História Até o limite da honra - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kaichou wa Maid-sama
Personagens Ayuzawa Misaki, Hinata Shintani, Shouichirou Yukimura, Soutarou Kanou, Takumi Usui, Tora Igarashi
Visualizações 123
Palavras 1.929
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo....

Boa leitura!

Capítulo 9 - A gueixa


Por entre os becos desertos de Kyoto, Misaki corria apressadamente com a loirinha a sua frente.

Misaki: Onde estamos indo Aoi-chan? – questionava a morena curiosa.

Aoi: Para um lugar seguro... Lá poderemos trocar sua roupa e esconder você por um tempo – Misaki assenti e continua seguindo a pequena loira.

Aoi parou rapidamente de correr quando avistou dois soldados logo à frente, ficou escondida até os soldados saírem de seu campo de visão. Viu que não havia mais ninguém em uma das ruas e voltou a correr novamente levando Misaki consigo. Não demorou para chegarem em uma enorme e luxuosa casa.

Aoi: Vem... Chegamos... – diz abrindo a porta da entrada da tal casa.

Misaki: Você mora aí? – indagou visivelmente impressionada.

Aoi: Sim, essa casa pertence a minha tia... Satsuki-san...

Misaki: Que tipo de casa é essa? – questionou ao ver um ambiente diferenciado.

Aoi: Você nunca veio ao lugar como este? – Misaki nega com a cabeça – Humm... É uma casa de gueixas... Vem chega de perguntas...  

Misaki se cala e segui cômodo adentro com Aoi, ao entrar logo ver uma mulher de aparentemente 30 anos de cabelos azulados curtos correr em direção a eles visivelmente preocupada.  

Satsuki: Aoi onde você estava? – diz abraçando a loira – Estava morrendo de preocupação... E você ainda sai vestido desse jeito sabe que é perigoso com os soldados lá fora – diz olhando severamente para a loira.

Aoi: Eu estou bem Satsuki-san... Não precisa se preocupar – fala cruzando os braços.

Satsuki: Ainda sim, não faça mais isso – diz em repreensão para loira. Ao desviar o olhar, nota a presença de mais alguém – Por Deus, quem é ele Aoi... E por que esta todo coberto de sangue...

Aoi: Esse aqui é o Misaki-kun... Ele... – ficou com medo da reação de Satsuki ao preferir as seguintes palavras – Ele me salvou de ser morto em um beco por um soldado... – diz com a voz trêmula.

Satsuki: MEU DEUS AOI... – abraça fortemente a loira em sua frente – Obrigada... Obrigada Misaki-kun por salvar meu sobrinho – fala olhando diretamente para morena.

Misaki: Hã... Sobrinho? – questiona olhando para Aoi.

Satsuki: Sim, sobrinho – diz retirando a peruca loira adornada com hashis dourados, mostrando os fios curtos azulados – Ele gosta de se vestir assim... Por isso é perigoso ele sair de casa trajando roupas femininas, essa não é a primeira vez que ele faz isso...  Isso não é bem visto pelos soldados do imperador...

Aoi: Tsc... Aqueles idiotas... É pecado gostas de kimonos sedosos e se vestir como uma linda gueixa – diz com nariz empinado e fazendo biquinho.

Satsuki: Quando pode matar você, sim... – diz em repreensão para o pequeno que a ignora – Vem Misaki-kun precisamos trocar você.

Misaki acompanha Satsuki juntamente com Aoi, ao entrar em uma espécie de sala de estar ela avista outras moças.

Satsuki: Bem sinta-se a vontade Misaki-kun... Essas são Honoka-chan – aponta para a loira – A ruiva ali é a Erika... Esta aqui é Subaru-chan – se refere a garota tímida de cabelos esverdeados – E as gêmeas ali são Sayuri e Sakura...

Misaki: Prazer em conhecê-las meninas – diz curvando-se.

As meninas ficam um pouco com medo de Misaki por trajar vestes ensanguentadas.

Satsuki: Vou providenciar um banho e roupas limpas pra você... É mínimo que posso fazer por você salvar a vida do Aoi – diz retirando-se do cômodo.

Honoka: Que história é essa Aoi?

Aoi: Misaki-kun me salvou de ser morto por um dos soldados... Ele lutou bravamente para me defender... Vocês precisavam ver como ele foi incrível com a espada.

Subaru: Você é um soldado Misaki-kun?

Misaki refletiu se era certo contar que pertencia ao exercício do Japão do Norte, já que Kyoto estava sobre o domínio do Japão do Sul.

Misaki: Sim, sou um soldado do Japão do Norte... – notou a expressão de surpresa das presentes – Vocês irão me entregar?

Erika: Não... Você salvou a vida do Aoi-chan... E além do mais, odiamos o governo do imperador Satoshi...

Honoka: O imperador não faz nada pelo seu povo... Só sabe extorquir as pessoas com os altos valores de seus impostos... Odiamos ele e seus seguidores...

Satsuki chega a sala e leva Misaki para um quarto onde ela havia depositado roupas limpas em cima da cama e preparado um ofurô com água e sais de banho. Misaki se limpa e veste as roupas oferecidas pela a anfitriã.  Sorri a ao ver as simples roupa e lembra-se do comentário de Usui. Sai de seus pensamentos ao ouvir batidas na porta.

Satsuki: Misaki-kun já está pronto?

Misaki: Sim Satsuki-san, obrigado – diz abrindo a porta e saindo do quarto.

Ambos caminham para a sala novamente.

Aoi: Até que enfim terminou – diz olhando para a morena. Misaki da um leve sorriso.

Honoka: Humm... Reparando bem você é bem bonito – fala analisando a face da morena, que cora com tais palavras.

Aoi: Hum... oferecida – diz referindo-se  a loira.

Honoka: Oras, seu pestinha...

Satsuki: Parem vocês dois... – diz separando os dois – Bem Misaki-kun obrigada mais uma vez por salvar a vida do Aoi, estamos em divida com você... Se precisar de qualquer coisa não hesite em nos pedir ajuda – Misaki apenas assenti com a cabeça – Vem, vou leva-lo até saída.

Misaki é acompanhada por todas ali presentes até a saída da casa. Ao abrir a porta Satsuki leva um susto ao ver oficiais do imperador vindo em sua direção.

Satsuki: Rápido esconda-se Misaki-kun... – dizendo isso Aoi esconde a morena atrás da pequena moita do jardim da casa.

Oficial: Hyoudou Satsuki?

Satsuki: Sim, pois não... O que desejam comigo senhores?

Oficial: O imperador solicita a presença de vossa senhoria– diz entregando-lhe um carta e indo embora.

 Subaru: O que diz a carta Satsuki-san?

Satsuki abre o envelope e lê atentamente o que a carta continha.

Satsuki: Será realizado um banquete daqui a dois dias em comemoração a vinda do imperador Satoshi a Kyoto...  Fomos solicitadas para fazer uma apresentação especial para o imperador, os nobres e toda a sua comitiva...

Honoka: Kyahhh... Adoro fazer apresentações exclusivas – diz empolgada.

Misaki juntamente com Aoi se juntam novamente com as outras.

Aoi: Qual o motivo da empolgação da Honoka?

Erika: Daqui a dois dias o imperador estará aqui na cidade, e nos solicitou para fazermos uma apresentação para a sua comitiva.

“Então o imperador estará em Kyoto” – pensa Misaki ouvindo atentamente as informações.

Satsuki: Não me simpatizo com o imperador, mas como é uma ordem diretamente dele não podemos fazer nada além de ir... Faremos nosso papel como gueixas – comunica as outras e volta-se para Misaki.

Misaki: Está na minha hora, preciso ir... Obrigado por me acolher Satsuki-san.

Satsuki: Eu que agradeço... Qualquer coisa estamos aqui – diz sorrindo.

A morena sai da casa, e dirige-se a entrada da cidade para encontrar Usui. Não muito tempo depois avista seu General montado no cavalo a espera da mesma.

Usui: Por que demorou tanto? E que roupa são essas?

Misaki: Explico-lhe no caminho de volta General... – Usui assenti e ela sobe em seu cavalo.

No caminho Misaki contou-lhe tudo o que se passou desde o momento em se separam. E informou também sobre a vinda do imperador da qual o General ainda não sabia a respeito.

˳˳˳˳

 

– Hum... Então o imperador estará em Kyoto – comenta um dos generais presentes na reunião.

Usui: Sim, e estará daqui a dois dias com sua comitiva – diz enquanto permanece em pé ao lado de Misaki enquanto os outros comandantes estão sentados envoltos da mesa.

Otonashi: Creio que ele veio ver pessoalmente o progresso da guerra – comenta enquanto massageia o queixo.

Okimura: Além disso é provável que debaterão sobre as estratégias com os generais dos exércitos presentes.

Misaki: Precisamos nos infiltrar nesse banquete – diz em voz alta seu pensamento.

Okimura: Como ousa pronunciar em meio a reunião de seus superiores soldado? – falou autoritário.

Misaki: Desculpe Senhor! – diz abaixando a cabeça.

Usui: Eu acho certo que ele se pronuncie, já que foi Misaki que coletou estas preciosas informações... Nada mais justo que colabore com os assuntos presentes nesta reunião.

Otonashi: Concordo com Takumi... Misaki é um soldado glorioso.

Okimura: Humm...

Usui: Eu confio em Misaki... Prossiga seu pensamento – diz para ela que sorri minimamente.

Misaki: Continuando Senhores... Precisamos nos infiltramos nesse banquete.

Okimura: E como faríamos isso? Haverá guardas em todos os lugares da cidade, principalmente no lugar do tal banquete.

Misaki: Conheci pessoas que não simpatizam com o imperador... E que podem nos ajudar – olha diretamente para Usui que mostra um sorriso para ela – Pela sua expressão General Usui, creio que acabou de achar uma maneira de nos infiltramos no banquete – conclui ela.

Usui: Sim... – olha diretamente para a morena – E para isso precisarei da ajuda do Yukimura – comunica mandando um soldado solicitar a presença do jovem médico.

Não demorou muito para que o médico chegasse juntamente com seu assistente na presente reunião.

Otonashi: Já que Yukimura está aqui, nos revele seu plano Takumi.

Todos olham atentamente para o jovem general.

Usui: Misaki salvou a vida de um jovem que mora em uma casa de gueixas, e a tal casa abomina as ações do imperador...

Okimura: E o que isso tem haver – interrompe o comandante.

Usui: Que estão em divida com Misaki e nos ajudarão a nos infiltrarmos sem levantarmos suspeitas.

Otonashi: E como farão para se infiltrar?

Usui: Esta casa foi convidada para fazer uma apresentação especial para o imperador e sua comitiva – olha para morena e para o jovem médico – O plano é o seguinte... Disfarçaremos Misaki e Yukimura de gueixas, já que estes possuem traços femininos e assim adentramos sem sermos notados como suspeitos – conclui seu plano para os demais.

Yukimura: O quê? – diz arregalando os olhos – Kanou-kun eu me pareço com uma mulher? – indaga com voz de choro para seu fiel assistente.

Kanou: ... – observa Yukimura com os olhos lacrimejantes.

Otonashi: Esse plano pode dar certo Takumi – concorda sorrindo.

Usui: Confio plenamente em Misaki e Yukimura para a execução deste plano, Misaki já mostrou para os demais aqui que é excelente soldado e Yukimura não fica atrás – direciona o olhar para os comandantes presentes – E os demais estamos de acordo?

– Sim – disseram em uníssono.

Usui: Amanhã partiremos para Kyoto novamente para falarmos o plano para a dona da casa de gueixas.

Misaki: Creio que ela irá nos ajudar... Satsuki-san me disse que não hesitaria em me ajudar em qualquer coisa – comunica para seus superiores presentes.

Otonashi: Certo... Então damos por encerrado a reunião de hoje.

Todos sairão da tenda de reuniões e Usui chama Misaki e Yukimura para conversar sobre os detalhes do plano.

Usui: Amanhã cedo nos encontraremos na saída do acampamento.

Yukimura: Mas não irão reconhecer você no banquete General? Já que muitos dali sabe quem você é.

Usui: Eu irei disfarçado.

Yukimura: De gueixa também? – questiona surpreso e confuso.

Usui: Não... Irei com uma mascara Kabuki e uma peruca – explica o loiro – Então é isso nos encontraremos amanhã.

Usui vai em direção a sua tenda e Misaki e Yukimura permanecem ali.

Yukimura: Será que vão desconfiar de nós no banquete? – diz visivelmente apreensivo.

Misaki: Não se preocupe vai dá tuto certo... Estaremos disfarçados não tem como eles saberem – fala acalmando o jovem médico.

Yukimura: Para você é fácil falar, já que é uma mulher – Misaki automaticamente tampa a boca de Yukimura com as mãos – Desculpa é que eu estou nervoso.

Misaki: Tudo bem, mas não repita isso em voz alta, alguém pode escutar – o médico assenti para a morena.

Ambos se despedem e partem cada para as suas tendas.

“Espero que dê tudo certo nesta missão... Darei o meu melhor e não desapontarei o General Usui” – pensa Misaki enquanto está deitada sobre um colchonete em sua tenda e adormece logo em seguida.

Continua...


Notas Finais


XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...