História A bela e a fera estilo Miraxus - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Laxus Dreyar
Tags A Bela, A Fera, Lami, Miraxus, Romance
Visualizações 35
Palavras 1.012
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIIIIIIIII GEENNNNNTEEEEEE!!!!!!!!!!
VOOOOOOOLLLLLLLLTEEEEEIIIII!!!!!
Antes que vcs me ataquem com paus e pedras eu vou explicar o motivo de tantos meses sem postar .
.......
Eu não tenho motivo.....
MAS ESPERE AI
Eu peço desculpa mas faz muito tempo que eu não abro a minha conta no spirit ,então eu acabei esquecendo da fanfic .
Fazer oq se eu tenho memoria fraca .
Mas aqui estou eu voltando com mais um cap pra vocês.
Acho que eu enrolei de mais , fiquem com o cap \o/

Capítulo 22 - Cap 22


  assim  que  abri  a  porta   laxus  me   encarou  com  caras  de  poucos  amigos  bipolaridade  a  mil 

-pare  de  me  olhar  como   se  eu  fosse  o  inimigo  -falei  também  o  encarando  ele  apenas  desviou  o  olhar

   sentei  na  beirada  da  cama  com  o  prato  em  mãos   peguei  uma  colher   e  fiz  igual  antes  e  tentei  a  todo  custo  colocar  a  comida  em  sua  boca  mas  ele  sempre  desviava  o   rosto

-laxus  e  o  nosso  acordo -perguntei  o  encarando

-e   se  eu  não  quiser   cumpri-lo  -perguntou  com  sarcasmo

-eu  abrirei  as    cortinas  e  nada  nem ninguém  ira  fechá-la    -respondi  o  vendo  encarar  o  chão  -agora abra  logo  a  boca 

  ele   apenas   abriu   e  eu   coloquei   a  colher   em  sua   boca  ele  acabou mastigando  a  comida  em  uns   4  segundos

-viu ninguém  morreu -disse  a  ele

-só minha  dignidade  -respondeu

-pois bem -respondi -terminaremos em pouco tempo e você  se livrará de mim

-ei também não e assim -disse virando o rosto sem  jeito 

-como assim não e assim -perguntei sem entender

-e -eu  não  te  odeio  tanto  assim -gaguejou  ele  corando em  seguida

  que... FOFO   bem  ele  e  chato mas  pode  ser  fofo quando  quer

- c-como assim você  não  me  odeia -perguntei  incrédula 

-eu  não  te  odeio  tanto -respondeu me  encarando -me  de  o  resto  da  comida  pra  acabar  logo   com  isso

- b-bem  -não   sabia  o  que  dizer -ta  bom

   peguei  outra  colher  de  sopa   e  levei  ate  sua  boca  e  o  mesmo   a  abriu   e  eu  a   coloquei  a  dentro

-------------------------12  minutos  depois -----------------

    avia  acabado  de  fazer  laxus  almoçar  

  o  encarei  e  percebi  o  quanto  ele  estava  insatisfeito  com  o  gosto  que  ficara  em  sua  boca

   acabei  por  ter  uma  idéia

-laxus  você  gosta  de  brigadeiro -perguntei o  encarando 

    o   mesmo  me  encarou  durante  alguns  segundos  antes  de  perguntar

-o  que  e  isso -perguntou  interessado

-você não  sabe  o  que  e  brigadeiro -perguntei  novamente  incrédula ate  eu  que  sou  de  família  humilde  já  avia  de  ter  provado  do  doce 

-você  fala  como se  isso  fosse  um  crime -começou dando  um  risinho  prepotente  com  a  minha  reação  -não  eu  nunca  comi  esse  tal  de  brigadeiro  e  um  doce  não  e 

-sim  -comecei  ainda  o  encarando -o  doce  mais  comentado  da  minha  região

   aquilo  estava  a  correr  bem  laxus  sem  provar  o  doce  eu  a  ponto   de  fazer  um  e  ele  pedir  um  pouquinho

-eu  estou  indo  fazer  um  para  mim -digo  me  levantando  da  beirada  da  cama  e   indo  em  direção  a  porta 

-aproveita  e  faz  um  pra  mim  experimentar e  -não  deixei  que  terminasse

-eu  não -digo  me  virando  e  cruzando  os  braços

-como  não -pergunta  indignado  -pare  de  querer  da  piti  e  vai  logo  fazer  o  tal  do   brigadeiro

-não  sou  obrigado  a  nada  -e  ai  que  começava  a  minha  chantagem -você  não  se  portou  bem  me  tratou  com  ignorância  foi  rude não  controlou  seu  mal  gênio  se  recusou  a  comer  mesmo  que isso  fizesse  bem  para  a  sua  saúde  e  ainda  por  cima  tratou  seu  avo  com  indiferença  ou  seja nada   de  doce  pra  você          

-pare  de  querer  se  passar  pela  minha  mãe  e  vá  logo  fazer  um  doce  pra  mim  -mandou  arrogante  alterando  a  voz

-agora  sim  que  eu  não  faço  nada  -digo  com os   olhos  fechados  e  ainda  com  os  braços  cruzados 

-ora  sua  -não  deixei  que  terminasse

-continue  sua  frase  e  eu  abro  as  cortinas  -comecei -apenas  precisa  pedir  desculpa  por  seus  atos   e  falar  uma  palavra  mágica  que  com  certeza  fará  com  que  eu  faça  um  doce  pra  você

-agora  sim  esta  parecendo  minha  mãe  de  vez -diz  ele  sarcástico  -não  vou  pedir  merda  nenhuma  de  desculpa  por  algo  irrelevante  e  muito  menos  pedir  por  favor  para  você  ir  pegar  um  doce  pra  mim  na  cozinha

-então  que  fique  passando  vontade  -ia  saindo  ate  que  ouso  ele  me  chamar

-espera -começou ele  baixo  -d -desculpa

-desculpar  você  pelo  que  laxus  -perguntei  o  encarando  com  arrogância

-eu  não  vou  falar   isso -diz  ele  me  encarando

-diga - falo   ainda  o  encarando

-m -me  desculpa  por  ter  tratado  você  e  meu  avo  mal  por  me  recusar  a  comer  e  também  por  ser  grosso  -diz  ele  sem  jeito

-ta  bom eu  te perdôo -digo  feliz  por  fazê-lo falar-mais  alguma coisa  laxus 

-p -por favor  -começou  ele -faz  um  brigadeiro  pra  mim

-hum  deixa  eu  pensar  -começo  brincando  com  ele  com  o  dedo  no  queixo  -esta  bem  eu  faço  pra  você 

-que  bom -diz  ele  um  pouco  feliz

-juro  que  não  demoro -digo  saindo  pela  porta  e  descendo  as  escadas

-----------------------10  minutos  depois -------------------      

    eu  acabo  por  entrar  no  quarto  e  me  deparar  com  um  laxus  dormindo  serenamente  em  sua  cama

-deve  ter  pegado  no  sono  enquanto  esperava -sussurro   para  mim  mesma  me  sentando  ao  seu  lado  na  cama ainda  com   o  brigadeiro  em  mãos

    fiquei  um  tempo  o  observando  observei  seus  cabelos  loiros  eriçados  para   cima  em  sua  pele  clara  não  como  a  minha  que  era  albina  mas  não  muito  mais  escura  do  que   a  mesma  reparei  também  em  sua  cicatriz  em  forma  de  raio  tão  perfeita  que  mais  parecia  que  fora  modelada  e  colocada  ali

    reparei  em  tudo  e  também  no  quão  sereno  ele  ficava  enquanto  dormia  algo  que  eu  nunca  vira  enquanto  ele  estava  acordado 

  sorri   com  meus  pensamentos  e   pousei  minha  mão  sobre  sua  cabeleira  loira   antes  de  começar  fazer-lhe  um  cafuné

-porque  você  não  e  desta  mesma  forma  quando  esta  acordado -pergunto  para  mim  mesma  ainda  fazendo  um  cafuné  no  loiro  deitado  na  minha  frente

   me  levantei deixando o  pote  que   continha  o  doce  em   cima  da  prateleira  antes  de  voltar  a  mirar  o  loiro 

   ele  dormia  tão  serenamente  igual   a  uma  criança  depois  de  ficar  acordado  uma  noite  inteira 

    vendo  ele  daquele  jeito  não  consegui  resistir   fui  ate  ele  e  desferi  um  beijo  em  sua  testa  o  que   fez  o  loiro  se  movimentar  um  pouco  na  cama  com  um  sorriso  na  cara 

-branquinha...-murmura  ele  me  fazendo  corar  violentamente  mesmo  sabendo  que ele  estava  dormindo 

   me  levantei  e   sai  do  cômodo  descendo  as  escadas  deixando  o  pote  de  brigadeiro  em  cima  da  prateleira  


Notas Finais


Bom foi isso serumaninhos.
Pfvr comentem (nem que seja pra me xingar de desnaturada )
Mas pfvr comentem.
Bjs e desculpa de novo \o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...