História Amizade Retardada - Capítulo 22


Escrita por: ~ e ~ViajanteAzul

Postado
Categorias Originais
Tags Aventura, Comedia, Tretas, Vida Escolar
Visualizações 2
Palavras 1.974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oie~
então, teve a malidta semana de prova semana passada, e claro, demorou um pouco para fazer os Povs e claro
procurar a imagem, porém essa maldita semana acabou e TAMO LIVRES DAS PROVAS!! YAY!!!

Capítulo 22 - O trabalho!


Fanfic / Fanfiction Amizade Retardada - Capítulo 22 - O trabalho!

P.O.V Luiza

Falei para a minha mãe sobre o trabalho, e após a professora de história falar mais sobre ele, eu a dou mais informações.

Na quarta-feira, esperamos a hora do lanche,eu e Carol fizemos as mesmas coisas, ou seja, coisas retardadas, estavamos lá
no  nosso cantinho, girando nos portões, até que Felipe veio por trás de mim e me fez cosquinha. (Lu: Não é meio que cosquinha é sim, batendo na minha barriga rapidamente com seus dedos, cujo machuca).Ele tentou fazer a mesma coisa com a Carol, porém, ela não tem cosquinha, ou seja me fudi.

Felipe voltou a fazer cosquinha em mim, fiquei correndo, Carol estava me protejendo, foi quando dois seres humanos passaram por lá, Allan e Andrew, me escondi nas costas deles os empurrando pelo os seus ombros(Lu: Eles podem ser mais altos do que eu, porém eu não preciso ficar na ponta do pé).

-VOCÊS SERÃO OS MEUS ESCUDOS HUMANOS!-Berrei, porém uma certa pessoa chamada
Gabriel, decidiu fazer cosquinha em mim( Lu: Filho da mãe).Carol estava atrapalhando o biel, e o Allan o Felipe( Lu: MELHORES AMIGOS EVER <3) enquanto isso estava atrás de Andrew, procurando uma saida,já que estava presa entre duas pessoas altas, tentando me alcançar.(Lu: E também, o Andrew num tava fazendo nada,só parado assistindo a cena, cagando e andando).

Foi quando achei uma saida, e sai correndo para o banheiro, esperei Carol vir até mim.

-Eles já desistiram?- Eu disse me aproximando dela
-Uhum...
-YEY!-Eu sai do banheiro e me escondi em suas costas sem a avisa-la
-DE NOVO NÃO! ELE NEM TÁ AQUI!- Ela disse tentando escapar
-Me proteja pls- Eu disse com uma voz grossa,não é que eu estava mandando nela e sim, eu estava com medo disso acontecer denovo
deu a hora de subir, e esperamos a professora de história chegar

P.O.V Caroline

Tudo estava bem ultimamente, a sala toda estava animada para o trabalho, inclusive eu que já criava expectativas pra isso. Na quarta-feira haveria aula de história, portanto, saberiamos de tudo do trabalho (Carol: FINALMENTE) e as primeiras aulas passaram um pouco devagar. No lanche fomos pro cantinho fazer uns nada, o Felipe brotou e fez "cosquinhas" na barriga da Luiza sem motivo algum, ela caiu e ele continuou. Ele tentou fazer em mim, mas graças a Deus eu só tenho no pé e me livrei. Já a Luiza... continuou sofrendo com o que o Felipe fazia (Carol: ela diz que machuca, e machuca mesmo :c Lu: Machuca muito ;-;). 


 A Luiza se levantou e foi pra trás de mim, me fazendo de escudo humano (Carol: o q não é TOP!) até que o Andrew e o Alli (Carol: apelido do Allan q eu dei pq eu sou legal S2) chegaram e ela foi pra trás deles os empurrando pelos ombros na direção do Felipe.


-VOCÊS SERÃO OS MEUS ESCUDOS HUMANOS! -ela berrou tentando se salvar.


 O Gabriel foi e começou a fazer o mesmo com ela, tentei atrapalhar ele e o Alli fez o mesmo com o Felipe. Ela continuava atrás do Andrew (Carol: NÃO VOU NEM DIZER OQ EU PENSEI PQ A LUZIA SABE ( ͡° ͜ʖ ͡°)  Lu: .... sério?, ai ai, você e sua pequena mente, sua baka* faz carinho*   ) que não sabia o que fazer, os dois cercados por quatro pessoas com más intenções e ainda por cima altas.

 Luiza conseguiu fugir e foi pro banheiro, parei em frente a porta e a encarei.


-Eles já desistiram? -ela disse se aproximando.
-Uhum... - disse apontando pra porta.
-YEY! -ela saiu do banheiro cautelosamente e pisando pra fora, já se prendeu nas minhas costas.
-DE NOVO NÃO! ELE NEM AQUI TÁ!!! -eu disse tentando me livrar daquela situação.
-Me proteja pls-ela falou com a voz mais grossa como se tivesse ordenado, mas que audácia hein!

 Não teve outro jeito, ela ficou grudada nas minhas costas esperando a hora de subir, e assim que deu a hora, subimos para esperar a professora de história chegar (Caroline: e claro, com MUITAS expectativas pro trabalho... Aliás, todo mundo estava do mesmo jeito!).

P.O.V Luiza

A professora de história chegou, e ela começou a explicar o trabalho,ela falou que pode ser até em quatro ou três pessoas(Lu:Eu não lembro), era sobre os´´50 anos de Praia Grande´´, ela falou que tinhamos que escolher um ponto turistico da cidade,e escolher em fazer maquete, video, cartaz ou jogo. E então, era para trazer no dia da exposição, cujo vamos apresentar.

Eu e Carol, ficamos na dúvida em qual escolher, aa professora deu um prazo do que escolher até próxima semana. A gente saiu, a minha perua já estava lá, nós avisamos para ela sobre o trabalho e ela deu uma ideia de fazer o barquinho da Praça Lions ou um painel e então, eu fui para a minha van.

Na semana seguinte, avisamos para a prof, e claro, tinha um grupo que iria fazer um video do barquinho também, e a professora
estava tentando achar um grupo para o Caio e a Manu(Lu: Os alunos ´´especiais´´), eles não ficaram com a gente, e então fomos decidir
as nossas tarefas até que eu me lembrei de um pequeno detalhe:

-Pera, vai ser em qual casa?- Eu perguntei
-........
-........- Ficou um silêncio por um tempinho
-Eu não sei?, sei lá.Talvez a minha? Afinal, é um pouco longe para a minha mãe me levar e me buscar de ônibus.
-Então tá, vou falar com a minha mãe- Eu já estava imaginando como era sua casa(Lu: Ai ai, tantas expectativas)

Depois.

-Você pode trazer né?- Ela me perguntou
-Ok!, então eu trago a tinta e o isopor
-Ok. Eu.. não sei se vamos conseguir fazer isso direito
-Não se preocupe, eu vou ficar ao seu lado- Diz isso a calmando e levantando minha mão para fazer carinho em sua cabeça, até que ela falou...
-Mano... isso é muito yuri- Levantei minhas mãos ao alto rapido, com os olhos arregalados e mordendo meu labio,parecia que eu estava suando, porém estava tentando esquecer o fato que a 
Thabata gostava de mim ano passado.
-Nem a pau!- Falei e ela riu da minha cara, voltamos a discutir sobre o trabalho.

Cheguei em casa, e esperei minha mãe chegar na hora do almoço, eu falei com ela sobre isso, porém eu lembrei de uma coisa, ela e a mãe da Carol, Rute, não se conhecem ainda, ela falou que vai comprar a tinta e pegar o isopor na loja.Carol fazia o barco de papelão com a ajuda da sua mãe e me mandava foto, e eu ficava feliz.Ela imprimiu dois textos do barquinho onde a gente, estava organizando nossas falas, para não falar muito, porque né?, estávamos nervosas para a apresentação.

Foi quando minha mãe pediu o número da mãe dela, Carol acabou passando errado sem querer, pois minha mãe desconfiou muito, então as duas irão se conhecer amanhã. No dia dos namorados(Lu: Ai ai), e claro, eu estava nervoser, MUITO NERVOSER.Minha mãe me levou para a escola, estava com uma sacola com o isopor e a tinta, eu estava com meu celular na mochila e um carregador(Lu: Um celular que mesmo já caindo muito sem uma capa não quebrando, e dando vontade de tacar na parede, eu o amo, e um carregador, lixinho na época) ela falou que quando eu chegar na casa dela, pedir a senha do wifi(Lu; QUAL É A SENHA DO WIFI?) e a avisa-la que chegamos.

Carol e sua mãe chegaram, eu mostrei para a minha mãe elas, e sairmos do carro, Carol olhou minha mãe com uma cara, ela deve ter imaginado minha mãe muitooooo diferente(Lu: Como você imaginou a minha mãe? Carol: achei que ela fosse mais velha e mais parecida com você, de qualquer forma... Ela é legal :3), estávamos nervoser e nossas  mães estavam conversando sobre o trabalho, o portão abriu e demos tchau para elas e entramos.

P.O.V Caroline

A professora de história chegou, e ela começou a explicar o trabalho, ela falou que pode ser até em quatro ou três pessoas (Carol: mais ou menos isso, ou podia fazer sozinho) e o tema era "50 anos de Praia Grande", tínhamos que escolher um ponto turístico de Praia Grande. Podiamos escolher entre maquete, painel, vídeo ou um jogo. Tinhamos que levar no dia de exposição e assim, iriamos apresentar.


Ficamos com dúvida do que iriamos fazer, a professora deu o prazo até a semana seguinte para escolher o trabalho e decidir quem ia trazer o material, pra não ficar tudo bagunçado. Fomos embora pensando em como íamos fazer e quando chegamos a van da Luiza já tinha chego, eu chamei ela e contei do trabalho rapidinho pra minha mãe, ela preferiu uma maquete do Barquinho ou um painel, a Luiza foi pra van e falou que depois ia conversar sobre isso.

Na semana seguinte, avisamos a prof sobre o trabalho e soubemos que outro grupo ia fazer um vídeo do mesmo monumento e além disso, estavam tentando incluir o Caio e a Manu (Carol: os alunos "especiais" da sala) em um dos grupos. Eles não entraram no nosso grupo, e aí fomos decidir sobre quem ia levar o material.


-Pera, vai ser em qual casa? -a Luiza perguntou.
-................. -eu não sabia responder a isso.
-................. -o silêncio permaneceu.
-Eu não sei? Sei lá. Talvez a minha? Afinal, é um pouco longe para a minha mãe me levar e me buscar de ônibus -eu disse, iriamos pedir permissão pra minha mãe depois.
-Então tá, vou falar com a minha mãe -a Luiza respondeu.

Continuamos conversando sobre como nos organizariamos, e finalmente decidimos como iam ser as coisas: Luiza levava as tintas e o isopor e eu cuidava do monumento (Carol: construir e tals, e pensando nisso, eu peguei a parte mais difícil não é mesmo? Lu: ... talvez, eu não sei quanto tempo demorou pra vocês fazerem ele).


-Você pode trazer né? -eu falei pra Luiza.
-Ok! Então eu trago a tinta e o isopor -ela disse.
-Ok. Eu.. não sei se vamos conseguir fazer isso direito... -fiz carinha triste, porque era o primeiro trabalho difícil.
-Não se preocupe, eu vou ficar ao seu lado -ela disse tentando me acalmar e levantando sua mão para fazer carinho em minha cabeça até que eu disse...
-Mano... isso é muito yuri -ela levantou sua mão mais pra cima e me olhou com os olhos arregalados, eu devia ter dito isso? Sei lá, mas se shipparem a gente... VOCÊS MORREM!(Lu: *já se prepara com a faca-régua* eu sou rápida para correr quando a brincadeira é ´´pega-pega´´~~)
-Nem a pau! -ela falou e eu ri, voltamos ao rumo da conversa rapidamente pra Luiza não ficar sad.

Fomos pra casa e então, lembrei que a minha mãe não conhece a da Luiza. Juliana, se não me engano (Carol: não sabia o nome dela na época), elas tinham que se conhecer! Senão, como a Luiza ia lá pra casa fazer o trabalho e a mãe dela não saber quem é que mora aqui? Fizemos o barquinho depois de um tempo e mandei umas fotos pra Luiza, ela parecia feliz eu acho. Pelo menos ficou fofo, eu me motivava a continuar.


A Luiza pediu o número daqui de casa e eu errei o número e nem percebi, de qualquer forma elas iam se conhecer uma hora ou outra. A mãe da Luiza iria levar ela pra escola e Luiza ia ficar em casa, eu me levantei e fiz de sempre. Sai com minha mãe até a escola muito animada!

Minha mãe apontou pra um carro na porta da escola, a Luiza desceu e a mãe dela também, elas se cumprimentaram e a mãe da Luiza entregou o isopor e a tinta, eu olhei pra mãe da Luiza e estranhei , elas estavam conversando e o portão abriu, me despedi da minha mãe e fui pra sala.

 

 


Notas Finais


Bem, nunca me esquecerei disso...
Obrigada por verem a nossa fanfic e o favorito! We love our retardad family <3
Tentaremos postar mais após o Interclasse acabar( cujo começa próxima semana) ou no meio dele
Bye~~<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...