História As Chaves Estelares - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Caos, Felicidade, Morte, Terror, Tragedia, Tristeza
Visualizações 3
Palavras 573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Segundo capítulo de As Chaves Estelares.

Beatrice vai a uma cidade mal-assombrada a procura da segunda chave.

Capítulo 2 - Casa Mal-Assombrada


     A biblioteca era enorme.

     Duas horas depois.

     Eu finalmente tinha achado a chave e como dizia a lenda, junto com ela, a localização das próximas chaves.

     A próxima chave ficava em Amityville, nos Estados Unidos.

     Saí rapidamente da biblioteca e fui para o aeroporto.

     Eram 8 longas horas de viagem.

     Coloquei meu fone de ouvido e comecei a pesquisar mais sobre Amityville.

     Era um lugar assustador, a chave estava mais especificamente em uma casa na Avenida Ocean, número 112.

     Essa casa era conhecida como a casa mais mal-assombrada da história.

     Segundo a lenda, em 14 de novembro de 1974, um jovem de 24 anos que, afirmava ouvir vozes, matou seus pais, irmãos e irmãs por ordens das vozes.

     Um verdadeiro doido.

     Oito horas depois.

     Cheguei a Nova Iorque, peguei minhas coisas e partir rumo a Amityville.

     Algum tempo depois.

     Eu estava na entrada de Amityville.

     Era com certeza o lugar mais assustador que eu já havia visitado a minha vida toda.

     Mesmo assim, entrei na cidade e fui em busca da casa em que a chave estava.

     A cidade estava totalmente abandonada, além de ter uma densa neblina.

     Mesmo aparentando está abandonada, era possível ouvir vozes, gritos, choros, e até mesmo pedidos de ajuda.

     O medo que eu sentia naquele momento era enorme.

     Mas, passei por cima do medo e continuei caminhando pela cidade.

     Depois de algum tempo procurando pela casa, eu acabei achando.

     ''Hmm... Então é aqui.''

     Essa casa era muito mais assustadora que as outras.

     Logo após entrar na casa, senti que estava sendo vigiada.

     Eu dei alguns passos e então uma criança pálida apareceu na minha frente.

     Ela ficou olhando fixamente para mim por uns instantes até desaparecer.

     Continuei andando pela casa, mas, parecia um labirinto.

     Coisas começarão a cair pela casa, então senti alguém atrás de mim, mas, quando virei, não tinha ninguém ali.

     Eu cheguei em um corredor. Na metade do corredor, algo começou a correr atrás de mim.

     Assim que virei, alguma coisa passou por dentro de mim, me derrubando.

     Quando me levantei, percebi que estava em um lugar totalmente diferente.

     Empunhei a katana que carregava comigo e comecei a explorar essa nova área.

     Alguma coisa veio correndo atrás de mim novamente, a minha katana atravessou o corpo da criatura, que sumiu.

     Depois de ler mais sobre esse lugar, eu passei água benta na katana, fazendo com que as criaturas desse lugar não fosse um grande problema.

     Eu estava de frente para um corredor novamente, mas, dessa vez atravessei todo o corredor sem problemas.

     Quando cheguei no final do corredor, uma sala estava a minha espera.

     Dentro da sala estava a segunda chave.

     Logo após eu saí da sala, uma sirene tocou, o lugar começou a aparecer todo apodrecido.

     Eu explorei toda a área e não havia mais uma saída.

     Uma criança parou na minha frente, meu corpo foi empurrado até eu bater em uma parede, a criança começou a caminhar lentamente em minha direção e quando ela estava de frente para mim a sirene tocou novamente, mostrando a saída.

     Eu saí sem olhar para trás, chegando ao final da cidade, olhei para trás e percebi que tinham várias criaturas me perseguindo, então corri mais dez metros, saindo da cidade e as criaturas desapareceram.

     Peguei meu celular e quando olhei a data, eu estava em 24 de fevereiro de 2018. Eu passei mais de um ano naquela cidade, assim que olhei para trás a cidade havia sumido. 


Notas Finais


Se possível, comente o que achou do capítulo e caso estejam gostando da história, favoritem para serem notificados do lançamento de próximos capítulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...