História Amor é só amor - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor Entre Mulheres, Amor Lésbico, Lesbianismo, Orgulho Gay
Visualizações 21
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Enjoy...

Capítulo 10 - Olhos azuis


Fanfic / Fanfiction Amor é só amor - Capítulo 10 - Olhos azuis

   Sophia entrou no salão do hotel de braço dado com Henry. As pessoas, naquela altura, já se acostumaram a ver os dois juntos e ninguém mais perguntava ou pensava que fossem um casal. Apenas primos com um nível altíssimo, para aquela gente que não costumava ter muitos amigos senão por interesse, de amizade.

   Avistaram Harry e Eugênia do outro lado do salão, conversando animadoramente com outro casal. 

   - Aqueles são Joner e Micaela... - Henry sussurrou. - Ele é um grande médico no hospital do vovô aqui em Nova York. 

   - Aí estão vocês! - Harry sussurrou quando os dois já estavam pertos o bastante.

   -Micaela, Joner, deixem-me apresentar Sophia, minha neta, a vocês... - Dona Maria Eugênia fez a apresentação e o casal a recebeu sobre uma cama de elogios, desde a cor de seu cabelo, até as unhas ornamentadas com pedras. 

   Foi quando Sophia colocou seus olhos sobre a pessoa mais bonita que já vira na vida. Corpo de modelo, alta magra e postura fina, modelados por um vestido que deveria ter o mesmo valor de sua casa no Brasil. Lábios grandes e rosados, cabelos loiros, como seus próprios, que caiam em grandes ondulações pela falta de tecido em suas costas e um olhar azul estonteante capaz de invadir os de Sophia e revirar seus pensamentos. 

   Grandes e lindos olhos azuis. 

   - Boa noite, pessoal... - Voz de atriz. - Acho que ainda não te conheço. - Falou diretamente para Sophia. - Sou Stella! - E sorriu um sorriso tão branco que poderia ser considerado o sonho de qualquer dentista. 

   - Sou Sophia... É um prazer te conhecer, Stella. - Cumprimentou e pôde ver um resquício de malícia impregnada no sorriso da garota enquanto seus profundos olhos invadiam os seus. 

   Em pouco tempo de conversa, Sophia descobriu que Stella era filha de Joner e Micaela. Orgulho dos pais, seguiria a mesma carreira deles e se formaria médica em alguns anos com residência e emprego garantidos no hospital de Harry.

   Eugênia também se vangloriou da neta que foi incentivada a mudar de curso e no fim, marcaram um jantar na primeira noite em Hamptons.

   - Acho que ela gostou de você... - Ouviu Henry dizer enquanto pegava duas bebidas da bandeja de um garçom. - Stella não é de ficar sorrindo muito para uma pessoa. 

   - Já conhecia ela? - Peerguntou aceitando a taça.

   - Stella é o objeto de desejo de quase todos os garotos desse salão, mas ela prefere as garotas. - Concluiu.

   Brindaram. Durante algum tempo, Sophia foi apresentada a uma lista infinita de pessoas e conheceu inclusive, a garota com quem Henry andava saindo. 

   - Vou voltar de Uber e você leva ela embora, ok? - Propôs e sem ser notada, retirou-se do salão. 

   Chamou o Uber pelo celular enquanto o elevador a levava para o térreo, passou por uma série de pessoas que conversavam animadamente pelo hall do hotel e desceu as escadarias de entrada.

    Parou na calçada, o carro ainda não chegara, porém, foi surpreendida quando uma Ferrari preta conversível estacionou bem na sua frente e grandes olhos azuis a encararam. 

   - Precisa de uma carona? - Stella perguntou.

   - Henry saiu com alguém... - Explicou.

   - Então hoje é seu dia de sorte, bebê. - Sophia não pensou duas vezes antes de entrar no carro e nem para onde estavam indo quando desviaram do caminho de casa.

   No fim das contas, Stella a levou para sua própria casa e serviu-lhe uma taça de Martini enquanto jogava seus saltos em qualquer canto da sala. Sophia não demorou a livrar-se dos seus também.

   - Você pode me ajudar? Esse vestido está me incomodando... - E virou-se, pedindo para que Sophia abrisse o zíper. 

   Cuidadosamente, pousou sua mão na cintura de Stella e abaixou o zíper que a prendia no vestido até o início de seu bum bum. A garota deixou o vestido cair e o deixou sobre o tapete. 

   Sophia a encarou por inteira. Stella era pura perfeição. Vestia uma lingerie de cor vinho, com pequenas pedrinhas em formato de flores, sutiã tomara que caia que deixava seu colo liso amostra e uma calcinha duplo-fio que emoldurava perfeitamente sua bunda.

   Brindaram e Stella se aproximou de Sophia sem dizer nada. Estendeu a mão e abaixou o zíper lateral do vestido, que como não necessitava de sutiã por baixo, deixou Sophia coberta apenas por uma pequena calcinha. 

   - Porque eu não te conheci antes? - Perguntou mais para sí mesma e tirou a taça de Sophia, pousando-a sobre a mesinha de centro. 

   Sophia não esperou a garota agir e a beijou. Stella por sua vez a empurrou para o sofá e sentou em seu colo.

   As duas travaram uma batalha épica com a língua na boca uma da outra. Sophia explorou cada centímetro do corpo de Stella, se excitando facilmente. 

   A deitou de costas no sofá e deitou com o seu corpo sobre o da garota. Beijou todo seu corpo, fazendo uma trilha de beijos até sua virilha. 

   Stella virou, deixando-a por baixo a sem mais enrolar, puxou sua calcinha para o lado e usou sua língua para lhe dar prazer.


***


   Sophia acordou e a primeira coisa que viu a fez reviver lembranças. 

   Se Roberta a lembrava uma antiga guerreira celta, Stella era ao contrário. Lembrava-lhe algum tipo de deusa, Aphrodite para ser exata. 

   Estava deitada de bruços, nua sobre sua cama, o lençol cobrindo apenas o bum-bum. Pela janela, entrava um feixe de luz que iluminava suas costas nuas. 

   Depositou beijos delicados ao longo da pele exposta, acordando-a lentamente.

   Observou seu perfil delicado, nariz arrebitado, lábios grossos e bem desenhados. Beijou seu rosto e a garota sorriu ainda de olhos fechados.

   - Bom dia... - Sophia sussurrou em seu ouvido.

   Stella se virou e ficou de frente para Sophia ainda sorrindo. Abriu os olhos que contrastavam absurdamente com seus cabelos loiros e sua pele alva. Sentia-se inebriada por sua beleza.

   - Bom dia... - A garota sussurrou de volta e puxou a cabeça de Sophia para perto, iniciando um beijo. 

   As duas foram para o banho. Deixaram a água quente da grande ducha cair sobre seus corpos enquanto trocavam beijos e carícias.

   - Quer um cigarro? - Stella ofereceu observando Sophia vestida apenas por uma calcinha e uma camisa sua emprestada. 

   - Você fuma? - Estranhou, Stella não tinha cara e nem dentes de fumante.

   - Depois de um bom sexo... - Riu se juntando a Sophia no parapeito da janela.

   Acendeu o cigarro e as duas dividiram.

   Stella sentia uma estranha sensação boa ao lado de Sophia. Jogou a bituca no lixo, pegou sua câmera profissional e bateu uma foto da garota alí, observando o cenário que se desenrolava do lado de fora do prédio.


Notas Finais


Pessoal... Venho encarecidamente pedir que comentem sobre o que estão pensando da história... Isso me motiva muito a escrever e também sempre me dá novas ideias para os próximos capítulos! Obrigada pessoal!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...