História A Minha menina - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias A. J. Cook, Criminal Minds, Matthew Gray Gubler
Personagens A. J. Cook, Aaron Hotchner, Alex Blake, Chefe de Seção Erin Strauss, David "Dave" Rossi, Derek Morgan, Dr. Spencer Reid, Emily Prentiss, Jennifer "JJ" Jareau, Matthew Gray Gubler, Penelope Garcia, Personagens Originais
Tags Amor, Criminal Minds, Davina Claire, Drspencer Reid, Fbi, Homicidios, Matthew Gray, Mentes Criminosas, Policial, Quântico, Sexo
Visualizações 154
Palavras 1.686
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem♥

Capítulo 44 - Eu não fui homem pra você?


Fanfic / Fanfiction A Minha menina - Capítulo 44 - Eu não fui homem pra você?

"Traição é simplesmente uma maneira que pessoas fracas tem de fugir daquilo que não conseguem fazer direito :amar! "

Quântico-Virgínia 


BAU-UAC -Unidade de Análise Comportamental do FBI 


Spencer

Finalmente chegamos, mas ainda tinha que arrumar uns papéis. Passamos nove dias em um caso em Washington DC. Sentei em minha mesa me escorei na cadeira jogando a cabeça pra trás.  


-Eu estou exausto.


-Eu também-Morgan sentou-se em sua mesa. 


-Tudo bem, isso vai ser rápido-Rossi falou


-Não vejo a hora de ir pra casa-Disse JJ. 


E realmente foi rápido, não demoramos muito ali. Peguei o carro e dirigi até em casa. Eram oito horas da noite. Quando entrei Lisa estava sentada na mesa com uma pilha enorme de papéis que quase a escondia. Adam e Alexis também estavam na mesa, mas estavam desenhando.  


-Oie


-papai -Adam correu e eu o peguei no colo


-Oi meu garoto.- Lexy também saiu da mesa a segurei no outro braço. -Como estão meus amores? -beijei o rosto deles. 


-Que bom que chegou- Lisa me deu um selinho.


-Senti Saudades papai- Lexy me abraçou.  


-Também senti saudades minha boneca-Eu os coloquei no chão.  


-Caso difícil?  


-É, foi meio complicado sim! 


-Como está a Emily? -Ela perguntou me fazendo lembrar que Emily havia levado um tiro no braço.  


-Ela vai ficar bem. Mas sabe que esse foi o último caso dela. 


-Eu sei, mas acho que ela fez bem! Ela e Hotch ficando fora por dias, os dois, deixando Sam, Sara e Jeck com a babá. Eles precisam dois pais  


-Tem razão.-Eu iria terminar de falar mas o telefone fixo tocou. Fui atendender  


Alô?


-É da casa da Lisa? 


-É sim, quem gostaria? 


-Sou Rafa. Posso falar com ela? -Afastei o telefone da orelha.- Amor, é pra você. Ela correu para atender. Ficou alguns minutos lá e soltou algumas risadas. Eu a observava da cozinha.  


-Quem é Rafa? 


-É uma amiga do consultório. Vamos almoçar amanhã e discutir algumas coisas de negócios.  


-Hum!- eu desviei os olhos dela e encarei Adam folhando um livro na sala, Alexis penteava o cabelo de uma de suas bonecas.  


-Está tudo bem? 


-Está!-eu levantei da cadeira-eu estou exausto, vou tomar um banho.  


-Tudo bem-ela sorriu e me deu um celinho. 


Lisa


Fiquei na cozinha preparado o jantar. Guardei a papelada do consultório que estava sobre a mesa. 

Iria testar a receita que Diana me ensinou. Na verdade estava quase pronto, estava no forno. Diana havia ido a uma loja aqui perto, precisava de linhas de croché, ela disse a Spencer que precisava daquilo. Ela queria morar sozinha, mas Spencer não gostou da ideia, apesar da esquizofrenia estar controlada, pode acontecer um acidente ou algo do tipo, além do mais eu e as crianças sentiríamos muita falta dela, e Spencer também, Diana alegra muito esta casa, além de ser minha amiga para todas as coisas. 

Spencer não demora muito no banho e se senta na mesa depois de pegar as crianças vestindo uma calça de moletom cinza e uma camiseta azul claro. 


-O cheiro está maravilhoso-ele diz sorrindo.  


-Bom, eu espero que esteja gostoso  


-tudo que você faz é gostoso-ele diz e eu coro. 

-Spence!-digo o repreendendo mais rio. Coloco a forma sobre a mesa, sirvo as crianças e depois Spencer e eu nos servimos. Ele deu a primeira garfada.  


-Como está? -faço uma careta. 


-Maravilhoso. -eu sorrio. Olho para o prato e remexo a comida com o garfo. Sinto ânsia e corro para o banheiro. Vomito e logo Spencer vem atrás de mim. 


-Está tudo bem? 


-Sai daqui, você não precisa ver isso. -Eu me sento sobre a privada fechada. Ele se agachou em minha frente e segurou minhas mãos.  


-Ei, na saúde e na doença, lembra? O que houve.  


-Nada, foi só um enjôo.  


-Tem certeza?  


-Tenho-sorri fraco.  


-Tudo bem, vamos jantar.  


[...] 


Eu acordei as onze e trinta e três da manhã. Eu não iria trabalhar então aproveitei para dormir até mais tarde. 

Esfreguei os olhos para espantar o sono. Me sentei na cama e peguei um bilhete que havia no criado mudo.  


"BOM DIA, DEIXEI CAFÉ PRONTO NA COZINHA, LEVEI AS CRIANÇAS A ESCOLA POR QUE NÃO QUIS ACORDAR VOCÊ. 

P.S : VOCÊ É A MULHER MAIS LINDA DESSE MUNDO


COM AMOR,


SPENCER♥ "


Sorri ao ler o bilhete e coloquei e coloquei de volta sobre o criado mudo. Tomei um banho rápido e vesti uma saia branca e uma regata preta, uma rasteirinha também preta. Arrumei os cabelos em um coque e deixei alguns fios soltos. Estava atrasada, marquei ao 12:00 com a rafa em um restaurante japonês. 

Tranquei a porta do apartamento e sai procurando as chaves do carro na bolsa. Haviam bicos, bala, remédio, brinquedo mas nada de chaves. Enfim as encontrei no bolso de fora. O restaurante não era muito lonje porém quando cheguei Rafa não estava lá. Peguei uma mesa no canto próxima a janela e fiquei a esperando.  

Eram 12:12 e nada dela aparecer.  


Spencer Reid 

JJ se jogou na cadeira colocando a cabeça pra trás.  


-Eu estou morrendo de fome 


-Também estou -Concordei


-Vou buscar um lanche pra gente-disse Morgan. 


-Vou com você-concordei.  


 -Podem trazer japonês pra mim? 


-É fora do caminho amor-disse Morgan


-Por favor meu chocolate, é pra Charlie. -ela disse fazendo beiço e passou as mãos na barriga


-Não se nega desejo de grávida-Disse Rossi 


-Quer que seu afilhado nasça com cara de comida japonesa? - brincou Garcia. 


-Tá bom-Morgan revirou os olhos e beijou a testa de Garcia.  


Saimos e compramos lanches, depois passamos em um restaurante japonês para pegar pra Garcia. 


-Eu não quero assustar você-começou Morgan-Mas não é a Lisa ali? -eu me virei a avistei em uma mesa perto a uma janela. Havia um homem com ela. Estavam em pé ao lado da mesa. Ele segurava as mãos dela. E a beijou. Não pude acreditar no que estava vendo. Ela correspondeu ao beijo. 


-Morgan por favor vamos sair daqui-nós saímos de lá. Uma lágrima escorreu pelo meu rosto quando entramos no carro. 


-Ei, tudo bem? 


-Acabei de ver minha esposa me traindo. Acha que está tudo bem? -Morgan se calou-desculpe, a culpa não foi sua. 


-Eu vou levar você pra casa, você precisa de um tempo para pensar, falo com Hotch, ele vai entender.  


-Por favor não diga nada a ele. 


-Tudo bem, mas acho que lisa não faria uma coisa dessas. Quando ela chegar, pergunte primeiro. A escute Reid. -Eu não respondi, apenas chorava. 


Entrei em casa e olhei as fotos na estante, eu, Lisa, Alexis e Adam, a minha mãe, fotos com JJ, Emily, e todo mundo. Uma foto do nosso casamento .Lembrei-me do que ela me disse. Temos tudo. Por que ela fez isso comigo? Com o nosso casamento? Com a nossa família?  

Aquela cena no restaurante ficava se repetindo em minha cabeça como um lupe sem fim. 


Não podia ser verdade. Eram oito anos, e ela havia jogado fora. De todas as coisas ruins, jamais imaginei que Lisa fosse fazer isso comigo.  

Aquela cena acabou comigo, me machucou e me destruiu por inteiro, de dentro pra fora. 


Lisa


Entrei em casa estava tudo silencioso, passava da uma hora da tarde. Escutei um barulho na sala. Quando entrei vi Spencer de costas olhando pela janela e haviam algumas malas no chão.


-Amor? O que está fazendo em casa a essa hora? Está tudo bem? Que malas são essas? -ele se vira para mim, o rosto denunciava que ele havia chorado. -meu bem, estava chorando? O que houve? -segurei o rosto dele mas ele tirou minhas mãos.  



-Não se faça de desentendida. 


-O que? Do que você está falando?  


-Eu vi você beijando aquele cara no restaurante japonês hoje Davina Elisa. E saiba que eu nunca esperei uma coisa dessas de você.  


-Spencer deixa eu explicar  


-Estou esperando.  


-Foi ele quem me beijou


-Me poupe Davina -ele me chamava pelo primeiro nome quando brigávamos. Ele precisava acreditar em mim. -eu vi com os meus próprios olhos, e Morgan também. Você me traiu, traiu nossa família, nossos filhos,Não pesou neles? O que se passou pela sua cabeça? jogar oito anos fora? 


-Não Spence, por favor me escute!  


-Não quero ouvir nada. Vou te falar uma única vez, não brinque mais com meu amor, você não sabe o estrago que fez, no meu coração o mal que causou.Lembro de cada palavra, das coisas que me prometeu, jurou no altar ser fiel a mim Davina, Disse que iria viver só pra gente e que o seu amor seria só meu, hoje vejo você se afastando de mim. Isso não é amor, não aceito. Se você ja não tem mais amor pra me dar nao precisa mentir não me engane,eu não vou aceitar me deitar com alguém que pensa em outro em quanto me ama. Diga, se eu te deixei faltar amor, se o meu Beijo é sem sabor, fala Davina, eu não fui homem pra você?  


-Não, Spencer,para,eu amo você


-Que forma de amor estranha! Isso é novo pra mim. 


-Spencer para, olha as besteiras que você está falando! Deixa eu explicar


-Não quero ouvir. Busque as crianças na escola,eu venho ve-las amanhã e busco minha mãe! 


-Pra onde você vai? 


-Não importa, não quero ficar de baixo do mesmo teto que você. -ele pegou a mala e saiu arrastando. Bateu porta e foi embora sem olhar pra trás. Eu me sentei no sofá escondendo o rosto nas mãos deixando as lágrimas cairem. 


Flsh Back On: 


Estava esperando Rafa, já estava quase desistindo quando um homem moreno se aproximou. Era alto,cabelos pretos  


-Com licença, você é Elisa? 


-Sim, sou eu! 


-Rafaela me pediu que integrasse isso a você!-ele ficou em pé então levantei oara pegar o bilhete que ele tinha na mão. Mas ele não entregou e segurou minha mão. Antes que eu pudesse protestar ele me beijou. Fiquei sem reação, simplesmente parada! 

O empurrei quando voltei a mim e virei a mão na cara dele. 


-Idiota! -Sai correndo dali. 


Flash Beck off 


Eu não podia deixar Spencer ir embora daquela maneira. Eu não tive culpa e eu precisava explicar. Precisava que ele ouvisse. Limpei as lágrimas de meu rosto, peguei a bolsa e sai. Me assustei quando fechei a porta, meu coração gelou. 


-Você? O que você está fazendo aqui?  




Notas Finais


O que acharam do capítulo? ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...