História Andraka - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bruxos, Guerra, Lobisomens, Princesa, Reino, Vampiros
Visualizações 1
Palavras 1.971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - O festival


 Eu estava nervosa esperando que a hora chegasse e que o festival começasse, faltava pouco tempo para que a Margaret viesse me arrumar para irmos para o festival, eu havia passado a noite toda pensando, eu precisava dar um jeito de sair de perto da minha mãe, já havia planejado tudo, eu iria abrir os festivais junto com a mãe que com certeza iria propor que fosse passear junto com Henrique, depois disso seria fácil se livrar dele e ir para junto de Otávio, que estaria a esperando junto com minha armadura para juntos irmos para os jogos.

 Eu deixei meus pensamentos voarem livres mais um pouco antes de ouvir batidas na porta, era Margaret, a moça abriu a porta, fiz um sinal para que ela entrasse.

          Betânia- Bom dia Margaret.

          Margaret- Bom dia princesa, eu vim ajuda - lá a se vestir para o festival.

          Betânia- Sim, sim.... Eu gostaria de usar meu vestido vermelho com bordados dourados nas mangas, junto com meus sapatos pretos e luvas pretas, o que acha?

         Margaret- Tenho certeza que vai ficar ótimo, vou pegar as coisas, a propósito a rainha disse o príncipe Henrique vira para conhece-la, irei preparar seu banho, e irei buscar sua nova coroa que a rainha mandou fazer.

         Betânia- A Tudo bem, então eu irei me banhar.

 Margaret preparou o banho e arrumou minhas roupas, sai da banheira e sou ajudada pela moça a colocar minhas roupa, me sento de frente para a penteadeira, e enquanto escova meus cabelos a serviçal vai buscar a nova coroa, quando volta me ajuda a prender meu cabelo em um coque alto e bem firme e coloca a coroa.

         Betânia- Margaret, você sempre me ajuda não é mesmo?

         Margaret- Sempre que consigo princesa -Diz a moça arrumando a parte de baixo do vestido- Mas posso perguntar o motivo disse senhorita?

          Betânia- Margaret... -digo pegando nas mãos da moça e a deixando de pé novamente- Você tem sido ótima para mim, me ajuda sempre que possível mesmo arriscando sua vida por isso, eu quero que saiba que não te considero somente uma serviçal, para mim é uma amiga e quero me considere uma também.

          Margaret- Fico muito lisonjeada com isso princesa -a moça sorri e abaixa a cabeça- Sem querer ser desrespeitosa mas já lhe considerava uma depois "daquilo".

           Betânia- Sim, eu fico muito feliz em saber disso, Margaret tenho uma coisa a pedir a você.

           Margaret- O que ordenar majestade.

           Betânia- Eu irei propor a minha mãe que eu e o príncipe Henrique passemos o festival juntos, mas eu precisarei despista - lo por um tempo e quero sua ajuda.

           Margaret- Claro princesa, o que eu devo fazer?

           Betânia- Eu irei te emprestar um de meus vestidos e quero que se passe por mim.

          Margaret- C-como??

          Betânia- Quero que troquemos de papéis ao encontra-lo, eu planejei tudo já, você irá fingir ser eu e eu serei você, você me ajudará?

           Margaret- Princesa se formos pegas eu serei morta...

           Betânia- Não seremos pegas, por favor Margaret, não irei força-la mas quero que saiba que isso é realmente importante para mim – Eu puxo a moça para perto da cama sentando-me e pedindo que ela faça o mesmo- Margaret meu pai foi morto por um soldado, e desde então venho treinando para achar o assassino e vingar a morte dele, é por isso que preciso que se passe por mim, pois irei participar dos jogos dos festivais...

          Margaret- MEU DEUS -a moça coloca as mãos no rosto assustada- Princesa isso é proibido, sabe que mulheres não podem participar dos jogos e ainda mais a princesa.

          Betânia- Sei, é por isso que preciso de você, eu usarei uma armadura não iram me ver e com você se passando por mim aumentam as minhas chances de não ser pega.

          Margaret- Eu irei ajuda-la senhorita.

          Betânia- Obrigada -digo sorrindo e a abraçando- A propósito, pode me chamar de Betânia quando estivermos sozinhas Margaret.

          Margaret- Tudo bem, Betânia -sorri docemente.

 Depois vou ao encontro de minha mãe que me informou que logo o príncipe chegaria.

        Betânia- Minha mãe, eu tenho uma ideia, eu irei esperar o príncipe no jardim, quando ele chegar peça que ele vá me encontrar na fonte.

        Anna- Mas nem pensar Betânia, você sabe muito bem que tem que esperar pelo príncipe, você deve causar uma boa impressão.

       Betânia- Sei muito bem, é por isso que irei esperar ele no jardim, todas as princesas esperam ansiosas pelos príncipes, mas eu serei diferente, eu serei enigmática -digo sorrindo olhando para a mãe com um olhar malicioso- Ele irá ficar ansioso para me conhecer.

        Anna- Até que não é uma ideia ruim minha filha, faça isso mesmo espere por lá, mandarei que a serviçal o leve até lá.

        Betânia- Não! Pode deixar que quando ele chegar Margaret irá busca-lo na fonte e levar ele até o jardim.

        Anna- Tudo bem então, espero que não esteja aprontando Betânia, saiba que é extremamente importante que ele fique encantado com você.

  Eu concordo e vou junto de Margaret até o jardim, visto a moça e coloco minha antiga coroa nela que se senta em meio às flores esperando ansiosamente para chegada do príncipe. Depois vou até outra serva e digo que traga o príncipe até a fonte quando ele chegar e avise a rainha que eles iriam juntos mais tarde para o festival.

 Após algum tempo a serva loira e baixa, entre os 53 anos atrás um moço loiro, alto, com belos olhos azuis e um belo e forte físico para a fonte, depois dela sair respiro fundo tiro a coroa e vou indo ao encontro do jovem.

     Betânia- Olá. Senhor. -Eu falo pausadamente e meio sem jeito- A princesa me pediu para levar vossa majestade até ela.

        Henrique- A Tudo bem -Ele dá um sorriso.

  (Afinal mesmo sendo quem é ele é bonito, mas sei que não passa disso, um rostinho bonito por fora e podre por dentro.)

        Betânia- É por aqui.

  Eu vou na frente seguida pelo príncipe, ele me faz perguntas sobre o reino e a família real, ele me pergunta sobre meu pai e sobre mim mesma o que me deixa meio nervosa, tento responder do melhor jeito possível. Alguns minutos depois eu chego até o jardim onde vejo Margaret, ele se aproxima dela sorrindo, ela me olha e sorri para ele, parecia meio perdida então decido ajuda - la.

             Betânia- Princesa Betânia esse é príncipe Henrique, eu já falei com a rainha Anna e já pedi para que arrumassem a carruagem para vocês irem depois para o festival.

             Margaret- Obrigada Margaret...

             Henrique- Princesa Betânia, é um imenso prazer conhecer a senhorita -Ele beija a mão dela e se curva- Vejo que os boatos são verdadeiros, de fato é belíssima se me permite dizer.

              Margaret- Fico lisonjeada majestade.

              Henrique- Não tem necessidade de me chamar assim, pode me chamar de Henrique somente.

              Margaret- Como preferir Henrique -pela primeira vez ela levanta um pouco a cabeça, mas continua mantendo os olhos no chão.

 Depois disso eu faço um sinal para ela e me retiro, eu corro até o estábulo e pego meu cavalo Trovan, ele era negro e tinha um pelo brilhoso e grosso, eu monto nele colocando minha capa bordo e cavalgo até a entrada da cidade, desço de Trovan e me encontro com Otávio.

          Otávio- Beti! Rápido vem aqui, você tem que ir junto com sua mãe para abrirem o festival.

          Betânia- Sim, eu irei, pode levar o Trovan para dentro do estábulo por favor?

          Otávio- Claro.

 Eu entro na cidade e vou até o palco onde minha mãe estava junto com a rainha do reino de Henrique, passo pelos guardas e vou ao encontro de minha mãe já pensando em uma desculpa para a ausência de Henrique.

          Anna- Betânia, minha filha essa é a rainha Adriana, uma grande amiga minha.

          Betânia- É um imenso prazer conhece-la rainha -me curvo levemente- Sou a princesa Betânia.

          Adriana- Eu fico imensamente feliz em conhecer a senhorita, se me permite dizer é tão linda quanto dizem -notando a falta de seu filho- Mas... Onde está Henrique? Achei que ele viria com você...

          Betânia- Ele veio sim, mas infelizmente ouve um imprevisto, a carruagem quebrou e tive que vir sozinha, ele disse que ficaria lá esperando a carruagem estar pronta.

          Adriana- Mas que estranho... Henrique com toda certeza teria vindo cavalgando também, afinal é ótimo montando.

         Betânia- Sim, ele até se ofereceu para vir mas eu pedi que esperasse até a carruagem ficar pronta afinal o cocheiro já é velho e é perigoso ficar sozinho na estrada.

         Anna- Não deveria deixar o príncipe assim Betânia!

         Betânia- Sim, mas achei que eu deveria estar presente na abertura do festival principalmente depois da morte de meu pai.

         Anna- É... de certa forma fez bem, venha, vou dar início ao festival.

  Eu vou até o palco junto com minha mãe, ela faz um breve discurso e depois passa a palavra para mim.

         Betânia- Eu princesa Betânia Barrow tenho muito gosto em dar início ao primeiro festival após a morte do rei Leônidas, sei que o muitos de vocês ainda sofrem pela morte de meu pai, mas quero que tenham certeza que um dia meu pai será vingado, eu um dia irei me casar e meu marido irá herdar o lugar dele, darei meu melhor para ser uma boa governante até lá, quero que todos aproveitem o festival e se divirtam imensamente.

        Anna- Não foi nada mal seu primeiro discurso minha filha, mas não precisava falar sobre a morte de seu pai.

      Betânia- Errado minha mãe, precisava sim, a morte de meu não será esquecida um dia se quer, até que eu veja o assassino aos meus pés, morto e se afogando em seu próprio sangue.

       Anna- BETÂNIA!

 Lhe dou um sorriso e saio com o pretexto de encontrar o príncipe, depois vou de encontro a Otávio, que me esperava com armadura em mãos, eu pego o saco e ele me puxa pelo braço até o estábulo.

            Otávio- Aqui estamos sozinhos Beti, temos bastante tempo até os jogos começarem, mas me diga como se livrou do príncipe?

            Betânia- Margaret está no meu lugar, eu pedi ao cocheiro que mentisse que a carruagem havia quebrado, Margaret logo vira para cá e deixará o príncipe, depois eu irei explicar pra ela o resto do plano, eles iram passear por algum lugar, de maneira alguma eles podem vir para a cidade.

            Otávio- Bom plano Beti, bom temos bastante tempo ainda quer dar uma volta comigo pelo festival?

            Betânia- Mas alguém pode me reconhecer.

            Otávio- Então vamos apenas esperar aqui?

            Betânia- Acho que é o jeito.

            Otávio- Bom então vamos aproveitar -ele se aproxima me puxando pela cintura e me olhando de maneira muito intensa- Afinal temos tempo suficiente...

Betânia- Não Otávio -digo me empurrando- Você não vai fazer isso comigo novamente... Me diga Otávio, por qual motivo estava com ela?

            Otávio- Beti, eu posso te contar, mas você não irá acreditar, pelo menos ainda não...

            Betânia- Tente Otávio.

  Otávio me puxa novamente e me olha nos olhos, sinto seu olhar pesar em minha alma o que me deixa gelada.

             Otávio- Eu irei te contar tudo, mas não ainda Betânia, é um dia muito importante e você não deveria ficar tensa em um dia como esse.

             Betânia- Eu sei Otávio mas eu não consigo parar de pensar nisso...

              Otávio- Eu só tenho interesse em uma pessoa Betânia... Você, embora não possa ficar com você no final das contas.

  Ele me beija intensamente, me deita lentamente em um punhado de feno, eu começo a ficar corada mas não paro de o beijar, ele sobe suas mãos da minha cintura até o pescoço, passando gentilmente seus dedos pelo meu cabelo e pescoço, ele começa a soltar o peso de seu corpo em cima do meu, que ainda estava deitada sobre o feno.


Notas Finais


Pessoal, gostaria muito de saber o que vcs estão achando da historia, espero muito que estejam gostando de Andraka, bjos e até o proximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...