História Adorable Life - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jisoo, Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, V
Tags Blackpink, Bts, Descobrimento, Drama, Ilusão, Kooklisa, K-pop, Lisa, Namsoo, Romance, Ship Hétero, Superação, Taehyung, Taelice, Trágico
Visualizações 23
Palavras 2.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


{ATENÇÃO!}

Sei que demorei muito para postar, mas eu consegui escrever dois capítulos nesse tempo, assim vou poder postar um em cada semana (eu espero), tudo vai dar certo.

BOA LEITURA!

Capítulo 18 - Esperança



- Doutor fale logo! - tia Yoona estava totalmente acabada, seu rosto estava todo cansado com pontos vermelhos em baixo dos olhos.

- Nós fizemos o exame de sangue para ver a situação. E chegamos a conclusão de que o sangue dele está bem fraco, quase não tem glóbulos brancos, isso é causado pelo tumor na medula óssea. Essa medula é responsável pela produção de todas as células do sangue e ela está cada dia produzindo menos glóbulos vermelhos, o que é bem preocupante - vi ele deslisar algumas folhas - Ele precisa de um transplante de medula óssea. E o mais rápido possível, podemos começar com testes em familiares para ver se alguém é compatível com o corpo do paciente. Se não vamos ter que esperar por um doador que seja compatível.

- Mas ele ficará bem, não é? - tia Yoona pergunta em meio às lágrimas.

- Sim, se tudo ser certo com o transplante.

- Eu vou fazer os exames. - falei.

- Você é muito nova para passar por isso Lisa. - tia Yoona me interrompeu.

- Sim é verdade, menores de idade não podem fazer nenhum tipo de doação desse tipo. - o médico disse enquanto entregava a prancheta nas mãos da enfermeira que tinha acabado de chegar.

- Eu vou fazer os exames - o senhor Ohyun falou colocando uma mão no ombro de Taehyung, que afirmava com positivamente com a cabeça.

- Obrigado Ohyun, por tudo. - tia Yoona falou.

- Então vamos marcar um dia para fazerem os exames, vocês podem descansar, fiquem tranquilos, ele irá acordar em alguns minutos. - o doutor se curvou rapidamente e saiu.

- Só uma pessoa pode acompanhar o paciente essa noite. - a enfermeira falou.

- Eu... Eu fico. - tia Yoona disse pegando o crachá que estava na mão da enfermeira - Ohyun, você pode cuidar dela essa noite?

- Claro, Yoona. - o senhor Ohyun respondeu chegando mais perto formando uma roda com todos nós.

- Tia - abracei-a bem forte - Tenha uma boa noite.

- Se cuide, Lisa. Amanhã nos vemos. - ela nos separou e passou a mão nos meus cabelos.

- Durma bem, estamos todos juntos não esqueça, eu vou ajudar em tudo que for preciso. - o senhor Ohyun falou seguido de um abraço em tia Yoona.

- Obrigada, Ohyun. YangMi vai ficar muito feliz em saber que seu amigo está o ajudando.

- Vocês devem ir agora, já era muito tarde. - a enfermeira falou mostrando o caminho para nós passarmos.

- Tenham cuidado. - tia Yoona falou acenando para todos nós - Lisa, espera, a chave de casa. - ela veio até mim e tirou a chave de sua bolsa me entregando.

***

Passamos pela porta enorme de vidro automática e deixamos o hospital, andamos até o estacionamento e pegamos um táxi que estava parado, dentro do carro estava tocando uma música desconhecida, uma melodia de um piano e a voz do cantor baixa e forte.

- Lisa, você está bem? - Taehyung me perguntou olhando fundo nos meus olhos que despejavam lágrimas.

- S-Sim... - senti sua mão fria tocar no meu rosto e limpar as lágrimas.

- Acredite menina, vai dar tudo certo, eu conheço bem aquela pessoa e ela não irá desistir tão fácil. - O senhor Ohyun disse do banco da frente.

Depois de um caminho longo chegamos na casa do senhor Ohyun, a fachada estava de uma cor diferente, um verde bem claro, e agora, as escadas tinham corrimãos o que ajudava muito, antes só tinha os degraus sem nenhum tipo de segurança, o vizinho de baixo também tinha mudado a cor da fachada deixando num tom de amarelo, quando subimos a escadas fomos direto a primeira porta que era da casa do senhor Ohyun, de repente a porta vizinha se abriu e saiu uma senhora de lá.

- Ohyun, você tem que regar essas plantas elas vão morrer. - a vizinha parecia conhecida dele, ela estava vestindo roupas casuais mas elegantes e possuía uma bolsa pendurada em sue ombro.

- Vou lembrar disso, Juna. - o senhor Ohyun digitou a senha da porta e empurrou abrindo-a.

- E quem é essa menina bonita? - ela olhou para mim - Olha esse rosto, está tão vermelho...

- Ela é a sobrinha do meu amigo. - ele olhou para a vizinha colocando um braço nas minhas costas.

- Ah... Seja forte menina. - a senhora me deu uns tapinhas no ombro, ela com certeza já sabia do assunto - Eu tenho que ir - Taehyung fez um sinal para que eu entrasse - Vou ver meu filho... - deixamos os dois lá fora sozinhos.

- É, mudou um pouco desde a última vez que você veio aqui. - Taehyung falou.

Dei uma breve olhada pela sala e vi algumas mudanças, o sofá desta vez estava arrumando, tinha alguns quadros pendurados na parede com pinturas ornamentais e coloridas e agora o espaço cheirava a rosas, fazia tanto tempo que eu não vinha aqui, fiquei um pouco desconfortável ao entrar na casa de outra pessoa - o que eu não fazia frequentemente.

- Mudou muito. - andei pela sala - Quem é aquela senhora que não parava de falar?

- Ela e meu pai fizeram um curso juntos, acho que foi de economia. Faz um tempo que a vizinha antiga mudou então ela veio, daí eles se encontram. - ele falou enquanto ia até a geladeira abrindo a porta - Quer água?

- Sim. - ele fechou a porta da geladeira trazendo uma garrafa cheia de água a colocando em cima da mesa, ele voltou e pegou dois copos na pia e derramou um pouco de água em ambos copos - Obrigada.

- Você chorou tanto que deve estar desidratada. - ele tentou me animar mas não conseguiu - Então... Eu vou preparar a cama, você deve estar exausta. Me espera por aqui.

- Taehyung deixe ela dormir na sua cama. - o senhor Ohyun entrou dentro de casa, quando eu já havia terminado meu copo de água.

- Eu já estava fazendo isso! - Taehyung gritou de dentro do quarto.

- Não precisa, eu posso dormir no chão ou até mesmo no sofá, senhor.

- Não, você é a hóspede aqui.

- Pronto, se você quiser dormir agora pode ir. - Taehyung apareceu na sala.

- Se não for pedir muito, eu queria tomar um banho. - olhei para mim no espelho que estava pendurado na parede da sala, cabelo bagunçado, rosto vermelho e olhos inchados.

- Claro que pode. Taehyung vai lhe emprestar algumas roupas, e amanhã você pode ir para casa e se trocar. - o senhor Ohyun sentou no sofá e ligou a televisão - Mostre pra ela o banheiro, filho.

- Vem Lisa. - fui até o seu quarto vendo sua cama toda ajeitadinha e um monte de livros empilhados em cima de uma escrivaninha e mais alguns em prateleiras - Minhas roupas são um pouco grandes. - ele abriu o guarda-roupa.

- Não tem problema. - andei pelo quarto vendo cada característica que Taehyung tinha deixado nele.

- Olha aqui - ele me deu uma camisa branca com um coração como estampa - E tenho essa calça - peguei a calça de moletom de suas mãos - Aqui, a toalha. O banheiro fica na porta na frente desse quarto, lá tem tudo que você precisar, menos... Você sabe.

- Coisas de mulher. - completei - Tudo bem.

Entrei no banheiro e me certifiquei de primeiro trancar a porta, eu tenho essa fobia de que qualquer um podeira entrar no banheiro mesmo que acidentalmente e me visse pelada, pendurei a toalha em cima do box juntamente com as roupas emprestadas. Entrei debaixo do chuveiro e senti um choque da água fria em minha pele, eu estava me sentindo totalmente desconfortável porque, primeiro eu teria que vestidas mesmas roupas íntimas que estava antes, e nem poderia molhar minha cabeça, mas tudo bem só seria uma noite. Coloquei as roupas e ficou sobrando um monte, as mangas estavam no meio do meu braço e eu tive que subir a calça até em cima do meu umbigo.

Sai do banheiro e dei direto na sala, onde o senhor Ohyun estava sentado no sofá assistindo a um programa e Taehyung estava na cozinha comendo miojo.

- Onde eu deixo a toalha? - perguntei meio desconfortável com as roupas.

- Há! - o senhor Ohyun. Começou a gargalhar, e eu sabia o porquê - Taehyung pegue isso - Taehyung veio até mim e pegou a toalha a levando - Eu vou me deitar. Boa noite. - o senhor Ohyun passou uma mão na minha cabeça.

Segui Taehyung, que saiu do apartamento indo para o corredor de fora, ele estendeu a toalha numa corda pendurada na varanda. Ele já havia colocado seu pijama, nada mais que um tipo da mesma calça que ele me deu e uma outra camisa de manga longa, listrada azul e branco. Ele parou e olhou para mim dos pés até a cabeça.

- Você ficou engraçada! - ele pegou no pano da camisa que estava sobrando - Tá até fofinha. - ele abriu o típico sorriso.

- Sua namorada sabe que você está chamando outa garota de "fofinha"? - o arrependimento veio logo depois, eu e minha língua solta.

- Não. - ele se virou e riu colocando a mão na frente da boca.

- Taehyung, é sério, obrigada por... Você sabe, tudo. - virei pegando a brisa fria da noite.

- Você sabe que eu e meu pai vamos ajudar em tudo que for preciso. - meu celular começou a vibrar, liguei a tela e vi o nome, Jisoo.

- Alô? - me dirigir conta de que ninguém além de nós quatro sabíamos do meu tio, coloquei no viva voz.

- Tudo bem? - ele nem deixou eu falar e continuou - Hoje eu sai com o Namjoon e ele comprou camisas de casal, bem ele não queria comprar eu meio que forcei ele.

- Jisoo. Aconteceu um coisa com meu tio. - cortei ela antes que ela fizesse um discurso, Taehyung já estava sorrindo ao meu lado.

- Ah, Lisa. Desculpa, eu não sabia. O que aconteceu? - contei tudo pra ela bem detalhado.

- Eu estou com muito medo agora. - completei.

- E como ele está agora? Ele já acordou?

- Eu não sei, a enfermeira não deixou que mais de uma pessoa ficasse.

- E você está sozinha em casa?

- Não! Eu tô... Tô na casa do Taehyung. - aproximei o celular até Taehyung para ele falar.

- Oi Jisoo! Você pode me mandar uma foto do Namjoon vestido com essa roupa? - ele falou de um jeito descarado.

- Lisa! Porque você não disse que estava no viva voz? - ela começou a gritar.

- Você falou tanto que nem deu tempo.

- Espera mãe! Já vou desligar! - ela gritava ainda mais - Lisa, tenho que ir, minha mãe está mandando eu ir dormir. Tchau boa noite.

- Durma bem!

- Boa noite Taehyung!

- Não esqueça da foto! - ele falou e eu desligue logo em seguida.

- Você não perde uma né? - falei pondo o celular de volta no bolso da calça.

- Claro! - ele colocou as mãos no bolsa da sua calça - Mas falando sério, você está bem... Com tudo isso?

- Vou ser sincera. Eu tô morrendo de medo que alguma coisa dê errado, principalmente com esse transplante, a cada dia eu perco um pouco da esperança de que ele vai sobreviver a isso. Eu... Eu nao sei o que fazer mais... - me virei contra ele para que não visse minhas lágrimas - Eu me sinto fraca...

- Lisa... - ele me vira me puxando pelo ombro - Eu não sou a melhor pessoa para consolar você mas... Temos que acreditar que tudo vai dar certo, mesmo que um dia possa dar errado. Minha mãe dizia "a esperança é a última a morrer". - ele olhava profundo nos meus olhos.

- Eu... Tenho medo de... - senti seu corpo se envolver no meu.

- Calma, vai dar tudo certo, como vocês são da família devem ser compatíveis. - me soltei de seus braços enxugando meu rosto - Vamos entrar.

***

Dormir na casa de outra pessoa não é muito confortável, fiquei me virando de um lado para o outro, lado esquerdo, lado direito, de costas, de bruços, até que eu pegasse no sono. Além da dificuldade de dormir eu me sentia mau com as roupas que eu vestia, está me incomodando muito, eu queria ir para casa para tomar um banho bem demorado.

Acordei bem cedo, olhei no celular e já eram cinco e meia, sentei na cama e percebi que ainda estava no quarto de Taehyung, me levantei e fui direto para a porta abrindo e me dando de cara com Taehyung, que estava só de toalha amarrada na cintura, deixando seu corpo a mostra, ele se assustou e voltou para dentro do banheiro.

- Desculpa. - ouvi sua voz de dentro do banheiro - Eu esqueci minhas roupas e ia buscar agora. Você pode pegar pra mim?

- Ahan. - eu ainda estava chocada por ter visto ele assim tão vulnerável - Onde está?

- Em cima do braço do sofá. - ele falava com uma voz baixa, encontrei a pilha de roupas que já estavam drobadas.

- Aqui. - ele abriu a porta do banheiro devagar e colocou a mão para fora, dei tudo de uma vez.

Me sentei no sofá - que por sinal estava todo bagunçado depois de uma noite com Taehyung em cima - e observei o que estava passando na tevê que já estava ligada, estava no noticiário da manhã, nada demais estava acontecendo pela cidade. Ouvi um celular tocar, procurei pelo meu e não era, passei a mão pelo sofá e achei um celular, provavelmente da pessoa que passou a noite ali, a tela estava acesa chamando, "Youngyoung", eu sabia quem eram com certeza era ela, passei meu dedo no botão de desligar.

- Quem era? - Taehyung apareceu, agora vestido, com camisa de manga longa rosa e outra calça de moletom, agora branca.

- "Youngyoung"! - fiz uma voz bem estranha nem eu sabia ao certo o que eu tinha feito.

- Ah... - passei o celular até ele, e começou a tocar de novo - Alô? - ele se sentiu ao meu lado - Não posso. Eu tenho que ficar em casa hoje. - senti ele olhar para mim brevemente - Podemos ir semana que vem? - ele se levantou e caminhou até a cozinha - Tá bom. Tchau!

- Bom dia crianças, já estão de pé? - o senhor Ohyun saiu dos seu quarto.

- Bom dia, senhor. - respondi.

- Você dormiu bem? - ele perguntou vendo até mim.

- Sim. E o senhor? - ele fez que sim com a cabeça.

- Você quer ir em casa? Depois nós vamos ao hospital, tudo bem? - me levantei e concordei.

- Taehyung vai com você.

***

Chegamos no hospital, passamos pela porta principal e andamos até o balcão de recepção onde demos todos nossos dados a atendente e depois ela nos deu alguns crachares com nossos nomes e "visita" em baixo. Fomos para o corredor principal onde ficava o elevador, entramos e fomos para o segundo andar onde ficava o quarto que tio Kim estava, passamos de novo pelo refeitório e agora também chegamos a ver as mesmas crianças de antes. Achamos o quarto e entramos lá, tio Kim agora está sendo na cama e tia Yoona estava sentada ao lado dele na cama.

- Lisa! - sua voz soava fraca, corri para abraçá-lo - Você está bem?

- Sim tio. - dei outro aperto nele - E você? Como está?

- Estou muito bem, veja só. - soltei ele.

- Como ele está? - perguntei para tia Yoona.

- Ele vai ficar aqui internado até melhorar ou até fizer o transplante. Mas ele está bem. - ela respondeu.

- E você também veio, Ohyun? - o senhor Ohyun veio até nós e apertou a mão de tio Kim - Você também Taehyung!

- Eles ajudaram muito ontem. Lisa passou a noite na casa deles. - tia Yoona explicou.

- Obrigado! Obrigado mesmo! - tio Kim falava com sua voz rouca.

- Você sabe que eu vou ajudar em tudo que for preciso, eu e Taehyung. - o senhor Ohyun puxou Taehyung para o seu lado.

- Sim! - Taehyung concordou.


Notas Finais


{ATENÇÃO 2!}

Eu odeio ter que pedir para vocês comentarem mas esse é o único jeito de eu saber do que vocês estão gostando e interagir um pouco com o meu público.
Eu queria pedir a você meu leitor fiel que realmente gosta da fanfic, eu te peço que (se for possível) compartilhe com seus amigos que amam ler uma fanfic.

{PERGUNTA}

Eu venho escrevendo capítulos bem grandes né? Você gosta? Vou tentar manter o ritmo.

{COMENTÁRIO}

Não sei o quer u faria no lugar da Lisa mano! Acho que sairia pelas ruas chorando deixando meu DNA lacrimal por todo o caminho que andei. O ship está cada vez ficando mais forte!!! Estou feliz ^_^. A Lisa se bem corajosa só de entrar no hospital, ao contrário de mim que tenho pavor de passar na frente de um hospital, ou de qualquer coisa que envolva consultórios, gente doente e aquele cheiro típico de borracha que só sente dentro de um hospital, tô até me arrepiando agora!

TCHAU E ATÉ SEMANA QUE VEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...