História A encantadora de lobos - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 30
Palavras 1.924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aqui vai mais um capitulo gente e como eu disse no capítulo passado esse é a continuação do outro
💋💋
Boa leitura

Capítulo 6 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction A encantadora de lobos - Capítulo 6 - Capítulo 6

Depois de uns bons minutos nos paramos em frente a um prédio grande, eles param fora do grande muro que cerca todo o prédio, Carlito abre a porta e sai da velha caminhonete

- vamos lá Louise_ Carlito fala e uma confusão de sentimentos me invade, uma mistura de tristeza por está longe dos meus lobos e uma certa emoção, ouvir meu nome depois de tanto tempo, por um lado isso me deixa confusa, a última vez que ouvi meu nome foi da minha mãe e ela estava morrendo, deixo algumas lágrimas escorrerem pelo meu rosto

- como sabe meu nome..._ tento perguntar mais ele não responde apenas me pega no colo e me leva em direção ao portão, os outros dois homens ficam perto da caminhonete

O porteiro abre o portão pra que nós possamos entrar, na grama de frete pro prédio várias crianças de idades diferentes brincam, ele me leva pela calçada chamando a atenção das crianças maiores, muitas me olham fazendo caretas, outras ficam me olhando e cochichando, outras apenas riem, sei que minha aparência não está muito agradável, nem lembro a última vez que tomei um banho, meu cabelo não sei nem como descreve-lo e com certeza devo está cheirando muito mal, ainda por cima devo está com cara de doente

Dou graças a Deus quando entramos pela porta, pelo menos dentro não tem nenhuma criança, apenas uma mulher baixa e gordinha que está limpando o chão, ela nos recebe com um sorriso simpático, ela me olha sorridente mais eu viro o rosto dando sinal que não queria nenhum tipo de contato com ninguém, também percebo a presença de outra mulher atrás da bancada da recepção, ela parece não ter nos notado ali, ela estava de costa arrumando alguns papéis na prateleira, seus longos cabelos negros caiam sobre suas costas, ela vestia um lindo vestido vermelho, me fazendo sorrir, eu adorava aquela cor

- olá Suelen_ Carlito comprimenta

- oi Carlito_ a senhora comprimenta olhando para ele e em seguida voltando sua atenção para o chão que estava limpando, ele se aproxima da bancada

- Kimberly, pode ligar pra ele, eu achei a menina_ ele fala fazendo a moça se virar e nos olhar surpresa

- ah meu Deus... É mesmo ela_ ela fala me olhando surpresa

- missão cumprida_ ele fala com uma risada no final e me coloca sentada na bancada

- Suelen, vá chamar a Marisa_ Kimberly pede ainda me olhando sem acreditar no que via

- sim senhora_ a senhora fala e se retira

- onde vocês a acharam?

- perto do lago, eu disse para ele que ela podia está por lá, mais aquele teimoso não quis me ouvir_ ele responde e antes que ele possa continuar uma mulher de cabelos cacheados e pele morena aparece

- mandou me chamar, Kimberly?_ a linda moça pergunta

- sim, está é a Louise, leve-a e de um banho nela, coloque roupas limpas e... E você sabe o que fazer_ Kimberly fala

- então você é a famosa Louise?_ ela pergunta passando a mão no meu rosto mais eu afasto o rosto assim que ela me toca- meu Deus, você está queimando em febre_ ela fala colocando mais uma vez em mim só que dessa vez na minha testa e antes que eu me afaste ela coloca a outra pra segurar meu rosto

- dê um remédio para ela também, ok?, e chame a enfermeira para dar uma olhada nela_ Kimberly fala e Marisa tenta me pegar no colo mais eu não deixo e me afasto

- eu não quero ir com você_ falo mais ela parece não querer fazer minhas vontades pois me pega no colo do mesmo jeito e me leva, eu poderia tentar me soltar mais de que adiantaria já que eles iriam me pegar de novo e eu só iria gastar minhas forças em vão

Ela me leva pra uma sala que eu acho ser a enfermaria por causa de todos aqueles objetos, agulhas, algodão, vários remédios e uma daquelas camas de hospital, Marisa me coloca em cima da cama e eu cruzo os braços e faço cara de raiva

- fique quietinha, eu volto já_ ela fala saindo da sala e antes que possa bolar um plano pra fugir ela entra na sala com outra mulher mais baixa que ela com cabelos curtos e castanhos, eu deduzo que ela é a enfermeira ou até mesmo a médica pois ela está de jaleco

- ai está ela Ariane, vou preparar um banho pra ela eu já volto_ Marisa fala nos deixando a sós

- está tudo bem Louise?_ ela pergunta e eu fico intrigada, como todos sabem meu nome

- como todo mundo aqui sabe meu nome sendo que eu não falei pra ninguém?_ pergunto e ela solta uma risada

- eu estou aqui pra examinar você, tudo bem?, essa pergunta você faz pra outra pessoa_ ela fal e eu a encaro fazendo uma careta- desde quando você está com febre?_ ela pergunta e eu estava decidida a não responder mais eu tinha que colaborar pra mim poder ficar boa e na primeira oportunidade fugir daqui

- a alguns dias_ repondo rápido

- ótimo, o que mais você está sentindo?

Falo tudo pra ela e a mesma me diz que é só uma virose que por passar muito tempo sem tomar remédios ela evoluiu um pouco mais nada que alguns remédios não resolvam, pra começar ela me dá algumas gotas pra passar a febre, logo a Marisa aparece pra me buscar

- vamos mocinha?_ ela vem me pegar de novo mais eu não deixo

- eu posso ir andando_ falo pulando da cama

- tudo bem, é só me seguir_ ela fala saindo da sala e eu a sigo

Passamos por vários quartos, até que ela para, de frente pra uma porta, ela abre revelando um banheiro, não parecia ser um banheiro coletivo, pois é bem pequeno, com uma banheira tomando quase a metade do pequeno banheiro, uma privada do lado da banheira, e uma pia pequena de frente pra banheira

- vem, vamos tirar essa roupa_ Marisa fala começando a tirar minhas roupas, quando estou nua ela me olha fazendo uma careta mais logo me pega e me coloca na banheira já cheia de água

- onde nós estamos?_ pergunto quando ela começa a me esfregar com uma esponja

- estamos num orfanato_ ela responde com um sorriso

- mais eu não quero ficar num orfanato_ reclamo

- você não vai ficar aqui, só estamos dando um trato em você primeiro_ ela responde

- pra onde eu vou então?_ pergunto confusa

- você vai entender, é só ter paciência_ ela responde e eu continuo sem saber o que vai acontecer comigo, decido não insistir

Depois do banho ela me leva pra um quarto, onde eu acho ser o dormitório de algumas crianças, Marisa veste um vestido em mim que fica até um pouco folgado, ela me senta em uma cadeira e corta mais da metade do meu cabelo, não reclamo ou tento impedir pois sei que não vai adiantar, depois de me pentear e me arrumar ela me coloca de frente pra um espelho e eu me encarro no espelho, faz tempo que eu não me via assim tão arrumada, toco meu rosto agora limpo e meu cabelo loiro escuro agora curto, sorrio e olha para Marisa

- você está linda, não é?_ ela pergunta e eu só aceno- vem comigo_ ela chama pegando minha mão

Ela me leva até uma sala cheia de brinquedos diversos, eu olho encantada pra todos aqueles objetos, Marisa me deixa sozinha e diz pra mim espera-la e eu obedeço me sento em uma das mesinhas do local e pego um bichinho de pelúcia que estava jogado no chão, assim que olho para o brinquedo que me deixa um pouco emocionada, pois era um lobinho de pelúcia, que parecia bastante com Mia, eu abraço o bichinho e deixo uma lágrima cair

- Louise?_ Marisa pergunta entrando na sala, coloco o bichinho em cima da mesa e enxugo a lágrima

- estou aqui_ respondo e ela se aproxima com um prato de comida e um copo de suco

- trouxe comida para você_ ela fala colocando o prato em cima da mesa e rápido minha boca enche de água quando olho aquela comida, arroz, marcarão, frango, um pouco de salada e um suco de laranja

Rapidamente como toda a comida, eu estava faminta, fazia dias que eu não comia direito e aquela comida estava deliciosa, Marisa me deixou sozinha pra que eu comesse em paz, ela também disse que nenhuma criança iria me incomodar enquanto eu estivesse ali, quando eu termino de comer eu pego o lobo de pelúcia e o encaro, meu peito se enche de saudade de todos até mesmo de Luke implicando comigo

- se quiser pode levá-lo pra você_ me assusto com Kimberly entrando na sala

- posso mesmo ficar com ele?_ pergunto olhando pro brinquedo

- claro que pode, eu só vim pegar o prato_ ela fala pegando o prato e o copo e vai saindo da sala

- Kimberly?_ a chamo

- sim_ ela se vira com um sorriso

- quando vou sair daqui?_ pergunto e ela sorri

- logo, espere só mais um pouco_ ela fala e sai da sala me deixando sozinha de novo

Depois de um tempo eu me levanto com meu lobo de pelúcia e vou até a grande janela de vidro que tinha ali, a janela dava uma bela vista para o jardim, observo algumas crianças brincando, mais uma vez escuto a porta se abrindo e passos calmos se aproximando, penso que pode ser Kimberly ou Marisa por isso não me viro para olhar apenas continuo olhando a paisagem

- Louise?_ fico rígida quando escuto aquela voz me chamar, não pode ser, me viro devagar e encarro o par de olhos castanhos que foram o motivo de tudo que eu passei

- p-pai?_ pergunto sem acreditar no que via, ele me olha com os olhos marejados, eu queria odiar aquele ser que estava na minha frente por ter sido o culpado da morte de minha mãe mais tudo que eu consegui foi pular em seus braços e começar a chorar, por mais que eu não queira admitir eu queria aquele abraço a muito tempo

- minha princesa_ ela fala me levantando no ar e apertando ainda mais o abraço

- papai... A mamãe..._ tento falar mais ele nega com a cabeça

- eu sei meu bem, nós encontramos o corpo dela, eu sinto muito_ ele fala agora me encarando- mais eu nunca perdi a esperança de te encontrar_ ele fala acariciando meu rosto

- eu pensei que tivesse morrido_ falo e ele rir

- eu consegui escapar mais isso não é assunto pra um momento como esse_ ele fala beijando meu rosto e atrás dele eu consigo ver Kimberly e outra moça que eu ainda não tinha visto, ela parecia bastante com Kimberly, tinha cabelos compridos e olhos verdes, papai olha pra onde eu estava olhando e sorri pra moça- agora nós vamos pra casa meu bem_ ele fala me levando no colo até as mulheres e com um aceno a moça que eu ainda não conhecia nos segue

Já do lado de fora do orfanato meu pai agradece a Kimberly e seguimos até seu carro, o mesmo carro vermelho de dois anos atrás, ele me coloca no banco de trás e a moça entra no banco do carona e meu pai no banco do motorista, logo ele segue a estrada

- pai quem é essa moça?_ finalmente tomo coragem e ele se ajeita no banco e limpa a garganta antes de falar e ela pega sua mão acenando para ele

- essa é Gisele, minha nova esposa_ fico simplesmente sem reação, encaro a moça que me olhava pelo espelho sorrindo, viro o rosto e sigo o resto da viagem calada


Notas Finais


Então é isso gente, a parti do proximo capitulo ela vai aparecer mais velha, espero que estejam gostando
Até o próximo capítulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...