História Além da amizade-Fillie - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Stranger Things
Tags Fillie
Visualizações 489
Palavras 1.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu me sinto o Whinderson dizendo isso,MAS......
NÃO ESQUEÇAM DE FAVORITAR E DEIXAR SEU COMENTÁRIO!
Sério,mano! Eu amo comentários,sejam eles longos ou não.
Isso é fato! Eu amo,AMO comentários!
Amores,eu não passei o texto a limpo,então qualquer erro,me desculpem.
É isso boa leitura 📖 🔫

Capítulo 9 - Mulher perigosa?


                          POV'Millie

Dou uma garfada no pequeno pedaço de torta e o levo aos lábios. Mastigo silêncisamente,e tento esconder meu prazer pelo gosto da comida que Finn me ofereceu minutos depois de termos chegado a sua casa.

Levanto o olhar,e Finn continua a me encarar.

- O que foi? - Questiono. Ele balança a cabeça.

- Nada. - Dá de ombros.

Termino de comer e coloco prato sujo na pia. Torno  olhar para Finn. 

Ele veste um moletom amarelo,um jeans velho e está descalço. Ele apoia a cabeça em uma das mãos e com a outra ele batuca os dedos no balcão. Ele sorri quando nossos se encontram.

- Vem. - Ele estende uma das mãos para mim,levantando e chegando perto de mim.

- Por que eu iria? - Brinco escondendo as mãos atrás das costas.

- Apenas venha. - Ele avança sobre mim e pega uma de minhas mãos.

Ele me guia para fora da cozinha e começa a subir as escadas comigo logo atrás. Chegando ao seu quarto ele me solta e eu me vejo livre para fuçar em suas coisas. E eu não perco tempo.

Escuto sua risada.

- Você parece uma criança. - Diz ele ao me ver abrir as gavetas do criado-mudo. - Eu vou tomar um banho,já volto. - Eu balanço a cabeça mesmo sem olhá-lo e o escuto fechar a porta do banheiro.

Mexendo em suas coisas eu acho fotos antigas. Fotos da época de ST. Eu as pego em minhas mãos e começo a olhá-las enquanto me sento em sua cama.

 Alguns minutos se passam e o barulho da água caindo cessa. Eu continuo olhando para as recordações. Finn sai do banheiro,mas eu não volto a levantar o olhar para ele.

- Por que está olhando isso? - Pergunta ele.

- Eu estava...Entendiada. - Minto. Ele parece perceber pois me lança um sorriso irônico.

Ele fica de frente para a parede e de costas para mim. Ele retira a toalha de sua cintura e alcança sua cueca. Eu não consigo desviar os olhos das suas costas nuas.

- Eu sei que você está olhando para a minha bunda,sua tarada. - Ele balbucia me tirando dos meus devaneios e pensamentos insanos. Reprimo uma risada.

Eu sigo cada movimento seu com o olhar e não demora muito para ele terminar de se vestir.

- Que tal brincarmos um pouco agora? - Ele me levanta,puxando meu braço.

- Brincar? - Repito com as sobrancelhas erguidas.

- Você vai gostar dessa brincadeira. - Diz ele.

- Como tem tanta certeza?

- Bom,da primeira vez você gostou,não foi? - Ele sorri me puxando pela cintura.

- Ah,esse tipo de brincadeira...- Me fingi de desentendida.

- Você é muito inocente,Millie. - Finn sorri mostrando os dentes.

- E que tal você tirar essa inocência de mim? 

Ele sorri mais ainda. Fecha os olhos por um momento,mas logo os abre e volta a me encarar. Jogo meus braços sobre seus ombros largos e elimino o pequeno espaço entre nós. Eu piso por cima de seus pés para que eu possa aproveitá-lo sem me preocupar com seu tamanho.

Seus dedos resvalam-se para minha nuca e ele puxa meu rosto contra si,me beijando. Ele entrelaça nossas línguas uma na outra. Contraio meus dedos contra seus ombros ao sentir a queimação de seu toque em minha nuca.

Ele distribui uma passageira pressionada forte e rápida em minha cintura e escorrega seus dedos para baixo,e sinto-os amparar minha bunda. De súbito,ele os leva diretamente para minhas coxas.

Eu arfo por ímpeto ao sentir seus braços entrelaçarem-se contra minhas coxas e ele me pegar em seu colo. Meus joelhos pressionam suas costelas,meus braços estão cruzandos contra seu pescoço e sinto seu cabelo macio esporrar meu queixo.

Finn é bem magro mais ainda sim consegue ser bonito e encantador. O fato dele ter uma força impressionante mesmo não aparentando,é magnífico. Isso querendo ou não,vai sempre me impressionar.

Ele levanta seu olhar e nossos narizes se roçam. Seguro suas bochechas e selo nossos lábios novamente. 

Sinto uma onda de ansiedade queimar-me por completo ao constatar que estamos em movimento,e que ele me carrega para algum lugar enquanto nos beijamos.

A sensação de estar nos braços de Finn é tão boa.

Finn joga seus braços para trás de mim e compeli alguns objetos que estavam sobre a comoda para o lado. Posteriormente me pondo sentada ali em cima com delicadeza.

Eu o puxo pela nuca querendo mais do que somente um beijo e ele atende ao meu pedido. Resvalo meus dedos por sua cintura até chegar na barra de sua camisa. Eu a puxo indicando a Finn que quero tirá-la,ele cede e levanta os braços para cima. Eu a retiro e a lanço no chão,Finn sorri para mim.

Eu encosto a sola do meu tênis contra as gavetas da cômoda,abro as minhas pernas e puxo Finn para que ele possa se encaixar no meio delas. Prenso meus joelhos contra sua cintura,e Finn me puxa pela nuca,buscando meus lábios.

Sinto suas mãos deslizando sobre meu jeans rasgado,das coxas até pus joelhos em um vai e vem gostoso enquanto me beija.

Seguro suas bochechas coradas e imobilizo seu rosto entre meus dedos,e vejo-o movimentar apenas os olhos,sem desviar dos meus.

Eu acorrento meu olhar ao dele,e eu permaneço sustentando o olhar até ordenar a mim mesma a fechar os olhos. Volto a abrir os olhos.

Seus olhos seguem meus lábios conforme eu toco os meus nos dele e o desço para seu queixo. Depositando um leve selinho no local,enquanto volto a abrir os olhos sem desviar dos dele.

Eu sei o quanto Finn se esforça para me satisfazer. 

Soterro meus dedos em seus cabelos compridos e os forço,indicando que ele ainda não pode mover a cabeça. Sorri para ele,ganhando outro sorriso em troca.

suas mãos em minhas coxas agora fazem uma leve pressão,me fazendo soltar o primeiro gemido da noite. Ele sorri.

Eu levo meus beijos para seu pescoço a medida em que o obrigo a levar a cabeça para o lado,enquanto continuo a segurar seus fios de cabelos.  Dou beijos molhados pelo local e sinto-o arrepiar-se quando mordisco sua pele branca.

Sinto uma chama ardente me queimar a sentir o que posso causar nele.

Finn mais uma vez aperta minhas coxas com força. Ergo meus braços para cima e ele não perde tempo,ele arremessa minh blusa no chão. Suas mãos vão para minhas costas e ele logo se livra do meu sutiã. 

Novamente à vontade de cobrir meus seios aparecem,mas então me lembro de que Finn não liga para isso,então eu apenas tento relaxar.

Volto meus olhos para o seus e mordo meus lábios na tentativa de seduzi-lo. Ele me puxa pela nuca e fixa nossos lábios novamente. Finn desvia para meu pescoço e dá um leve chupão um pouco abaixo de minha orelha. Com certeza o cabelo  conseguiria cobrir isso depois.

Arfo contra seu ouvido e fecho os olhos entorpecida e dopada pelo prazer.

Finn põe sua mão sobre meus seios e me empurra contra a parede,fazendo minhas costas se chocarem com um pouco de força. Ao notar suas intenções,eu ergo um pouco o quadril para que ele posso tirar minha calça.

Após tirá-la,seus dedos ficam brincando com a barra da minha calcinha rosa,mas depois de alguns segundos sem pestanejar,ele a tira. Meu corpo todo parece preguiçoso,mas ainda me restam forças para o que vem a seguir.

Ele deposita um beijo estalado em minha bochecha e eu coro. Ele volta a me pegar no colo e logo depois minhas costas se chocam contra algo macio que eu deduzo ser a sua cama.

Ele morde os lábios e continua de pé a minha frente enquanto desafivela o cinto de sua calça que está usando. Ele a larga no chão e sobe em cima da cama.

Dobro minhas pernas conforme ele engatinha para cima de mim,e eu engatinho para trás tentando tortura-lo um pouco. 

Finn gosta de contato físico.

Seus dedos agarram minha cintura e me puxam para baixo dele. Seu olhar transborda ansiedade e malícia.

Nossos corpos estão quentes e sedentos um pelo outro como nunca antes. Estão insaciáveis,e não cessaram enquanto não forem saciados. Eu agarro os cabelos de Finn com força e ele solta um grunhido.

- Hey,vai com calma. - Ele pede me olhando nos olhos,passando a língua por entre os lábios.

- Desculpa. - Ofego ainda segurando-o.

Finn torna a me beijar,intensificando cada vez mais o beijo. Mordo seu lábio inferior e o puxo,soltando-o em seguida.

Finn sorri.

- Não devia estar nervosa. Já fizemos isso antes,amor. - Diz e eu me arrepio.

Por mais que eu saiba disso eu sinto vergonha ao sentir seu olhar sobre meu corpo nu. Os lábios de Finn estão vermelhos de tanto beijar,inchados...

Eu fecho os olhos e o peso de Finn por cima de mim se faz ausente. Mas quando ele volta,eu deduzo ele estar nu pois sinto sua pele quente. Um sorriso me escapa.

Arfei.

Finn entra no meio das minhas pernas e segura minhas mãos ao topo da minha cabeça. Minha boca se abre em um perfeito "O" quando sinto ele entrando devagar dentro de mim.

Ele abaixa o rosto e beija toma meus lábios com precisão. Seu pescoço fica a altura do meu rosto quando ele se debruça sobre mim para aumentar a velocidade das estocadas.

Sinto todo meu corpo entrar em estado de ganância e eu sinto mais sede de seu corpo. Como se Finn lesse meus pensamentos,ele aumenta a velocidade mais ainda,me deixando  enlouquecida. Eu giro a cabeça em todos os ângulos possíveis,tentando controlar a onda de prazer que me invade.

Finn se apoia nos joelhos e ergue as costas,fazendo minhas pernas se entrelaçarem-se em suas costas. Suas mãos seguram minha cintura e me puxam contra ele a cada bombeada.

Eu arfo apertando o lençol,já que agora estou com as mão livres. 

Mais rápido. Impossível! Ele foi mais rápido.

Eu solto um grito agudo ao senti-lo entrar fundo e sair quase por inteiro. O choque dos nossos corpos fazem um barulho gostoso de se ouvir e que só me excita mais ainda.

Finn solta uma risada e eu viro o rosto de imediato para lhe encarar.

Por que quando estou com você eu me sinto uma mulher perigosa?

- Talvez porque você seja uma.

 

{...}

 

Continua....

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...