História Bad Reputation - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon, Shawn Mendes
Personagens Shawn Mendes
Tags Amizade, Gravidez, Instagram, Magconboys, Messages, Originais, Shawnmendes, Traição
Visualizações 168
Palavras 1.350
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey babes!¡ Quem è vico sempre aparece kkkkkk Espero que gostem e aproveitem a leitura.

Capítulo 18 - Pelo Bem de Todos.


Fanfic / Fanfiction Bad Reputation - Capítulo 18 - Pelo Bem de Todos.

─ Você tá muito gordinho! ─ Falei enquanto fazia cócegas na barriga de Thomas, que gargalhava. Terminei de o arrumar e peguei sua bolsa.

Já estava perto do parquinho, quando um carro preto para ao meu lado, olhei pra janela e vi os retardados, Cameron e Nash rindo. Ele abaixou a janela do carro e lhe mostrei o dedo do meio.

─ Tá bonita demais pra quem vai levar o filho pro parque. ─ Cameron sorriu malicioso e revirei os olhos.

─ Vai se foder, Cameron. ─ Entrei no banco de trás do carro com Thomas, que brincava com meus cabelos.

─ Eai garotão! ─ Nash falou virando para o banco de trás e pegando na mãozinha de Thomas.

─ Nash sendo fofo, è tão fofo! ─ Cameron falou imitando voz de garota, me fazendo rir e Nash lhe dar um soco no ombro.

Cameron ligou o carro e desviou o caminho do parquinho , estranhei mas preferi não falar nada. O caminho poderia ter sido silencioso se não fosse pelas gargalhadas gostosas que Thomas dava com as idiotices de Nash.

─ Então, vocês vão me sequestrar ou me levar pra algum lugar? ─ Os garotos se entreolharam.

─ Se a gente te sequestrar, não vamos estar te levando pra algum lugar de qualquer jeito? ─ Nash falou e sorriu brincalhão.

─ Para de ser idiota, Nash. Eu tenho que parar com essa mania de ir atrás de vocês sem saber pra onde vão.

─ Fica quietinha aí, senhorita Elize. Estou correndo risco de ser mutado por levar uma criança fora da cadeirinha e espero que isso faça valer a pena.

─ Nossa, senhor Dallas. Nenhum pouco de drama... Fazer valer a pena o quê?

Nenhum dos garotos me respondeu, preferi não insistir. Eu sei que não vai ser nada demais. Thomas jà estava dormindo no meu colo, olhei pra fora da janela e percebi que conhecia onde estavamos.

─ Vamos pro SweetCoffee? Aquilo não fechou?

─ Caralho, ela não esquece nunca desse lugar. ─ Nash falou e balançou a cabeça. ─ Ele não fechou, você que deixou de ir là.

─ Cameron, vamos em outro lugar. Olha, o StarBucks existe pra isso.

─ Droga, perdi a aposta! ─ Cameron falou e Nash riu.

─ Gente pelo amor de Deus, que merda ta acontecendo?

Cameron parou o carro no estacionamento do SweetCoffee, ele saiu do carro, abrindo a porta para mim, logo depois.

─ Me dà ele, e aí você descobre a merda que ta acontecendo. ─ Cameron falou estendendo os braços para pegar Thomas.

Respirei fundo e entrei no SweetCoffee, tinha só 5 pessoas e uma delas estava sozinha, virada de costas. Andei devagar atè a mesa, analisei quem estava sentado ali, e vi que a pessoa tinha um sinal parecido com "dois pontinhos" no pescoço, igual o de Thomas.

Por um instante momentos maravilhosos passaram pela minha cabeça.

Shawn olhou pra trás, não consegui decifrar o que ele estava sentindo, Shawn parecia calmo como se tudo isso fosse normal. Ele e a levantar mas balancei a cabeça e sentei a sua frente. Seu rosto estava melhorando, porém ainda tinha marcas roxas no olho. Ele travou o maxilar e abaixou a cabeça, sinal que estava nervoso.

Eu não queria ser fria com ele, mas eu precisava. Pelo seu bem.

─ Fala logo o que você quer. ─ Minha voz não saiu tão firme como eu esperava.

─ Não tenta fingir algo que você nunca foi, Anne. Você quer falar comigo? Ou vai ficar me evitando e me fazer levar socos por você? ─ Ele me olhou e abaixei minha cabeça.

─ Não posso falar com você.

─ Não pode ou não quer?

─ Shawn, você não entende. È pelo o seu bem. ─ Criei coragem e o encarei,  me segurando para não chorar.

─ Anne, para de pensar no bem dos outros por cinco minutos. Eu não vou estar bem, se você não estiver. Por favor, conversa comigo.

Me levantei para ir embora, sem falar nada. Eu não podia falar nada. Jà estava perto do carro quando alguém segurou meu braço.

─ Porra! Será que não entende? Eu quero o seu bem! Eu vim do Canadá só pra te ver de novo, saber o porque se afastou e não me contou sobre o seu filho! ─ Shawn falou com o tom de voz alterado.

Odeio admitir que doeu ouvir ele dizer " seu filho", e não "meu filho ".

─ VOCÊ SOME POR MAIS DE 6 MESES, PORRA! VOCÊ PROMETEU QUE ME LIGARIA, EU SÓ FALEI CONTIGO POR DOIS DIAS! DOIS! E VOCÊ VEM AQUI QUERER EXPLICAÇÃO?!

─ Anne, você mentiu pra mim esse tempo todo, estava grávida e mesmo eu indo embora você não me contou. Depois desses dois dias você poderia ter falado comigo, eu ainda tenho um celular. Você preferiu esconder de quem sempre esteve do seu lado pra ficar com um merda como o Adam?! ─ Ele falou calmo, porém sua voz era firme e fria. ─ Quem è o pai do seu filho?

─ Eu jà falei, merda! O Adam!

─ Anne, não mente pra mim. Se Adam è o pai do seu filho, então seu filho nasceu com 17 meses?  ─ Mordi o labio inferior, pensando em alguma mentira boa.

─ Shawn eu... Eu fiquei com o Adam, depois da festa.

Ficamos nos encarando por bastante tempo, ele riu com sarcasmo e balançou a cabeça.

─ Eu não acredito em você.

  Entrei no carro e não falei nada, Thomas estava acordado quando coloquei ele no meu colo. Cameron e Nash não falaram nada o caminho inteiro, o que me ajudou a pensar.

Entrei em casa e tomei um susto com Adam sentado no sofá, olhando pro nada. 

 ─ Me dà o Thomas.

─ Por quê? ─ Perguntei.

─ Por que eu não quero meu filho em colo de puta. ─ Ele falou seco.

─ Você è maluco!

Dei as costas indo até o quarto de Thomas e o coloquei no berço, e a passar direto pra cozinha, mas Adam segurou meus braços.

─ Como você quer que eu não te chame de puta, se você deixou seu filho com seus amiguinhos pra se encontrar com aquele idiota? ─ Adam falou no meu ouvido me deixando nervosa.

─ Como você sabe?

─ Seus gritos chegaram nos meus ouvidos.

─ Você me seguiu?! ─ Tentei puxar meus braços, mas ele me segurou.

─ Não precisa dar um daqueles chiliques. ─ Ele me soltou fazendo eu cair no chão. ─ Vou embora, e quero a guarda do meu filho. ─ Ele pegou duas malas no quarto e antes dele sair, me levantei e corri até a porta

─ Não precisa pedir guarda nenhuma, babaca. O filho não è seu. ─ Falei e sorri com deboche.

Adam tinha ódio nos olhos. Ele me empurrou da porta e dessa vez bati a cabeça no chão.

─ Um problema a menos. ─ Ele falou batendo a porta com força. Minha cabeça doía tanto, que vi a hora dela explodir. Comecei a chorar deitada no chão, tomei um susto quando Gabi entrou desesperada pela porta.

─ Anne, você está bem? O que houve? ─ Sol, Lua e Lizzie chegaram correndo, desesperadas como Gabi.

─ Vamos levar ela pro hospital.

─ Não! Eu estou bem, foi só um choque. ─ Levantei do chão e peguei meu celular. Liguei pra Gilinsky que logo atendeu. ─ Eu preciso falar com você, e os meninos. Shawn tambèm.

Desliguei o celular sem ouvir o que ele tinha pra falar. Lizzie entendeu o que eu iria fazer, e ligou para Matthew marcando de todos se encontrarem na casa dele.

Fui ao quarto de Thomas, ele abriu seu sorriso com apenas dois dentinhos e voltou a tentar colocar o próprio pè na boca. Peguei ele no meu colo beijando sua bochecha, ele deitou sua cabeça no meu ombro e ficou quietinho.

─ Tenho a impressão que ele sabe o que você está sentindo. ─ Gabi falou parada na porta do quarto.

─ Eu tambèm. ─ Senti uma lágrima descer no meu rosto e sorri.

─ Você realmente vai fazer isso, certo?

 ─ Eu preciso fazer isso. E dessa vez não è pelo bem de ninguém, além do meu filho.


Notas Finais


Preparadas pelo o que tem por vim?
Desculpem qualquer erro.
Xoxo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...