História Amante Arrependido - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Irmandade da Adaga Negra
Tags Blay, Irmandade, Qhuinn, Vampiros
Visualizações 6
Palavras 372
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Slash

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Este texto se passa em Amante Eterno (John e Xhex), portanto se ainda não leu este livro haverão alguns spoilers.
Espero que gostem!

Capítulo 1 - Amante Arrependido


        

  A angústia oprimia seu peito e a culpa confundia seus pensamentos. Apesar de que provavelmente esta última era mais consequência da tequila do que do auto julgamento. Qhuinn era incapaz até então, de compreender as dimensões dos seus sentimentos por Blay, no entanto, ver o seu antigo melhor amigo, agora companheiro de combate, acompanhar Saxton até o quarto logo ao lado, estava deixando-o absolutamente louco.

Mas ele não poderia tomar qualquer atitude sobre isso, poderia? Não... Era culpa de Qhuinn ter recuado diante de Blay. Recuado pelo medo idiota de magoar o garoto, quando agora não conseguia mais focar-se no futuro que havia planejado para si. Devido os olhos díspares, após ter que viver 25 anos a margem da Glymera, sendo desprezado pela própria família por sua deficiência, tudo o que ele desejava era casar-se com uma fêmea da aristocracia, e finalmente ser aceito. Por isso havia afastado Blay. Quando o fez, não imaginava outro futuro que não o magoasse

Agora o sorriso amargo havia fixado-se aos seus lábios, que apenas se abriam para mais um longo gole da tequila concentrada. O pequeno Qhuinn jamais imaginaria chegar onde chegou, pensou com ironia. Após passar pela transição, assassinar Lash e se tornar Ahstrux nohtrum de John Matthew, ele não afirmava mais com tanta veemência que se uniria a uma boa fêmea. Mesmo Layla, a belíssima Escolhida, não conseguia fazê-lo esquecer-se de quem teria em seus braços agora, se tivesse tido consideração genuína pelos sentimentos do ruivo, ao qual acreditava amar apenas como amigo.

Os ruídos baixos que transpassavam a parede cortavam seu peito em tiras dolorosas. Havia o perdido e por mais egoísta que isso pudesse soar, preferia que Blay não estivesse feliz com Saxton. Maldita família! Não bastava terem o renegado, de modo que ele não lamentou a morte deles nas mãos dos redutores, seu primo, o único que havia admirado, agora estava tomando seu amor.

Amor... Porra, era isso o que ele sentia e era incapaz de admitir. E agora, tarde demais, lamentava bebendo até a inconsciência durante o dia e lutava brutalmente, como um Irmão, durante a noite, para tentar bloquear isso. Mas era impossível. Os ruídos que gradativamente aumentavam, atingiam seu corpo e mente, despedaçando-o como nenhum golpe de lâmina poderia ter feito.


Notas Finais


E aí? O que acharam?
Obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...