História Baby Bennett Parker (Bonkai) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Abigail "Abby" Bennett Wilson, Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Hayley Marshall, Jeremy Gilbert, Josette "Jo" Laughlin-Saltzman, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lucas "Luke" Parker, Malachai "Kai" Parker, Matt Donovan, Olivia "Liv" Parker, Sheila Bennett, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Bamon, Beremy, Bonkai, Bonnie Bennett, Delena, Kai Parker, Klaroline
Visualizações 43
Palavras 3.613
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não me odeiem.... haha

Dobradinha de capitulo pra comemorar o feriado!


Boa Leitura!

Capítulo 12 - A Verdade


Um final de semana e tanto estava preparado para o grupo de amigos da mansão Salvatore e as agregadas. O aniversário de Stephan seria comemorado em grande estilo, Caroline e Elena estavam organizando tudo. 
        ⁃       E aí Kai, como estão as coisas com a Bonnie? Klaus perguntou pro amigo. 
        ⁃       Cara, eu não faço a menor ideia do que se passa na cabeça da Bennett. Kai falou pegando uma cerveja para os dois. 
        ⁃       Porra, eu sei. Caroline não fala muito, mas pelo o que eu pego de conversas entre elas, parece que a Bonnie tá bem confusa com tudo isso. Ainda mais com essa loucura de vocês fingirem aos seus pais que estão juntos. Klaus deu um gole na cerveja. 
        ⁃       Puta que pariu, nem me fala, meu pai me ligou hoje de manhã, pressionando pra eu pedir um teste de paternidade. Kai falou revirando o olho. 
        ⁃       O que? Seu pai vai te foder, a Bennett nunca vai te perdoar se você pedir isso pra ela. Klaus disse alarmado. Ele era herdeiro de um império também, a construtora Mikaelson era internacional, e os cuidados com os herdeiros era quase patético, ele sabia que se Bonnie não fizesse o exame eles a forçariam a fazer e com todo o dinheiro e os batalhões de advogados até tirariam a criança dela depois que nascesse. 
        ⁃       Eu sei. Mas o que mais me deixa puto nessa história é que eu sei que a Bonnie tá a fim de mim saca, mas ela fica fazendo jogo duro, acho que a pressão da galera em me tratar como um galinha/pegador/irresponsável afeta muito ela. A chateação era audível na voz de Kai. 
        ⁃       Eu te entendo cara, comigo não foi diferente, nem com o Damon, aliás, ele tá sendo hipócrita com você, a gente pegava geral também, ele já traiu a Elena várias vezes, a Care me deu uma chance independente da minha fama, não sei porque não deixam a Bonnie decidir isso sozinha também. Klaus disse tentando animar o amigo, a verdade era que todos viam a Bonnie como uma peça de cristal, e tinham medo dela se machucar, ela era sensitiva, delicada, generosa, empática, e ninguém queria que um idiota como Kai quebrasse aquele coração de ouro. 
Nenhum dos dois viu quando Elena passou pelo corredor e escutou um trecho da história, e que aquele trecho da história geraria uma grande confusão. 


A festa tinha começado e não parava de chegar gente na mansão. Bonnie tentava vestir uma calça que não fechava mais, sua cintura já estava mais arredondada, acabou tendo que colocar um vestido que ela não queria usar, o decote era grande e seus seios também estavam mais cheios o que fazia ela ficar "voluptuosa".
        ⁃       Bon, eu achei que era impossível você ficar ainda mais gostosa. Caroline falou enquanto se maquiava. 
        ⁃       Não esta vulgar? Ela perguntou ajeitando o decote. 
        ⁃       Claro que não, você está deslumbrante. Ela disse olhado a amiga. As duas se apressaram e foram juntas para a mansão no carro de Bonnie, ela não disse nada mas estava ansiosa para ver Kai, eles só conversaram sobre o bebê desde o último beijo, nenhum dos dois tocou no assunto mais. 
Chegando na festa foi difícil encontrar o aniversariante, tinha muita gente na casa toda. 
        ⁃       Bonnie, posso falar com você? Elena perguntou puxando a amiga pelo braço, as duas não conversavam muito como antes, ainda estavam estremecidas. 
        ⁃       Está tudo bem? Bon perguntou preocupada. 
        ⁃       Você sabia que o Kai vai te pedir um teste de DNA? Ela perguntou sem rodeios. A médica demorou para entender do que Elena estava falando, e de onde ela tinha tirado aquilo. 
        ⁃       Do que você está falando? Bonnie perguntou confusa. 
        ⁃       Ele vai te pedir um teste. E sabendo como famílias ricas lidam com essa coisa de "herdeiro" é capaz dele tirar seu filho de você. Elena tinha a voz amarga e indignada. Bonnie sentiu um arrepio de medo percorrer seu corpo, se lembrou do que Kai falou sobre Joshua e como ele era calculista quando se tratava da corporação Gemini. 
        ⁃       Onde o Kai está? Ela perguntou para Elena que parecia irritada. Antes que ela pudesse responder viu Damon se aproximar, ele tinha um largo sorriso no rosto. 
        ⁃       Bon, acho que é contra as regras uma mulher grávida ser tão sexy assim. Damon falou abraçando a amiga que estava com a cabeça em outro lugar. "Teste de DNA? Tirar a guarda do bebê dela?" Será que aquilo era verdade? Ela precisava falar com Kai urgentemente. 
        ⁃       D, preciso achar o Kai. Depois falo com você. Ela disse se desvencilhando dos amigos e adentrando a multidão atrás do pai do seu bebê. 


Bonnie achou Kai junto com outras pessoas no fundo do jardim, foi andando em direção ao grupo e viu Kai passar a mão no nariz, depois viu quando um dos garotos cheirou uma carreira de cocaína na coxa de uma garota loira e repetiu o mesmo gesto que Kai tinha feito. Um misto de raiva e nojo tomou conta dela, aquele imbecil ia ser pai e continuava se drogando, mesmo que esporadicamente, qualquer festinha era desculpa para ele beber ou se drogar e Bonnie não aceitaria que aquele irresponsável exigisse dela um teste de paternidade e muito menos teria a guarda do seu filho.  
        ⁃       Malachai. Ela o chamou tentando conter a irritação na voz. Ele se virou com os olhos azuis acinzentados brilhantes e um sorriso lindo no rosto. Assim que os olhos de Kai se chocaram com os de Bonnie ele soltou o ar que nem percebeu que prendia, que mulher fenomenal, ela estava linda, irresistível, absolutamente deliciosa com aquele decote sexy e os lábios com batom vinho, eram um convite para beijos cheios de luxuria. 
        ⁃       Bon... Nossa.... Você está incrível. Ele finalmente conseguiu falar. 
        ⁃       Podemos conversar? Ela falou ignorando o elogio. Kai percebeu que Bonnie estava brava e agitada, então achou melhor conversarem no seu quarto. Eles subiram juntos sob uma chuva de olhares curiosos e cochichos maldosos. 
        ⁃       Pode falar, está tudo bem? Ele perguntou fechando a porta e deixando para o lado de fora todo o barulho e a música alta. 
        ⁃       Quando você ia me dizer, que acha que esse filho pode não ser seu? Ela perguntou sem enrolar. 
        ⁃       O que? Eu nunca disse isso! Ele falou sem entender. 
        ⁃       Mas você pretende pedir um teste de paternidade? Bonnie falou cruzando os braços. 
        ⁃       Bon, não é tão simples assim....  Ela o interrompeu. 
        ⁃       Sim ou não Malachai? Ela falou ainda mais brava. 
        ⁃       Sim. Mas não sou eu que preciso de teste, isso é coisa do meu pai e o conselho da Gemini. Ele tentou argumentar mas Bonnie já andava de um lado para o outro com os olhos em faísca. 
        ⁃       E se eu me recusar a fazer o teste Kai? Ela tinha um tom de voz irônico e a raiva dela sobre aquele assunto era palpável. 
        ⁃       Eles podem pedir o exame judicialmente, pra garantir meus direitos de pai. Ele falou tentando esclareceu aquela situação. 
        ⁃       Seus direitos incluiriam pedir a guarda do meu filho por acaso? Ela perguntou voltado a encara-lo. 
        ⁃       Sim, se fosse o caso Bon. Aquela ideia jamais passaria pela cabeça de Kai, não existiria ninguém no mundo que seria melhor mãe do que Bonnie, ele tinha certeza disso. Ela ficou em silêncio com uma mão na boca e a outra na cintura, ela parecia pensar em algo, estava agitada, voltou a encarar Kai andando para mais perto dele. 
        ⁃       Então eu tenho uma novidade para você.... esse bebê não é seu. Ela falou de rompante. Kai sentiu o estômago afundar, perdeu a voz por um segundo enquanto esperava o olhar cortante de Bonnie vacilar. 
        ⁃       Para com isso. Ele conseguiu dizer sentindo um tremor de medo se instalar na sua coluna.  Bonnie sentiu o nó na garganta se apertar, e os olhos arderem, ela não queria estar fazendo aquilo, mas o instinto de proteção que lhe conduziu a tomar uma atitude tão drástica. 
        ⁃       Era isso que eu queria falar com você. Ela disse andando em direção à porta, forçando  as lágrimas a não rolarem até que ela estivesse sozinha, mas Kai a segurou pelo braço a olhando nos olhos. Ele não entendia por que ela estava fazendo isso, era cruel de mais. 
        ⁃       Desmente isso agora Bonnie. Ele ordenou com a voz extremamente rouca. 
        ⁃       Eu cometi um engano, o bebê que eu estou esperando não é seu. Ela falou desviando olhar, era doloroso de mais mentir para ele, mas o medo a estava fazendo agir daquela forma. 
        ⁃       Eu não acredito em você. Kai falou sentindo as lágrimas inundarem seus olhos, ela estava mentindo por que talvez tivesse medo que ele fosse pedir a guarda, mas ela estava fria e distante de mais naquele momento. - Bon, se isso é sobre pedir a guarda eu não quero nada disso, quero criar nosso filho junto com você. Bonnie quis se agarrar ao que Kai dizia com todas as forças, mas sabia que Joshua o manipularia como bem entendesse, ele fazia o filho achar que tinha culpa na morte da própria mãe, mas imaginar o que ele faria com seu bebê fez ela insistir naquela história. 
        ⁃       Kai, eu já disse, esse bebê não é seu. Ela falou voltando a andar para a porta. 
        ⁃       De quem é então Bonnie? Ele perguntou sabendo que ela não iria tão longe com a mentira. Bonnie teve um sobressalto, não estava esperando por esta pergunta, não tinha pensado sobre nada daquela conversa, nada ali estava sendo planejado. Ela viu o olhar confiante de Kai se firmar em seu rosto e sentiu que ele tinha conseguido lhe desarmar. 
        ⁃       Do Jeremy. Ela falou quase no automático. Ouviu sua voz sair de sua boca sem ao menos reconhecer, mas o que mais machucou Bonnie naquele momento foi o olhar perdido de Kai, ele parecia ter sido arremessado no oceano, toda aquela história soou para ele como mentira, exceto quando Bonnie falou sobre Jeremy. Ela quis voltar atrás, pedir desculpas, abraçar ele e dizer que o filho que ela esperava era um Parker, sem sombra de dúvida, mas não podia, tinha medo do que poderia acontecer se fosse contra uma família de advogados famosos por um herdeiro tão valioso.
Aproveitando que Kai não conseguia se mover e nem falar, tamanho foi o baque da mentirosa revelação, Bonnie saiu do quarto, desceu as escadas e atravessou apressada a multidão até o lado de fora da mansão Salvatore. Ela procurou o carro naquela bagunça e entrou nele ainda sem respirar, parecia que só lá dentro do carro, trancada e sozinha ela poderia encontrar ar. 
Assim que se sentou no banco do motorista ela sentiu seu corpo se desmanchar em tristeza, um grunhido escapou por sua garganta e ela chorou. 
Kai arremessou alguns objetos no chão tentando controlar a raiva que sentia. No fundo ele sabia que Bonnie estava mentindo, por medo ou outra coisa, mas ele sabia que era mentira. Sentiu o ódio causar tremores nos seus ossos, Bonnie poderia falar que o bebê não era dele, mas dizer que estava grávida do Jeremy era um absurdo. Ele se lembrou de encontrar os dois aos beijos no dia seguinte ao que transaram, se recusou a pensar que Bonnie transou com Jeremy naquela noite. Impossível!!!! Kai deu um murro no espelho de tanta raiva que sentia, parecia um pesadelo do qual ele queria acordar, será que haveria uma mínima chance do bebê ser de outro? Olhou os cortes nos dedos e sentiu o sangue quente correr pelo antebraço, quase tão quente quanto às lágrimas que queimavam seus olhos. Pegou o celular no bolso e discou o único numero possível. 
        ⁃       Não vou levar bolsas de glicose para seus amigos bêbados. Jô falou brincando com ele. 
        ⁃       Você .... pode vir pra cá? ....Eu preciso de você. Kai não costumava chorar para que outras pessoas vissem, mas não era isso que lhe preocupava agora. 
        ⁃       O que foi? Jô perguntou alarmada. 
        ⁃       Briguei com a Bonnie. Mas te conto melhor quando você chegar. Ele respondeu para a irmã. 
        ⁃       Você tá chapado? Jô perguntou percebendo que a voz do irmão estava diferente do habitual. 
        ⁃       Não, eu tenho exame antidoping amanhã, to limpo. Confirmou para a irmã. Jô saiu do hospital e foi em direção a mansão. Estava tão cheia e agitada que ninguém sequer a viu entrar. 

Bateu na porta do quarto de Kai mas tinha tanto barulho que achou que ele não ouviria. Já ia ligar no celular dele quando viu a porta entreabrir. Jô olhou os cacos de vidro que estavam no chão e uma toalha ensanguentada que pendia da mão esquerda do irmão. Uma sensação de medo lhe tomou. 
        ⁃       O que você fez? A Bonnie está bem? Ela arregalou os olhos azuis em sinal de preocupação. 
        ⁃       Está. Eu só soquei o espelho. Ele falou apontando para o canto do quarto. 
Depois de contar a história absurda que Bonnie lhe disse, Kai esperou pela opinião da irmã, mas Jô ficou quieta e tratou de fazer o curativo na mão dele. 
        ⁃       Não vai dizer nada? Ele perguntou inquieto. 
        ⁃       Me desculpa, não sei o que dizer. Ela falou recolhendo alguns cacos de vidro do chão 
        ⁃       Você acha que pode ser verdade? O bebê ser do Gilbert? Só de citar aquela hipótese ele sentia uma dor no peito surreal. 
        ⁃       Não acho impossível, Kai. Mas não sei o que pensar sobre isso agora. Ela falou sincera. 
        ⁃       Você acha que ela falaria para todo mundo que eu sou o pai e depois simplesmente desmentiria isso? Kai perguntou alarmado, a voz saindo em sussurro de tanta tristeza. 
        ⁃       Se ela ficou com o Gilbert como você falou, talvez exista uma chance dela ter se enganado. Eu sei que a Bonnie não costuma ser leviana, mas acho que vocês precisam pensar de cabeça mais fria e conversar melhor. Não era nada disso que Kai precisava e queria ouvir, mas sabia que Jô era pragmática e que ela não falaria nada somente para agrada-lo. 


Mensagem on 
Kai: Bonnie, amanhã quero te encontrar, você precisa olhar nos meus olhos e desmentir essa história absurda. 
Bonnie: É a verdade Kai. Melhor deixarmos as coisas como estão. 
Kai: Não sei por que você está fazendo isso, mas eu não vou aceitar. 
Bonnie: Sinto muito. 
Kai: Eu sei que é meu, não preciso de nenhum exame, só não quero você mentindo para mim. 
Bonnie: Sinto muito, eu preciso dormir. 
Kai: Ok, boa noite, cuida do nosso pequeno. 
Mensagem off


Bonnie chorou ao ler a mensagem, Kai vinha sendo muito cuidadoso com o bebê, apesar de tudo ele estava se dedicando, se preocupava com os exames, alimentação, descanso e tudo mais que envolvia a gravidez. Mas lembrou que na noite em que Kai saiu com Megan, Joshua disse para Jô que não era hora de Kai ser pai, e que se Bonnie quisesse o bebê ele não sabia ainda o que fazer. Ela não contou isso para ninguém, não sabia o que pensar, mas agora com essa história de teste de paternidade estava claro para ela que Joshua queria a criança, e passaria por cima dela e de Kai para conseguir. 


No dia seguinte Kai foi bem cedo para o ginásio, o time se submeteria ao teste antidoping para começar a nova temporada, ele já tinha decidido que não usaria mais drogas, por Bonnie e pelo bebê, desde a noite na casa dos Parker ele sentiu que aquilo afastava Bon dele. Além do mais durante a temporada haviam testes surpresas, então ele teria que andar na linha, nunca pareceu tão difícil, Kai teve vontade de tomar um porre épico com aquela loucura da Bonnie dizer que o bebê não era dele. 
O resultado saiu depois que eles terminaram o treino, cada jogador ficava com uma cópia para adicionar aos documentos da universidade, já que alguns seguiriam para a liga profissional. Ele saiu correndo do ginásio rumo ao hospital, precisava falar com Bonnie, precisava olhar em seus olhos e escutar a verdade. 
Bonnie tinha tido uma manhã péssima, nada parou em seu estômago, o bebê também parecia revoltado com aquela história, mesmo sem ter comido nada os enjoos não paravam, seu estômago dava trancos como se fosse um carro velho tentando subir uma ladeira. 
Kai estacionou e andou sentindo a adrenalina acelerar seu coração. Ele nem tinha se trocado, ainda estava com o uniforme suado de basquete, isso não importava, ele precisava falar com Bonnie. 
        ⁃       Drª Bennet, posso ajudar? Uma enfermeira viu Bonnie pálida se escorando em uma maca.
        ⁃       Acho que eu vou desma..... Foi o que Bonnie conseguiu dizer antes de ver tudo escurecer e suas pernas amolecerem. 
        ⁃       Bonnie!!!! Kai gritou entrando no corredor e vendo ela cair por cima da enfermeira. Ele a pegou no colo rápido e a deitou na maca. A enfermeira logo deu um alerta e uma equipe levou a médica para um dos quartos, ela segurou Kai para fora até que pudessem atender Bonnie, ele estava com medo, assustado. 
Uma obstetra entrou apressada no quarto, Kai ficava cada vez mais aflito, ninguém lhe dava notícia, Jô estava a caminho do hospital ainda e ele andava de um lado pro outro na sala de espera. 
Caroline chegou apressada e abraçou Kai. Ela correu para o hospital assim que ele ligou. 
        ⁃       Como ela está? Care perguntou vendo o nervosismo dele. 
        ⁃       Não sei, ninguém me diz nada. Ele respondeu ligando para Jô novamente. A irmã nem atendeu, sabia que não adiantaria dizer a ele que os médicos estavam trabalhando e que ela estava presa no congestionamento. 
        ⁃       Será que o Jeremy está aqui? Caroline falou e logo se arrependeu ao ver os olhos de Kai soltarem faíscas. - Talvez ele consiga alguma noticia. Ela complementou com a voz fraca. Kai não quis dar o braço a torcer e dizer que ele mesmo já tinha pensado nisso, mas estava preocupado, ele não falou para Caroline que viu Bonnie sangrar quando a deitou na maca, seu coração estava oprimido no peito, imaginando o que estaria acontecendo com seus amores. 
        ⁃       Se você puder procurar por ele Care, eu agradeço. Ele falou tentando controlar a vontade esmagadora de chorar.  
        ⁃       Ok. Ela falou aliviada por ele ser compreensivo sobre aquela situação. 
Caroline voltou dizendo que Jeremy tinha ido até a cirurgia ver Bonnie. Ela estava branca que nem papel, o que levaria Bonnie para a cirurgia? Algo estava muito errado. 
        ⁃       Care, Bonnie te disse alguma coisa sobre ela e Jeremy? Ele perguntou sem conseguir conter aquela ansiedade. 
        ⁃       Como assim? A loira perguntou. 
        ⁃       Bonnie me disse ontem que o bebê é do Jeremy. A voz dele era amarga e triste. 
        ⁃       O que? Por que ela diria um absurdo desses? Caroline não estava entendendo nada. 
        ⁃       Eu sei que é mentira, mas não sei por que ela está mentindo para mim. Ele falou se sentido um pouco mais aliviado por Caroline dizer aquilo. A loira também não entedia por que dá mentira, mas tinha certeza que o bebê era de Kai, Bonnie jamais se enganaria sobre aquele assunto, ainda mais se tratando de Jeremy, seria tudo tão mais fácil se o bebê fosse realmente do Gilbert, mas não era. 
Jô entrou na sala de espera afobada, disse a ele que iria até a cirurgia e que voltaria com notícias, mas antes disso Jeremy apareceu. 
        ⁃       Ela está bem. Teve um sangramento, mas já foi controlado, os batimentos do bebê estão bem também, foi só um susto. Ele falou olhando Kai nos olhos. Todos respiraram aliviados. - Mas ela vai ter que fazer repouso por um tempo, vai ser uma gravidez delicada. Kai sentia uma dor tão forte no peito que não conseguia falar nada, só pensava em Bonnie e em tudo que poderia ter acontecido com ela ou o bebê. 
        ⁃       Eu preciso vê-la. Ele falou olhando para Jô. 
        ⁃       Eu vou tentar, mas você precisa se acalmar, ok? Ela falou o encarando de volta. Kai concordou e andou junto com a irmã para tentar ver Bonnie. 
Bonnie recuperava a consciência aos poucos, começou a sentir e entender tudo o que estava a sua volta, se lembrou de ter desmaiado e de ouvir Kai gritar seu nome. Tentou falar mas sua boca estava seca e ela se sentiu fraca, a enfermeira que estava de costas para ela se virou e sorriu. 
        ⁃       Como se sente Drª? Ela perguntou simpática. 
        ⁃       M-meu.... Bebê.... Bonnie balbuciou assustada, não entendia por que estava sendo medicada e monitorada por causa de enjoos e um desmaio. 
        ⁃       Está tudo bem Drª Bennet. A senhora teve um sangramento, mas seu bebê está bem. A enfermeira tentou tranquiliza-la o quanto antes. Bonnie sentiu o sangue gelar ao ouvir que teve um sangramento, um princípio de aborto, ela não queria acreditar nisso, seu bebê ainda corria risco, e pior, ele tinha colocado seu pequeno em uma confusão tão injusta, nem mesmo seu medo poderia justificar a atitude que ela tomou, mentir sobre quem era o pai do seu filho foi a pior escolha que Bonnie poderia ter tomado. A enfermeira percebeu que ela estava chorando ainda em silêncio e achou melhor avisar Jô e o impaciente Malachai que aguardavam Bonnie acordar do lado de fora do quarto. 
        ⁃       Ela está assustada, acho melhor acalmarem ela. A enfermeira falou preocupada, não poderia administrar mais nenhum medicamento nela e sua pressão não poderia subir novamente.  
        ⁃       Obrigada Dil. Jô agradeceu a enfermeira enquanto o irmão afobado se apressava para entrar no quarto onde estava sua Bon e seu pequeno. 
 


Notas Finais


Três coisas gente!
1- Eu escrevi esse capitulo agora a pouco pq o que estava pronto eu não gostei.... rsrs
2- Desculpem se tiver muito erro, eu quase não revisei, só dei uma lida rápida
3- Deixem um comentário dizendo se estão gostando, sempre bom saber!

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...