História A Garota do Coração Partido e o Garoto que a Deixou - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Gatomecanico, Nanalaurelin, Naruhinaforever, Revolução Narunina, Steampunkneko
Visualizações 82
Palavras 3.111
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O penúltimo capítulo da nossa fic...
E eu aqui morrendo de alergia. Rezem para eu não morrer antes de finalizar meus projetos xD.

Sem mais humor mórbido... Vamos ao texto?

Divirtam-se!

Capítulo 4 - Capítulo 04


O que você acha que eu fiz depois daquela mensagem dele? Dormi tranquila e pacífica na minha cama? Não! Claro que não! Eu surtei, entrei em colapso, pulei da cama e corri o quarto todo umas trezentas vezes… Resultado: estava tão elétrica que não consegui acalmar e dormir. Virei a noite.

Virada como estava, corri pro notebook e adiantei tudo que pude. Editei fotos, comecei a escrever o artigo e comi… Comi a noite inteirinha. Estava ansiosa. Eu não tinha respondido, mas ele sabia pelos tiques azuis que eu tinha lido. Para não cair na tentação de respondê-lo eu simplesmente desliguei o celular: bateria para um lado, celular para o outro. Eu me concentrei e escrevi. Foi uma boa distração já que adoro escrever.

Chegou uma hora que eu tinha terminado tudo referente à matéria. Fiquei um tempo olhando para o editor de textos, o cursor piscando à minha frente. O que eu faria? Ainda era muito cedo para fazer qualquer contato com o mundo exterior. Abri o netflix, tentei ver uma série ou filme, mas não consegui, voltando ao editor e seu cursor piscante.

Foi quando a ideia me assolou. Por que não contar minha história? Eu podia publicá-la em algum lugar depois… Uma revista digital… Ou uma outra publicação online… Podia até mesmo contar isso tudo de modo a parecer uma história inventada… Pensei, pensei… Procurei vários lugares onde eu poderia deixar a história lá, para todos lerem até que achei um site para autores amadores. Era isso!

Criei minha conta no site, fiz todas as configurações, coloquei foto e descrição (não falei lá que era repórter, nem pus meu nome verdadeiro, claro), me dando por satisfeita voltei ao editor. Foi assim, caro leitor, que este texto que você lê começou a ser escrito: numa noite insone depois de saber que a paixão do meu coração desejava loucamente me beijar. Tá, talvez loucamente seja exagero.

Quando finalmente o dia raiou e era oficialmente horário comercial, eu já tinha quase tudo escrito. Faltava o desfecho, a finalização. Faltava contar aos meus leitores se a mocinha e o mocinho ficariam juntos. Foi ai que parei de escrever minha ficção romântica e foquei no planejamento da festa.

Comecei falando com todos por telefone e recebendo inúmeros “sim, eu posso, nos vemos lá”. Ino ficou feliz em ajudar com a decoração. Sakura disse que cuidaria do DJ já que Sai era seu amigo. Temari simplesmente pegou para si a tarefa de organizar os comes e bebes junto comigo. Dito isso, faltava ligar para ele. Mordi o lábio e disquei para ele.

- Bom dia, Hinata-chan! - ele atendeu e parecia feliz.

- Bom dia… Naruto-kun… - eu apenas suspirei, não aguentei segurar - Tô ligando pra saber se você vai a festa. Na verdade, é mais para confirmar apenas.

- Vou sim. Já tirei meu terno de festas do armário. - ele riu com a própria piada.

- Certo… E… - eu estava nervosa - De que cor é sua gravata?

- Minha gravata? - ele falou e percebi que estava confuso, então ele riu de novo - Vou de jaqueta de couro, calça preta e camiseta do Dragon Ball, Hina. Por que?

- Achei que ia de terno mesmo.

- Não. Eu só uso terno e gravata no trabalho porque sou obrigado.

- Ah… - eu enrolei meu cabelo no dedo - Preciso sair para comprar um vestido. Não trouxe nada apropriado. Sabe onde posso comprar?

- Hum… - ele parecia estar mexendo em papéis - Por que não tenta o shopping? Lá tem umas coisas bonitas. Se quiser posso acompanhá-la na hora do almoço. Você passa aqui me pega e vamos.

- Almoçar juntos? - ele fez um barulho de anuência - Tudo bem, mas eu vou passar o dia rodando pela cidade. Vou me encontrar com as meninas para decidir muitas coisas e depois do almoço vou no colégio. Podemos nos encontrar lá?

- Hum… Tudo bem. A gente se encontra lá. Às 12? - eu pensei um instante.

- Sim. Às 12 está perfeito.

- Ótimo, Hina. Agora deixa eu ir ou vou deixar você esperando. Beijo!

- Beijo… - eu respondi e ele desligou.

Eu encostei no sofá e expirei com força. Um telefonema e eu estava muito nervosa. Abri a mensagem de novo e reli. Um sorriso se formou nos meus lábios. Será que ele se renderia ao desejo e me beijaria? Animada, eu pulei do sofá e corri pro banho.

Primeiro compromisso do dia: encontrar Sakura e o DJ. Determinar as músicas ou ao menos o tema da festa. Eu não me surpreendi quando encontrei Sakura. Ela continuava igualzinha. Os meus cabelos rosas, agora cortados curtos, os mesmos olhos animados e confiantes, e quase, o mesmo corpo.  Ela disse que ser mãe muda o corpo da mulher. Sim, ela tinha casado. E sim… Foi com o único cara de quem ela gostou a escola inteira: Sasuke Uchiha. Não tinha surpresas nisso pela parte dela.

O momento com Sakura foi agradável e muito objetivo. Como médica, ela era uma pessoa muito ocupada e vivia com o tempo contado. Nós conversamos enquanto esperávamos o DJ chegar. Depois, fomos para a playlist e quando DJ chegou já tínhamos muita coisa rascunhada. O rapaz indicado por Sai era muito simpático e logo entendeu a linha musical que nós queríamos seguir. Depois disso, acertamos o pagamento, que depois a editora me ressarciaria e nos separamos. Sakura para o hospital, o rapaz para casa, aparentemente, se organizar e eu ao encontro de Temari.

Na época da escola, Temari era da outra turma, mas vivia conosco porque seu namorado, Shikamaru era da nossa sala. Também não me surpreendi deles terem casado. O que me surpreendeu foi Temari ter dito que ainda não queriam filhos. Shikamaru era preguiçoso até pra isso… A loira me levou até a loja dos Akimichi. O filho deles estudou conosco e agora gerenciava um grande buffet para eventos. Graças a persuasão de Temari, Chouchi concordou em ajudar e em não cobrar pelo serviço. Era engraçado ver ela usando todo aquele poder de negociação com ele. No final, Chouchi ainda nos deu uma amostra do que serviria na festa. Devo admitir: tudo uma delícia.

Eu deixei Temari com Chouchi na loja quando percebi as horas. Tinha que me encontrar com Naruto em pouco tempo, então me despedi e meio que sai correndo. Infelizmente o trânsito não me ajudou dessa vez e eu cheguei em cima da hora. Quando cheguei a praça de alimentação lá estava ele: uma visão com impaciência estampada nos olhos. Eu me aproximei e ele sorriu.

- Achei que ia me dar bolo. - ele levantou e me abraçou.

- Não. Foi o trânsito. - nós nos sentamos.

- O que quer comer? - ele esticou a mão e agarrou a minha, eu sorri corada.

- Bem… Tenho que almoçar mesmo. Quero camarão. - ele assentiu.

- Vou com você. Vamos pedir ali o. - ele apontou - É bom. - eu movi a cabeça afirmativamente enquanto olhava o restaurante - Deixa eu te dizer… Meu dia hoje se tornou super complicado por conta de um erro de um dos estagiários, daí não vou poder demorar e te ajudar com o vestido. Mas como eu queria muito te ver e almoçar com você… - ele sorriu - Eu vim. - eu sorri de volta.

- Ok. Mas só se prometer ser meu acompanhante na festa de hoje a noite. - eu mordi o lábio enquanto o olhava - Não chegamos a ir juntos no nosso baile final da escola.

- Você é apressada. - ele riu e passou a mão livre nos cabelos - Eu ia te convidar. - eu apenas ri dando língua - Tudo bem. Serei seu acompanhante. - ele disse me olhando nos olhos enquanto puxava minha mão para beijá-la. Eu arrepiei da cabeça aos pés.

- Vamos lá pedir nosso almoço? - perguntei meio sem jeito.

- Sim. Vamos lá. - ele levantou e me levou com ele.

Preciso dizer que ele não me deixou pagar? Não, né? Ele foi um perfeito cavalheiro. Nós comemos enquanto ele me contava a cagada que o estagiário fez. Já notaram que sempre quando dá errado foi o estagiário? Triste… O tempo foi passando, a comida foi acabando, as bebidas foram ficando quentes. Acabou que ele precisou ir.

Durante um tempo, nós ficamos apenas conversando, os pratos e copos vazios, enquanto nossas mãos se seguravam apertadas. Ele falava brincando com meus dedos e meus anéis contando para mim um pouco mais de como era a vida dele agora. Quando o celular tocou mostrando no visor o nome Umi eu gelei. Ele apenas suspirou.

- Preciso ir. É do trabalho… - ele falou rejeitando a ligação - Meu horário de almoço acabou. - eu o olhava confusa.

- Essa Umi… É a Umi que foi sua namorada? - ele me olhou e assentiu.

- Foi ela quem te recepcionou… Não notou? Ela trabalha na prefeitura na recepção. - eu fiquei gelada.

- Vocês são colegas de trabalho? E-Ela ainda gosta de você? - quando vi já tinha perguntado. Pus a mão na boca a tampando, os olhos levemente surpresos. Ele apenas me abriu aquele sorriso lindo dele.

- Está com ciúmes? - ele me encarou rindo - Hinata… - ele chamou com bom humor - Ela é casada! Casou há uns bons anos com o Amui. Eles tem até um filhinho.

- E-E dai? - falei tentando manter algum orgulho - Ela ainda pode ser apaixonada por você. - ele puxou minha mão e a pôs entre as dele me olhando firme nos olhos.

- E eu sou apaixonado por outra. - ele falou isso com tanta intensidade, olhando tão fixo nos meus olhos que corei. Ele sorriu e acariciou minha bochecha - Preciso ir. Te pego às 19 no hotel? - eu apenas assenti - Está certo. Até a noite, Hina. - ele se levantou e beijou minha bochecha, perto, muito perto dos meus lábios.

- Até a noite, Naru… - falei baixinho colocando a mão nos lábios. Ele sorriu e foi embora.

Eu demorei um tempo para me situar. Fiquei ali sentada na mesa da praça de alimentação até ouvir meu celular tocar e anunciar que Ino queria falar comigo. Xingando mentalmente a mim mesma, levantei correndo da cadeira e fui pro carro. Tinha marcado com Ino de ir ver a quadra para organização da decoração.

Daqui para frente, minha tarde, passou muito rápido. Lembro de poucas coisas, pois meu corpo tinha entrado no piloto automático da profissional de jornalismo. Enquanto uma parte da minha mente trabalhava incansavelmente com Ino na decoração, a outra parte repassava todos os acontecimentos da noite passada até o final do almoço. Os pensamentos não saiam de Naruto, tanto que esqueci do vestido.

Cheguei meio tarde no hotel. Não tinha uma roupa apropriada para a ocasião e nem tempo para procurá-la. Olhando angustiada para minha pequena seleção de roupas para viagem lembrei que uma vez fiquei num hotel onde dentro dele tinham lojas de roupas, jóias e até spa e casino.

Esperançosa liguei para a recepção para perguntar se eles ofereciam esse serviço e ouvi um agradável: sim. No tempo que eu dispunha, eu fui até as lojas, selecionei as peças que queria, fiz massagem, ajeitei as unhas dos pés e das mãos e fiz uma inspeção geral em todo o meu corpo. Posso dizer que só voltei para o quarto para colocar na pequena, nova e cara clutch o celular, o batom e o documento de identificação.

Quando estava terminando de organizar as coisas o celular tocou. Era ele anunciando que estava no lobby me esperando. Antes de sair do apartamento, dei uma boa olhada em mim: os cabelos soltos, uma maquiagem que destacava os olhos, um vestido simples mais bonito que delineava meu corpo e, é claro, os melhores amigos de qualquer baixinha, saltos. Eu estava uma visão.

Desci e o encontrei olhando algo no celular, umas das mãos no bolso, os cabelos deliciosamente bagunçados. Notei que a calça dele era apertada na medida certa. Conseguia ver com perfeição suas pernas e seu bumbum. A jaqueta de couro caia muito bem nele, devo admitir. Quando ele ouviu o barulho dos meus saltos ergueu a cabeça e me contemplou. Notou um brilho nos olhos que acendeu algo dentro de mim.

- Boa noite. - ele falou com um sorriso.

- Boa noite. - eu me aproximei para abraçá-lo e fui envolvida pelo cheiro do perfume dele. Eu aspirei aquilo e cheguei a conclusão que ele devia ser preso por atentado ao pudor apenas por aquele perfume.

Ele me guiou pelo lobby até o carro e abriu a porta para mim. Uma vez dentro do carro, ele deu a partida. Fomos ouvindo música, conversando e no primeiro sinal que ele parou, ele pegou minha mão e enlaçou os dedos. Aquilo simplesmente aqueceu meu coração e eu fiquei o olhando enquanto conversávamos. Eu sabia que tinha um olhar de apaixonada no rosto.

Quando chegamos a festa estava a toda. Sem perder tempo, e com Naruto no meu encalço, eu perambulei entre as pessoas conversando e recolhendo as informações que eu precisava. Todos ficaram muito animados com a matéria e sobre o que eu estava fazendo com ela. Fazia anos que eles não se reuniam. Ver todos era nostálgico. Durante o evento, eu descobri que Tenten, uma antiga namorada do meu primo que era da minha sala, tinha se formado fotógrafa e estava tirando fotos de todos. No meio da confusão eu esqueci completamente do fotógrafo. Graças aos céus, Tenten tinha concordado em me passar as fotos depois.

Não sei quanto tempo eu passei conversando com as pessoas, fazendo mini entrevistas, anotando tudo no celular. Alguns dos convidados já demonstravam certo cansaço e o jantar já tinha sido servido há muito tempo, mas eu não cheguei a comer. Foi nesse ponto que Naruto me pegou pelo cotovelo e me guiou para longe das pessoas.

- Acho que terminou suas entrevistas, né? - eu assenti - Ótimo. Venha jantar. Você está no modo profissional há horas, precisa comer e descansar… Aproveitar um pouco da festa já que foi você quem idealizou tudo.

- Não posso, Naruto. Ainda tenho que… - ele pôs um dedo nos meus lábios me calando.

- Você tem que comer, curtir e descansar um pouco. Você num falou que só falta essa parte do texto para você terminar? - assenti com o dedo dele ainda pressionado contra meus lábios - Então… Amanhã é sexta. Você pode terminar todo o texto e descansar um pouco. Agora você precisa aproveitar.

Ele fez um gesto com a mão e me mostrou o quanto a festa estava bonita. Havia alguns poucos casais dançando abraçadinhos no centro da pista de dança, algumas pessoas conversando sentadas em mesas, outras espalhadas aqui ou ali, mas eu notei que não estava tão cheio quanto antes. Meu Deus, que horas seriam?

Foi só então que percebi que estava com fome e era muito, muito tarde. Na companhia de Naruto, eu peguei um prato de comida com o pessoal do buffet - Naruto tinha pedido para guardar pra mim - e nós sentamos numa das mesas. Ele me observava comer com o cotovelo na mesa e o rosto na mão. Havia um sorriso tranquilo em seus lábios e ele parecia feliz.

Eu jantei, bebi, comi doces e estava satisfeita olhando tranquila para Sasuke e Sakura que dançavam na pista de dança quando ele se levantou e estendeu a mão para mim. Nós nunca chegamos a dançar no baile de formatura, então, foi com um sorriso que aceitei o pedido dele e me deixei ser levada para o centro da pista.

Ele me rodopiou no lugar e quando eu toquei seus ombros com meus dedos a música mudou. De uma baladinha animada, começou a tocar uma baladinha romântica. Naruto pôs as mãos na minha cintura e eu deixei ele me embalar.

Demorou um pouco para eu ouvir de verdade a música, pois estava perdida em olhos azuis. Mas quando percebi qual era a música arregalei de leve os olhos. Ele apenas sorriu e me puxou mais para perto me abraçando. Eu descansei o rosto no peito dele enquanto o calor dele e as palavras da música me preenchiam.

 

I never knew love

'til there was you

 

Eu não sabia o que era o amor

Até encontrar você

 

Give our love a chance for one more day

Dê ao nosso amor uma chance, mais um dia

 

How was I to know i'd miss you so?

Como eu ia saber que sentiria tanto sua falta?

 

Agora, de certa forma, a música parecia falar para nós dois, numa fluência dupla. Eu apenas fiquei ali, abraçada a ele, deixando a música e ele me embalarem. Quando a música terminou, uma música agitada na época da nossa adolescência começou a tocar e algumas meninas se animaram para dançar. Nós saímos da pista e fomos sentar nuns banquinhos que davam vista para o grande jardim que era sede do clube de jardinagem.

Ele não falou nada, apenas ficou ali comigo acariciando meus cabelos, me fazendo sentir segura e confortável. Que eu podia fazer além de me perder no cheiro e nos toques dele? Deixei ele ficar ali comigo e me deixei ficar também. Conseguia ouvir o coração dele bater tranquilo enquanto os dedos penteavam meus cabelos.

- Sabe… - ele falou depois de muito tempo - No dia que você foi embora, eu corri muito até a rodoviária… Mas você já tinha ido embora. - ergui meu rosto para ele que o segurou e me fitou sorrindo - Eu tinha descoberto, talvez tarde demais, que não era da Umi que eu gostava. Não era a Umi que eu queria para mim. Eu confundi, me enrolei. Depois me acovardei… Tive medo… Você já tinha se declarado para mim e eu tinha respondido daquela forma lamentável. “Será que ela ainda me quer?”, eu pensava. “Será que ainda dá tempo de pedir para ela ficar”? No final das contas eu cheguei muito tarde. Você já tinha ido embora.

- Está querendo dizer que… Que você… - ele sorriu e assentiu.

- A verdade é que… As suas palavras ficaram rodando na minha cabeça. Eu me pegava pensando em você de formas que não eram aconselháveis para amigos. Lentamente, eu fui abrindo os olhos e ouvindo meu coração.

- Naruto… - eu falei baixinho, pondo a mão na frente da boca enquanto meus olhos enchiam de lágrimas. Ele pegou na minha outra mão e me olhou nos olhos.

- Desculpa eu ter demorado para perceber que é você quem eu amo.


Notas Finais


Bem, é isso. Próximo será o último.
Nos vemos lá (se eu não morrer antes xD) =*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...