História As máscaras de Taekwoon - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Leo, Ravi
Tags Levi, Raken, Reo, Taekshik, Wontaek
Visualizações 49
Palavras 926
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desabafos de uma Moonshine tendo uma crise e estando na bad, espero que gostem e não me odeiem.
Boa leitura~

Capítulo 1 - Capítulo único


Jung Taekwoon possuía inúmeras máscaras.

 

Não somente por sua profissão exigir que vivesse em um constante teatro de força e felicidade, dentro de sua própria casa — e dentro de si mesmo — estava escondido diariamente, aprisionado dentro dos próprios sentimentos.

 

Era muito fácil ser Leo, o adorável vocalista do VIXX. Era bem simples ser constantemente inexpressivo quando estava em frente às câmeras dos programas de televisão ou nos shows, ser tímido quando lhe pediam fazer algo que fugia de sua personalidade ou fosse vergonhosa, ou ser considerado o “quietinho” por todos os membros do grupo. Era natural ser o hyung para quem todos corriam quando estavam com fome ou queriam conselhos sobre suas relações amorosas escondidas.

 

No entanto, quando percebeu que uma dessas relações o afetou diretamente vestiu uma máscara para nunca mais tirá-la. A máscara de quem apoiava o relacionamento entre Jaehwan e Wonshik.

 

Não se surpreendeu quando o rapper o contou sobre o acontecido, se lembraria para todo sempre daquela noite. Estava contente por conseguir ficar um tempo a sós com ele durante as promoções de Whisper, sem conseguir conter seu coração apaixonado ainda que não fosse corajoso o suficiente para contar a Wonshik sobre os sentimentos que nutria por ele. Haviam acabado de se deitar para dormir no quarto de hotel que dividiam, antes que ele viesse se enfiar embaixo de seus cobertores para fazer aquela pergunta. “O que você acharia se dois membros do grupo começassem a namorar?”. Respondeu simplesmente que apoiaria se eles se gostassem de verdade e estivessem dispostos a enfrentar tudo por aquele relacionamento, já sabendo do que se tratava. Ele e Jaehwan haviam parado de negar a si mesmos as vontades que tinham e finalmente estavam assumindo um compromisso.

 

Quando estava na companhia do dito cujo por quem era apaixonado pesquisando ideias para as fotos e a letra de Beautiful Liar leu uma frase de um livro, ela dizia “ninguém será um verdadeiro parisiense se não souber usar a máscara da alegria quando estiver triste” Na época, não achou a sentença do célebre Gaston Leroux, o autor de O Fantasma da Ópera, fosse nada além de poética. Afinal, conseguia muito bem admirar as pessoas que disfarçavam bem os próprios sentimentos já que era uma delas. Foi impossível não refletir aquilo na letra da unit, mas achava que jamais sentiria na pele toda a tristeza e melancolia da canção.

 

Esta é uma bela mentira

A minha última mentira

Mesmo que doa à morte

Eu estou me escondendo

Sob uma máscara para você

 

Está tudo bem se você me deixar

Eu quero que você seja feliz

Oh, eu sou

Eu sou um belo

Eu sou um belo mentiroso

 

Ver Wonshik sendo feliz ao lado de Jaehwan doía para Taekwoon, mas não o suficiente para sacrificar a felicidade deles. Por vezes pensava em jogar tudo para o alto, deixar vazar “acidentalmente” alguma imagem dos dois juntos que ultrapassasse a amizade intensa que era o máximo que eles demonstravam para o público e deixar com que a imprensa acabasse com aquilo que tinha vontade de fazer com as próprias mãos. Porém, a vontade se esvaía ao ouvir as vozes dele quando passava do lado de fora do quarto de Jaehwan. Ouvia as risadas altas das brincadeiras que faziam entre si, o som dos beijos estalados e os dois fazendo amor, ciente de que jamais poderia proporcionar nada daquilo para o rapper. Ele merecia ser feliz com quem o compreendia e o completava.

 

Também acabava se lembrando de outra frase quando presenciava os bons momentos do casal, também de um livro. “A dor é a única emoção que não usa máscara”, dizia Caio Fernando de Abreu, e nada poderia lhe definir melhor. Porque não era capaz de disfarçar o descontentamento ao ver aquilo, pedia licença educadamente quando podia e se trancava no primeiro lugar que encontrasse vazio. Chorava até que Hakyeon viesse lhe buscar ou consolar, o único que sabia sobre seus sentimentos platônicos. Tentava fugir o quanto pudesse e quando conseguia melhorar a aparência dos olhos vermelhos, vestia novamente sua máscara inexpressiva para que ninguém se preocupasse. Seu comportamento provavelmente não passava despercebido, a julgar sobre como Wonshik sempre questionava se estava tudo bem depois de uma de suas crises de choro. Desconfiava que ele já sabia do que se tratava, mas tinha tato o suficiente para não questionar ou mudar o tratamento para consigo. Continuava sendo o dongsaeng adorável com quem dividia o LR e o fazia rir mais que todos os outros.

 

Naquela noite em especial, estava tão munido das máscaras que não se importou com o que viu. Não ligou por saber que o casal não dormiria em casa, ficariam no estúdio de Wonshik para terem um tempo a sós e divertirem-se com Ongdong. Não chorou ao ver o vídeo que retratava as risadas de seu amado na companhia dos dois no estúdio com iluminação baixa e muito menos com a foto do cachorrinho dormindo no colo de um Jaehwan também adormecido que ele postou logo em seguida. Não quis deitar no colo de Hakyeon e chorar quando ele o pegou observando as imagens e questionou se estava tudo bem, porque já estava aprendendo a se esconder ainda mais.

 

Não era porque doía que precisava demonstrar.

 

E não era porque doía que deixaria de amar Wonshik.

 

É uma bela dor

Deixar você ir

Eu tenho que me matar dentro

Engolir minhas lágrimas

E colocar uma máscara sorridente

 

Eu me sinto tão aliviado agora

Por favor, não se preocupe comigo

Oh, eu sou

Eu sou um belo

Não, um covarde mentiroso



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...