História Alone...or nah - Capítulo 110


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack & Jack, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Jacob Whitesides, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Personagens Originais, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Visualizações 45
Palavras 1.796
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 110 - °Ballad°


Já passou?— ela negou com a cabeça.

Parece que me deram uma paulada na cabeça com toda a força — massageou a cabeça.

Bem feito, ninguém mandou se embebedar até quase cair, no final quem me ferra sou eu mesmo sem fazer merda, segurei cada vexame ontem — falei um pouco decepcionada.

Fala um pouquinho mais baixo, Becca minha cabeça vai explodir— Cameron falou com o som sendo abafado pelo travesseiro.

Eu tô bolada com todos vocês, espero que estejam prontos pra receber sermão do Bart— neguei com a cabeça devagar.

—Por favor sermão seu também não, que horas são? — Anna perguntou baixinho.

Ainda é cedo não liga, mas se ficarem assim o dia todo eu desisto de vocês — me levantei da cama— alguém lembra de ontem?— a maioria negou com a cabeça.

Espera só eles começarem a lembrar— Johnson zuou.

E eu espero que lembrem de toda a vergonha que passamos ontem— me sentei de novo na cama.

Horas atrás...

Não eu não posso andar nesses brinquedos, nem vem— nós estávamos decidindo onde iríamos já que amanhã acabaria a folga dos garotos.

Ah, então nós vamos onde?balada?— olhei feio para ela.

Claro, claro e eu que não posso beber fico olhando né Maria bonita, dona Anna se você não se lembra balada sem beber é uma merda— ela bufou.

Vai ser uma aventura e tanto, vamos ser eu, você e mais quem não beber tomando conta dos nossos amigos cachaceiros, vai ser muito legal— Johnson falou com ironia.

Já consigo me visualizar segundo os cabelos alheios enquanto vomitam no vaso— Andy falou rindo.

Ok, a gente vai então, mas só porque eu não quero ficar aqui sozinha e porque eu não quero prender ninguém, vou me arrumar então— levantei as mãos em rendição, assim que entrei no banheiro ouvi mormurarem um "amém".

Me arrumei praticamente me arrastando, sem nenhuma vontade de ir mas também não ficaria sozinha, esses dois dias que chegamos renderam tanto e nada ao mesmo tempo, que ficar parada seria uma bosta.

Tô pronta— falei assim que saí do banheiro.

Taylor viu minha cara emburrada e veio até mim me dando um beijo na testa.

Vai dar tudo certo, não vamos chegar tarde, ninguém vai ficar bêbado, vai ficar tudo bem— abracei sua cintura aconchegando meu rosto em seu peito inalando seu perfume.

Todo mundo vai ficar bêbado, vai ser uma bosta, vai dar tudo errado, por favor não bebe— falei e o som saiu abafado.

Nem um pouquinho?— perguntou fazendo bico.

Só um pouquinho— respondi.

Ô casal, tá todo mundo pronto já— Cameron falou levemente com raiva.

A noite seria longa, bem longa.

{•••}

Você não pode entrar— olhei feio para o segurança.

Como é que é? Tudo bem nem queria mesmo— dei de ombros e já ia indo embora.

Moço ela pode parecer um gnomo por causa da altura mas já é maior de idade— Gilinsky falou me puxando, o cara negou com a cabeça.

Pelo amor do seu filho que ainda nem nasceu, mostra logo essa identidade! — Anna gritou me fazendo tomar um susto.

Peguei a identidade da bolsa e mostrei o cara riu da minha cara.

Pensei que tivesse quinze, pode entrar— depois de zombar da minha cara nós entramos.

Por favor não solta a minha mão — falei para o Taylor assim que segurei sua mão.

Tudo bem— falou mas foi em vão, tinha muita gente, só bastou passar umas dez pessoas pela gente e nós perdemos.

Mas que merda de vida!— resmunguei.

Andei até uma parte onde tinham sofás e fiquei sentada alí, sozinha, igual uma idiota. Agradeci de todas as formas possíveis do Taylor não estar perto pelos quinze minutos de caras estranho me paquerando, mas se bem que se ele estivesse perto não aconteceria isso. Eu estava extremamente desconfortável alí, aquele som alto, o cheiro das bebidas, depois de alguns minutos ativei o modo coice on, fiquei dando fora nas pessoas durantes alguns minutos incansáveis, as pessoas chegavam perto perguntando se tinha alguém e era uma patada atrás da outra.

Tem alguém sentado aqui?— revirei os olhos.

Claro, claro, cuidado pra não sentar em cima do meu namorado invisível, a genta tava aqui no maior papo bom até você chegar, não tá vendo que não tem ninguém além de mim?que pergunta idiota— reclamei e a menina que tinha perguntado ficou quieta, seus olhos marejaram e du me senti culpada.

Nossa, não precisava gritar— saiu andando e eu fiquei com cara de tacho.

O que foi aquilo?— Andy chegou se aproximando— até que enfim te encontrei, te procurei feito doida, o Johnson deve estar te procurando ainda, coitado— negou com a cabeça enquanto falava.

Eu não acredito que eu achei alguém, fica aqui não some das minhas vistas— a puxei para mais perto.

Mas eu tenho que falar com o Johnson, ele tava me ajudando a te procurar— neguei com a cabeça.

Eu preciso sumir daqui, não ta dando mais— ela riu.

Tudo bem, eu vou falar com ele aí a gente volta pro hotel— antes que eu a segurasse ela saiu praticamente correndo igual uma louca.

Às odeio a minha vida— esperei, esperei bastante por ela mas nada.

Aquele cheiro horrível de álcool me deixava bêbada sem ter bebido nada.

Eu fui até o banhieor para ver se amenizava um pouco a situação. Fiquei mais um bom tempo dentro daquele banheiro, não tinha nada melhor pra fazer então eu fiquei tirando fotos, ok que pessoas perdida numa balada fica dentro do banheiro tiranos fotos como se nada tivesse acontecido.

Eu fiquei lá dentro por meia hora, trinta minutos trancafiada no banheiro com estranhos entrando e saindo sem parar, eu estava com muita raiva, eu estava tão desconsentrada que tomei um susto quando alguém entrou com tudo no banheiro, a pessoa estava passando mal, eu cheguei mais perto para perguntar se estava bem e me assustei.

Anna?— perguntei quando a mesma já estava enfiando a cara no vaso.

Becca?— perguntou de volta.

A noite toda segurando Lara não vomitar, mas só foi ela vomitar perto de mim que eu quase vomito nela.

—É oficial, tô com ódio de todos vocês— falei me recompondo.

Eu tô bem— só falou isso e saiu cambaleando do banheiro.

Aí veio a dúvida, vou atrás? fico aqui? Mas eu fui atrás, demorei pensando então ela já não estava nas minhas vistas.

Que merda eu to fazendo aqui?— respirei fundo tentando não me estressar, de novo.

Heeeey— escutei alguém gritar com a voz arrastada.

—Deus me dê paciência, o que você quer Cameron?— ele franziu o cenho.

Como sabe meu nome?—fechei meus olhos, não queria responder mal uma pessoa bêbada.

Esquece, eu te vi de longe, olhando pra mim, aí eu pensei, tenho que falar com essa gata— dei uma risada horrível porque não foi planejada, ele estava mesmo me cantando.

Cameron o que você tá fazendo?— franziu o cenho de novo.

Não sei como você sabe meu nome, mas não me chama de Cameron, me chama de Cam, amor, namorado, do que quiser— falou tudo embolado, nem sabia como eu estava entendendo.

Cameron, você ta muito bêbado, vou te sentar no sofá e buscar uma água — falei o segurando.

Não me deixa sozinho— me puxou e eu quase caí junto com ele.

Cameron, tá muito perto— falei empurrando ele.

Pra mim tá bom assim— falou e me abraçou.

Legal, mas pra mim não — me soltei dele.

Fui puxando ele até onde eu estava sentada antes e sentei ele lá, me sentei do lado e se não fosse pela música estaria um silêncio horroroso entre a gente.

Já te falei que você é linda?— revirei os olhos— você parece minha ex namorada, ela também é linda.

—Essa seria uma cantada pra uma desconhecida?que péssimo — eu estava rindo mas estava nervosa.

Eu gosto muito dela, muito mesmo, mas ela deve estar brava comigo, e também já tem outra pessoa— ele falou fungando.

Cameron, para— falei um pouco baixo.

Eu tô triste, muito triste, tô na merda pra ser sincero, ela tá namorando ou sei o que com um dos meus melhores amigos, eu queria pedir desculpas pra ela porque na última vez que a gente conversou eu fui grosso com ela, mas quando eu pensei que não poderia piorar, ela fica grávida, eu tô tentando ficar feliz por ela mas é difícil, eu sei que não sou a melhor pessoa do mundo e muito menos fui o melhor namorado por isso não gosto de reclamar, se ela estiver feliz eu fico feliz por ela— ele falava tudo embolado mas eu entendia.

Não fica triste, tenho certeza de que foi uma pessoa importante na vida dela e que com certeza ela não está com raiva— falei e ele sorriu, me puxou para um abraço e tombou a cabeça na curva do meu pescoço.

Ele parecia uma criança, como não tinha muito o que fazer fiquei fazendo carinho no cabelo dele, mas foi uma má ideia já que ele dormiu.

Tive que deixar ele sozinho,outra má ideia mas foi a única que eu tive.

Eu consegui ir encontrando um de cada vez, em situações bem bizarras.

Que merda ele tá fazendo?— perguntei pra mim mesma enquanto via o Gilinsky discutindo, com o espelho.

O que?mas eu pedi licença tem como sair da minha frente!— ele começou a gritar.

Que merda colocam nas bebidas daqui?.

Jack vamos embora!eu ainda não encontrei todo mundo— comecei a puxar ele antes que quebrasse aquele espelho ou fizesse um escândalo.

Ele me seguiu e de longe puxe ver o Taylor com a Andy e o Johnson, fui correndo até eles.

Vem, a festa acabou, a gente ter que ir— fui puxar ele mas ele fez uma cara estranha.

Olha não me obriga a começar a gritar— falei tentando não me estressar.

Olha moça, a senhora é linda mas eu tenho namorada— dei um tapa na minha testa.

Olhei para o lado e Andy e Johnson estavam se pegando, mereço.

Andy!— gritei e ela me olhou assustada.

Oi, eu tava te procurando, a gente se perdeu de novo— falou parando o de beijar ele.

Sei, e por acaso me encontrou na boca dele?— ela riu envergonhada.

Olha só, já aguentei cada coisa bizarra hoje que por Deus, o Cameron não me reconheceu e do nada começou a desabafar até cair no sono, o Gilinsky tava discutindo com ele mesmo enquanto se olhava no espelho, a Anna entrou vomitando no banheiro e eu quase vomitei nela, depois eu me perdi dela, agora o Taylor não sabe quem eu sou, vou dar na cara dele— falei rápido.

Moça para de gritar, olha a minha namorada tá aqui e se ela te ver vai brigar— eu não entendi foi nada.

Quer parar de me chamar de moça — ele riu.

Minha senhora, tá se exaltando demais— zombou.

Olha só meu amor, eu quero ir pra casa— falei pegando em seu rosto.

Moça a senhora tá muito perto, eu já disse que eu tenho namorada— respira fundo Becca, respira fundo.

Ok, antes que ela se descabele eu vou procurar os outros— ela falou e saiu.

Agora...

Meu Deus que vexame— Anna escondeu o rosto com um travesseiro.

Pois é e eu ainda me lembro de mais coisas— me joguei na cama.

Hoje o dia seria longo também, espero que nem todo mundo se lembre de tudo.

•••


Notas Finais


Oe oe meus bolinhos, vooooltei (e voltei com fic pq sou desregulada)

https://spiritfanfics.com/historia/before-i-go-10917193 (fic nova com o bolinho do Aaron)

https://spiritfanfics.com/historia/dry-flowers-sm-10693100 ( fic do bolinho Shawn)

Espero que gostem

Bjs😚💋💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...