História As Crônicas das Sombras - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Quadrinhos
Visualizações 9
Palavras 1.362
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aloha gálero, trago um trabalho que venho pensando tem algum tempo, os primeiros caps podem parecer meio ruins, ainda estou transferindo da mente para o papel, me desculpem :v

Capítulo 1 - Acorde Negro


Fanfic / Fanfiction As Crônicas das Sombras - Capítulo 1 - Acorde Negro


Acordo, ainda sonolento, abro a cortina, está tudo claro e sinto dor de cabeça, é como se a montaria inteira de um evento de cavalos estivessem me pisoteando, tá bom, sem exageros.
Ainda escovando os dentes , tento me lembrar do que aconteceu no dia anterior, a festa na casa do Michael só foi até as 21:00 PM, seus pais chegaram e estragaram tudo, pra variar, depois disso não lembro de nada... além do rosto Samanta se despedindo, ela é inesquecível.


-ACORDAAAA! -Samanta e Michael gritam em conjunto, aquilo foi estranho.-


-Mas... o quê? -Vou até a porta e a abro, ainda encolhendo os olhos por causa daquele maldito sol, parecia que ele estava brilhando mais do que o normal somente para encher meu saco.-


-O que lembra de ontem, senhor ''Eu aguento mais que sete cervejas, pode crer!'' -Samanta desdenha da minha aparência ''ressacada''-
-Mal aguentou quatro, Sam. -Michael sorri, ficando do lado da ruiva.-


-Qualé! foram três e meia! -Ainda sorrindo convido eles para entrar, mas estávamos 10 minutos atrasados.-


-É melhor ser rápido, Sir Magi.


Coloco uma blusa social preta e uma calça jeans qualquer que estava jogada no guarda-roupa, por fim, um coturno preto para terminar meu look pós-ressaca.


-Está bom.


-Ele é o  ''Sir Magi'' da escola Azura, ele poderia ir vestido de Jhon Nelson que ninguém ligaria. -Samanta fala com certeza, fazendo sinal positivo com a cabeça enquanto fala-


-Já disse que não gosto que falem do Nelson, ele é o esteríotipo de nerd da escola, mas é um cara muito legal se conversassem com ele.-Repreendo Samanta-


-Fala isso só porque pegou a irmã dele... cof cof. -Michael finge descaradamente uma tosse no fim de sua acusação.-


-Ow! isso não é verdade, Lennon. -Provoco.-


-Já não deixei claro que odeio que falem esse nome?


-Relaxa Lennon, vamos logo, já estamos uns 13 minutos atrasados. -Samanta para a briga das crianças.-


Enquanto isso...


-Michael Lennon, 16 anos, 1,83, negro, olhos castanhos, cabelo curto e castanho escuro, porte físico mediano. Reprovado no experimento Shadow.


-Samanta O'neill, 17 anos, 1,69, branca, olhos verdes, cabelo longo e ruivo, porte fisíco digno de uma líder de torcida. - O homem passa sua língua na foto de Samanta.-


-Sem loucuras, F. -Seu parceiro repreende.-


-Reprovada no experimento Shadow.


-Sancti Magi, 16 anos, 1,85, olhos negros, cabelo mediano e preto, porte fisíco adequado. 


-Awn... ele é bonitinho e é filho daqueles ricassos, mas tem boatos dizendo que ele vive em uma casinha meia boca no subúrbio, dizem que não quer ser reconhecido pelo seu nome, mas sim pelo esforço, jovenzinho burro.


-Sem distrações, N.


-Não enche, D!


-Parem os dois, tenho uma boa notícia. -N e D fazem um sim com a cabeça-


-Aprovado para o experimento Shadow.

Escola Azura...


A aula de filosofia estava um saco, como sempre, aquele papo de questionar tudo, acho isso um monte de  lorota, pessoas acreditam no que querem acreditar, e na maioria das vezes... se fodem.


-Então está dizendo que a religião é importante para a sociedade atual, Turner?


-Sim, acho fundamental o papel da igreja nas escol...


-Na verdade não. -Interrompo o garoto devoto-


-Não o interrompa, Magi. - O professor Gus me cala na hora.-


-Como iria dizendo, a igreja deve ter um papel fundamental na vida de todos nós, inclusive na cidade de Nostradamus, ela deve desalienar essas pessoas controladas pelo governo, e principalmente mostrar como é, de fato, um padrão de familia que devemos seguir. -Ele sorri, como se estivesse totalmente certo-


-O que quer dizer com isso, Turner? -Camille O'neill pergunta, com certa raiva-


-Disse que devemos esquecer essa coisa de namorar ou ter relações antes do casamneto, principalmente com pessoas do mesmo sexo, isso é nojento.


-Então você qu-


-Que se foda a igreja, que se foda Deus, esse é meu lema. -Digo seco, os olharem de revolta e alegria que estavam sobre Turner Mac Fly se voltam para mim, agora somente olhares de ódio, tirando os de Michael, Samanta e Camille que me conheciam.-


-Como pode dizer isso, Magi? Não vá se achando só porque é o riquinho metido daqui, seu ateuzinho de merda! -Turner fala com raiva, seguido de pessoas concordando. o professor tenta acalmar a sala, mas já estava tudo feito e dito.-


-Então seu Deus tem um plano para todos? Ahh, entendi! como será que ele fica? Será que fica pensando em como foder a vida das crianças na África ou planejando uma terceira guerra mundial entre nosso país e a Coreia? Sem falar naquela coisa de ''amar o próximo'', nisso eu concordo, então não venha justificar sua homofobia de merda em nome de seu amigo imaginário! Tá pensando em que século? faz um favor e volta no tempo, seu lugar é lá, ''Na igreja do todo poderoso". -Desdenho na última frase.-


De repente, a sala se cala, eles sabiam que eu era ateu, mas nunca me ouviram falando sobre. Tuner estava tão puto que seu rosto parecia um pimentão. Aquilo se encerrou com detenção no fim do dia.


Após acabar a aula...


-Desculpe por te interromper, Cami.


-Olha, dessa vez eu relevo, mas faz um favor, fica caladinho pelo resto do ano? Você é mais bonito desse jeito. -E ela sorri enquanto anda para fora da sala.-


Camille é a irmã adotiva da família de Samanta, mas tanto em beleza qunato intelecto, as duas sempre competem, Camille tem quase a mesma altura de Samanta, sendo só alguns centímetros mais alta que sua irmã, ela é loira e tem uma boca marcante, como eu sei disso? Segredo.


-O que aconteceu na sua sala? Tem boatos que Turner ficou maluco na sala e começou a gritar. -Nelson vem falar comigo ainda no intervalo.-
-É só polêmica, não liga pra isso. 


-Estou preocupado...


-O que foi? Não precisa ficar assim só por causa de uma discussão, Nelson.


-Não é isso, é que como você sabe, sou líder do conselho e informática da escola, recebemos todo tipo de trabalho, mas hoje, três funcionários foram substituídos. -Ele suspira.-


-Isso deve ser comum, a virose, não?


-Não sei não! me parece estranho!


-Quais são os nomes dos novatos?


-Daniel, professor de química. France, zelador. Nami, segurança.


-Relaxa, não deve ser nada.


Enquanto isso...


-Sala de química pronta e esterializada.


-Escola verificada, câmeras desligadas.


-Saídas e salas trancadas, todo mundo está preso.


Estava andando pelos corredores, tudo estava trancado, aquilo começou a ficar estranho demais, lembro do que Nelson me disse, mas acho que não tem nada demais naquilo.


-Me desculpe!


-Ow ow ow!


A segurança derrama café em minha camisa,estava quente e doloroso, mas ela era linda.


-Me desculpe, Sir Magi...


-Como sabe meu apelido?


-É que eu estudei bem a escola, é uma oportunidade incrível trabalhar aqui! Mas então.. vamos na sala de quimíca? tem alguns papéis lá que podem limpar essa sujeira que eu fiz, por favor, me acompanhe! -Ela segura minha mão com força e me leva até a sala.-


-Olha, nã- -Sou interrompido por um beijo surpreendentemente bom enquanto entro na sala.-


-Sempre quis beijar o sir Magi, é bonitinho mesmo...


Ainda estou surpreso, Nami era uma asiática linda, com belos olhos negros e boca pequena, fora aquele corpo, que corpo.


-Eu disse sem besteiras, N.


A voz grossa de um homem me dá um susto, ele estava lá o tempo todo, me viro lentamente e vejo o professor substitudo de quimíca, Daniel.


-Não enche, D.


Sinto uma sensação desconfortável no pescoço, aquilo parecia ser uma agulha com algum tipo de liquído dentro.


-É morfina, toma. -O novo zelador joga uma faca no chão, aquilo ficou estranho.-


Um estrondo abala a sala onde estou, minha visão está turva, consigo ouvir gritos de socorro, logo após, sinto um soco forte na barriga, Nami havia me deixado inconsciente.


-Prontos? Vamos levá-lo.


-F,sabe quanto tempo vai levar?


-Depende da cobaia, pode levar de dois dias a cinco anos.


-Vamos logo, metade da escola foi pelos ares, pegamos o receptáculo do experimento Shadow, missão concluída.


Em meio a viagem, acordava as vezes, toda vez antes de ser abatido e desmaiar, ouvia uma certa música, um acorde lindo, apelidei aquele dia de acorde negro, pois depois daquilo, nunca mais fui o mesmo.
 


Notas Finais


Espero que gostem, ainda estou trabalhando nos outros caps, até lá... fiquem com isso o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...