História Acabamos que algemados por mais tempo - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Gruvia, Jerza, Miraxus, Nali, Rolu
Visualizações 52
Palavras 2.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii meus amores, como amoo vocês serião em.. '3' ❤️, mas enfim! Tai outro cap pra vocês, eu espero que gostem!
Então, ja comecei o primeiro cap do Harém, mo frio da barriga sabe kkkk espero fique bom, sempre quiz escrever um harém sabe, mas é isso kkkkk
O que mais... É mesmo! , gente valeu pelos comentários do cap passado '3'.

Capítulo 23 - Capítulo 23


Lucy on



Não posso deixar de sorrir lembrando das palavras de ontem do Laxus, quem diria, de todos, o Laxus seria o último na minha lista para desabafar, ele foi incrivelmente doce, e eu morria de medo do mesmo, também aquele olhar frio penetrante me dava calafrios!, porém agora estou feliz em conhecer esse lado dele. Estou a horas com uma cara de boba para a tela do computador, até ser interrompida pelas batidas vindo da porta.

- Entre! - falo, e vejo Erza entrar.

- Com licença Lucy, vim te informar sobre o andamento das fotos e alguns compromissos seus. As fotos das modelos já foram aprovadas, as viagens estão todas confirmadas, a Senhora precisará ir para o desfile na França, e também foi aprovado o pedido da reunião geral, iss… - eu a corto.

- Reunião Geral? Eu não me lembro disso Erza.

- Pelo visto a Levy não te avisou - ela suspira - ontem foi avisado que fizeram um pedido de uma reunião com os diretores chefes das empresas, e hoje foi aprovado o pedido dessa reunião.

- Não acredito nisso, qual o sentido disso? - dou um suspiro fundo - entendo.

- Enfim, a reunião será amanhã às duas horas. Por agora é só, volto se precisar dar mais algum recado - ela sai. 

- Se algum idiota tentar alguma coisa eu mato! - pensando bem, o Natsu e o Laxus vão estar lá… E o Rogue também, como vou olhar pra ele! Se bem que eu ainda tenho chance de dar de cara com ele quando voltar pra casa- coloco minhas mãos atrás da cabeça e apoio meu peso no encosto da cadeira - aaaaah que droga, Rogue eu te odeio, odeio você por ter me feito gostar de você, mesmo sendo um idiota - dou risada desse pensamento, de repente seu toque, seus beijos me veem à mente - de fato Senhor Cheney, você mexe comigo, e ainda tem o Laxus, eu faria mal em me aproximar dele? Eu ainda estou com a cabeça na noite de ontem, seus olhos pareciam analisar a minha alma.

- Lucy! - a Levy abre a porta com tudo, fazendo com que eu me assustasse, a mesma está com um buquê enorme.

- O que foi Levy!

- O que foi? Olha só o que chegou pra você chefinha! E adivinha de quem é? - ela diz com seus olhos brilhando, será que são do Rogue?!

- Fala de quem é logo! - digo impaciente.

- Do Laxus! - eu estou feliz… Mas sinto como se faltasse algo - desde quando o Laxus te manda flores? Não me diga que vocês estão tendo alguma coisa?! Quem é você e o que fez com a Lucy? Ele pode até ser assustador, mas parece uma boa pessoa ele é bem atraente.

- Levy não fantasie coisas! E só um buquê, ele é só um amigo.

- Não sei não Lu-chan… Aaah acabei de lembrar tenho um compromisso! Tchau Lu! - ela sai com pressa.

- A onde já se viu um empregado falar assim com o chefe - digo rindo. Então eu começo a admirar aquelas flores, elas são muito bonitas, quando eu chego mais perto vejo que a um cartão no buquê.


“ isso é pela ajuda com o terno e pelo ótimo vinho, espero que goste, e que possamos repetir isso “ - Laxus.


Simples, elegante e objetivo, esse é o Laxus afinal, eu até gostaria de sair novamente com ele, na verdade é uma ótima ideia, eu me diverti tanto ontem. E de certo modo ele é uma pessoa ligada ao meu passado, mesmo que seja de forma indireta.



Quebra de tempo



- O dia se passou tão rápido, ao que me parece sou a última aqui - falo vendo que a empresa já está bem escura. Vou em direção a bela vista, que me é proporcionada através do enorme vidro a minha frente.

Eu penso em tudo que tenho até aqui, seja financeiramente seja as pessoas que estão ao meu redor, até (ou principalmente) no Rogue, eu tenho tanta curiosidade de conhecê-lo melhor, saber mais sobre seu passado. Mesmo que ele não demonstre, ainda se sente mal pelo que ouve com sua ex. E agora o Laxus me causa esse baque! Ele foi um cavalheiro admito, pode ser interessante conhecê-lo melhor, não escondo o fato dele ser muito atraente, seu físico e seu jeito observador, com certeza mais de uma mulher já sonhou com aquele homem, sonhos inapropriados com certeza - eu respiro fundo - estou realmente questionando a ideia de dormir nesse sofá, apesar de ser um sofá, ele é novo e bem confortável! Não estou muito afim de ir pra casa.

- Não acredito que estou cogitando essa ideia. Vou parar de besteira e arrumar minhas coisas para ir pra casa!

Arrumo minhas coisas, pego minha bolsa e desço em direção ao estacionamento , e como eu imaginei não a um funcionário se quer aqui, somente eu e o cara que dá a passagem para o estacionamento. Eu me despeço do mesmo e vou embora.


     Hoje meu trajeto para casa foi tranquilo, creio que devido ao horário, eu sinto que estou esquecendo algo… Michelle!

- Droga! - grito já dentro do elevador para subir para o apartamento . Eu não avisei que chegaria tarde, com certeza estou trancada do lado de fora!. O elevador se abre e eu corro para tentar abrir a porta, de fato está trancada, eu achamo algumas vezes pelo nome da Michelle, porém nada, eu procuro meu celular na bolsa - Droga! Ficou na minha sala, eu mereço! - sou interrompida.

- Lucy? Algum problema - Dou um pulo pelo susto ao ouvir a voz do Rogue.

- B-boa noite Rogue, não é nada de mais - digo balançando minhas mãos frente ao meu corpo. Ele parece não acreditar.

- Entendo, então eu vou ficar aqui esperando você entrar, apenas por segurança né - idiota! Ele está sendo totalmente irônico, tenho quase certeza que ele entendeu que estou trancada para fora.

- Tudo bem! - eu viro de frente pra porta e tento abri-la com mais força, mas acabo fracassando - okay, você venceu, eu estou trancada do lado de fora e esqueci meu celular na empresa - digo com uma cara envergonhada.

- Vamos eu te empresto meu celular - ele diz entrando em seu apartamento, sério? O que ele está fazendo? Droga! Meus batimentos estão a mil, tento controlar minha respiração - e então? Vai entrar ou vai ficar a noite toda do lado de fora? - ele fala de dentro do apartamento. Não tenho escolha. Eu limpo a garganta e vou em direção seu apartamento.

- C-com licença - fale direito Lucy! Parece uma gata assustada.

- Entre, pode se sentar no sofá eu vou me trocar e já pego o celular pra você.

- Esp.. - ele entra no quarto antes que eu falasse qualquer coisa. Porque ele tinha que ir se trocar primeiro? não seria mais fácil ele me entregar o celular eu ligar e ir embora? Ele não se incomoda com isso? Acho difícil, o tanto de mulher que já deve ter estado aqui! E eu estou sentada nesse sofá, meu Deus, já deve ter acontecido tanta coisa aqui! Lucy sua pervertida! É só um sofá… Um sofá que deve ter história, isso sim, dois caras morando aqui, aliás onde será que o Sting está?


- A bateria do meu celular não está tão alta mais deve servir - depois de mais ou menos meia hora ele volta.

- Não tem problema, tenho certeza que… - quando eu olho pro mesmo eu fico sem reação, Rogue o que você pretende?! O mesmo está apenas com uma calça folgada, sem camisa, com uma mão ele seca seu cabelo com a outra mexe no celular, ele está realmente lindo com seu cabelo molhado, Deus! tenho certeza que não consegui disfarçar minha cara envergonhada, estou babando no cara! respira.- E- essa bateria deve dar - é o fim, eu gaguejei, está tudo perdido (AUT: eita show Lucy -_-).

- Tome - ele me entregar o celular.

- Obrigada - quando pego o celular, sua mão toca a minha, seus dedos gelados fazem com que meu corpo de um choque. Então, pra completar, o Rogue senta colado ao meu lado, de modo que eu sinto sua coxa encostar na minha. Ahhhh, vou ligar o mais rápido possível, ele está me provocando,tenho certeza!. Eu disco o número da Levy, ela demora porém atende depois de algumas tentativas.

- Levy! - eu falo como se falasse com uma heroina, agora posso respirar aliviada.

- Quem é, você sabe que horas são? - que grossa Levy.

- Sei Desculpe Levy, é a Lucy e.. - sou cortada.

- Lu-chan! - ele literalmente grita, fazendo com que eu afastasse meu celular da orelha.

- Levy escuta, a Michelle saiu e eu fique trancada do lado de fora, esqueci meu celular na empresa e não tem como pegar a essa hora, você está em casa? - eu realmente espero que sim.

- mas, então , como você está me ligando? - colabora Levy!

- Eu peguei emprestado com um colega Levy - se ela souber que é o Rogue.

- Espera não me diga que - ela cai na risada - Você está na casa do seu vizinho? Aquele com quem eu encontrei você em cima dele, pobre coitado, a Lucy é tão pervertida! - e novamente ela cai na risada. Eu te mato Levy! Por mais que eu não olhe em sua cara tenho certeza que o Rogue está segurando sua risada.

- Levy, presta atenção, por favor, eu estou do lado de fora de casa, e eu quero saber se eu posso ir dormir na sua casa? - espero que ela sinta a raiva em minha voz.

- E claro que poderia! - Oi?

- Como assim poderia? - digo irritada.

- E que eu nã.. - o celular descarregou. Ótimo!

- Eu te mato Levy - falo e coloco  a mão no rosto - Desligou - digo ao Rogue e entrego seu celular. Ele suspira e me olha. Muito perto!

- Pode dormir aqui - ele continua me olhando, meu coração vai sair do meu corpo. Ele está me zoando, não? Ou ele acha que me deve alguma coisa por causa daquela vez? - O Sting não vai dormir aqui hoje, pode dormir no meu quarto eu durmo no sofá - Ele não para de me olhar, uma gracinha sua oferta porém não sei não.

- Rogue, se você quer fazer isso por achar que me deve alguma coisa nã.. - ele me corta.

- Vou buscar uma coberta pra mim - ele não vai aceitar um não.

- Tudo bem, mas eu durmo no sofá! - ele da um sorriso sarcástico, olha só se não é o Rogue de quando eu o conheci, com seu belo sorriso sarcástico.

- Tudo bem - então ele se aproxima de mim devagar, seu braço vai em direção ao lado do sofá que está vazio passando por mim, seu rosto bem perto do meu. O quee?!

- R-Rogue o qu.. - ele para.Peguei - ele diz mostrando o controle da TV em sua mão, em seguida ele da um sorriso zombeteiro (Aut:meu Deus que palavra é essa kkkkk Sorry) que ódio! Idiota!.Eu respiro fundo.

- Obrigada - Eu acho..

- Eu vou buscar uma coberta pra você - ele sai. Eu resolvo admirar a vista da porta de vidro que leva a varanda, pelo menos até ser interrompida pela coberta que o Rogue jogou em mim.

- Obrig.. - de novo ele joga alguma coisa em mim - Dá pra parar? - pera uma camisa? - obrigada mas não precisa, já estou exigindo demais.

- Vai logo Lucy essa roupa não parece muito confortável - nisso ele tem razão.

- Okay, onde eu posso me trocar? - ele me olha confuso.

- Pode se trocar ai mesmo afinal eu já te vi .. - Rogue Cheney!

- Não ouse terminar essa frase - eu falo fazendo o olhar mais maligno e colocando o máximo de raiva possível na minha voz - onde é o banheiro?-pergunto. 

- Segunda porta à direita Lucy - ele ri. 

Eu me troco e volto. Arrumo a coberta e me deito no sofá. No sofá amaldiçoado, assim batizado por mim. Ouço um boa noite do Rogue, desejo o mesmo e posso ouvir a porta de seu quarto fechar. Eu me deito e não demoro para dormir. 


Notas Finais


E ai o que acharam? Espero que tenham gostado marshmallows!
Comentem por favor '3'.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...