História A Vida de um Anjo, não tão Anjo... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Uraraka Ochako
Tags Bakuraka, Kacchaco, Katsuki Bakugou, Katsuocha, Todomomo, Uraraka Ochaco, Uraraka X Bakugou, Yaoyorozu X Todoroki
Visualizações 48
Palavras 757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie!!!! Essa é a minha primeira fanfic, nunca havia pensado em escrever uma (apesar de sempre ter amado escrever histórias), espero que gostem, fiz com muito carinho <3 Aproveitem!!!

Capítulo 1 - O Nascimento de um Anjo...


Fanfic / Fanfiction A Vida de um Anjo, não tão Anjo... - Capítulo 1 - O Nascimento de um Anjo...

Narrador on 

Era uma manhã comum de dezembro, fazia frio,e nada estava diferente até o bairro ouvir os gritos altos e finos de uma mulher em sua casa.

A mulher era linda, cabelos castanhos e olhos brilhantes,mas agora a cara que ela fazia era uma de dor.

Sra. Uraraka - Aaaah!!! Vamos logo!! Está doendo!!!

Sr. Uraraka - Calma meu amor respira...

O homem que a acompanhava era alto e parecia, um pouco nervoso...Na verdade...Muito nervoso!!

Entraram no carro e se dirigiram ao hospital mais próximo,assim que chegaram, ela foi atendida e entrou em trabalho de parto.

Fora a mãe da linda moça que assistira o parto da criança, enquanto seu marido, pai, sogra e sogro esperavam do lado de fora aflitos.

O nervosismo na face do pai da criança era tão visível quando uma estátua gigante bem na sua frente.

De repente os gritos da mãe cessaram e um choro bem fraquinho, foi ouvido.

Dentro da sala, a jovem mãe segurava sua filha,sim uma menina.

Eles decidiram não saber o sexo do bebê até nascer, para terem uma surpresa,e aí estava.

Uma menininha minúscula, com olhos e cabelos castanhos, tão parecida com a mãe que era como um mini-clone.

Enfermeira - Já sabe o nome que vai dar a ela, senhora?

Sra. Uraraka - Ochaco... Uraraka Ochaco.

A felicidade não cabia nos olhos da mãe, era como se seus sentimentos explodissem em alegria, enquanto acariciava o pequeno ser, ouviu o barulho da porta se abrindo.

O pai entrou na sala, parou na frente da criança e sentiu seus olhos marejarem.

Sr. Uraraka - É uma menina... É uma menininha... É a minha filha!

Os pais choravam de alegria olhando para o bebê que havia adormecido nos braços da mãe. Enquanto a avó da pequena, formava um novo rio no mapa.

Sr. e Sra. Uraraka - Bem vinda ao mundo minha filha...

Sra. Uraraka - Bem vinda ao mundo...

9 anos e meio depois

Uraraka Ochaco - Mamãe!!! Mamãe!!! Papai!!! Olha lá!!! - A menina apontava para um passarinho.

A família fazia um piquenique num parque muito bonito, oquê chamava a atenção da filha do casal.

A menina, embora com 9 de idade, se comportava como uma criança de 4 anos, o que a fazia parecer um bebê.

De repente seus olhos brilharam. Havia avistado um campo cheio de flores no qual começou a brincar e cheirar as flores.

Sra. Uraraka - Quando devemos contar para ela?- a moça antes com um sorriso, agora estava completamente abalada.

Sr. Uraraka - Eu não sei... Ela já é grande, mas se comporta como um bebê... - sua cara muda de observadora para uma de tristeza.

Sra. Uraraka - Tenho medo de ela não aceitar a perda... A nossa filha é muito sensível, e muito emotiva...

Sr. Uraraka - Ela tem que saber, é o direito dela, e terá que aprender que todos se vão algum dia...

A moça dá um longo suspiro triste e volta a assistir a filha se passeando com as flores.

Ochaco - Mamãe!!! Trouxe isso para você!!! - a menina volta com um sorriso lindo no rosto.

Ela segurava um belíssimo buquê de margaridas que havia colhido e entregou-o para a mãe.

Sra. Uraraka - Obrigada filha. Sente-se aqui.

Sr. Uraraka - Filha, eu e sua mãe temos que te contar uma coisa.

Ochaco - Pode dizer!!! - disse, ainda com um sorriso no rosto, sem perceber a tristeza dos mais velhos.

Sr. Uraraka - Filha...

Sra. Uraraka - O seu avô morreu...

A menina por uns instantes absorveu a frase e seu sorriso se desfez.

Ochaco - Isso... Quer dizer que ele não vai voltar mais?...

Sra. Uraraka - Oh minha filha!...

Abraçou a filha que agora chorava fraco, sem fazer um escândalo.

A menina se levantou e colocou novamente um sorriso no rosto, para o espanto breve dos seus pais.

Ochaco - Não chorem - disse limpando as lágrimas - O vovô não ia gostar de te ver chorando.

As palavras simples e doces da menina que por nove meses carregara consigo tocou o coração despedaçado da moça e o construiu novamente.

Sra. Uraraka - Filha...

Ochaco - O vovô te amava - disse chorando - e continua te amando, vai te amar para todo o sempre!!! - a mãe espantada absorvia cada som proferido da boca da criança - Ele está num lugar muito melhor agora!!!

A mais velha se desmoronou em lágrimas ao ouvir aquilo.

Ochaco - Hum? Mamãe? Eu disse algo de errado? Me desculpe!! - a menina confusa se desculpava sem saber oquê fazer.

Sra. Uraraka - Filha... Você é um anjo!!! - a abracou, chorando e jurou para si mesma proteger a todo custo a  menina que criou, e que em um de seus momentos mais difíceis, a fez ver a luz no meio das trevas.



Notas Finais


Confesso que fiquei um pouco tocada com esse capítulo... Fui escrevendo e imaginando, acho que ficou bom. Obrigada!!! Beijinhos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...