História Amor é tudo que nós pensávamos que não era. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 23
Palavras 1.817
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse da foto é o William... desculpem os erros e boa leitura.

Capítulo 2 - Beijo milagroso.


Fanfic / Fanfiction Amor é tudo que nós pensávamos que não era. - Capítulo 2 - Beijo milagroso.

Cheguei sedo na escola e resolvi sentar com meus amigos no lugar de sempre. Rodrigo e alicia ainda não tinham chegado. 

 

 

--Nosso plano ainda esta de pé. - pergunto me sentando ao lado do William de frente para Iasmin e Michelle.  

 

 

--sim, mas alicia não pode saber. Se não ela conta para ele. - responde Iasmin. 

 

 

--To tão curioso. - digo. 

 

 

--Oque será que aconteceu com o Rodrigo? - Fala Michelle apos um tempo em silencio. 

 

 

--Ouvi meu nome. - diz ele chegando com alicia. 

 

 

--Bom dia. -Falo o fitando. 

 

 

--Bom dia. - Fala alicia me dando um beijo no rosto. 

 

 

-- Quando for falar de mim, me chame! Adoro falar de coisas maravilhosas. - responde rodrigo. 

 

 

--Vou ficar quieta porque hoje é seu aniversario. - diz Iasmin. 

 

 

 --Chris posso falar com você. - Escuto Isaac falando atras de mim. 

 

 

--Claro pode falar. -respondo olhando para ele. 

 

 

--É particular. - Ele fala desviando o olhar. 

 

 

Me levanto e vou com ele até uma arvore próximo dali. 

 

 

--Fala. - digo cruzando os braços. 

 

 

--Eu queria pedir desculpas por ontem. -Pede ele. 

 

 

--De boa só não me beija mais daquele jeito okay. - Aviso. 

 

 

--Quer sentar com a gente? - pergunto.  

 

 

Ele concorda, e nos voltamos para a mesa, onde eu apresento ele para meus amigos. Eles engataram em uma conversa enquanto ele conversava com a Vanessa por mensagem. 

 

 

--Quando eu vejo algo sexy eu babo. - diz Michelle chamando minha atenção para a conversa alheia. 

 

 

--Eu paro e analiso em camera lenta. - diz alicia rindo. 

 

 

--E você Rodrigo? -pergunta Isaac. 

 

 

--Geralmente quando eu vejo alguém extremamente sexy...eu olho. Eu sorrio e quando canso saio da frente do espelho. - diz rodrigo com sua simplicidade. 

 

 

--A humildade mandou respeito. - respondo. 

 

 

--Oque você quer de presente? - Pergunta Isaac mudando de assunto. Pelo oque eu entendi Rodrigo convidou ele para a festa.  

 

 

 --Dinheiro, muito dinheiro. - Fala rodrigo exasperado. 

 

 

 

--Dinheiro não é tudo Rodrigo. - Retruca Michelle. 

 

 

 

--Eu não quero tudo. Só quero o dinheiro. - responde rodrigo. 

 

 

 

Sinto um aperto em minha coxa, abaixei o olhar vendo a mão de Isaac apalpando a mesma. Retiro a mão dele rapidamente sem deixar meus amigos verem.  Mas ele bota de novo e num lugar bem especifico, olho para ele com cara de bravo, mas não adianta. Só levou ele a dar um sorriso inocente e aperta meu membro, sem querer deixo escapar um gemido por meus lábios, oque resulta no silencio de todos na mesa e atenção para mim. Um tempo me encarando eles começaram a rir da minha cara de assustado menos William.  

 

 

--Cara o que foi isso? - pergunta alicia entre o riso. 

 

 

--E-Eu estava só brincando. - respondo gaguejando enquanto tirava a mão dele e segura para ele não ousar fazer isso de novo. 

 

 

 --Chris você esqueceu sua jaqueta la em casa ontem. - Fala vanessa chegando. 

 

 

--Ah eu tava procurando ela hoje. - respondo soltando a mão de Isaac e pegando minha jaqueta. 

 

 

 

--O professor Yuri volto, eu vi ele na secretaria. - diz ela sorrindo. 

 

 

Alicia olhou com preocupação para Rodrigo que se levantou abruptamente, ele ia passando pela vanessa, mas ele para e olha firme em seus olhos. 

 

 

 --Ta rindo do que? Odeio pessoa felizes logo de manhã. - diz ele seguindo seu caminho esbarrando no ombro dela. 

 

 

--Oque deu nele? - Pergunto me levantando e ficando ao lado da vanessa. 

 

 

--Ele ta passando por um momento difícil. - responde alicia. 

 

 

 --Ta mais precisa tratar ela assim sempre que ela chega. - pergunto indignado. 

 

 

 --Eu só queria que ele me respeitasse. - diz vanessa com a voz triste. 

 

 

 --Quer respeito vai para a índia la vaca é sagrada. - Diz rodrigo num tom ríspido pegando sua mochila. 

 

 

 --Cara é serio ou você gosta dela, ou ela te fez alguma coisa para você odiar tanto ela. - digo de saco cheio já. 

 

 

 --Primeiramente ela nasceu. Segundamente ela me beijou naquela festa que teve na casa da Michelle, onde vocês ficaram todos loucos, se fosse só um beijo eu entenderia, porquê ela tava meia bêbada, mas ela tirou a roupa e enfio a mão dentro da minha calça se eu quisesse eu poderia ir até o fim e você nem ia saber, mas eu sou seu amigo, e não gosto dela desse jeito. De nenhum jeito na verdade. -Ele falou tudo de uma vez, enquanto os outros estavam em silencio. 

 

 

 

 --Isso é verdade Vanessa? - pergunto olhando para ela, que tinha seus olhos cheio de lagrimas. 

 

 

Ela se afasta de mim e para na frente dele, eles ficam se encarando por alguns segundos até ela dar um tapa bem forte em seu rosto o fazendo virar para o outro lado.  

 

 

 

 --Me desculpa Chris, eu tentei, eu juro, mas não é você que eu amo é ele, é esse idiota que não aguentou perde a pessoa que ele ama e começou a ferir as pessoas próximas a si, vou deixar bem claro Rodrigo, meu coração foi o único que aceitou você com todos esses defeitos, vai chegar um dia que nem sua irmã ira te amar mais. Acho melhor você começar a aceitar oque eu sinto por você, porque logo será a única coisa que você terá. - Vanessa termina de falar e sai deixando um clima bem pesado. 

 

 

 

 --Desculpa Chris, eu sei que você gostava dela. - Pede Rodrigo logo saindo. 

 

 

 

--Tenso. - Fala Isaac. 

 

 

 

--Não fica triste Chris, logo você arruma uma namorada que goste realmente de você. - Fala Michelle fazendo um carinho em minhas costas. 

 

 

 

 --Vou para a sala. -Digo sem deixar eles responderem. 

 

 

 

Andei o mais rápido que consegui para o banheiro, entrei em uma cabine e me sentei em sima da tampa do vaso, em questão de segundos meu rosto estava encharcado. Eu nem tinha percebido que estava chorando até o barulho dos soluços me assustarem, usei a manga do meu moletom para tentar abafar os soluços, mas foi em vão. Duas batidas na porta me deixaram ainda mais assustado eu não queria que ninguém me visse chorar. 

 

 

 

--Sou eu William, abra a porta. -diz ele. 

 

 

 

Abro puxando ele rapidamente para dentro e fechando a porta logo em seguida. Eu não conseguia olhar para ele era vergonhoso. 

 

 

 

 --Chris não fica assim. -Pede ele me puxando para um abraço. 

 

 

 

Eu não deveria ter retribuído o abraço, mas eu o fiz, envolvi os braços em volta de sua cintura e abafei meus soluços em seu peito.  

 

 

 

 

--Qual é o meu problema. - pergunto. 

 

 

 

--Nenhum, é normal você chorar quando termina com alguém. - responde William. 

 

 

 

 

--Esse é o problema. Eu to chorando é de alivio. Eu to aliviado que foi ela que terminou, depois daquele beijo que o Isaac me deu ontem só serviu para me deixar confuso, oque eu vou dizer para o meu pai? Como é ficar de verdade com um rapaz? Será que dói muito? Eu nunca fiz sexo anal em garota nenhuma se eu fizer algo de errado ou me atrapalhar ele rir de mim. Droga oque eu faço. - Entro em pânico me afastando dele. 

 

 

 --Chris você precisa se acalmar. - Escuto ele dizendo oque me deixa mais nervoso, ao ponto de não conseguir respirar. 

 

 

--Me ajuda. - Peço sentindo minhas pernas falharem. - Eu não consigo respirar. - digo com dificuldade. 

 

 

Ele me segura, e sem hesitar me beija, uau que boca macia isso não é normal não, se eu soubesse que era tão bom já teria beijado antes. Foi um simples roçar de lábios, mas deixou meu corpo muito estranho. 

 

 

 

 --Nossa oque foi isso? - Pergunto assim que nos separemos. 

 

 

 

--Você estava tendo um ataque de pânico, e quando eu te beijei você segurou a respiração. Isso distraiu você e te trouxe de volta. - responde ele. 

 

 

 

 

 --Obrigado. -Agradeço meio envergonhado.  

 

 

 

--É.…Você é gay?- pergunto curioso. 

 

 

 

--Você é? - responde ele com outra pergunta. 

 

 

 

 --Ei, eu perguntei primeiro. - Retruco. 

 

 

 

--Já começou a aula vamos. - diz ele com um sorriso pequeno nos lábios. 

 

 

 

--Eu vou depois...- respondo com minhas bochechas avermelhadas. 

 

 

 

--Ué, porque? -Pergunta ele confuso. 

 

 

 

--N-Nada de mais. - digo tentando esconder minha ereção com o moletom. Oque foi em vão. 

 

 

 

--Pera ia, você ficou excitado só com aquele simples beijo? - ele pergunta segurando o riso. 

 

 

 

--Não ri ta. Reclamo mais envergonhado que antes. 

 

 

 

--Imagina se eu te beijasse de verdade, você iria ter orgasmo duplo. -diz ele. 

 

 

 

 --Serio? - pergunto curioso. 

 

 

 

--Serio...-afirma ele. 

 

 

 

--Oque você ta esperando. - pergunto brincando, mas querendo que ele me beijasse de verdade. 

 

 

 

 

--Eu sou difícil. - diz ele. - to indo, não demora ta e se for pensar em mim imagina eu te dominando. - Ele fala perto do meu ouvindo. 

 

 

 

 

 --idiota. -Retruco rindo enquanto ele sai. - Oque ta acontecendo comigo? - Pergunto para mim mesmo. 

 

 

 

 

 

******************************************************************************************************************************************************************** 

 

A festa rolava la em baixo, Rodrigo estava falando com uns amigos que eu não conhecia, Alicia tinha ido ver o tal namorado, ela disse que chegaria mais tarde. Os pais deles estavam viajando.  

 

 

 

--Acharam alguma coisa? - pergunto foleando alguns livros. 

 

 

 

--Eu achei o Diário dele.- fala Isaac mostrando para nos. 

 

 

 --Não gente isso é muito pessoal. - Fala Michelle. 

 

 

 

--Também acho. - Concorda William. 

 

 

--Onde vocês acham que vão encontrar vestígio da pessoa que magoou ele. - diz Isaac foleando o Diário. 

 

 

 --O diário não.- digo tirando o diário da mão dele e deixando cair no chão. 

 

 

 

Quando peguei vi uma metade de uma foto, abri na pagina onde estava a mesma. Comecei a ler em voz alta oque estava escrito. Deixando meus amigos no mesmo estado que eu. 

 

 

 

 "Às vezes eu odeio cada palavra estúpida que você diz, às vezes eu quero bater na sua cara, Não há ninguém como você, você me leva ao limite, eu sei que a vida seria um saco sem você... sinceramente você é a pessoa que mais me irrita e você sabe disso. Mas também é a pessoa que mais me faz feliz. Só que ao mesmo tempo em que quero te abraçar, eu quero colocar minhas mãos em volta do seu pescoço. (você não faz ideia do quanto eu quero te abraçar.) Você é um babaca mas eu te amo...amo muito você me deixa tão louco, que eu pergunto a mim mesmo. Por que eu ainda estou aqui, se você nem tem ideia do que eu sinto por você. Mas onde eu poderia ir? 
Você é o único amor que eu conheci. 

 

 

Hoje vou te dizer a verdade. Espero que você me entenda e não me afaste." 

 

 

 

Atras da foto estava escrito..."eu te odeio. Eu realmente te odeio, muito, ninguém mais consegue partir meu coração como você, Isso deve ser amor verdadeiro (eu te amo) … Se você voltar por favor, pelo menos uma vez tente envolver o seu pequeno cérebro em meus sentimentos. Apenas uma vez tente não ser tão malvado... 
 
 

 

--Foi o professor Yuri. - digo surpreso olhando a foto do nosso professor de Matemática. 


Notas Finais


Ate o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...