História A mina que ele zoava - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescentes, Anime, Colegial, Fairy Tail, Mangá, Romance, Sexo
Visualizações 77
Palavras 934
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 21 - Começo do fim parte 5


Fanfic / Fanfiction A mina que ele zoava - Capítulo 21 - Começo do fim parte 5

Victor on

O tempo foi passando e nada de Cordélia aparecer, aquele sangue na porta me preocupava, resolvi então ir na casa dos vizinhos pra tentar saber se viram o paradeiro da minha princesinha. 

Mas claro que ninguém a viu, hoje na escola ela me preocupou chorando e isso agora... Eu queria muito pensar que ela estaria num mercado ou algo assim, mas não conseguia. Poxa! Sangue na porta?! Claro que ela não estaria em mercado nenhum! 

Liguei pra Maira e nada, falei com Gabriel e nada também. Alasca não era amiga dela mas resolvi perguntar também, ela parecia se incomodar mas nem liguei muito. 

O tempo passou e nada, eu estava com muito sono e então resolvi dormir um pouco. 



(...)



Dormir tanto que quando acordei já era hora de ir pra escola, eu não queria ir mas fui, nem como nada, estava aflito demais. Cheguei o mais rápido possível e fui pra sala ninguém chegou e não tinha sinal de Cordélia. O tempo passou e quando todos tinham chegado e lá não veio eu fiquei com tanto medo. Não prestei atenção na aula, só pensava na Cordélia. Meus amigos viram minha preocupação e resolveram conversar comigo. 

-O que aconteceu? - Alasca perguntou 

-A Cordélia... Ela sumiu... 

-O que?! - todos gritaram com indignação 

-É... Ela saiu cedo ontem e não voltou pra casa... 

-A mãe dela disse isso? - Gabriel perguntou, eu fiquei com medo de falar pra eles que ela morava comigo 

-Nao... -respirei fundo - A Cordélia mora comigo. - ao dizer isso todos ficaram pasmos e resolveram se sentar para eu explicar melhor 


-Explica isso. 

-A Cordélia tem um pai agressivo, a mãe dela morreu e o pai dela amava ela demais, só que quando ela morreu o pai de Cordélia pois a culpa toda nela e queria vingança. Hoje, tudo o que ele quer quebre matar Cordélia. E o sumiço dela pode haver com ele. 

-MEu Deus... então... é por isso que ela aparecia com aqueles machucados...? 

-Sim. A vida dela é difícil. E agora minha princesinha pode estar em perigo... 

-Acha que posteriormente filho da puta do pai dela?

-Tenho certeza que sim. 

-A gente te ajuda! 

-Desvulpa, eu tenho que sair- Alasca saiu assim de repente 

-Vamos ver no que da. 


Cordélia On

Eu realmente achei que ele iria me levar para a escola mas ele não me levou. Ele não me deu comida nem água desde que cheguei. E também não voltou mais, eu estava triste e com medo. 

E com o passar do tempo meu medo e minha tristeza uma hora se tornou raiva, eu queria matar aquele homem. Eu queria quebrar algo ali, mas me segurei, iria juntar essa raiva pra tentar escapar de algum jeito, como lá era o porão ele guardava toda a tralha que tinha. Resolvi mexer em algumas coisas pra que conseguisse me defender até que encontrei uns pedaços de vidro de janela. nenhum deles era por tu do então com meu pé chutei um fazendo se quebrar e formar um pedaço pontudo, fiquei parada com o pedaço na mão esperando ele descer, e depois de um tempo ele desceu. 

-Acha mesmo que consegue me machucar com isso...?  Se acha, vem céu! VEM ME MACHUCAR! -Com aquelas palavras não me contive e pulei em cima dele recebendo um chute no estômago mas mesmo assim não me impediu de machucar ele, a principio não o cortei, só dei vários socos em seu rosto, eu fui com força até tirar a consciência dele, corri o mais rápido possível, corri até a praça gritando por socorro mas era tarde, fui até a escola correndo de novo e de lá até a casa de Victor. 

Bati na porta tanto que deu até um amassado nela, ela se abriu e quem estava lá? Sim, Alasca. Com um pijama e com Maira e Gabriel dentro de casa. Eu estava com raiva, vi Victor descendo as com um olhar de preocupação e eu estava morrendo de raiva. Eu apertava meus dentes com força e tremia de raiva, queria bater em alguém até o rosto deformar. 

Ele veio até mim andando depressa e eu fui andando rápido em direção dele também, mas não para abraca-lo, coloquei impulso na minha perna direita e dei um chute em sua barriga e comecei a bater nele descontroladamente, ele só gritava pra eu parar enquanto os outros me puxavam tentando me mentiras de cima dele e quando conseguiram eu só subi pra cima no meu quarto e o tranquei chorando litros. 

Eu acordei morrendo de fome, era cedo ainda então desci bem devagar pra não acordar ninguém, eles estavam dormindo todos na sala e Alasca dormia bem agarrada de Victor, eu me sentei na mesa e comi o que tinha preparado, comia chorando e soluçando, até então que sinto uma mão cálida passando a mão em meu pescoço e logo se sentando ao meu lado. 

Era Alasca novamente. 

-Tava tão bom você desaparecida... Eu quase pego seu namoradinho pra mim... Sinceramente eu deveria contar pra todo mundo que você era espancando pelo. pai e assim todos iriam rir de você. Se eu fosse seu pai, teria te matado na mesma hora que te raptou. - ela disse sussurrando em meu ouvido. Então ela saiu e se deitou novamente ao lado de Victor lhe dando um beijo na bochecha. Eu só chorei mais. 

Quando eles acordaram vieram todos me abraçar e abraçar, menos Victor que parecia triste e zangado comigo. 

Quando deu 12:00 dia todos foram embora e só ficou eu e Victor em casa. 

-Eu fiquei tai preocupado... E quando você volta ainda me bate... 






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...