História A prostituta de Sasuke Uchiha - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hentai, Hinata, Kakashi, Naruto, Romance, Sakura, Sasuke
Visualizações 192
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 1 - Sr. Uchiha


 

Teria sido um dia normal, se aquele não tivesse sido o começo da minha ruína.

Ainda teria esperança de entrar no céu, se eu não tivesse despertado interesse no demônio

Ele não se importaria de tirar tudo de mim contando que ele tivesse o que queria.

Talvez meu maior erro tenha sido ter dito não quando ele esperava apenas mais um sim.

Meus pés doíam, também pudera, estava há quase seis horas em cima de um salto de 9 centímetros, peça obrigatória em meu uniforme de trabalho; Definitivamente nosso chefe Kakashi sabia nos torturar: anotar pedidos, entrega-los em suas mesas e ainda limpar a lanchonete calçando aquele sapato era mais doloroso do que se ele nos batesse todos os dias no final do expediente por não termos feito o trabalho com perfeição. 

Aproveitei os dez minutos que os funcionários tinham direito para fumar e me sentei na beira da calçada para tirar o salto, suspirei aliviada, pelo menos para isso esses minutos seriam úteis já que eu não fumava.

Me perguntei pela milésima vez na vida por que ainda trabalhava naquela espelunca e novamente a mesma resposta me veio a cabeça: Ayume, minha irmãzinha caçula. Desde que nasceu somos somente, eu, ela e nosso pai, pois nossa mãe morreu em seu parto. Eu a criei praticamente sozinha, pois Kizashi Haruno, nosso pai, se tornou apenas um bêbado culpado em nos deixar passar fome graças as suas dívidas de jogo. 

Meu tour mental pela miserável vida de Sakura Haruno, vulgo eu, acabou no momento que uma moto quase atropelou meu odiado, porem necessário, par de sapatos ao estacionar perto de mim; Levantei o olhar e me mantive séria encarando o homem próximo a mim. O mesmo tirou o capacete se revelando moreno e muito bonito, mas no momento que ele baixou seu olhar escuro para mim, senti vontade de me encolher até sumir, ele não parecia muito amigável. 

- Trabalha aqui? - perguntou. 

- Não, desmaiei a garçonete verdadeira e roubei seu uniforme porque achei que combinava com os meus olhos - respondi automaticamente, meu sarcasmo era conectado ao meu nervosismo, era inevitável - o que acha?

- Que deveria me levar até o seu chefe antes que eu perca a paciência com você - rebateu sem me olhar. 

- Sou garçonete, não secretária - quis morder minha língua quando ele me olhou, seu olhar percorreu meu corpo preguiçosamente e ele sorriu malicioso parando sua atenção na plaquinha do meu uniforme. 

- Saky - leu e subiu seu olhar para o meu - pode ser bonita, mas suponho que não seja blindada - me mostrou o vislumbre de uma arma em sua cintura e arregalei os olhos - então seja mais educada. 

Calcei os sapatos novamente e me levantei, que se dane o meu chefe, eu não levaria um tiro por ele. Entramos na lanchonete e eu logo indiquei a sala da gerência, o moreno parou próximo a mim e sorriu tocando em meu queixo para me fazer olhar para ele.

-Espero que saiba manter essa boquinha gostosa fechada - avisou com a voz calma e o olhar firme no meu, apesar do sorriso em seus lábios, eu sabia que ele não estava para brincadeira e assenti - ótimo. 

Apertei minhas mãos trêmulas enquanto o observava se afastar em direção a sala da gerência, queria ser uma mosquinha para saber qual era o assunto do moreno com o meu chefe Kakashi. Foram 45 minutos dividindo minha atenção entre os clientes e aquela porta. Silêncio era bom ou mau sinal? Quase suspirei aliviada quando vi o moreno sair da sala de Kakashi, ele me encarou e sorriu; Por um momento pensei que ele iria embora, mas ele se espalhou na cadeira de uma mesa vazia e me chamou;

- Posso ajuda-lo? - me aproximei determinada a não ter medo de sua arma. 

- Com certeza - sorriu malicioso novamente e eu o ignorei. 

- O que vai querer? - continuei. 

- Você nua na minha cama - respondeu sem se importar com as pessoas em volta. 

- Isso não será possível - rebati educadamente. 

- O que você recebe no mês aqui não paga nem a metade da hora no motel que te levaria - observou - você teria o que o quisesse contanto que me eu também tivesse o que quero. Não é tão difícil. Diria que é um acordo justo.

- E eu diria que está perdendo seu tempo, cara que não sei o nome, nem me interessa...

- Sasuke - me interrompeu - meu nome é Uchiha Sasuke. Quanto você quer por uma noite?

- Não sou prostituta - me alterei e ao perceber as pessoas olhando me controlei. 

- Uma pena. Com esse corpo iria faturar muito - comentou - tudo bem, eu deixo você pensar...Enfim uma cerveja

- A resposta é não - completei e me virei irritada. 

Karin que atendia no balcão sorriu quando me aproximei:

- Ele nunca senta para pedir nada - comentou. 

- O quê? - a olhei confusa e ela indicou Sasuke com um aceno de cabeça - bom, antes não tivesse sentado. 

- O assunto dele é sempre só com o Kakashi, nunca, nada prendeu a atenção dele aqui. 

- Ele vem aqui há muito tempo? - deixei a curiosidade falar mais alto. 

- Desde que assumiu os negócios do irmão,Kakashi  era conselheiro dele - bateu no balcão - chega de conversa, o que ele pediu?

- Cerveja. 

A ruiva providenciou a cerveja e eu a levei até a mesa do moreno, ele sorriu ao pegar seu pedido e eu lhe dei as costas, mas sua voz me parou novamente:

- Sente-se comigo. 

- Eu estou trabalhando - o lembrei calmamente. 

- Amanhã não estará mais se não se sentar aqui comigo. 

Olhei de relance para Karin que sorria se divertindo e me sentei junto ao moreno seduçao de cara fechada. Ele sorriu vitorioso:

- Há quanto tempo trabalha aqui? - puxou assunto. 

- Quase dois meses - respondi de mau humor. 

- Ta explicado - comentou como se falasse consigo próprio. 

- O quê? 

- Como nunca te vi por aqui - explicou - eu teria notado. Você é bonita demais para esse lugar. 

- Olha... - o olhei confusa - qual seu nome mesmo? 

-  Uchiha Sasuke

- Olha, Sr. Uchiha, eu preciso trabalhar. 

- Então me dê uma resposta - insistiu - quanto você quer?

- A resposta sempre será não - afirmei - não estou à venda. 

Ele assentiu tirando uma nota de 100 dólares do bolso e colocando na mesa: - Isso é para você, a cerveja é por conta do Kakashi - ele se levantou e fez a volta na mesa para ficar próximo a mim, ele se inclinou e sussurrou em meu ouvido: - Todo mundo tem um preço e eu vou descobrir o seu. 

Quando Sasuke se afastou, eu peguei a nota de cem e vi seu número anotado ali. Revirei os olhos e guardei a nota, ela seria útil no super mercado.


Notas Finais


Espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...