sem mostrar os dentes, mas não quer dizer que seja um sorriso menos sincero, não demorei para sair do seu quarto e  já indo para o meu sótão.

Karla não era uma pessoa ruim, só ganhava comentários ruins sobre ela e isso lhe dava motivação para fazer coisas ruins, ela só precisava de palavras boas.


-

Esperava a minha vez apreensiva, estava fila para ver se consegui meu papel, os olhares que me davam depois de lerem a lista me deixavam mais aflita, logo a fila foi andando, até chegar a minha vez.

De olhos fechados, parei bem em frente a parede.

- Anda, Lauren ! Escutei a voz de Harry ansioso e ai abrir meus olhos, os mesmo não demoraram para se arregalarem, eu consegui.

Sair da pequena fila que tinha do corredor com as minhas pernas trêmulas, Harry sorriu assim que me viu.

- Nós conseguimos ! Me abraçou animado, aquilo era demais, ganhar o papel de Julieta era maravilhoso e só melhora ao saber que Romeu era Harry.

- Sabe que agora não pode gagueja né ?dei um soco fraco em sei braço.

-

Abrir a porta da minha sala e entrei na mesma,  meus olhos logo se encontraram com os de Dinah,  mas não  durou muito,  pois a mesma desviou para o chão,  ajeitei a mochila em meu ombro e segui  em direção a minha cadeira, logo me afundando na mesma. 

Sentia-me estranha,  era confuso explicar a sensação,  talvez seja pelo fato que agora sou uma mulher ? Mesmo ainda com 16 anos.

Fiquei quieta a aula toda, até o professor estranhou a sala estar a maior tranquilidade, nem uma das meninas estavam bem, percebi que Lucy usava óculos escuros na sala, Mani não está mais sentada na frente de Dinah e sim lá na frente, Ally até que estava normal, por fora, mais por dentro deve está a maior putaria, a única que parecia de bem mesmo era Vero.

-

Polv's Camila.

Puta que pariu , maldito seja esse dinossauro !

Estava jogando no computador  do meu trabalho, não me levem a mal, mas estava o maior tédio, a internet da farmácia ainda estava atrasada, estava tudo nos conforme, tudo arrumado, sem clientes, o maior tédio, então decidir jogar o maldito jogo dos infernos, aquele que aparece no google quando não tem internet.

Bufei ao apoiar a minha cabeça no balcão, odiava tédio, também odiava o cheiro que todas as farmácias tinham.

Quando escuto o sininho da porta tocar, anunciando que um cliente entrou, que não seja a velha da memória ruim !

Cruzei meus dedos repetindo a minha pequena oração, mas assim que ví duas jovens entrando suspirei aliviada.

Sair de trás do balcão e fui em direção a elas que estavam jogando as bolsas no chão e falavam animadas.

- Oii, em que posso ajudar ? Perguntei, as duas olharam para mim, pareciam ter uns 12 ou 14, por aí, a mais baixinha que tinha seus cabelos pintados de azul subiu em cima da balança.

- Não queremos nada, só vamos  pesar. Respondeu-me enquanto observava os numeros subirem.

- só  se pesarem ? Perguntei incrédula.

- Ai meus deus, engordei três quilos. A de cabelos azul disse dramática ao descer.

- Sai, agora sou eu. A morena foi a próxima.

- O que tem de bom para emagrecer ? Perguntou a outra para mim, percebi que ambas as duas usavam fardamento.

- Ah, fruta, dieta e acho que muito exercíci...

- Não ! Não me refiro a isso, mas em remédio etc. Disse ao me interromper.

-Oh, okay, hm... Estamos com uma ótima promoção de Lipomax shake, você não precisa passar fome para emagrecer, não precisa passar por dietas rígidas e...

- Tá, tchau ! Fiquei com a maior cara de idiota quando as duas saíram da farmácia, bando de loucas, parece que nesse lugar só aparece gente doida.

-

Desci do ônibus com a maior cara de sono, não fiz quase nada na farmácia, mas estava cansada, atravessei a rua e andei um pouco , o ponto de ônibus nem ficava tão longe assim.

Já estava na rua de casa, quando vejo um certo corpo sentada na alçada, a reconhecia de longe só pelo tom de pele, mas uma coisa me chamou atenção... O pequeno cigarrinho suspeito.

-Não vai falar comigo sua mal educada ? Rir baixinho ao voltar, tinha passado por Lauren sem falar nada.

- O que está fazendo aqui ? Perguntei curiosa, continuava de pé enquanto ela estava sentada na calçada.

- Sei lá, preciso me acalmar. Diz ao tragar.

- O que aconteceu ? Perguntei.

-Besteira, coisa minha com Laura, senta aí, não é como se fosse te matar e esteja só esperando o primeiro sinal para correr. Neguei com a cabeça ao me sentar do lado dela, o cheirinho que vinha no pequeno cigarro já lhe dedurava.

- Não sabia que era dessas coisas. Digo.

-disso ? Balançou o pequeno baseado, apenas concordei com a cabeça. - realmente, não sou, é apenas uma exceção, sabe... Isso aqui me deixa em uma tranquilidade fora do normal. Completou rindo.

- Faz mal. Digo séria.

- Pior que eu sei, mas uma vez... Duas vezes na vida não mata. Deu de ombros ao dar a última tragada e logo jogar o baseado no chão. - Como foi no trabalho ?

- Ai meu deus, nem me lembre, parece que lá só aparece gente louca, acredita que entrou duas pré-adolescentes apenas para se pesarem na balança? Digo incrédula.

- Vai dizer que nunca entrou em uma farmácia apenas para se pesar ? Questionou enquanto ria de mim.

- Óbvio que não ! Rimos juntas até o silêncio fazer presença entre nós duas, o engraçado era que a rua em que morávamos sempre era deserta. - queria falar contigo sobre ontem mais ...cedo. Mordi o lábio, nem olhei para ela quando falei, seus olhos me davam medo, só não sabia do que realmente tinha medo.

- Não quero falar sobre aquilo. Suspirou, analisei melhor Lauren, usava roupas folgadas, o cabelo totalmente liso, o moletom preto e uma calça legging, seus pés estavam apenas com uma meia colorida.

-Mas eu... preciso saber o que está acontecendo, me preocupo contigo, sabe que pode contar o que quiser, só lhe peço para ser sincera. Meus olhos pousaram na imensidão verde escura, conseguia perceber o quão receosa ela estava em contar para mim. - Preciso de uma explicação, Lolo, não sabe o quanto me doi ver minha irmã daquela maneira, nem com Dinah falei hoje pelo que fez e ... Detesto te ver assim. Sussurrei no final, abracei minhas pernas com força, aquela rua fazia um frio fora do normal, Miami era um inferno de manhã, mas de noite parecia o Alasca. 

- Dinah bateu nela por achar que Karla absudou de mim. Respondeu-me, prendi a respiração ao escutar suas palavras, nem olhavamos mais nos olhos, apenas fiquei ouvindo sua voz rouca.

- E abusou ? Perguntei com medo da resposta.

-Não. Soltei o ar aliviada, não sei ao certo o que iria fazer se a resposta fosse positiva, provavelmente terminar de quebrar a cara de Karla.

- Tem certeza ?

- Claro, até parece que não conheçe sua irmã. Seu tom parecia chateado.

- conheço Karla até demais, o bastante para desconfiar dela. Respondi séria. 

- Okay. Lauren disse rapidamente, o seu celular tocou, mas ela não atendeu, deixou a musiquinha do toque tocar, cujo era um trecho da sua banda preferida.

-Lembra... Hm... No dia em que nós duas casamos ? Resolvi mudar de assunto, odiava quando o clima ficava tenso.

-quando bricamos de casamento? Concordei com a cabeça e ela gargalhou. - Meu deus, quele dia foi a maior loucura, tia Sinu tinha deixado nós três em casa sozinhas. Contava em um tom nostálgico.

- né, louca a velha. 

- Eu fiquei louca com aquela briga, nunca sabia o que fazer quando vocês duas brigavam. 

- Karla não deixava nada passar. Rir, eu e a minha irmã brigamos porque nós duas queríamos casar com Lauren, bom... Alguém tinha que ser o padre.

Flash Black :

Um sorriso se abriu nos três lábios das crianças, estavam animadas, seria a primeira vez em que as meninas ficavam sozinhas em casa, era um sábado qualquer, Sinu foi ao mercado com Mike, deixando as filhas em casa.

- Vocês querem brincar ? Camila perguntou, Karla estava concentrada no desenho que passava na TV e Lauren estava na janela, observando o carro de seu pai sumir.

-Não tenho nem uma ideia, Camz. A de olhos verdes disse ao sair da janela, o tédio dominou as três crianças, ficaram sentadas sem fazer nada, apenas assistido um desenho, até que um dos personagens se casam.

- Lolo, você pensa em se casar? Perguntou Camila para a garota ao seu lado.

- Acho que quando eu crescer sim. Deu de ombros ainda olhando para a TV.

- Aposto que vai querer se casar com esses príncipes dos seus filmes de princesas. Karla agora falava com uma careta no rosto.

-Mas é claro ! Eles são lindos, educados e príncipes, quem não se casaria com eles ? Lauren dizia incrédula.

- eu não me casaria. 

-Camz ? Lauren direcionou para a garota do seu lado esquerdo.

- E-eu...Não sei. Respondeu confusa. 

- poderíamos brincar de casamento. Lauren sugere.

- aqui não tem nem um príncipe para você se casar. Karla murmura.

- Eu posso ser sua príncipe, Lo ! Camila exclamou animada.

-Ei, eu quero brincar também! Karla levantou-se do sofá.

- Kaki pode ser o padre ? Perguntou Lauren.

-Não quero ser o padre, quero me casar. Respondeu emburrada.

- hm... Então eu vou ser o padre. Disse ao se levantar também.

- eeeeeeca! As gêmeas gritaram juntas com uma careta. - não quero me casar com a Karla. Camila protestou ainda sentada.

- Nem eu ! Karla fechou a cara. -Quero me casar com a Laur.

- Não ! Eu vou me casar com a Lolo. Camila levantou do sofá e ficou encarando a irmã.

-Laur !

- Lolo !

-que confusão. Suspirou a de olhos verdes. - escolham no pedra e papel ! Sugeriu, as gêmeas concordaram e logo começou, Lauren torcia internamente para Camila ganhar, seus olhos se arregalaram quando Camila deu pedra e Karla tisoura.

-AAAAAAAH ! Gritou animada ao perceber que ganhou.

- Não quero mais brincar. Karla disse irritada.

-Anda Kaki, próxima vez eu me caso contigo. Lauren deu um beijo em sua bochecha, Camila rolou os olhos. 

- Tá, vamos arrumar o casamento.

-

Não demorou muito para as crianças correrem pela casa, Lauren pegou um vestido seu branco e um terno de seu pai, já Karla e Camila cuidaram da decoração, pegaram as cadeiras da sala e colocaram no quintal, deixaram alguns ursos de pelúcias como " os convidados", uma mesinha com uma bíblia para ser o altar, Karla pegou uma toalha grande branca no gramado e pronto, já estava tudo arrumado.

- Camz ! Lauren chamou a latina, a mesma saiu de perto da irmã e foi até a porta que dava para a cozinha. - Vem se arrumar. Sorriram quando juntaram as mãos e foram  em direção ao quarto, Lauren ajudou Camila a colocar o terno, que ficou enorme na menina e uma pequena gravata mal colocada e frouxa no pescoço.

- to bonita ? Perguntou ao dar uma voltinha, Lauren riu com a graça da amiga.

- Tá linda. Respondeu sorrindo. - agora vai, tenho que me arrumar. Empurrou a outra para fora do quarto.

- Não vai fugir com Karla né ? Camila brincou nervosa com a pergunta.

- Claro que não sua boba, ela é o padre. Respondeu rindo. - e Camz...você não é meu príncipe, você é a minha princesa. Lauren completou fazendo a outra corar e correr.

-

Camila estava nervosa,  podia até  ser uma brincadeira besta de casamento entre crianças,  quem nunca brincou? Mas ela estava nervosa,  olhava para os ursos parados nas cadeiras,  olhava para o " padre", também  olhava ansiosamente para a porta,  esperando Lauren passar pela entrada. 

- e se ela desistir? Perguntou para a irmã.

- Cala a boca, é  apenas uma brincadeira.  Karla respondeu grossa ao abrir a bíblia  em uma página  qualquer. 

Os olhos de Camila ficaram arregalados quando viu Lauren passando da porta,  o vestido branco já  tinha visto milhões  de vezes, mas naquela hora era como se fosse a primeira vez que Lauren usava, seus cabelos soltos e curtos até  os ombros,  a pequena franjinha na testa,  Lauren tinha o maior sorriso do mundo,  vazia questão  de mostrar os dentes pequenos de leite. 

Camila se tremeu toda,  seu coração acelerou deixando a pequena agoniada, Karla cantava a música  do casamento observando a de olhos verdes andar lentamente  pelo lençol  branco. 

-Tantam... Camila olhou feio para a irmã,  não  era a música  de casamento  e sim aquela  que tinha nos começo dos filmes. 

-desculpas. Riu baixo ao começar a cantar a música  certa.  - pampanparam.  Lauren  finalmente chegou ao lado de Camila.  - Bom,  am... Estamos aqui para presenciar a união  de Mila e Laur,  em nome de deus e blablabla,  eu as declaro... E mulher e mulher ou marido e mulher?  Perguntou confusa. 

- Qualquer um.  Camila respondeu séria. 

-Okay,  AM... Mulher e mulher,  agora podem beijar a noiva! Disse ao fechar a bíblia,  Camila se virou para Lauren,  seus olhos  piscavam rapidamente e ansiosa,  era notável as mãos  trêmulas por baixo do tecido grosso do terno.  

Lauren deu apenas dois beijos na bochecha  da latina, fazendo ela se derreter toda. 

-

Flash Black of

- Você  estava  morrendo de medo!  Lauren disse ao gargalhadar. 

- medo?  Medo uma OVA! 

- jura?  "não  vai fugir com Karla não  né  ?", confessa vai,  morria de medo de te abandonar no altar  para fugir com  o padre.  Lauren continuava me zoando.. 

- Idiota.  Digo com um bico nos lábios.  

-vai, não  faz assim coisinha. Fiz uma careta quando ela apertou minhas bochechas. 

- Me deus,  cada dia que passa você  vai ficando mais chata ein.  Lauren rolou os olhos.

- Me respeita que eu sou sua mulher. Brincou,    mordi o lábio  ao escutar a fala dela.  

- Minha mulher ? Brinquei e ela rolou os olhos novamente. 

- Sua quatro olhos.  Abrir a boca incrédula. 

-Você... Que absurdo!  Exclamei escutando sua risada. -Sabe Lo... Para um casamento de verdade tem que ter um beijo. Digo lhe dando um sorriso malicioso.

-Que ?

- a gente se casou, mas você me beijou nas bochecha. Explico ao olhar para os seus lábios.

- é mesmo ? Não me diga, então o que a senhorita pretende fazer ? Perguntou, me aproximei mais dela, minha cintura já tocava na sua, nem fiz nada e meu peito já dava sinais de felicidade por estar tão perto dela.

- Um beijo de verdade, um beijo em que o nosso casamento de infância mereça ? Toquei no seu pescoço quente trazendo-a mais para perto de mim, fazendo seu nariz tocar no meu.

- Um beijo ? Questiona, concordei começando a fechar meus olhos, só sentia sua respiração bater em meu rosto, já imaginava a maciez de seus lábios sobre o meu. - acho que não vai fazer mal a ninguém. E a beijei.

Nem pedi permissão para o beijo de língua, sabia que não precisava disso, então já fui logo introduzindo minha língua em sua boca, para logo ter o contato com a dela.

Suas mãos entraram entre meus cabelos, não tinha ninguém no controle, o beijo ainda era calmo, seguimos o ritmo lento e prazeroso, até eu quebrar o beijo.

-Casadas ? Não aguentou e gargalhou na minha cara, nunca iria me cansar de fazer Lauren rir, a sua risada era uma maravilhosa de se escutar.

-

Mastigava a comida com um sorriso em meus lábios, minha mãe tagalerava sem parar sobre o trabalho, Laura conversava com ela animada, já Lauren... Essa ai não parava de fazer graça na mesa, fazia algumas caretas sem ninguém perceber, me fazia cosquinha por debaixo da mesa sem ninguém perceber, meus olhos desviaram da camida para Mike, me olhava tão sério, como se soubesse o que rolava entre eu e sua filha, fingir uma tossi fazendo Lauren também se aquietar.

-Camila, terminar ai deixe o jantar de sua irmã ? Pergunto-me a velha.

-pode deixar. Pisquei para ela.

-

Empurrei  a porta que já  estava aberta,  sorri  ao ver a cara de tédio  da minha irmã  para a janela.

-Hora de comer ! Digo animada ao entrar no quarto com uma bandeja. - mamãe  fez exclusivamente  para você,  strogonoff.  Informei,  coloquei a bandeja em seu colo.  - como está?  Me afastei e me joguei na cadeira giratória. 

-esfomeada, mas bem, e você  ? Arqueou uma sobrancelha, oookay,  estranhei. 

-aah, estou  indo.  Dei de ombros. 

- Tá  indo?  Debochou ao dar uma colherada.  -nossa, pensei que pegar a Lauren  foi a melhor coisa que aconteceu na sua vida.  Meus olhos se arregalaram ao ouvi-la,  o meu mundo praticamente parou naquele momento,  até   coração parou junto,  fiquei simplesmente petrificada enquanto minha irmã comia calmamente. - Isso aqui  está bom viu.  Dizia com a boca cheia. 

- O que você  falou? Foi só  agora que consegui  falar,  Karla ergueu  o olhar para mim e deu uma leve risada,  confesso que me deu até  um medinho. 

- que o strogonoff  está  bom ? Maldita,  ela sabia do que me referia. 

-Outra coisa. Digo e ela deixa a colher no prato, minhas pernas estavam tão  bambas que nem conseguia  mais me balançar  na cadeira.  

- Não  se faça  de sonsa,  Camila.  Rolou os olhos entendiada.  - Você  é  lenta e tapada,  mas não  é  sonsa,  vamos ao fato. 

-Como você sabe que eu e...

- a Janela, Camila ! Oh, agora tinha entendido, a cama dela ficava ao lado da janela. -Mas também nem é pela a janela, já desconfiava, mas não tinha provas. Continuou a falar, Karla se ajeitou um pouco mais na cama e voltou a olhar para mim. - senta aqui. Bateu na no espaço ao seu lado, neguei com a cabeça em resposta. - ah, venha, não precisa ficar com medo. Fechei meus olhos me levantando, não sabia o que Karla queria com aquilo tudo, por mais que estivesse com medo, não posso negar que estava curiosa em saber o que iria acontecer.

-não está com raiva ? Perguntei com cautela ao  sentar do lado da minha irmã.

-Raiva ? No momento não, mas  máximo com uma pitada de ciúmes, sabe que gosto mesmo de Lauren. Dizia enquanto tirava a bandeja de seu colo.

- Me desculpas.

- se desculpando ? Pelo que? Até eu fiquei confusa, nem sabia ao certo por que pedi desculpas. 

- Sei lá. Talvez porque fiquei com a Lauren ?  ela seja sua ex e  ainda goste dela. Dei de ombros.

- Ai meu deus, Camila, você é uma retardada. Fechei a cara com o seu deboche. - tudo bem, mais cedo ou mais tarde isso ia acontecer mesmo, acho que só queria que esse momento fosse um pouco mais tarde, mas nem tudo é como queremos. Riu, Karla as vezes tinha uns papos doidos. - então... Como se sente ?

- Sei lá, é estranho fala disso contigo.

- Sei, também me sinto estranha, mas poxa, você está pegando a Lauren ! Exclamou incrédula.

- coisa feia falar "pegando". Fiz careta. - mas você ficou com ela primeiro.  ela gargalhou.

-Você é uma lerda, Lauren podia muito bem ter ficado com você primeiro, mas graças a deus fiz algumas coisas e conseguir tirar a atenção dela.

- fez o que ? Perguntei curiosa.

-nada que seja importante, mas... Vai querer continuar ficando com ela ?

-Claro que sim ! Respondi como se fosse óbvio.

-pergunta idiota, você é apaixonadinha pela Lauren, não querendo corta o clima bom entre nós, mas quero que saiba que... Eu não vou desistir dela. Meu sorriso foi se desmanchando aos poucos, enquando o de Karla só aumentava.

- Co-como assim ?

- Qual é Mila, você é doida por aquela demônia e comigo não seria diferente, o que estou querendo dizer é... Não vou desistir de Lauren,  quero aquela morena para mim, mas tem você então...  Olhei para ela desconfiada, aonde diabos Karla queria chegar com aquela história?

- Então  o que?  

-Então vamos ter que ir no impa ou par.  Olhei para ela incrédula,  Karla  as vezes parecia que não  pensava ou tem uns parafusos a menos. 

- Não  vou tirar no impa  ou par para ver quem vai ficar com Lauren! Digo incrédula. 

- Fala baixo, no meu quarto não  tem isolamento acústico.  Disse um pouco nervosa.  - Pedra,  papel ou tesoura? 

- Não vou entrar em nem um joguinho desse,  não  é  mais fácil  perguntarmos a Lauren com quem ela quer ficar?  Perguntei,  aquilo parecia ser mais simples e uma maneira mais direta. 

-oosh,  claro que não.  Respirou fundo.  -Lauren é  doida,  ela não  se decide quem realmente quer,  ou seja... Vai ficar pulando em galho em galho. 

- Mas... 

- Não  tem mas,  Camila!  Você sabe que é  verdade. 

- Ela parece gostar mais de você.  Digo baixo. 

- Se ela realmente  gostasse  de mim não  iria te dar bola. Um sorriso se abriu em meu rosto,  mas Karla fez questão  de logo tirá-lo de mim.  - o mesmo vale para você. Rolei os olhos. 

- Então o que sugere?  

- hm... Não  sei, mas não  quero ficar sem ela e pelo que vejo você  também não.  Concordei.        - Droga!  Eu não  sei,  Camila,  se isso é  confuso para você,  que é  toda inteligente,  imagina para mim.  Dizia frustrada. 

-Deixa as coisas como estão.  Dei de ombros. 

- " como estão ", estamos  praticamente dividindo a Lauren! 

- Eu sei,  eu sei,  também  não  concordo  com isso,  detesto te ver beijando ela,  mas eu não  quero deixá-la e você  também  não,  não  temos outro jeito. 

-Realmente...  Isso é complicado,  nunca pensei  em dividir alguma garota com você. Karla parecia emburrada com aquilo,  mas não queria  discordar.

- Não é  " alguma  garota",  é  a Lauren  !

- Por isso mesmo, não sei o que ela tem na cabeça para ficar com você. Riu sarcástica.

-Eeei !

-

Acordei naquela manhã mais tarde do que esperava, a preguiça me consumia, só de lembrar que irei trabalhar já não tenho mais vontade de me levantar.

Mas foi preciso, me arrumei rapidamente, estava morrendo de fome, mas a minha fome se foi por completo depois de ver a cena do inferno, Karla e Lauren estavam se pegando no sofá, ÀS 7 HORAS DA MANHÃ!

Apertei meus punhos  com força, mesmo com aquele maldito quase " acordo" com Karla, nem sabia se era um acordo, jurava que Lauren nunca mais iria ficar com Karla pelo que aconteceu... Mas vejo que não é bem assim.

Sair da sala com cuidado para não fazer barulho, não queria atrapalhar as duas ali, ao entrar na cozinha, deparei com Mike, o mesmo estava sentado e sozinho, com seu inseparável jornal e uma xícara de café.

-Bom dia. Digo ao me sentar também, nem sabia o que fazia aqui, estava sem fome mesmo.

-Bom dia ? Sério, Camila ? Ele parecia incrédulo.

- O que ?

-Vai dizer que acordar de manhã e se deparar com aquela cena na sala e sinal de bom dia ? Bufei ao escutar suas palavras. - bom... Diferente de você,  eu vou fazer alguma  coisa,  não  que eu não  goste de Karla,  mas minha filha mereçe  alguém melhor.  Disse olhando bem sério  para mim e logo se foi. 

-

Me afastei das duas rapidamente e logo me juntando ao grupinho. 

- Oiii.  Digo animada,  Alison abre um sorriso e me abraça  rapidamente. 

- Bom dia!  

-Bo-om dia,  Camila.  Shawn me comprimentou,  recebi um aceno de Troye,  ele sempre era o mais calado.

- Sem querer parecer meio que... Intrometida ou indelicada,  mas tem algum problema com a fala? Questionei para Shawn,  o mesmo desviou o olhar já ganhando a coloração vermelha. 

-Ele é  gago,  é o gaginha do grupo!  Alison abraçou  ele,  era até  meio estranho ver eles dois assim,  podia jurar que são  namorados,  Shawn é alto e apesar de não  ser atleta,  tem o físico  de um,  Alison era baixinha e loira,  usava oculos como eu. 

- Com licença. Olhei para o meu lado,  uma garota praticamente brotou do nada.  -Podem me dizer aonde fica a direção?  

-No Flash. Digo sem pensar,  meus olhos se arregalam assim que percebi a besteira que falava,  pois a alguns minutos conversávamos sobre a série do mesmo. -Q-que dizer,  é  só  seguir direto.  Respondi,  aquela garota me lembrava alguém. 

-Obrigada. E se afastou. 

-Hmmmmmmm. 

- Hm o que ? Perguntei confusa para Alison. 

-Vo-você estava totoda babando na novata. Rolei os olhos. 

-teu cu,  eu já  vou indo,  tchau seus nerds. Dou um tapa na testa de Shawn e me afasto,  já  ia virar o primeiro corredor quando me empurram em direção a parede, estava em tempo de reclamar com o idiota do jogador, pois eles tem a tendência de empurrar os outros,  mas a minha voz morreu assim que ví  seus olhos verdes. 

-Desculpas, me empurraram e acabei te empurrando sem querer. Me perdi em seus olhos verdes,  era incrível  como eu era fascinada por seus olhos,  os verdes claros e cristalizados,  com pequenos detalhes em azul,  que só  poderiam ser percebidos de perto. 

-Quase que quebra meus ossos.  Fiz bico e ela rolou os olhos. 

-Queria te perguntar uma coisa.  Mordeu o lábios  nervosa,  apenas  concordei com a cabeça  para ela continuar a falar.  -Não está  chateada comigo né? 

-Chateada com você  ? Questionei confusa. 

-Sobre mais cedo... 

-ah, olha... Se falesse que não  estaria chateada seria mentira,  pensava eu que  nunca mais iria ficar com Karla,  aí  quando acordo de manhã vejo aquela... Coisa. Fiz careta,  Lauren  riu e me abraçou pelo pescoço, me permitir deixar minhas mãos em sua cintura. 

-Você  com ciúmes é  uma graça. Fechei a cara e troquei de posição, ouvir um gritinho de Lauren quando deixei suas costas contra a parede.

-Você  abusa demais.  Respinguei. 

-Me beija! Aquilo não  era uma pergunta e sim uma ordem, mas... Estavamos no meio do corredor,  ele não  estava apenas  com nós  duas. 

-Estamos no corre... Nem me deixou falar, Lauren  já foi logo me atacando,  minhas mãos  subiram para o seu rosto, já  não  me importava mais se a gente  estava no corredor,  na verdade eu nem ligava,  queria que todos olhassem que Lauren estava ficando comigo,  queria mostrar que Lauren me pertencia... Mas aquilo não era verdade.  

Gemir dor quanto ela mordeu meu lábio  inferior  com força.

-Nada de beijo no meio do corredor!  Ví  Lauren  rolar os olhos e me afastei dela. -Para sala,  agora! 

- o coordenador é  um mala. Resmungou baixo. -Eu já  vou,  até  mais.  Me deu um selinho e se afastou também,  fiquei igual uma retardada  na parede,  Lauren  tinha me beijado em público! 

Parecia ser besteira,  mas para mim era uma maravilhosa sensação, para quem só  beijava as escondidas. 

-

-Bom pessoal, como alguns de vocês já sabem,  o Sr. Achatuba pediu aposentadoria,  já  fazia  um bom tempo em que ele conversava comigo, estamos também  em uma boa temporada para novos professores,  os universitário estam no seus últimos semestres, ou seja... Logo, logo vão  se formarem e... O diretor foi interrompido quando apareceu a mesma garota que perguntou para mim aonde ficava a direção. 

-Com licença. Ela pediu ao entrar na sala,  tinha um jeito tímido e ao mesmo tempo solto. 

-Chegou bem na hora,  como estava dizendo,  o último  semestre  é o mais importante,  pois estão  pertos de se formarem,  com isso aparecem os estágios, o que estou explicando é  que... A senhorita aqui  vai ser a nova professora de vocês  e vou deixá-los a vontades,  licença. 

Fiquei surpresa, jurava que a garota era aluna,  tinha seus cabelos pretos e um pouco a baixo dos ombros, a pela alva,  roupas nem tão sociais, uma calça jeans e uma blusa de mangas,  os olhos claros em um tom verdes e a boca rosada,  ela não  me era estranha,  parecia com alguém...

- Olá! Estou um pouco envergonhada por ser a minha primeira aula,  mas vamos lá, meu nome é Megan Fox, mas podem me chamar de senhorita Fox ou apenas de Megan, como preferirem.  Sorriu para a classe,  a voz dela era suave, não era igual a voz dos outros professores que  lhe dão sono. 

-Quantos anos tem? Uma garota lá de trás  perguntou. 

-Vinte e quatro.  Respondeu deixando todo mundo surpresos,  ela parecia ter uns 18. -Vou ser a nova professora de física de vocês,  hoje não  iremos ter aula, vamos apenas nos conhecemos melhores.  Seus olhos passaram por toda a classe,  mas acabou parando em mim,  me afundei mais na cadeira ao perceber o que iria acontecer. -Você! apresente-se para mim. Resmunguei baixinho ao me levantar. 

-Meu nome é  Camila. Dei de ombros achando o bastante e me sentei novamente. 

O tempo passou normal,  ela foi perguntando sobre os alunos e os alunos sobre ela, percebi também  os olhares dos outros sobre a nova professora,  não  posso falar nada,  ela era realmente bonita. 

Na minha sala não  tinha muitas pessoas do vale,  no máximo 3, eu,  Hailee e um garoto dos fundos,  isso é  foda, sentia inveja das meninas,  pois pelo que me contaram,  na sala delas 95% eram do vale,  ou seja,  lá  é  o verdadeiro vale dos homossexuais. 

-

-Camila ! Olhei para trás  confusa,  estava prestes a sair da sala,  quado a nova professora me chama. -Vai ao refeitório? 

-Não. Respondi curta,  realmente, pensava em ir para a sala dos gleeks - Por quê? 

-Ainda estou meio que perdida pela escola e estou morrendo de fome, mas não sei aonde fica o refeitório. Explicou com um bico nos lábios. 

-Se quiser eu posso te levar.  Dei de ombros. 

-Não  se importa?  Perguntou receosa,  apenas neguei com a cabeça  e logo começamos a andar juntas. -Então... Gostou da aula ?

-Hoje não  teve aula.  Respondo com um sorriso brincalhão e ela cora.  -Vai ensinar só  para a minha sala? 

-Ah,  não, aida dou aula para o segundo ano,  só  essas duas,  sabe... Ainda tenho a faculdade e fica meio pesado.  Me respondeu com uma careta, íamos andando enquanto tínhamos uma conversa bem agradável, nem queria entrar no refeitório, mas Megan me puxou para a fila. -É  impressão minha ou aquela lá  parece  com você  ? Segui meu olhar para onde apontava,  era Karla,  a mesma fazia bagunça com os amigos do time de futebol,  sorrir orgulhosa quando percebi que usava o casaco do time,  ela realmente conseguiu. 

-É  minha irmã. Dei de ombros. 

-Gêmea? Concordei,  já  estava preparada para mais perguntas sobre Karla, mas me surpreendi, Megan mudou de assunto,  normalmente as pessoas perguntavam mais sobre nós  duas.

Meus olhos saíram rapidamente dela para o fundo do refeitório,  e lá  estavam elas,  era lamentável perceber o clima pesado,  não  tinha mais aquela bagunça e animação, comiam quietas e em silêncio,  meus olhos se arregalaram quando todas olharam para mim de uma vez. 

-Eu ja vou.  Digo ao ter menção de ir para a saída, mas Megan me segura e me faz esperar ela pegar seu lanche,  não  demorou muito para saímos do refeitório,  ela foi  para a sala dos professores,  já  eu fui para a sala dos gleek. 

Polv's Lauren. 

-Olha lá, nem mais falar com a gente fala.  Olhei para trás  e ví  Camila,  a mesma parecia que tinha tomado o maior susto da vida,  franzir as sobrancelhas ao ver a morena ao seu lado a puxar,  quem era aquela? 

-Deixa ela.  Digo baixo,  voltei a sentar corretamente. 

-Mas ela deveria perceber que ela está  brigada com a Dinah e não  comigo! Lucy  parecia chateada ao falar. 

-Nós  não  estamos brigadas.  Dinah disse. 

-Você  espancou a irmã  dela,  é  claro que ela está  chateada contigo. 

-Karla merecia uma boa surra,  olha ela alí,  se achando só  porque é  do time.  Rolou os olhos a loira. 

-Ela está feliz,  deixa ela também. Defendi. 

-Não  venha não, você  sabe que não me refiro só  por aquilo.  Bufei ao enfiar a salada na boca,  olhei para Ally e estranhei,  estava pálida e parecia não  está bem. 

-está bem,  Ally? Perguntei. 

-Eu acho que... Eu vou... Vomi. A baixinha saiu correndo da mesa. 

-O que aconteceu com ela ? Mani perguntou.

-Parece que eu sou a única a notar as coisas, Ally está bem mal gente,  não  percebem que ela anda muito calada ? Nem um mísero       " meu deus" ela anda falando. 

Fiquei quieta enquanto elas comentavam sobre o comportamento estranho da nossa amiga.

-

Vero me abraçou pelos ombros enquanto andávamos em direção a sala. 

-Eu to com sono. Disse baixo. 

-Nem vem,  você  dormiu a primeira aula  inteira. Digo ao abrir a porta,  respirei aliviada quando percebi que nem um professor chegou,  mas estranhei todo mundo estarem sentados e quietos. 

-Alguém morreu? Perguntei a Vero. 

-Sabiam que  é falta de educação entrarem sem bater ? Arqueei uma sobrancelha para a garota que estava sentada na mesa do professor. 

-Não perguntei. Respondi,  agora que fui lembrar que ela era a mesma garota que estava com Camila no refeitório... HM. 

- Vejo que educação é  o que lhe falta. Fechei a cara para a atrevida. 

-Num deixa ela falar assim contigo não. Vero me deu uma cotovela. 

-O que te dar o direito de falar assim comig novata? Bom... Não era desse tipo de pessoa, mas  não gostava daquela garota de jeito nem um, mesmo mal a conhecendo.

-Tenho todo o direito, agora por favor, saíam da minha sala. Rir debochada ao lado de vero. 

-Isso é serio? Olhei para Ally, a mesma negou com a cabeça em sinal de repreendimento.

-Muito sério, se está acostumada com professores... Para ser mais delicada o possível, desqualificados, que não exigem pelo menos o respeito, sugiro que trate logo de desacostumar. Cerrei os olhos para ela. -Agora irei pedir novamente com educação, as duas, saiem da minha sala. Fiquei surpresa ao perceber que a mesma era a professora, mas não deixei transparecer, dei a volta e sair da  sala.

-

Polv's Camila.

Arrumava as camisinhas da farmácia, era estranho arrumar aquilo, tinha que arrumar por tamanho, marcas, sabores, tinha uma que brilhava no escuro que até me chamou atenção... Será que brilhava mesmo ?

Escutei o sininho da loja, mas continuei arrumando.

-Quanto é o teste de gravidez ? Esperai... Conhecia aquela voz, me virei aos poucos para matar a minha dúvida, meu deus, ela era, usava um sobretudo, óculos escuros e até um enorme chapéu de praia,  parecia  que estava escondendo-se de alguém. 

-Ally ? Ela deu um pulo ao me ver, o oculos desceu de seu rosto e percebi que a mesma estava assustada com a minha presença.

-Ca-Camila ? O que faz aqui ? Ally estava um pouco nervosa, olhei rapidamente para as suas mãos, onde jogou rapidamente a pequena caixa do teste de gravidez na prateleira.

-Eu trabalho aqui. Digo desconfiada. - É 12 dólares. Informei, ela me olhou confusa. - o teste. 

-Ah... Corada, ela ainda entregou-me o teste, fui para de trás do balcão e passei na máquina.

-Não querendo ser intrometida, mas já sendo... Vai comprar para quem ? Perguntei.

-Para Lauren ! Meus olhos se arregalaram, mas parecia ser mentira, Ally não olhava em meus olhos e ainda batia os pés com força contra o chão. 

-está falando a verdade ? Questionei desconfiada.

- não. Suspirou aliviada junto comigo, não vou mentir, sabia que era mentira, mas agora estou aliviada 100%. - é para mim. E olhei para ela surpresa.

-Está gravida ? Perguntei incrédula.

-Não sei, por esse motivo vim comprar o teste, droga, jurava que você trabalhava na outra farmácia e ... Será que dá para agilizar aí ? Ela me entregou o dinheiro e logo entreguei a caixa na sacola. -Obrigada.

-Ally, como isso aconteceu? Perguntei antes dela se afastar.

-No sábado, na mesma noite em que fui para a festa do Justin. Respondeu-me antes de sair.

Ai meu deus, Ally vai ter um bebê!!

Mas aí vem a pergunta... De quem ?

-

Era complicado demais a situação atual, não sabia ao certo o que estava acontecendo... Ou sabia e tentava não acreditar.

Se era complicado de explicar, imagine estar no meio dessa confusão toda, nem uma de nós três manifestou-se para falar sobre o assunto, Eu, Lauren e Karla, era complicado.

Aprecia que estávamos em um relacionamento a três, um maldito triângulo amoroso, era estranho, em um momento  estava com Lauren e no  seguinte ela estava com Karla, mas nem uma de nós falávamos nada, Karla não reclama e muito menos eu, mas também era visível o ciúmes de ambas quando Lauren estava com uma de nós .

Tantas coisas aconteceram nessa última semana, ainda não soube de Ally, a mesma faltou a semana inteira, estava curiosa sobre o teste, mas não falei nada dele sobre as outras.

Também voltei a falar com Dinah, foi bem difícil mesmo, Jane é muito orgulhosa e não iria dar o braço a torce, por falar da mesma, ainda estava destruída sobre o término do relacionamento com Mani, mas elas já voltaram a se falar, ou seja, mesmo com o término, não deixaram de ser amigas.

Lucy anda na mesma, outra coisa, Vernica voltou a andar com as meninas, eu ainda continuava com um pé atrás sobre ela.

O clube gleek continua a mesma coisa, contínuo ajudando na formação do robozinho, clube do coral também participo, mas andei faltando.

Karla foi nomeada a vice-capitã no time de futebol, ela está bastante feliz com aquilo.

Laura foi embora, Lauren fez a festa depois que viu a mesma sair de casa com mala e cunha, mas sentirei até falta da mesma.

Fiz uma amizade muito forte com Megan, sim, virei amiguinha da professora de física, ela é legal, inteligente e divertida, sem contar que é muito bonita.

Outro fato sobre ela, descobrir que Lauren a odeia, Dinah me explicou que no primeiro dia elas tiveram uma leve discussão e Megan a tirou de sala.

Agora, adivinhem quem foi bastante ignorada, já ganhou uns tapas e entre outras coisas por causa dessa amizade... Sim, eu.

Lauren tem o maior ciúmes de Megan, não sei o porquer,  mas confesso que adoro quando a vejo enciumada e poucas vezes provoco por conta própria...só as vezes.

Como agora...

Era hora da saída, conversava animadamente com Megan, ela contava sobre uma festa da sua fraternidade, fazia questão de me convidar, já fazia um tempo em que percebi que Lauren observava a gente, estava escostada na porta de seu pequeno carro, Megan estava ao meu lado e Lauren estava com Karla a alguns  metros d distância. 

-Camila ! Pisquei meus olhos poucas vezes ao desviar a atenção para Megan.

-O-oi Meg. Ela rolou os olhos e ficou em minha frente, me impedindo de obsrvar Lauren.

-Por que tanto olha para a sua irmã e a namorada dela ? Agora foi eu quem rolou os olhos ao ouvir "namorada".

-Elas não são namoradas.

-Que seja, você vai ou não vai ? Pode levar suas amigas se quiserem. Insistiu.

-Tudo bem, eu vou. Rir pelo gritinho de animação e logo um abraço apertado de Megan, ela nem se importava de ficar assim comigo em público ou pela escola.

-Aaaaaah, eu lhe prometo, vai ser a melhor festa da sua vida, agora tenho que ir, minha aula começa em meia hora, até amanhã Mila. Me deu um beijo na bochechas e se afastou.

Sair de perto do carro e fui em direção as meninas.

-Qual é a boa ? Cheguei já colocando meu braço ao redor da cintura de Dinah.

-A boa é você, o que tanto conversava com a professorinha gata, ein ? Rolei os olhos, Dinah as vezes fazia questão de colocar lenha na fogueira, olhei de relance para Lauren e ela tinha a cara fechada, mas não olhava para mim, continuava agarrada a Karla que estava quietinha no canto.

-Ela me chamou para uma festa e...

-Obaaa, festinha de universitários? To dentro ! Rir junto com a maioria das meninas por causa do desepero de Dinah.

-Sua desesperada, mas sorte sua que ela convidou vocês também. Aviso.

-Até eu ? Karla perguntou receosa por falar na rodinha, aposto que foi Lauren que a carregou para ficar aqui, mas estou feliz por nem uma das meninas ficarem de cara feia, principalmente Dinah, é claro que elas nem se falavam.

-Até você. Repondo, ficamos conversando mais um pouco, até perceber que mal tinha alunos na porta da escola.

-Cuidado, a dona faltou enfiar as unhas no braço de Karla. Dinah avisou me, arregalei os olhos e escutei sua risada.

Olhei em direção aonde dava o estacionamento, Karla tentava alcançar Lauren, parecia que brigaram.

Apesar do ciúmes de Lauren ser besta, pois não tem conduções de ficar com uma professora, mesmo ela sendo jovem, eu gostava de seu ciúmes, ele era único, exclusivamente para mim, Lolo nunca sentiu ciúmes de Karla, e olha que a minha irmã tenta até hoje fazer a morena sentir ciúmes dela.

Segui as duas que já estavam dentro do carro de Karla, acho que preciso de um também, próximo ano já vou entrar em uma universidade ou faculdade e não posso viver pedindo carona a Karla.

-Se eu fosse você ficava quieta. Karla deu uma risadinha ao ligar o carro, estranhava todo mundo achar graça dos ciúmes de Lauren.

-Por ? Me ajeitei no banco de trás.

- Lern está putassa por causa da profe... E a morena interrompe a minha irmã com um tapa forte de Lauren em seu braço. -Puta que pariu, eu já disse que não curto sadomaso...Porra ! Gargalhei com outro tapa, mas assim que Lauren se virou me encarando fiquei séria.

-

Bati em sua porta, não demorou muito para ela se abrir, um pequeno sorriso nasceu em meus lábios ao ver a baixinha, em seus olhos tinham pequenas olheiras, o cabelo desarrumadoe as roupas largas, o sorriso que tinha foi se desmanchando ao ver a baixinha naquele estado.

- O que faz aqui, Mila ? A abracei, ela correspondeu na hora, nem avisei que iria lhe visitar, pois sempre que as meninas avisavam, Ally dava uma desculpa esfarrapada.

-Vim saber como está. 

-Estou bem, não vê ? Rolei os olhos.

-Deu positivo ou negativo? Fui direta, Ally suspirou ao me puxar para dentro de sua casa, não era como a de Lauren ou de Dinah, era mais menor, quase do tamanho da minha antiga casa, nada luxuoso, mas confortável.

-Quer alguma coisa ? Neguei ao sentarmos no sofá. - como está as meninas ?

-ah, elas estão... Não mude de assunto Brooke. A repreendi. -Vim saber como você está e sobre o teste, depois a gente fala das outras. Ficamos em silêncio, Ally até murmurou baixo, mas não escutei. -Que ?

-Positivo. Sua voz ficou rapidamente chorosa, não demorei muito para abraçar seu pequeno corpo em um gesto de proteção. -Estou grávida, Camila ! Falou um pouco mais alteradas, mas não saiu do abraço.

-Ei, não é o fim do mundo e...

-Eu não sei quem é a porra do pai. Meu queixo foi ao chão e voltou, estava surpresa com a notícia e também por escutá-la falando palavrão.

-Mas... Que ?!

-Não  pergunte como, me lembro de quase tudo, das bebidas, céus, nunca bebi tanto, só sei que fiquei com umas meninas e acabei na cama de um desconhecido. Escutava a loira com atenção, só ai que percebi, aquela festa deu o maior b.o para todas as meninas, até para Ally que pensava eu que era a única que não tinha acontecido nada, nem imagino o que poderia ter acontecido comigo também.

-Eu não sei nem o que dizer, Ally, já disse para os seus pais ? Concordou com a cabeça.

-Eles me julgaram é óbvio, mas não vão me deixar, mesmo achando um absurdo está grávida, sem ser casada e principalmente sem conhecer o pai, meu deus, Camila ,minha vida virou um inferno.

Fiquei conversando com Ally por horas, já sentia que ela estava mais relaxada ao desabafar o que sentia sobre o assunto.

Era péssimo ver a baixinha tão para baixo. 

-

Abrir a porta devagar, o bom do quarto de Lauren era que a porta não rangia, coloquei apenas a cabeça e percebi que estava tudo escuro, mas deu para notar seu corpo deitado, logo entrei por completo no quarto e Fechei a porta.

Aproximei da cama e obsevei Lauren deitada, a respiração leve, tirei a chinela e me deitei ao seu lado, não tardando para abraçar seu corpo por trás, amava seu cheiro, me deixava tão atordoada ao ponto de fazer tudo rodar.

-Aonde estava ? Me assustei de leve com sua voz.

-Fu-fui na casa de Ally. Respondi ao apertar mais seu corpo.

- Ela está bem ? Um sorriso se abriu em meus o lábios ao perceber a preocupação com a amiga.

-Agora está. Dei um beijo em seu ombro. -Sabe... Não gostei de te ver com aquele short curto pela escola. Escutei uma risadinha.

- Pois também não gostei de te ver com a Fox. Rolei os olhos.

-Não começa vai. Mordi o nódulo de sua orelha, sorri ao sentir seu corpo se arrepiar.

- Quem começou foi você. Se virou e me beijou, deixei Lauren de começo comandar o beijo, puxei um pouco mais para mim, quase a deixando por cima, sua língua quente e com o gosto de menta, me deixava perdida, eu me perdia em seu beijo, em seus lábios, me dando mais aquele gosto de ... Quero mais.

Apertei minhas mãos em sua cintura e as de Lauren rapidamente se moveram para a minha nuca, se escondendo entre meu cabelo.

-Porra, Camila ! Xingou-me ao subir em cima de mim, abrir um sorriso malicioso ao sentir sentada em cima de meu membro, que já estava começando a ficar duro.

Mal pensei direito e Lauren já me atacou novamente, mas esse beijo era mais...bruto, faminto e carregava luxúria.

E como não sou nem uma santa, desci as pontinhas dos meus dedos vagarosamente de sua cintura, até o volume traseiro e logo apertando com força.

Quase gozei quando Lauren gemeu pelo leve roçar da sua intimidade com o meu membro.

A gente nem mais se beijava, Lauren tinha meu lábio inferior preso em seus dentes enquanto roçava em mim.

-Lo... Tentei gemer seu nome, mas minha voz falhou quando sentir seus lábios em meu pescoço, dando um forte chupão.

-Shh. Estranhei quando ela parou seus movimentos, sentir um rápido selinho e o abaju ao meu lado ser ligado, o que essa louca vai... Ela simplesmente arrancou minha blusa, corei ao sentir seu olhar sobre a minha pele exposta, nem usava sutiã.

Mordi o lábio inferior ao sentir a pontinha de sua língua em meu seio pequeno e uma mão sua começar a me masturbar lentamente, aquilo era tortura demais.

-Lo, céus. Fechei meus olhos com força quando ela tirou meu membro do short, o contato da palma de sua mão quente contra o meu membro pulsante era prazeroso demais.

Ergui meu quadril a procura de mais contato, seus lábios foram descendo lentamente contra o meu tronco, minha respiração já estava acelerada, parecia uma pessoa com asma, o oxigênio me faltava.

Meus olhos se arregalaram de uma vez e um gemido preso não saiu, Lauren tinha abocanhando meu membro de uma vez, sem aviso,  o calor de sua boca me deixava mais dura ainda, a língua aveludada fazia meu membro vibrar por mais, porra, Lauren quer me matar!

Tentei olhar para Lauren, mas parecia impossível, meus olhos insistiam em ficar fechado, até que consegui, com muito esforço, mas deu certo, ou piorou o meu estado de tesão.

Com a luz fraca do abaju, consegui apreciar a sensação e a visão de ter Lauren Jauregui fazendo um maravilhoso oral em mim.

Até um jato do meu gozo saiu sem querer quando olhei em seus olhos, sua boca descia de maneira lenta, até me irritei e começei a foder sua boca.

Erguia meu quadril de maneira rápida, Lauren tinha até parado, sua mão fazia o trabalho aonde não chegava, mas estava todo melado por sua baba, e não demorou muito para gozar em sua boca.

-Lauren. Gemir baixo, jurava que iria se afastar, mas não... Lauren engoliu toda a minha porra. -Porra, aonde foi que você aprendeu a fazer isso ? Por que tipo.. Porra, não quero nem saber ... Me calou com um rápido selinho, Lauren "guardou" meu membro de volta no short do pijama, que aliás, ainda estava duro.

-Dorme meu bebê. Estava mole nas  pernas  e não tinha forças , minha respiração mal se normalização e meu coração ? Só foi se acalmar depois que dormir.



Notas Finais


CHATUBA COME CU E TAMBEM COME XERECAAA.
BOUA NOITE CRIANÇAAAAAAAAAAS.

O que acharam do cap ? Se comentarem ainda sai novo capítulo amanha kakakak.

Baizinhuuuu crianças impuras ♡👋👋👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...