História Alice ao Contrário. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland)
Personagens Alice Kingsley, Chapeleiro Maluco, Coelho Branco, Gato de Cheshire (Gato Risonho), Valete de Copas
Tags Drama, Mistério, Shoujo
Visualizações 14
Palavras 1.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom Galera aí está mais um capítulo.
Boa leitura.

Capítulo 4 - Quentin Deprimido?


Fanfic / Fanfiction Alice ao Contrário. - Capítulo 4 - Quentin Deprimido?

… Ao mesmo tempo que aterrissamos no chão, alguém apareceu por cima da casa desmoronada.

 Quem está liberando as sombras estava usando as mesmas roupas que Alice que vi nas imagens dos livros mas… -Nossa finalmente encontrei você, a Rainha.

 Era um homem. (O queee?) 

 apesar do meu espanto, Quentin e os outros enfrentavam -no sem qualquer sensação de estranheza.

 -Vossa Majestade! O que você está fazendo aqui?! Quentin me perguntou olhou com olhar sério e ao mesmo tempo de espanto. 

-Fui eu quem a trouxe aqui você você sabe Duque, que apenas a Rainha pode vencer a Alice. Respondeu Cheshire ...Eu Derrotarei sem a ajuda de sua majestade!  Resmungou Quentin Assim o que ele disse, ele partiu para enfrentar Alice. Sons Repetitivos de Lâminas batendo uma na outra Ressoavam ruidosamente a volta. 

 -Quentin! Henry tentou prevenir que eu me inclinasse. Segurando sua espada,ele me cobriu atrás das costas para me proteger. -Vossa Majestade, se você consegue derrotar Alice, Por favor faça -o. Rapidamente. Ele sempre fez coisas loucas desde que éramos crianças. Ele até daria sua vida para proteger você. Disse Henry Desesperadamente. (Se você assim o Diz…) 

 Segurei a chave com força. (Eu nem sei se consigo derrotá-la.) -Arrgh… Alguém! Ajuda! Cavaleiros disseram, as deformações voltaram a aumentar! Quase fiquei tonta com o cheiro estranho a sangue é árvores ardendo entre uivos. Ah,ah, me dêm mais diversão! Disse Alice. Ah! Quentin. (mas se há algo que eu possa fazer, então eu devo fazê -lo.) Então segurei a chave e respirei fundo. (Por Favor… Salve a todos!) Quando desejei… Uma luz suave transbordou da ponta da chave e se envolveu à minha volta.

 (O que é isso é quente…  é como se poder surgir-se por todo o meu corpo.) Do sítio mais profundo da minha memória, os mundos antigos juraram. -Eu ordeno sob o antigo contrato, em nome da Rainha… o corretor Alice, que executa imediatamente o contrato e suma do meu mundo! -?!. Alice ficou surpresa

 -Tranque, minha transcrição! Brilhando como arco-íris,  a luz transbordou da chave e atacou Alice. A luz era tão intensa que eu mal conseguia abrir os olhos.

 -Vossa Majestade!! Com a voz de Quentin, a visão virou totalmente Branca. Gradualmente e lentamente a luz extinguiu se. -O que… o que se passou com a Alice? Passado um pouco, eu abri os olhos. Não só Alice, mas todos as Deformações desapareceram.

 -Isso foi Fantástico! Disse  Henry -Afinal de contas, você é a Rainha… eu fiquei espantado em saber que você tinha tanto poder… Henry estava fixado em mim como se não acreditasse. Então se ajoelhou ao meu lado como se caísse em si.

 -Vossa Majestade, Rainha. Por favor continue liderando-nos a partir de Agora, também. Pois eu ficarei ao seu lado. Disse Henry -O que… Por favor não. Levante sua cabeça. -...Não importa. Disse ele com uma voz baixa que apenas eu conseguia ouvir. ...Tome conta do Quentin, Rainha. Eu agora estou bem. Eu me manterei no meu lugar a partir de agora. Porque eu entendo seus sentimentos.

 -Henry?? (Não importa…  o que ele está querendo dizer?) Talvez se tenha passado algo entre a verdadeira e Henry. Mas ao olhar para sua expressão revigorada, eu não consegui pergunta mais.

 -Eu sabia que você conseguiria, Vossa Majestade! Quentin, após ter lutado contra Alice, Guardou sua espada na bainha e se ajoelhou perante a mim.

 -Mas a partir de agora, eu gostaria que você não saísse sozinha. Disse me ele firmemente com um forte tom de voz. Eu conseguia ver ligeiramente a raiva em seus olhos.

 -Bem… Eu ia responder, mas ele me olhou de tal maneira mordaz que eu não consegui dizer mais nada. Certamente foi errado da minha parte quebra a promessa é deixar a torre. Mas foi apenas porque cheshire me disse que apenas eu poderia fazer. ( eu realmente fiz algo prestável.) Não me sinto revigorada, eu acenei para a multidão de soldados apelando entusiasmadamente.

 -Nossa! o que você fez ao meu vestido… No dia seguinte fui imensamente repreendida por Theophilus, o costureiro real no vestiário. Porque o vestido ficou sujo na batalha contra a Alice.

 -Eu gostaria que você pensasse nos esforços das costureiras.

 -Ok… Pendurando minha cabeça, vi Theophilas sair. (eu penso que me esforcei.) Fui repreendida em inúmeras vezes desde ontem. Enquanto estava voltando sentido me deprimida. 

 -Vossa Majestade! -Henry?  Acima do vestuário,por alguma razão Henry estava me esperando. -Eu vim aqui, pedir lhe um favor, Vossa Majestade. Ontem Quentin falou para você, não foi? Ele tem estado deprimido desde manhã. (Não pode ser, eu não consigo imaginar Quentin deprimido…) Além disso, era eu que estava deprimida. 

 -De qualquer forma, venha comigo por favor. Henry andou sem esperar pela minha resposta. (Espere… meu Deus.) Eu segui resolutamente. 

 -Esse Quarto. Assim que Henry se pôs em frente à um quarto, abriu a porta ligeiramente perplexa, olhei para dentro. … Lá estava ele,trabalhando numa mesa larga enterrada em papéis. -Isso é imenso… é assim todos os dias?

 -Aha, mas isso na realidade não é suposto ser trabalho de sua Majestade? 

 -Meu? Mas ninguém me disse nada.

 -Ele está a fazê lo por si. É o suficiente para você poder participar nos assuntos públicos. E ele fará as tarefas mais penosas como ele disse. (Eu me recordo… ele me disse se eu não quisesse fazer meu trabalho, eu não teria que fazer.) Enquanto eu apenas me vestindo, ele fazia todo esse trabalho. Eu comecei a me sentir culpada.

 -Bem, normalmente é uma tarefa fácil para ele mas veja…   Encorajada por Henry, eu me fixei em Quentin. …

 -Estou presumindo que ele não consegue concentrar. Eu estou certo? Durante algum tempo, ele estava olhando para longe, e por vezes soltava um suspiro. 

 -Sabe, ele está deprimido porque pensa que vossa majestade talvez o odeio. (Eu não consigo distinguir…  essa é a sua cara de deprimido?) -De qualquer forma, agora que você sabe, tenha uma longa conversa com ele. Eu deixo isso para você. Disse Henry Ele empurrou minhas costas com força

 -O que, oh! E entrei para dentro do quarto quase caindo. A porta foi encerrada bruscamente por Henry. (oh,não!) 

 -Vossa Majestade? Porque está aqui? Ele perguntou surpreso.

 -Bem… para tratar dos assuntos do Estado.

 -Você não precisa se esforçar. Quentin sorriu Ligeiramente.   


Notas Finais


Desculpe Alguns erros, e até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...