História A Era dos Caminhantes - Capítulo 105


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Apocalipse, Caminhada, Caminhantes, Contaminação, Drama, Ficção, Mortos, Mortos Vivos, The Walking Dead, Zombie, Zumbis
Visualizações 3
Palavras 2.484
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 105 - 8.15 É Mais de 8000


I...

Leo, Lincoln e Guil continuam mantendo os estranhos na mira. Wesley vê eles conversando com alguém e pergunta com quem os Walkers estavam falando.

- Tem um grupo aqui Wes. - Respondeu Guil. - 12 pessoas.

Wes sobe na base pra ver o que estava acontecendo.

- O que vocês querem?

Kawan olha para o Walker.

- Você é o líder?

- Sim.

- Então vou mandar a real logo.

Os outros Nomades observam Kawan.

- Somos os Nomades, viemos aqui pra saquear vocês mas vimos algo do interesse de todos nós.

- Disseram que tem uma horda de vivos-mortos vindo pra cá. - Contou Leo.

- É só ficarem em silêncio que vão escutar. - Bradou Fabiana. - Não sejam tolos, vamos todos morrer se não fizermos algo.

Wesley pede silêncio pra todos, ele sobe no muro e caminha até uma área com melhor visão para as ruas da cidade.

- Puta que pariu.

Assustado ele perde o equilíbrio e quase cai de cima do muro.

- Lincoln chame todo mundo, acorde todos e fale para pegarem as armas. - Fez uma pausa e voltou pra plataforma de vigia. - É a maior horda que já vi, a maior que vamos enfrentar e estão a pelo menos uns 17 minutos daqui.

- Que bom que viu. - Falou Kawan.

- Eu não sei se queria ver. - Disse Wesley. - Não sei se foram vocês que atraíram aquela horda, não sei o que vocês realmente querem com a gente mas já que estão aqui, vão ter que nos ajudar.

- Uma amiga me disse algo uma vez. - Kawan sorriu.

"É muito improvável aparecer um grupo bom como a gente mas aqui estamos, precisamos de sobreviventes para sobreviver, todos aqui somos sobreviventes e por isso devemos nos unir e assim progredir até o fim."

- Sua amiga era sabia. - Devolveu Wesley. -  Mostrem que ela não estava enganada, nos ajude que ajudaremos vocês se sobrevivemos.

- É o que queríamos ouvir.

II...

Lincoln chega com a maioria dos Walkers já preparados, muitos confusos sem saber o que estava acontecendo.

- O que houve? - Mika estava preocupada com o alvoroço. - Lincoln disse que tem um grupo aí.

- Outro grupo rival? - Perguntou Rinaldo.

Wesley desce da plataforma e vai até o grupo

- Leo abra o portão por favor. - Os Nomades entram devagar no CCD, ainda estavam sob a mira dos Walker. - Eles vieram nos avisar sobre uma horda enorme de zumbis que está vindo até nós.

- E é verdade?  - Julia estava com sua katana cintilante pronta para atacar.

- Sim, tem milhares de vivos-mortos, eu vi com meus próprios olhos e eles estão a mais ou menos 15 minutos de distância.

- Temos que fazer algo urgente. - Avisou Guil. - Eles dobraram a rua e estão vindo.

- E se fizermos com que parte deles se afastem dos outros, caso a gente consiga dividir eles ficará mais fácil, mais possível vencermos. - Disse Kawan. - Alguém tem outra idéia?

Wesley estava inquieto e pensativo.

- Você e seu grupo pode fazer isso?

- Já enfrentamos grupos grandes de zumbis, dezenas, centenas... mas não milhares.

- Eu não sei o que fazer. - Falou Wesley. - Se tudo aquilo chegar aqui vai complicar.

- Os muros aguentam tranquilo. - Disse Isabelle. - Podemos matar a tiro o quanto conseguirmos.

- Não é simples assim. - Falou Wesley. - Primeiro que não temos munição pra matar todos e segundo que os corpos ficariam se juntando perto do muro o que daria muita merda.

- Verdade. - Concordou Cadu. - Iria acontecer tipo no Guerra Mundial Z, os bichos subindo por cima dos outros até invadir aqui.

- Se entrarem aqui estamos perdidos. - Rinaldo era forte mas todos estavam com medo do que poderia acontecer.

- Estaremos mortos. - Disse Diego.

- Então chega de perder tempo. - Advertiu Well. - Vamos matar eles antes que eles cheguem pra matem a gente.

- A melhor defesa é o ataque. - Disse Wesley.  - Vamos nos dividir em grupos e ir até as ruas.

- Nós  estamos indo pelo mata a esquerda. - Avisou Kawan. - Faremos o possível para dispersar o maior número de zumbis.

- Estão precisamos de um grupo que irá atacar pela direta e outro pra ficar aqui.

Leo fecha o portão após os Nomades saírem.

- Ainda temos bombas.

- Eu levo um pouco das bombas. - Disse Well. - vou com o grupo pela direta, quando acharmos um lugar bom usaremos as bombas contra os mortos e consequentemente o barulho vai atrair atenção de uma parte deles, feito isso vamos levá-los pra longe.

- Não dá pra sair com os carros. - Guil checava a AK47. - A rua já está fechada, estão a bem menos de 1km daqui.

- Well,  Faça o que for necessário pra levar esse parte deles pra longe e tomem cuidado com os zumbis branco.

- Pode deixar Wes. - Com parte do plano feito, Well chama os Caio, Kayo, Doug, Cauê, Jean, Jow, Julia, War e Xarawy pra se juntar a ele, o restante dos Walkers ficam no CCD.

- Agora é hora de ficar em cima do muro galera, literalmente. - Mesmo em momentos difíceis Leo conseguia fazer piada.

Cadu dirigi um dos carros até o portão.

- Tive uma idéia que pode ajudar. Vamos levar os carros e deixar eles na rua formando uma espécie de barricada, isso vai atrasar os zumbis.

- O barulho vai chamar atenção deles. - Lembrou Rinaldo.

- Não importa. - Repreendeu Leo. - Eles já estão vindo mesmo.

- Vemos, não temos muita escolha. - Wesley até o mustang, Mika segue ele.

- Cuidado lá Wes.

- Fique tranquila, eu só vou deixar o carro e já irei voltar. - Eles se abraçam e o garoto sai em alta velocidade do CCD, logo atrás dele Matheus, Rinaldo, Jonas, Diego também levavam os outros carros.

III...

Na mata a esquerda os Nomades corriam entre as árvores, alguns zumbis atraídos pela horda vagavam por ali.

- Eu ainda não entendi direito o por quê mudou de idéia assim. - Falou Lavinia. - Claro, tem muitos zumbis mas nós poderíamos ir embora e deixar tudo isso pra lá.

- Não é o que Raissa faria. - Advertiu Lukas. - Temos a oportunidade de ajudar aquelas pessoas e vamos fazer isso assim como ajudamos os Nomades.

- Exatamente. - Kawan chuta um zumbi que surgiu em seu caminho. - Viram o que o líder deles disse, se ajudarmos seremos ajudados, é uma troca.

- Vocês reparam naquele lugar? - Perguntou Fabiana. - Lá é grande, parece organizado e seguro.

- O que quer dizer com isso. - Devolveu Fabricio.

- Podemos passar um tempo com eles se sobrevivermos.

- Nós vamos sobreviver. - Kawan estava com esperança de que tudo daria certo mas não seria fácil. - Beleza gente, vamos começar a fazer barulho.

Os Nomades começam a gritar e assobiar no intuito de chamar a atenção dos vivos-mortos. Os que estavam pela mata são os primeiros a seguir eles, os zumbis mais próximos são mortos pelos sobreviventes que usam armas brancas.

Os Nomades continuam a correr até chegar na rua próxima da esquina onde a horda estava virando em direção ao CCD.

Haviam zumbis na rua onde o grupo estava mas mesmo assim os Nomades continuavam a fazer barulho agora usando suas armas de fogo.

- Alguns zumbis estão saindo da horda. - Observou Fabiana. - Vamos continuar.

- Mantenha posição e façam duplas ou trios de costas uns para os outros. - Disse Kawan. - Conforme os da horda virem até nós, teremos que ganhar espaço indo até o final da rua.

IV...

Pela bosque da direita os Walkers não estavam tendo menos dificuldade, um grande número de zumbis estava por ali e ainda faltava uns 300 metros para os garotos chegarem na rua onde iriam usar as bombas na horda.

- Não parem de correr e mantenham a atenção. - Falou Doug. - Se cair, for cercado ou qualquer outra coisa, grite.

As armas de fogo já estavam sendo usadas por eles, o som fazia com que os zumbis os seguissem.

Julia corta a cabeça de um zumbi que se aproximou rapidamente dela.

- Ele estava correndo, aqueles velocistas estão no meio dos lerdos.

- Outro! - Well dispara contra o bicho. - Vamos, já estamos perto.

Jean corria à frente do grupo.

- Vão, vão! -  Ele para, após seus amigos o passarem, tira uma uma granada da mochila e joga na direção dos zumbis que os perseguiam, depois da explosão ele volta a correr.

Os Walkers finalmente estavam na rua, no bosque deixaram dezenas de vivos-mortos destruídos.

- Temos cinco bombas. - Well contou com o grupo. - isso vai que funcionar.

Alguns Walkers davam cobertura enquanto Well, Doug, Julia e Cauê pensavam no que fazer.

- Acho melhor jogarmos uma no meio da horda. - Sugeriu Cauê. - Vai destruir um monte deles e confundir parte dos que restarem.

- Vamos ver no que isso vai dar. - Falou Doug pegando uma granada. Com outros Walkers dando cobertura ele vai o mais próximo e suguro da horda, joga a bomba que explode em segundos, pedaços de zumbis voam para todos os lados, fogo e fumaça se alastra entre os vivos-mortos que começam a se afastar da "fila".

- Está funcionando. - Disse Julia. - Agora é a hora de atrairmos eles até nós.

- Já estão vindo. - Avisou Well apontado para uns dez zumbis. - Os brancos velocistas.

V...

No CCD, os Walkers se juntavam na plataforma de vigia.

- O que ele está fazendo? - Questionou a si mesmo Mika ao ver Wesley usando a metralhadora do Mustang contra os zumbis, os outros que levaram os veículos também estavam disparando contra os bichos.

- Eles estão fazendo a primeira linha de ataque. - Observou Leo. - Vai ficar tudo bem Mika.

- Oi Gente. - Cleisla se ajeita ao lado deles com uma arma. - Por que estão me olhando assim? Não é porque estou grávida que vou perder a ação.

- Tubo bem Cleh, só tome cuidado. - Pediu Mika. - Isso serve pra todos.

Leo se surpreende ao ver Lavinia abrindo o portão.

- Aonde pensa que está indo?

Lavinia olha indiferente como quem não deve satisfação.

- Irei levar essas garrafas de coquetel molotov que preparamos, vai ajudar contra os zumbis.

- Lavinia fique aqui. - Pediu Mika. - Não precisa ir pra lá, os garotos já vão voltar.

- Desculpa tia Mika.

Lincoln tenta impedir a garota mas ela fecha o portão e sai correndo.

Um zumbi branco sai da mata e corre na direção da menina, Cleisla reage e dispara bem na cabeça do vivo-morto.

- Corra sem parar Lavinia, vá! - Bradou Cleisla após salvar a garota. - Temos que dar cobertura.

Wesley e os outros haviam montado a barricada com os carros, usando os veículos de proteção eles matavam os zumbis que estavam cem metros a frente. Lavinia estava se aproximando quando outro zumbi saiu da mata e atacou ela. O grito chama a atenção dos Walkers, Cadu atira no zumbi e vai junto com Wesley resgatar a amiga.

- Lavinia, está tudo bem? Ele te mordeu? - Perguntou Cadu preocupado.

Wesley faz cara de preocupação ao ver sangue no chão, sangue que não era do zumbi.

- Sua perna, ele mordeu sua coxa esquerda.

- Bicho filho da puta, veio correndo eu não consegui desviar.

Cadu pega a bolsa com as garrafas.

- Trouxe pra vocês. - Disse Lavinia, sua voz falhando por causa da dor. - Me custou a vida então usem com sabedoria.

- Não fale assim. - Reclamou Wesley. - Vamos sair dessa.

- Não adianta Wes, fui mordida onde não dá pra amputar, ainda posso ser útil.

- Eles estão se aproximando. - Gritou Rinaldo. - Temos que voltar.

- Recuar Walkers! - Devolveu Wesley pegando uma das garrafas. - Vamos queimar esses malditos.

- Aaahhh.

Os garotos olham Jonas sendo atacado enquanto saia do carro. Os zumbis estavam chegando perto.

Wesley olhou em transe.

- Rinaldo, Diego e Matheus voltem pro CCD agora. Cadu e Lavinia vão ficar comigo.

- Jonas está morto. - Lamentou Matheus enquanto voltava correndo pro CCD.

- O que aconteceu aqui? - Perguntou Rinaldo. - Lavinia está bem?

- Sim. - Respondeu ela. - Você ouviu Wes, voltem pro CCD.

Diego puxa Rinaldo que estava desconfiado, os dois correm de volta ao centro antivírus.

Wesley e Cadu ajudam Lavinia a se levantar e vão até os carros. Cadu atira nos zumbis que estavam a menos de 50 metros deles.

Wesley joga uma garrafa de coquetel molotov nos vivos-mortos que começam a pegar fogo.

- Eles continuam andando, não vão parar até o fogo queimar o cérebro.

- Wes. - Lavinia coloca a mão sobre a dele. - Volte com Cadu, eu fico aqui, tenho um plano.

- Não posso deixar...

- Você deve. - Ela o cortou. - Os carros estão com combustível. Vou explodir tudo, só preciso que vocês estejam longe.

Cadu para de atirar.

- Você tem certeza Lavii?

- Pelo menos me deixem morrer matando, além do mais não irei sentir dor.

Os zumbis estavam a quase 20 metros de distância.

- Adeus tio, case logo com a Mika e obrigado por terem me ajudado.

- Um Walker é sempre um Walker. - Wesley beija a testa de Lavinia, deixa uma garrafa de coquetel e um isqueiro com ela e sai correndo dali com Cadu.

Nos muros  do CCD o pessoal observa os dois correndo enquanto Lavinia ficava. No momento em que os zumbis chegam nos carros a explosão acontece, o Mustang entra em chamas, os outros carros  também queimavam e logo iriam explodir levando centenas de zumbis com eles. - Wesley e Cadu se levantam do chão e por um instante observam o plano de Lavinia ser executado, em seguida os dois voltam pro CCD e contam o que aconteceu.

VI...

Na rua onde Well liderava os Walkers zumbis estavam explodindo mas as bombas estavam acabando. Os Walkers se reagrupam para pensar no que fazer.

- Parece que os Nomades estão conseguindo atrair parte deles. - Avisou Julia.

- Mas nós estamos  ficando sem bomba. - Doug mostrou a única restante. - E ainda tem milhares deles.

- Se tem mais deles precisam de mais de nós.

Os Walkers olham para um grupo que surgiu de repente por ali.

Well da um passo a frente ficando cara a cara com o homem que tinha falado, ele e os outros usavam máscaras.

- Quem são vocês?

- Que pergunta cliché, tão óbvia pra primeira apresentação. Mas como sou educado irei te responder até por quê podemos ser  cercados por zumbis a qualquer  momento e vamos ter que matar eles juntos, ah é, quem eu sou? Me chamo Bruno, vimos que vocês estão com problemas.

Frente a frente com os mascarados os Walkers permanecem atentos, em alerta, desconfiados, os Walkers permanecem na espreita...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...