História Antes De Eu Partir - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 92
Palavras 2.473
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu finalmente voltei e agora tenho capítulos sobrando pra postar \\o/
A atualização será toda terça-feira ♥
Eu espero que, os poucos qque estão lendo, gostem ♥

Capítulo 6 - Festa!


Ir em uma festa nas minhas atuais condições não era a melhor das ideias, e eu sabia disso, assim como meus  pais. Porém o que todos nós concordávamos era que eu precisava me distrair, além do fato de que todos os meus amigos estariam presentes, e Taehyung e Jungkook prometeram que iriam tomar conta de mim, mesmo que o último citado não entendesse bem o motivo de eu precisar de sua assistência.

Me arrumei da melhor maneira que eu pude, vestindo uma calça jeans preta e uma camisa roxa. Arrumei meu cabelo, me enchi de perfume e ainda precisei de maquiagem para poder tirar um pouco dessa imagem horrível que estava em meu rosto.

Jungkook me chamou do lado de fora do quarto e eu apenas disse para ele entrar.

- Wow! – Exclamou ele, me olhando de cima a baixo. – Eu vou ter que ficar grudado em você caso não queira um idiota te agarrando.

- Como se alguém fosse mesmo querer algo comigo. – Revirei os olhos e voltei minha atenção ao espelho, logo recebendo duas mãos em minha cintura. – Você está muito bonito, Kookie.

- Você também, meu pequeno. – Sorri pela forma que ele me chamou. – E não diga que ninguém quer você, não se menospreze, você é lindo.

- E solteiro aos dezessete anos. – Revirei os olhos.

- Também sou solteiro. – Deu de ombros.

- Mas você tem quem te queira. – Rebati, quando na realidade eu queria dizer que o problema não era ser solteiro e sim o fato de que eu morreria sem saber como é ter um namorado ou como era ao menos beijar de verdade alguém.

- Você também, Minnie. – Sussurrou em meu ouvido, logo depositando um beijo em minha bochecha e se afastando. – Vamos indo? Os meninos estão no carro já.

- Vamos sim. – Concordei, pegando meu documento e dinheiro, logo saindo dali com Jungkook.

Descemos as escadas e nos despedimos de meus pais, logo indo para o carro. Hoseok e Yoongi estavam na frente, sendo que o Jung dirigia o carro. Eu fiquei entre Tae e Jungkook. O Kookie ficou se mordendo de ciúme ao ver Tae me abraçando de lado e me chamando por apelidos carinhosos que me faziam sorrir.

O caminho até a festa foi bem tranquilo, com direito a risadas. E para tirar a carranca no rosto de Jungkook acabei me escorando em seu ombro e abraçando seu braço.

- Você é muito ciumento. – Tae disse para Jungkook.

- Apenas cuido do que é meu. – Acabei sorrindo ao ouvir isso.

- Por isso que ele conta tudo para você, certo? Porque eu tenho quase certeza de que quem sabe tudo sobre ele é eu e não você. – Desnecessário, Kim Taehyung! – Absolutamente tudo.

- Chega, Tae! – Pedi, o olhando seriamente. – Não faz isso.

- É a verdade! – Continuou ele. – Jungkook é muito ciumento.

- Ele sabe? – Jungkook direcionou sua pergunta a mim.

- Claro que eu sei. – Tae respondeu e eu apenas agradeci mentalmente por termos chegado no local.

Todos saíram do carro, menos eu e Jungkook. A chave do veículo ficou comigo para eu poder o fechar depois. Olhei para meu amigo, não diria que ele estava irritado, mas estava extremamente decepcionado.

- Eu não contei a ele, Kookie. Ele descobriu. – Disse cabisbaixo, já me arrependendo de ter saído de casa. – Ele estava junto. Caso não estivesse eu também não o contaria.

- Não é isso que mais me magoa, Jimin. – Ah, não, ele me chamou pelo nome, isso dói. E só por isso eu já enchi os olhos de lágrimas. – O que me machuca é que você não confia o bastante em mim para me contar seus segredos. Me pergunto se você ao menos gosta de mim.

- Ah, você não disse isso! – Nesse instante eu já estava chorando. – Você pode duvidar de qualquer coisa, Kookie, menos do quanto eu te amo. Eu daria a minha vida por você.

- Ei, não chora, não foi a minha intenção, bebê. Vem aqui. – Jungkook me puxou para seu colo, literalmente, onde fiquei sentado em suas pernas e escorado em seu ombro. – Eu prometi que ia te respeitar e acabei fazendo o contrário. Me perdoa, Minnie? Eu só senti ciúme demais por culpa do Taehyung, me doeu pensar que talvez ele seja mais importante para você do que eu.

- Os dois são importantes. – Garanti, o olhando em seguida. – Entenda que se eu não te contei, é porque isso me dói muito e eu não quero machucar mais uma pessoa.

- Não precisa me explicar, eu que errei. – Disse enquanto secava meus olhos, beijando minha bochecha em seguida. – Vamos lá? Você precisa aproveitar sua primeira festa.

Foi triste pensar que a minha primeira festa talvez fosse também a última.

- Perdi o clima. – Murmurei.

- Que nada, pode ir parando. Você está tão lindo que eu te pegaria caso não fosse meu melhor amigo.

Eu apenas sorri envergonhado enquanto descia do carro e ele o trancava. Mas a verdade é que eu queria ter dito: "Esquece isso e pega logo, mas pega com vontade, pega com gosto, pega muito, pega até cansar". Óbvio que essa vontade quase me escapava pela boca, mas me contive mesmo assim. Era necessário me conter caso eu não quisesse ser rejeitado.

Entrei no local da festa, Jin e Namjoon estavam sentados, enquanto Tae, Yoongi e Hoseok dançavam. Jin até perguntou se eu queria beber algo logo após me cumprimentar, mas Taehyung apareceu sabe-se lá de onde - talvez tenha brotado do chão – para dizer que eu estava proibido de beber. E eu sabia, mas agradeci pela preocupação dele.

- Vamos dançar? – Perguntei para Jungkook, inflando as bochechas para convencê-lo.

- Eu faço tudo que você quer mesmo. – Ele riu, entrelaçando nossas mãos e me puxando para a pista.

Dançamos algumas músicas bem agitadas, Jungkook fazia passos ridículos apenas para me fazer rir. Eu sabia o quão bem ele dançava, por isso tinha essa certeza de ele estar fazendo apenas para que eu começasse a rir.

Quando uma música mais lenta se iniciou eu fui puxado pela cintura por Jungkook e por conta disso acabei levando minhas mãos para os seus ombros.

- Kookie, você disse que faz tudo que eu quero, certo? – Ele assentiu e começou a se balançar comigo ao som da canção. – Vamos passar um fim de semana na praia?

Na minha lista dizia sobre eu querer ir para a praia com alguém especial e, bem, esse alguém para mim é ele.

- Que repentino. – Riu para mim, me puxando para ainda mais perto. – Mas se é o que você quer, eu vou. Posso falar com meus tios e pedir a casa deles, já que está desocupada nessa época.

- Obrigado, você é o melhor. – O abracei de uma forma desengonçada, ouvindo sua risada soar em meu ouvido.

Mas logo o nosso momento docinho acabou quando uma outra música agitada se iniciou. Jungkook perguntou se eu queria beber pelo menos um refrigerante, mas por precisar manter a minha saúde intacta eu precisei recusar, pedi para ele me trazer um suco caso tivesse e ele concordou com a cabeça, logo saindo de perto de mim.

Continuei a dançar, ainda que eu não acelerasse muito meus passos para não cansar demais e acabar passando mal. Tudo que eu não precisava era passar mal agora. E eu só peço uma coisa para meus pulmões: que eles se comportem no próximo fim de semana. Eu vou contar ao Jungkook quando estivermos na praia, é um local tranquilo para uma notícia turbulenta, sinto que assim será melhor.

Ele merece saber disso, mesmo que me doa, mesmo que também vá doer nele, ele precisa saber. O pior vai ser dizer adeus, mas se for preciso eu serei forte por ele e farei. Sei que ele faria o mesmo se fosse o contrário.

Me assustei ao sentir duas mãos em minha cintura, ainda mais porque eu sabia que não eram as mãos do Kookie. E sim, eu reconheço até mesmo suas mãos.

Me virei bruscamente para o indivíduo que me segurava, principalmente depois de ele forçar certas partes em mim. Estava pronto para espancar ele, pronto para fazê-lo sair dali a chutes, principalmente quando eu me virei e ele tentou me beijar. Ah, não, ele não vai estragar o meu primeiro beijo! Me esquivei enquanto tentava soltar meus braços, os quais agora ele segurava, e enquanto isso ele ameaçou beijar meu pescoço.

Antes que ele pudesse se abusar mais daquilo, alguém o puxou e socou seu rosto. Quando percebi quem era tentei puxá-lo para perto de mim para que não fizesse nada, mas ele nem prestou atenção. E eu comecei a me sentir ofegante, cheguei até a cair no chão. Hora errada, pulmão querido.

- K-kookie. – Chamei com a voz fraca. No meio daquele barulho todo ele não iria me ouvir, ainda mais estando invadido por raiva enquanto estava aos socos com o outro cara.

- VOCÊ NUNCA MAIS OUSE ENCOSTAR NELE! – Ouvi seu grito. – Minnie, você está bem?

- Só perdi o fôlego tentando me soltar dele. – Falei enquanto tentava retornar a respirar.

- Vem comigo, vou te levar para casa. – Jungkook me levantou do chão, me pegando no colo de novo no estilo noiva, fazendo com que eu me segurasse em seus ombros. – Jin e Nam também queriam ir embora. Hoseok que leve os outros depois no carro dele.

- Pode me soltar se quiser. – Murmurei para ele, mesmo que eu não quisesse de fato que ele me soltasse.

- A única forma de acalmar a minha raiva daquele idiota e me impedir de ir lá socá-lo até que ele vá parar no hospital é se você ficar perto de mim. Então, para a saúde daquela pessoa, sugiro que você fique onde está.

- Obrigado por me defender. – Agradeci sorrindo.

- Sempre vou te defender. Esses idiotas são muito ridículos, não conseguem ver um corpo bonito que ficam animadinhos já.

- Você fica fofo irritado. Mas eu vou ter que concordar com o Tae que você é muito ciumento. – Ele me ignorou por alguns segundos enquanto falava com Jin e Nam sobre irmos embora e logo já estávamos no carro.

- Eu não sou ciumento, eu só tento te proteger. – Jungkook me abraçou de lado no carro e passou a acariciar meus cabelos. – Tenho medo de você sofrer, de acabar tendo o coração partido. Tenho muito medo de você se apaixonar pela pessoa errada, Minnie, não quero te ver triste.

- Você fala que eu escondo as coisas de você, mas quando o assunto é sentimentos eu nunca sei o que está sentindo, ou por quem está sentindo. – Jungkook pareceu não entender pela quantidade de tempo que ficou em silêncio. – Você já se apaixonou?

- Ah… Já. – Que aperto desgraçado no meu coração. – E você?

- Mais ou menos. – Respondi sem humor. – Você conseguiu fazer com que seus sentimentos fossem recíprocos?

- Infelizmente não. – Soltou um suspiro. – E você?

- Não, nem vou conseguir. – Também suspirei, fechando meus olhos para esquecer daquela angústia que havia me invadido. Por que mesmo eu iniciei essa conversa?

- Tomara que não consiga… – Ouvi seu sussurro e o olhei incrédulo. – Quer dizer…

- Por quê? – Foi a única coisa que consegui perguntar.

- Porque ele provavelmente é um idiota que não te merece. – Você é um idiota mesmo, mas te amo igual e você me merece.

- Você vai dizer isso de qualquer um.

- Sim! – Ele respondeu rápido. – Quer dizer… não. Não vou dizer isso de qualquer um.

- Aposto que na sua cabeça só você seria um bom partido para mim, porque nem mesmo meus amigos você não aceita.

- Você chama Taehyung de amigo e ainda quer que eu diga algo depois disso? Eu prefiro não falar mais com você do que te ver justamente com ele. – O olhei ainda mais incrédulo do que antes.

- Isso é ridículo! – Exclamei irritado.

- Taehyung é tão seu amigo que foi procurar um canto para ficar com os namorados ao invés de ficar perto de você, mesmo tendo prometido aos seus pais que tomaria conta de você. – Rebateu. – É tão seu amigo que praticamente me ignorou quando eu enxerguei que tinha um idiota te assediando. Tão seu amigo que não foi te defender, nem mesmo foi te acudir quando você passou mal. Que tipo de amigo é esse?

- O amigo que não deve aguentar mais ser como uma babá para mim. Você não tem noção de tudo que ele fez e faz todos os dias por mim, então não diga que ele não é meu amigo ou que não se preocupa, porque ele está carregando um peso que deveria ser apenas meu.

Soltei o cinto de segurança e me despedi rapidamente de Jin e Namjoon, indo depressa até a porta de casa, ignorando o fato de que Jungkook me seguia. E ele me seguiu até estarmos dentro do meu quarto, eu estava sentado na cama chorando e ele parado na porta com uma feição nada boa.

- Ele está frequentando psicólogo, ele não está mais suportando o que está acontecendo. Não diga que ele não se importa, porque ele está quase pior que a minha mãe. – Eu falei de forma calma, ainda chorando. – É a segunda vez que discutimos hoje e as duas vezes pelo mesmo motivo.

- Sim, por culpa daquele idiota. – Revirei os olhos, me deitando de vez e respirando fundo.

- Ele é tão meu amigo quanto você, concordo que a atitude dele no carro não foi das melhores, mas ele não tem nada contra você. – Jungkook deitou ao meu lado e eu me virei na cama, até estar deitado em cima dele da forma que eu sabia não o incomodar. – Eu só queria que você parasse de implicância com ele, isso não faz bem para nenhum de nós.

- Eu sou um idiota! – O encarei e vi seus olhos cheios de lágrimas. – Você disse que na minha cabeça só eu seria um bom partido para você, mas isso não é verdade. Eu não mereço você, nem como amigo, nem como nada.

- Kookie, está acontecendo alguma coisa? – Me preocupei, ainda mais quando ele começou a chorar. Foi horrível, desesperador. – Kookie, me fala. Conversa comigo. Me conta o que está acontecendo.

- Lembra que você perguntou se eu já me apaixonei? – Assenti. – Então… essa pessoa está envolvida com Taehyung e agora estou perdendo de vez qualquer chance que eu possa ter.

É O QUE?

- Yoongi ou Hoseok?

- Não importa… – Ele desviou o olhar, mas continuava a chorar enquanto me apertava mais forte. – Eu só não sei até quando eu consigo guardar isso para mim. Esse sentimento está me consumindo lentamente, Minnie. E é horrível.

- Eu sinto muito, Kookie. Mas, se serve de algo, eu estou com você.

- Eu sei, meu bebê. Eu sei. Esse é o grande problema.


Notas Finais


Eu espero muitíssimo que vocês tenham gostado ♥♥
Beijos pra vocês ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...