História A Shot From Love - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Romance
Visualizações 82
Palavras 1.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oizinhoooo

desculpa ter sumido :/ Me perdoam?
espero que sim :)

Capítulo 54 - F i f t y f o u r


> Jimin <

Já acordaram ao lado da pessoa mais linda, sentindo que todos os sentimentos são correspondidos e verdadeiros?

Eu estou sentindo isso agora, e posso afirmar que é a melhor sensação do mundo todo.

Observo suas pálpebras iniciarem alguns espasmos, o que significa que ele está acordando.

Seguro seu rosto entre as mãos, acariciando sua bochecha esquerda com movimentos suavez e circulares.

- A quanto tempo exatamente eu estou sendo observado? - ele fala com um sorriso nos lábios.

- Não muito... dez minutos, talvez? - sorrio também, e ficamos nos encarando por alguns momentos.

Sua mão vem até as minhas costas, e me puxam mais para perto.

- Não fique tão distante... - ele esconde o rosto no meu pescoço e eu rio da sua reação. - O que foi?

- Você. Está tão fofo, que eu tenho vontade de esmagar até explodir seu corpo.

- Eca. 

Nós rimos, imaginando uma cena um pouco nojenta e bizarra. As vezes nosso romantismo vai parar em outra dimensão, e já estamos de novo parecendo dois idiotas.

- Nós estamos mesmo resolvidos, certo? - ele pergunta preocupado.

- Certo. - Beijo sua testa, e ele volta para onde estava antes. - Droga... me sinto baixinho de novo.

- Mas você é. E eu gosto disso. Parece um penguim.

- Penguim? - questiono. - Não entendi.

- Vou explicar.

Em um ato de inspiração, ele senta na cama, me encarando ainda deitado sob o cobertor, com apenas metade do rosto de fora.

- Você é extremamente fofo, é baixinho, tem esses olhinhos desenhados e está sempre com um biquinho fofo nos lábios. 

Sinto as bochechas esquentando, mas deixo escapar um sorrisinho, o que faz com que os meus olhos diminuam.

- Está vendo? Fofo.

Ele se inclina, depositando um selinho em minha boca, que logo é aprofundado em um beijo, com minha mão e sua nuca, envolvendo seus cabelos.

Eu sinto como se pudesse realmente explodir. Em milhões de pedacinhos minúsculos.

Estar com JungKook me provoca esse tipo de coisa. É uma sensação esquisita, mas ao mesmo tempo muito boa.

- Aonde quer chegar com esses beijos? - ele sorri encostando nossas testas. Nossas respirações são meio desregulares.

- Em nenhum lugar além daqui. - Digo simples, voltando com os carinhos em seu rosto. - Gosto dos seus lábios finos. São bonitos.

- Para... - ele diz ficando envergonhado.

- Ah JungKookie, por que você tem de ser tão bonito assim? - falo fazendo um bico. - Para me deixar apaixonado, e para me fazer querer ficar te olhando.

- Aish... Jimin-ssi, pare. 

Eu sou uma das poucas pessoas que o deixa tão nervoso assim.

- Eu amo você. Tem uma coisa que eu não digo com muita frequência, mas quero dizer agora. - Cutuco sua bochecha, vendo seus dentinhos expostos aos lábios formarem um novo sorriso.

- Então diga.

- Obrigado. Quero agradecer, simplesmente. Eu sei que sou do tipo insuportável e chato e birrento e todo o resto, em 70% do tempo e-

- Só setenta? - eu reviro os olhos e ele ri alto.

- Não estraga Jagiya...

- Ok. Desculpa. Pode continuar. - Sinto a pressão leve e delicada de um selinho me incentivando.

Suspiro me preparando para começar. Aliás, para recomeçar.

- Eu sei que eu as vezes não sou tão legal com você, sei também que já te deixei magoado algumas vezes, e que sou orgulhoso demais pra admitir meus erros. - Respiro fundo uma segunda vez. Seus olhos ainda encaram os meus. - Okay... as vezes eu até penso que não te mereço, mas aí eu olho pra você e penso "se não eu, quem vai querer essa coisa?" e me sinto melhor.

- EI! - ele belisca minha barriga e eu rio da sua indignação.

- Parei, parei. Era brincadeirinha. - Junto nossas mãos, as segurando firmemente.

- Estou chateado.

- Não, não está. Está fingindo. - Nos beijamos de novo e sorrimos, reestabelecendo o clima anterior. - Rebobinando: todo o blá blá blá de eu ser insuportável pra cacete. Eu quero dizer que eu sou extremamente grato por ter você. Sabe... você me completa. Me entende, está sempre aqui comigo, nunca me deixou na mão e está sempre aqui do meu lado. Poxa, você é uma pessoa incrível e eu não sei o que seria da minha vida sem você. Há um escritor que eu gosto muito que um dia disse uma frase, e eu quero usar agora. Não lembro exatamente como é, mas vou captar a ideia principal e-

- Vai logo. To amando ouvir esses elogios.

- Ok, ok. Uma vez ele citou em um livro uma frase assim 'sem você, ainda haveria vida. Sem você, eu ainda existiria. Mas só.' Entende o que eu quero dizer Kook-ah? Você é uma das minhas razões, é a minha força para continuar. Obrigado por me deixar te usar como apoio. Eu... te amo.

E esse foi o "eu te amo" mais sério e verdadeiro que eu já disse em toda a minha vida.

Ver os olhos negros de JungKook ganhando uma tonalidade avermelhada, e lágrima brotando nos cantos dos olhos me fez perceber o quanto isso tudo é real.

- Jiminnie... amor. Mochi. - É a sua vez de acariciar o meu rosto. - Eu te amo tanto... mas tanto, que as vezes meu peito dói, como se meu coração fosse sair pela garganta quando eu olho pra você. Todas essas coisas que você me disse... eu quero que saiba que eu sinto exatamente o mesmo. Eu faço umas merdas e umas coisas assim de vez em quando, e por isso, minhas desculpas. Mas nunca, nem por um milésimo de segundo esqueça dessas três palavras: eu amo você. Amo de verdade, não importa o que aconteça. Quando eu estou bravo, eu continuo te amando. Não consigo te esquecer.

Eu seguro sua mão de novo, a que estava em meu rosto, e beijo as costas da mesma.

- Deus me livre. Eu não quero que me esqueça. Pelo contrário, eu agradeço por lembrar de mim.

Nos beijamos mais uma vez. Um beijo... não sei explicar. Um beijo diferente, depois de expor todos os sentimentos dessa forma. Parece ainda mais real. De verdade.

É Jimin, ele está aqui. Vocês estão juntos.

- Park Jeon Jimin.

- Jeon Park JungKook.

¤ ¤ ¤ ¤ 

Depois de mais um tempo naquele clima gostoso, somos obrigados a levantar.

O serviço de quarto tras nosso café da manhã, o qual nos sentamos na cama juntos para comer. Depois, procuro uma roupa qualquer.

Teremos um ensaio pre-show, e devemos descer em vinte minutos para pegar a van com os outros meninos.

Vou até o banheiro, arrumo os cabeloa com paciência e finalmente me encaro no espelho. Digamos que talvez, assim... tenha um chupão roxo no meu pescoço, quase no ombro.

- JungKookie, você me deixou uma marca gigante! - reclamo tentando cobrir o local.

- Deixa eu ver? - ele pede e eu me aproximo. - Ah... vou fazer uma mágica. - Ele afasta um pouco do moletom e dá um beijinho delicado, daqueles que as mães nos dão quando nos machucamos. - Melhor?

- Talvez... - eu sorrio olhando para o chão.

- Vem, precisamos ir. Já estamos quase atrasados.

- Mas eu não quero ir... - falo com uma voz arrastada de preguiça. - Será que eles percebem se a gente se esconder dentro do guarda roupa ou embaixo da cama?

Ele gargalha me puxando pela mão.

- Vem logo. Quando voltarmos, ficamos juntos.

- Só voltamos pro hotel depois do show. Vai ser tarde e vamos estar mortos. - Digo frustrado.

- Bom, aí nós dormimos abraçadinhos, e amanhã podemos passear um pouco. Pode ser?

Eu realmente não mereço alguén tão incrível quanto ele. A melhor pessoa do mundo todo.

- Pode.

- Ótimo. Agora vamos.

Saímos do quarto e eu espero que ele tranque a porta. Jin e Namjoon esperam na ponta do corredor, mas os outros três ainda não apareceram.

JungKook vai atrás, abraçando minhas costas, com as mãos no bolso canguru do meu moletom, e caminhamos juntos, rindo, aos tropeços.

- Fizeram as pazes de verdade? - Jin pergunta esperançoso, com um sorriso largo.

- Absolutamente em paz. Bandeira branca. - Eu digo.

- Como eu posso não perdoar essa criaturinha? É o meu penguim. - Ele coloca o queixo sobre meu ombro, ainda abraçando minha barriga.

- Penguim? - Jin e Namjoon se entreolham sem entender nada.

- Piada interna.

- É só um apelido fofo que eu dei pra ele.

Namore uma pessoa que possa ser idiota com você e rir de qualquer coisa, em qualquer curcunstância, em qualquer lugar. E principalmente, que entenda suas referências.


Notas Finais


KATIAU.
Quem pegou a referência pegou. 2bj.
Eu tava inspirada. Os próximos serão melhores ainda.

comentem o que acharem. Amo ler comentários.

chu~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...