História Acolhida pela escuridão - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Tags Creepypasta
Visualizações 85
Palavras 1.992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


aló bem vindos.

Capítulo 7 - Madrugada Maluca


Fanfic / Fanfiction Acolhida pela escuridão - Capítulo 7 - Madrugada Maluca

 

- olá Jeff e –ela fazia pausa antes de falar- Alice - Jane voltava seu olhar para baixo vendo que estou de mãos dadas com a garota.

 

Então soltei a mão dela colocando a mão atrás da cabeça, meio constrangido.

 

 - olá Jane oque fazendo acordada está hora? - tentei desconversa meio sem graça.

 

 - fiquei sem sono sabe, e a Nina também, ouvimos alguns barulhos, então vimos os dois pela janela e queremos saber que estava acontecendo, por que estão ou estavam de mãos dadas? lá fora no escuro - ela falou ríspida nos analisando, eu acho as vezes não sei oque Jane está fazendo por causa de sua mascara, me sinto culpado por causa disso, para ser sincero comigo mesmo, foi minha culpa ela ter de esconde o rosto, já se passou anos e mesmo antes de fugir daquele hospital ela passou por cirurgias plástica para recupera um pouco de sua beleza, acho que agora esta melhor ate por que ela cuida bem da pele como a maioria das garotas daqui, mas ela ainda deve sentir vergonha de mostra o rosto, achando que um monstro.

 

- verdade por que vocês estão tão unidos assim? - Nina interrompeu meu pensamento com está frase, e tentei arruma uma desculpa imediata. – Estão namorando?

 - ah! É por que, não, não estamos namorando - não pude completar a frase, sinto a mão de Alice em meu abdômen me afastando para trás, oque ela e a fazer. 

 

 POV JEFF OFF.

 

 **********

 

 POV ALICE ON.

 

Quando coloquei a mão na frente de Jeff o afastando para trás respirando fundo estava decidindo se falaria a verdade, então decidi fala a meia verdade pelo menos, não queria que as coisas complicassem para o nosso lado, principalmente para o Jeff.

 

- Eu, eu e a fugir, depois do que a Nina me disse me senti culpada por vocês dois - suspiro olhando todos na sala um pouco frustrada. - mas. O Jeff me viu indo embora e impediu de fazê-lo, me trazendo de volta, ele pegou em minha mão para me sentir mais segura, que não teria problema eu fica aqui, desculpe incomoda vocês , não se preocupe ,não fui embora agora!, Mas de manhã cedo eu me retiro - abaixo a cabeça pegando minha mochila das costas de Jeff, não olhei para qualquer um dos três, corri ate escadas esbarrando em Jane, tudo aquilo era bem decepcionante continuei correndo ate o meu quarto onde me trancava sentando atrás da porta - devia ter ido embora e aquilo com Jeff - passo a mão de leve nos meu lábios ainda sentindo rastro de energia dos lábio de Jeff sobre os meus  - não devia ter acontecido, como eu sou idiota devia ter ficado enfiada na floresta pelo resto da minha vida não estou pronta fica com “pessoa” mesmo sejam bem estranha mais do que eu.

 

Suspiro me levantando indo ate minha cama, desabo sobre ela colocando a mão nos rosto tentando esquecer tudo ate que aquele mundo existia, quando ouço alguém bater na porta, saindo de meus pensamentos um tanto egoísta, me sentava na cama olhando para porta.

 

 - quem é? – espero não fosse Jeff, ou Jane ou nina não estava com muita paciência para aquilo.

 

 - Alice... Sou eu Jane me desculpa pelo oque houve, na sala eu estava com ciúmes e vi vocês dois juntos, sabe uma garota quando sente ciúmes às vezes e realmente ridícula, como eu fui. – A garota parecia mesmo bem triste por sua atitude, acho que eu em seu lugar sentiria de mesma forma.

 

- vai embora Jane eu só quero dormi um pouco, já que amanhã cedo, caiu fora daqui não vou mais atrapalhar em nada. - respondi pegando o travesseiro fofo da cama afundando minha cara nele me controlando para não cai em lagrimas.

 

- não, não Alice, eu não quero isso, por favor, abre eu quero conversa  - a ouço com voz suave e parecia aflita ao mesmo tempo.

 

  - certeza? - levantei um pouco apreensiva, andei devagar até a porta e giro a maçaneta a abrindo e sinto Jane pula encima de mim, me abraçando.

 

 - absoluta você e minha amiga e nenhum homem vai fica em entre nós. - ela se afastou de leve, colocando as mãos em meu ombro - olha se o coração do Jeff escolher a mim irei fica feliz, mas se ele escolher você, oque eu acho vai acontecer, ainda vai fica tudo bem nós somos amigas, fiquei cega pela vingança e não retribui o que Jeff sentia, pra mim o tempo era o mesmo, mais pra ele já se  passou e novas pessoas apareceram e também eu posso arranja alguma pessoa por aqui mesmo e também sempre chegam pessoas novas de vez em quando como você não se preocupe tá legal vamos apenas aguarda a decisão de Jeff, não é bem dele mais sim do coração, enfim vamos aguarda. - emocionada ouvido Jane falar tudo aquilo sinto ela retira as mãos de meu ombro. - entendeu? Não se preocupe com isso, só peço que ate que ele escolha, não o beije nem nada desse tipo seria meio. Que uma falta consideração e eu farei o mesmo. - ela vira o rosto de lado me observando acho que ela estava sorrindo.

 

- certo, Jane eu prometo, e sempre seremos amigas, boas amigas - "se ela soubesse oque houve na floresta, melhor deixa isso em segredo por agora, ou para sempre, vou fingir que aquilo nunca aconteceu"

 

 - agora vá dormi e nem pense em fugir, eu mesma vou te persegui da próxima vez e não serei tão gentil como o Jeff.  - Jane colocou a mão sobre a mascara acho que ela pretendia retira porem parou antes que o fizesse e a jeito sobre o rosto, achei que finalmente iria ver como seu rosto era realmente, se estava tão ruim como imaginei, se o seu rosto tinha varias cicatrizes e a pele era pálida como a de Jeff, ou se já estava cicatrizado, pelo menos as feridas físicas, mas ela não quis mostra então deve ter havido um motivo. - não consigo mostrar ainda quem sabe em outra vez- ela me encarou parecendo seria que me fez gela, e saiu do quarto, aceno pra ela e fecho a porta com certo medo, talvez tivesse pesadelos com Jane esta noite, se eu conseguisse pegar no sono.

 

- que madrugada maluca, pensando bem oque nesta casa não é maluco? - volto para cama e me jogo na mesma fechando os olhos para minha surpresa logo consegui pegar no sono dormindo podendo finalmente descansar ou pensei que e a descansar.

 

 

************

 

 

Acordei poucos minutos depois ter deitado na cama certamente havia algo me perturbando, eu ficava inquieta na cama, fazendo com que não conseguia dormi direito, saiu do quarto, indo na cozinha beber um copo d'agua para tentar me tranquilizar e voltar novamente a dormi, mas assim que saiu do quarto, olho para os lados e me vejo no corredor sujo, cheiro de mofo, vomito e remédio vencido estava pelo ar, eu estava no hospital psiquiátrico, onde eu ficava presa olha, para trás, o quarto também tinha mudado completamente para meu antigo na ala da psiquiatra, vejo no pequeno caco do espelho, que estava com o blusão branco, com as mãos amarradas e os cintos segurando todo meu corpo, me virava novamente vendo gato risonho se transformando em um ser humano novamente, ele me empurra para dentro do quarto, me fazendo cair no chão, fechando a porta atrás de sim formando aquele sorriso medonho em seus lábios a me encarar.

 

- não, não eu fugi tudo isto, eu não estou mais aqui, você não pode, não pode, mas fazer aquelas coisa comigo - me debatia no chão, o olhando abri o cinto da calça, aproximando- se cada vez mais "só pode ser pesadelo, não tem outra explicação, eu quero acorda AGORA!" era única coisa passava pela minha mente, fechava os olhos por alguns segundo e os abria novamente torcendo quando os abrisse novamente, acordasse no mundo real, mais nada mudava, eu estava no mesmo lugar e o ele já estavam por cima de mim, levantando o blusão até minha cintura, e roçava o seu membro ereto sobre minha intimidade, eu não podia acreditar que teria de passa por isso mais uma vez, nem em meus sonhos eu teria paz, ou toda tudo que aconteceu ate agora que foi um sonho e isto era minha realidade, não, não pode ser eu quero sair daqui! Debatia-me e gritava o mais alto que podia.

Finalmente acordei me levantando sentindo uma gota de suor percorre a minha face, olho para o quarto e suspiro aliviada vendo que ainda estou na mansão dos Proxy, e com as roupas daquele dia, tudo aquilo era melhor do que esta no hospital na floresta mesmo com as confusões do dia a dia e os relacionamentos amorosos eu me dava conta que aquilo iria acontecer em minha vida algum dia caso fosse uma garota normal ou ate mesmo no hospital se eu vivesse lá, mas ainda bem não estava naquele lugar e sim neste lugar com todas aquelas pessoas bizarras mais gentis quando querem.

 

- só um sonho ainda bem - sussurro para mim mesma colocando a mão no peito quando vejo alguém atravessa a porta - hum?

 

- Alice? -Sally sussurra de forma delicada vindo ate mim se sentando na cama ao meu lado - pesadelo?

 

- s-sim! Como sabe? - respondo passando a mão sobre a testa limpando as gotas de suor, hoje estava realmente quente no quarto.

 

- eu tinha muito disso no começo, eu estava no carro com meu tio e ele novamente me abusava, me matava tudo sempre de novo, mais não tenho mais, o Slender sempre ajudou sabe- ela sorri de forma gentil..

 

- abusada? – fiquei de certa forma surpresa já sabia que ela tinha sido morta forma brutal pelo jeito que estava sempre vestida, mais abusada, e pelo tio, nem passou pela minha cabeça, passa por isso tão jovem para alivio dela foi apenas uma vez, não quase todos os dias quase que constantemente, ou talvez ela passasse por isto varias vezes antes dele finalmente mata-la.

 

- é! Mas não quero falar disso não tem para que ficar relembrando o passado não é mesmo? Eu estava indo beber agua quando te ouvir, sim eu bebo agua mesmo sendo fantasma, ainda faço alguns costumes humano é bom e sim você fala dormindo, pensei que isso podia te ajudar a dormi, Slender fazia e ajudava quando tinha pesadelos, toma ele pode ajudar - ela estende seu pequeno urso desbotado, com botão caído, que era seu olho e sorriu o pegando sem hesitar – você esta suando muito por que não abre a janela, nem um monstro vai te pegar ate por que todos estão aqui e nenhum quer te machucar.

 

- obrigada é pode ser, bem lembrado Sally - passo a mão pelos seus longos cabelos castanhos ondulado depois retiro - tenho certeza irei dormi agora!.

 

- bons sonhos Alice – a garotinha se levantou abrindo a janela em seguida passou as pontas dos dedos sobre meus cabelos os levanto, ela saiu do quarto atravessando a porta, novamente, por um breve momento eu me perguntava, como ela consegue carrega esse pequeno urso por ai, sem ele ficar para trás? Acho que ela pode atravessa pequena coisa consigo meio que passando o seu poder.

 

- acho que eu posso os chamar de minha família, e essa mansão de meu lar, meu estranho lar, melhor do que um perfeito e falso lar - sussurro para mim mesma, deitando na cama segurando forte o pequeno ursinho de Sally, fechava os olhos e o vento que entrava pela janela retirava todo o calor do quarto o deixando mais refrescante, me permitindo voltando a dormir com ajuda das palavras da pequena e de seu ursinho, com um sorriso mínimo nos lábios, não tive, mas nenhum pesadelo aquela noite.


Notas Finais


Pode ter sido um pouco chato mais acontece


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...