História Amor no passado - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Godric Gryffindor, Hermione Granger
Visualizações 19
Palavras 1.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 11 - Cap. XI


POV Salazar

- Não é dá sua conta a minha reputação senhor Sonserina e mesmo se fosse eu não ligaria, não é como se eu fosse ficar muito mais tempo nessa época – os elfos nos deixaram a sós e sua postura firme e linda não vacilou, mas pelo menos ela estava falando comigo – agora se me der licença eu tenho um encontro...

Quando ela disse isso, senti meu rosto ficar vermelho e minha raiva subiu alimentada por todo o uísque que eu bebi. Com duas longas passadas involuntárias ou voluntarias eu estava na frente dela.

- Eu não vou deixar nenhum homem aleatório levar de mim o que é meu! – antes que ela pudesse protestar a beijei...meus lábios encontraram os dela que eram tão macios quanto eu imaginei...meus braços se enrolaram em sua cintura fina e meu corpo maior logo encobria o dela, quando a apoiei em uma parede...ela se derreteu com meus beijos, como se estivesse sedenta por eles

- Me diga que não sente isso – pontuei minhas palavras alternando beijos forte e leves em seu longo e delicado pescoço – me diga que não me quer como eu te quero...me diga que não me deseja como eu te desejo e eu paro.

Ela me olhou sem folego com os olhos vidrados de desejo e por um instante temi que ela me rejeitasse, mesmo que eu merecesse uma rejeição.

- Sim eu sinto isso, eu te quero, te desejo – ela me beijou tentando usar sua boca para mostrar seu desejo...usei minha capacidade de aparatar dentro dos terrenos de Hogwarts, por ser um fundador e em um instante estávamos nos meus aposentos...me afastei com muita relutância.

- Você quer isso também? – perguntei sem acreditar na sorte que teria...ela nos meus braços, eu estava perdoado e poderia ter o meu felizes para sempre.

- Sim, então pare de falar – rapidamente nos despimos...cada pedaço dela alimentava o meu desejo, a eternidade não seria suficiente para ter o suficiente dela...e enquanto a noite se seguia eu a amei tentando mostrar em cada gesto a extensão do quanto eu a queria, a desejava...meu ultimo pensamento, após ambos nos aconchegarmos nos meus lençóis verdes, era que eu nunca estive tão feliz, adormecendo com ela nos meus braços.

 

POV Hermione

Saímos do salão depois de nos despedirmos de todos, ou quase todos minha prima sorria feliz enquanto dançava com Malfoy...deixei meus olhos vagarem até Sonserina e o ódio em seus olhos era imenso...percebi o quanto ele estava bebendo e preocupei, não quero que ele a machuque novamente...sentindo minha inquietação Godric soube exatamente o que dizer e fazer para me acalmar.

- Não se preocupe amor, se ela finalmente o enfeitiçar será bem merecido – ele me beijou de leve – agora vamos que é o nosso momento a sós, senhora Grinfinória e pretendo aproveitar cada momento que estivermos juntos.

Ele me pegou nos seus braços e nos aparatou para seus, não...para os nossos aposentos...me colocou na grande cama coberta com uma macia colcha vermelha e pétalas vermelhas e douradas de rosas e me beijou...seu beijo era forte e possessivo...parecia existir uma intensa fome por trás dele e me senti retribuindo com o mesmo fervor...sem paciência para me despir ele usou um feitiço de corte para abrir a parte de trás do meu vestido.

- Hei! – protestei com um gemido fraco, quando ele beijou um ponto sensível atrás do meu pescoço.

- Eu conserto depois amor – rapidamente terminamos de nos despir e logo éramos um...foi a perfeição...foi mágico e eu soube que eu realmente nunca encontraria nada assim em lugar algum porque eu era dele e ele era meu.

 

POV Serena

Acordei dolorida e cansada...braços forte me prendiam com força a um peito bem construído, nem muito musculoso, mas não magrelo...e por um instante tive medo de que quando tudo isso fosse um sonho. Estar com ele foi mágico, como se eu esperasse por isso a mina vida toda por isso e estar com medo era enervante de certa forma. Ele ia acordar e se arrepender? Ou ele ia acordar e o sonho continuaria? Aconcheguei-me e esperei, se isso fosse um sonho que ele acabasse o nomeado como um erro de bêbado, acabaria por fim quebrando meu coração para sempre...mesmo sendo dramático eu não conseguiria sobreviver a mais uma cena de desprezo daquele que deveria ser perfeito para mim.

 

POV Salazar

Acordei com algo quente nos meus braços e um cheiro doce misturado ao cheiro de sexo...eu estava com ela, com a minha Serena...mas será que ela achará que isso foi um erro? Que a conexão que tivemos não é forte o suficiente? Minha respiração engatou e a apertei mais firme em meus braços...espero que isso não seja um sonho, do qual eu terei que acordar para lidar com o seu desprezo pelo meu comportamento atroz...espero que mesmo em meu odioso momento de acusações estando bêbado eu possa ter dito a ela as palavras que me custar expressar, palavras que expressam o furacão de emoções que só ela pode me fazer sentir. A sinto se mexer e logo ela se vira, seus olhos de encontro ao meu, mas ainda em meus braços.

 

POV Godric

Acordo com minha esposa nos meus braços...minha família agora não se resume somente aos meus amigos, minha família agora abrange a minha esposa e meus futuros filhos...acordei com um intenso sentimento de felicidade. Por muito tempo eu fui o ultimo da linha Grinfinória, com a doença ou disputas mesquinhas levando todos os outros, agora não estou mais sozinho no mundo.

Observo minha esposa dormir, ela é como um gatinho recém nascido de tão pequena, perto de mim, mas parece um anjo da perdição deitada com somente o lençol a cobrindo...consigo ver em seu pescoço e ombros as marcas dos meus beijos e o arranhado da minha barba...devo me sentir mal, mas é como se eu a tivesse marcado como minha...minhas costas ardem e sei que ela também me marcou como dela, meu gatinho tem garras, mas não me importo, por que nesse momento seus olhos se abrem delicadamente em confusão e outra parte minha acorda pedindo atenção...não ligo, pois no momento só quero adorar o sol do meu mundo, minha esposa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...