História A Oitava Membro - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan, Bts, Drama, Emmily, Família, Jin, Superação, Yoongi
Visualizações 50
Palavras 1.678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse capítulo está pequeno... sorry, bae ;-;
Maiores explicações nas notas finais.

Capítulo 40 - Novidades - Maior preparação


Muito bem... Eu já estava a ponto de surtar. Eu poderia imaginar que qualquer coisa poderia acontecer quando fomos chamados em uma sala de reuniões, mas a última coisa que passaria por minha cabeça seria uma coisa desse nível!
Eu estava quase surtando! Minha mente queria recusar, queria me convencer que eu ouvi bastante mal e nada disso era real, mas não tinha como, não conseguia pensar nada que soasse parecido com: "vocês vão fazer uma mini Turner apresentando algumas das músicas famosas adaptadas". Não dava, não vinha.
   E agora parece que será assim. Iremos apresentar 16 músicas em diversos países, fazendo no mínimo dois shows em cada. Os únicos que tenho total certeza que vamos são: Japão, China, França, Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Chile, Brasil e uns outros que não lembro o nome no momento. Desculpem a ignorância quanto a isso. Mas de qualquer forma tenho certeza de uma coisa: vai ser muito show pra fazer.
  Bem, o que quero dizer com "músicas adaptadas"? É uma coisa simples. Agora que estou aqui, tem umas músicas que eles apresentam com frequência, e acaba que eu ficaria de fora, e eles não querem isso, por mais que para mim não faça diferença alguma. Então as coreografias e as próprias partes de vocal serão adaptadas, ou seja, me colocarão nas músicas de alguma maneira, para que eu possa participar.
         E você acha que acabou por aí? Ah, mas seria muito sem graça se fosse só isso, não é? Claro que acharam outra coisa para ocupar minha mente, porque somente isso não bastava.
     Uma entrevista. Amanhã teremos uma entrevista para fazer como grupo, mas suspeito que não vão me deixar ficar escondida atrás dos meninos. Era isso que eu temia.
Bem, talvez isso não seja de todo o mal. Na verdade, os ensaios das músicas que vamos apresentar estão me distraindo bastante da entrevista, então acho que isso é até bom por enquanto.
       - Emmily, por favor, atenção - ouço o coreógrafo me chamar, e logo me desculpo.
Tenho que me focar completamente em aprender o que tenho que fazer na coreografia de No More Dream. Como essas músicas serão modificadas eu ficarei com umas poucas linhas, mas não acho que isso seja importante, não?
Como eu já conhecia a coreografia a tarefa de aprende-la se torna muito mais fácil. A única coisa que estão tendo que acertar é onde todos ficaremos, já que a posição mudou completamente. Isso pode acabar dificultanto um pouco para os meninos, que estão acostumados a sempre fazer a mesma coisa na dança diversas vezes. Acho que, por causa disso, o ensaio que começou para mim acaba sendo mais necessário para eles.
          Paramos ofegantes por um tempo, mas não o bastante para normalizar a respiração, pois logo que foi decidido que essa música já estava boa passamos para a próxima. É... isso vai ser bastante exaustivo.
            [...]
      Dez horas de ensaio. Sabem o que é isso? Deixa eu dizer pra vocês: são dez horas de ensaio! Agora já são umas sete da noite, e acabamos de ter um tempinho para jantar mais cedo, pois ao que parece teremos que ficar aqui até tarde. Ainda precisamos regravar as músicas que iremos apresentar, e creio que querem que façamos isso hoje.
         Não sei quando começaremos com essa coisa de turner, mas sinto que vai ser o mais brevemente possível.
     - Namjoon - chamo enquanto estamos á caminho da sala de gravação, enquanto desfrutava da mais belíssima obra da natureza: água. - Quantos dias teremos de ensaio?
         - Três dias - fala de tom distraído.
Quase engasgo com a água, começando a tossir.
      - Morre não, espera pra depois de tudo isso - Tae diz de modo desinteressado.
         - Desse jeito começo a pensar que você não se importaria com minha morte.
          - Isso mesmo - ele brinca.
          - Eu sei que você não vive sem mim.
     - Emmy - ouço Jin chamar, e atendo direcionando minha cabeça em sua direção. - Está cansada?
        - Eu só sinto que a gravidade está me puxando para baixo enquanto ando, mas não estou cansada não - meu comentário provoca algumas risadas dos meninos.
    - Vem cá - ele me chama, e eu, como uma pessoa obediente, faço o que foi pedido.
Ao chegar ao seu lado ele me pede que para ficar atrás, e com uma interrogação pairando acima de mim obedeço novamente.
      O vejo se abaixar em minha frente, e logo depois me sinto ir para cima, até eu estar sendo carregada em suas costas. Posso mentir? Não posso mentir. Eu gostei? Eu adorei.
       - É, estou cansada sim - digo apoiando a cabeça em seu ombro.
Ouço novamente a risada dos meninos, mas não dou importância. Foco somente no perfume marcante que Jin usava. Não era um cheiro forte, mas era presente. Ele passava longe de ser enjoento.
         Noto que dessa vez todos usavam as escadas para descer, e não pude reprimir um sorriso ao perceber isso. Não pude também falar muito coisa, meus olhos pesavam e eu lutava contra a vontade de ceder e dormir ali mesmo. Não tive forças o bastante para ganhar essa batalha.
          [...]
      Eu ainda estava sonolenta, mesmo tendo se passado uma hora. Tivemos que fazer um monte de aquecimentos vocais ridículos até finalmente começarmos a regravar as músicas. A coisa é que, como fazemos isso separadamente, acaba ficando algo bem maçante para nós. Bem, seria bem pior se os meninos não fossem tão bem humorados, pois sempre faziam comentários engraçados para alegrar o momento... pelo menos os mais novos e Jin.
         - O que acontece se o Flash usar um uniforme preto? - ele prepara a décima piada de hoje. Eu, infelizmente, ri de seis delas.
     - O que acontece, senhor Kim Seokjin? - pergunto já segurando o riso imaginando o que pode ser.
        - Ele tem um Flashblack.
       - Ah não! - exclamo diante a péssima qualidade da piada, mas logo desato a rir. - Então diga-me, por que a aranha é carente?
        - Por que?
        - Porque arac NEEDyou.
    - Essa foi boa - fala rindo, e imediatamente começo a rir de sua risada.
       - Por que estão rindo? - Hoseok pergunta já se segurando para não o fazer.
      - Não importa mais, porque agora tenho uma história para contar a vocês - tomo o silêncio como uma indicação para continuar. - Era uma vez um pintinho chamado Relam. Estava chovendo tão forte, mas tão forte que Relam piou.
       Não houve outra: as risadas tomaram conta da sala e acabaram desconcentrando JK, que era quem cantava, ele mesmo começou a rir mesmo sem saber do que se tratava.
   Depois dessa fomos advertidos a ficar em silêncio para não atrapalhar as outras gravações. Obedecemos isso parcialmente, pois sempre havia alguém para contar uma piada baixa e os outros reprimindo sorrisos. Quase não consigo cantar seriamente por causa disso.
         [...]
      Estou exausta. Parece que minha alma vai se desintegrar a qualquer momento e ser transportada pelo vento até o canto que os exaustos ficam após a morte para ter o descanso eterno. Isso seria bem atrativo agora... brincadeiras a parte, mas estou cansada mesmo.
         Fazendo uma analogia melhor dá pra dizer que é como se a gravidade estivesse insistindo em me puxar para baixo, como se ela tivesse aumentado em cinco vezes. É tipo como euvestava depois do ensaio de ontem. Mas temos que mostrar disposição, não é?
      Eu já tentei de tudo para me acalmar. Na verdade não tentei de tudo, mas já tentei fechar os olhos, respirar fundo, me deitar em um canto, jogar joguinhos de celular, ouvir música... nada me acalmou.
     Acabamos de chegar no prédio que será gravada a entrevista, e também acabei de perceber que não será uma simples entrevista como eu estava esperando. Não... seria fácil demais. Claro que também temos um auditório.
           Puta que pariu.
     Olhei em volta e os meninos pareciam tranquilos com isso. Acho que a experiência deles com tudo isso ajuda. Enquanto isso eu estava exalando a tensão que corria ao meu redor como um satélite.
         Vejo Jin se aproximar de mim, colocando as mãos em meus ombros e fazendo uma leve pressão lá.
        - Se acalma, Emmy. Se ele perguntar algo e você não conseguir responder nós damos um jeito. O que também acontece bastante é eles fugirem do roteiro que nos foi dado, mas se isso acontecer deixa conosco, nós... - ele continuaria falando, mas foi interrompido sendo chamado para fazer a maquiagem.
        Me deu um último sorriso encorajador e foi para a sala.
         Respirei fundo entrando também, me dirigindo até a cadeira em que a maquiadora me chamou e lá ela começou a fazer as mágicas que só maquiagem faz.
      Quando ela já estava arrumando meu cabelo recebi uma mensagem no celular, a qual logo abri e vi que era de Ryu.
Mensagens on:
- Olá! Ainda lembra de mim? ;-;

Tem como esquecer de sua existência? -

- Okay... isso foi fofo ao extremo e agora quero te apertar!

Não faça isso, não seria divertido -

Confie em mim :p -

- Seria bastante divertido para minha pessoa...

Então você vai desconsiderar totalmente meus sentimentos? -

Deixa quieto... deixa quieto... -

- O drama tá forte hoje :v
- Vai tá livre hoje de noite?

Depende do que você entender por livre -

- Vai ter algumas horas disponíveis?

Depende do horário -

- Oito?

I don't know ... quer que eu avise se estiver? -

- Sempre.

Mas pra que isso? Vai me sequestrar e vender meus órgãos? -

- Bela confiança em mim :v
- É que eu quero conversar, e tu fostes a escolhida.
- Parabéns.

Que honra :') -

Desculpe, tenho que ir agora. Nos falamos depois? -

- Mas é claro.
 Mensagens off
        Me levantei agradecendo a moça pelo trabalho e fiquei perto da porta, esperando os meninos se levantarem também.
Havíamos acabado de ser chamados para finalmente irmos ao palco. Vai ser tenso.
Andamos juntos durante o caminho e aguardamos em silêncio até sermos anunciados. Eu podia ouvir as batidas do meu coração mais intensas e rápidas.
         - E agora pode entrar, BTS.


Notas Finais


Mano, mano, mano... postar e escrever pelo celular é horrível. Algumas de vocês já devem estar cientes disso, mas a real é que estou sem PC. Aí a Jumentona aqui tem que escrever pelo celular e postar pelo celular. (Meus dedos doem ;-;)
Eu estou ciente de que a margem deve estar tão horrível, mas tão horrível que deve doer. Peço desculpas por isso, mas a culpa não é totalmente minha, já que o Spirit não colabora :'v
Enfim, esse capítulo foi mais para dar início ao novo assunto principal que vai ser abordado, e acho que depois desse só vai haver o clímax e o final. Está se aproximando :v
Bem, bem... desculpem os erros que devem ter de digitação, eu tendo a errar bem mais na escrita no celular que no PC. Desculpem também pelo tamanho do capítulo, mas... É o que deu para fazer com toda essa coisa.
Obrigada por terem lido. Sério, amo vocês. ❤❤❤❤


~ AninhaYoongi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...