História Bad Week - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~KittyWilde_

Visualizações 146
Palavras 2.274
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Se essa fanfic flopou? Pois é, muito
maas queri agradecer o apoio de quem leu e comentou. Obrigadão ai ♡

Capítulo 50/50 escrevi metade e a ketty a outra e novamente ela não pôde postar.

Boa leitura! Perdoa os erros.

Capítulo 2 - The Untitled Jeon Jungkook Project


Fanfic / Fanfiction Bad Week - Capítulo 2 - The Untitled Jeon Jungkook Project

Eu não achava que era bom nas aulas de teatro, as vezes eu não conseguia ficar sério em momentos que se pedia seriedade em atuações, estragando meus desempenhos, porém eu gostava de participar das aulas.

Pode ser que eu ficasse boiando na maioria das vezes que minha professora falava sobre peças clássicas e coisas do tipo, por mais que eu fosse um amante nato de Shakespeare, Charlie Chaplin e grandes produtores da Broadway, seus assuntos me davam sono e eu só fazia questão de prestar atenção nas aulas práticas, as quais eu realmente gostava. O que literalmente não é o caso de hoje.


A professora estava em pé no palco do auditório, andando para um lado e para o outro, gesticulando com as mãos de forma grotescas enquanto falava algo que eu não fazia idéia sobre o que era.

Eu tinha um caderno aberto em minhas pernas que estavam cruzadas em formato de índio, tal caderno que era para eu usar para anotar as coisas importantes que a doninha falava, mas eu não ligava para aquela tagarela e desenhar traços finos aleatórios na folha listrada parecia mais interessante. Outra coisa que me tirava a atenção era a cabeleira em um louro acizentado na minha frente, era tão lisinho e parecia ser tão bagunçavél. A vontade de despentiar o ser da minha frente é enorme.

Eu gosto de artes, acho que é a única coisa que eu realmente amo nesse mundo. O fato de que posso me expressar usufruindo do meu talento me excita e é único lugar que um adolescente rebelde, desleixado e incomum, como eu, se encaixa.

É tipo aquela frase "aqui todo mundo é um lixo, ninguém vai te julgar"


— Bom, como estamos na metade do calendário escolar e já faz mais de quatro anos que dou aula aqui — a professora engrossou e aumentou o seu tom de voz, me fazendo sair de meus devaneio e desgrudar os meus olhos de meu desenho, já que a mesma não tinha essa costume de agir ou falar assim — vamos dá as boas vindas ao aluno que frequenta essa escola a dois anos e está pela primeira vez assistindo as nossas aulas. Por favor, Yoongi Min, se levante para os seus colegas e os cumprimentem.

O loirinho da minha frente se levantou e eu cheguei rir desacreditado ao ver o mesmo com as bochechas vermelhas que ficam bem visível e destacável em sua pele branca. Yoongi simplesmente acenou com a mão e fez uma reverência meio desajeitado, correndo para se sentar em seguida em minha frente, novamente. Acho que a presença do Min é tão estranha aqui, que o auditório que antes só se ouvia a voz da professora, passou a ser preenchido por conversas paralelas sobre o fato de que Yoongi estava aqui.

Era algo que ninguém esperava e eu não me importava.

Tratei de voltar a minha atenção ao meu desenho, até que novamente minha atenção foi a minha frente, após ouvir muita gente comemorar do que a professora acabou de falar, algo que eu não prestei atenção, novamente.

— O que ela falou? Eu meio que não ouvi — antes de perguntar ao Gabriel ao meu lado, tive que dá uma cotovelada em seu peito para ele me dá atenção e coçei a nunca para dá um charme a minha fala.

— A peça que a escola está promovendo — Gabriel respondeu com pouco caso, já que ele realmente não se dava bem com teatro. Ele é geralmente o cara que interpreta o papel de uma árvore ou porta. — The Rocky Horror.

O encarei surpreso quando ele citou o nome de um dos meus musicais favoritos, mas não foi porquê eu gostava e sim, pois não acho que seja apropriado trazer isso para uma escola, já que a história e as piadas que continham nele é considerado meio pesados. Por outro lado não é como se eu estivesse reclamando, longe disso, eu obviamente já estou me preparando para fazer o teste para interpretar o papel do Rocky.

Eu claramente não consigo ver outro aluno sendo o Rocky, a não ser eu. Nasci para brilhar e mostrar meu abdômen definido para uma plateia e tenho certeza que esse papel já é meu, já que na história Rocky é um homem perfeito criado pelo Dr. Frank-N-Furter para satisfazer os seus desejos sexuais, e nesse colégio não existe perfeição maior que muá. Me enquadro perfeitamente com o perfil do personagem.

Estou até vendo o quão arrasador eu ficaria dançando e cantando Rose Tint my World com a meias arrastão de 7/8 com uma cinta-liga, uma saia preta mostrando as minhas coxas grossas que ganhei graças as horas na acadêmica, espartilho e um salto preto nos pés. Puta que me pariu, eu sou macho, bem macho — mentira, mas não me curto muito vestido de mulher — mas nesse caso a gente até chega a não se importar com o fato de que estarei praticamente vestido como uma prostituta. Sem contar que desde que Rocky aparece, até a última apresentação que troca de roupa, as suas vestimentas consiste em apenas uma sunga dourada e como eu disse anteriormente, eu nasci para expor meu abs.


Só sai do meus devaneios quando o sino da troca de aulas soaram e quando todos se levantaram dos assentos, eu continuei ali, já que dias de terça-feira a professora de teatro ia embora duas aulas antes, então o teatro ficava vazio e escuro, melhor lugar para se matar aula. Também fiquei pois queria conversar com a senhora Payne para tentar reservar o meu o papel de Rocky.

Fiz questão de ir em direção a professora só quando o auditório estava quase vazio e ela estava arrumando a sua bolsa de mão de costas para mim e conversava com um louro que eu não podia ver quem era sobre algo.


— Eu espero te ver fazendo um teste para a peça.

— Mas professora... Eu não consigo me apresentar em frente a uma platéia, não consigo nem falar com pessoas normalmente — a voz desconhecida por mim era súplica e parecia que o garoto estava prestes a chorar. Loser.

— Yoongi, como deseja ser um ídolo famoso que espalha paixão sobre as suas composições se é tímido para se apresentar no meio das pessoas? Pelo o seu histórico e o que os outros professores saem falando sobre você, sei que é um bom dançarino e compositor e acho que o teatro é a melhor forma para perder essa vergonha — fiz uma careta desgostosa quando a professora falou sobre os dotes do Min, eu conseguia ser melhor que ele na dança, mas diferente do mesmo eu era um fracasso nas aulas de músicas só porque eu não consigo compor uma canção original. A inveja bate forte — O que deseja, Jeon?

Desejar eu desejo muitas coisas, porém isso não é problema para mim já que eu sei que tenho capacidade para ser o que e eu quiser, meu ego é inabalável. Mas nesse momento eu não sabia como saber tocar no assunto e praticamente implorar para fazer o papel que eu quero.

Eu confio em meus dotes de ator e sei que eu conseguiria passar no teste se eu quiser, mas tem um bagulho que fode a sua vida se você for um gringo em um país diferente chamado xenofobia. Vai que para a professora um asiático não é o sinônimo de perfeição e a única coisa que se precisa para fazer o papel de Rocky é ser perfeito. Em peças de teatros passados que já fiz como projeto do colégio mesmo, participei interpretando personagens que estavam no script que eram asiáticos e o Rocky por ser interpretado no cinema e nos teatros eram por atores ocidentais e de acordo com os meus cálculos, tenho pequena percentagem de eu conseguir ser ele.

A crise bateu forte agora e eu preciso desse papel.


Suspirei fundo então antes de responder meio receoso, desconversando: — Se a senhora quiser uma ajuda com os alunos tímidos, posso os ajudar a deixar de ser envergonhado.

A professora me olhou desconfiada com os olhos semicerrados enquanto procurava algum resquício de ironia em meu tom de voz. Ok, certo que eu seja um pouco metido e que eu não tenho mania de oferecer ajuda aos outros, mas fiz isso por puro egoísmo pensando apenas em mim e nos pontos que ganho ajudando a professora. 

Ninguém precisa saber disso, consciência. Isso fica entre eu e você.


— Isso não depende de mim, se a pessoa quiser ajuda, ela vai aceitar — rebateu a mais velha se referindo ao Yoongi como se ele nem estivesse ali. O jeito quieto dele nem fazia parecer que ele era existente — agora tenho que ir. Vão para a próxima aula.

— Ok, Tchau e... Ah, professora! — chamei por era que parou no caminho e se virou em minha direção — quais são as chances de eu ser o Rocky? — perguntei desviando a minha atenção que antes estava na professora para encarar o Yoongi que estava sentado sobre a cauda do piano que ficava no centro do palco, com as bochechas roseas e o olhar perdido.

— Vamos ver o seu desempenho no teste.

Depois de sua resposta, suspirei frustado olhando em volta. O auditório estaria vazio se não fosse pela minha presença e pela a de Yoongi que estava na mesma posição que da última vez que o vi a dois minutos atrás.

Me aproximei meio relutante do branquelo fazendo a suas pupilas se focarem em minha direção enquanto eu andava em passos calmos até ficar em sua frente. As cores avermelhadas das bochechas claras do menino se intensificaram e o mesmo desviou o olhar com a minha proximidade.

Pessoas tímidas são idiotas ou fofas. No caso dele, os dois, mas a idiotice parece esta vencendo em sua reações.

— Eu te ajudo e você me ajuda — ditei fazendo Yoongi voltar a me encarar com os olhos pequenos banhado de curiosidade  e desentendimento.

— O-oque?

— Você faz o teste, passa e fala bem de mim para a professora e então ela chega a conclusão de que sou um bom aluno e me deixa ser o Rocky.

— C-omo pe-pretende me...me ajudar nisso? — seu tom de voz era baixo e a sua gagueira me incomodava, sendo difícil para eu ouvir e ele parecia se escolher cada vez mais — "eu te ajudo e você me ajuda" não preciso perder a timidez, eu... meio que não preciso de motivos para ser sociável — revirei os olhos com escárnio após a sua fala. Que argumento mais lixo e esse garoto estava começando a me irritar. Merda — Aliás, você não se encaixa para ser o Rocky.

O olhei desacreditado com a mão no peito super me sentindo ofendido com a sua confissão tentando entender o real motivo, porém eu só saberia a resposta que eu perguntasse e foi isso mesmo que eu fiz — Por que?

Ele parecia pensar sobre se ia ou não responder a minha questão, já que estava nervoso e dava para perceber apenas pelo jeito que eles mordiscava o lábio inferior e a pontinha da língua.

— Rocky é o homem perfeito e... — hesitou um pouco, enquanto a minha vontade de cometer um crime de ódio contra esse branquelo esquisito só aumentava — ... Gostoso?!

Isso soou mais como uma pergunta do que uma afirmação, me fazendo negar repetitivamente com a cabeça enquanto pegava uma distância leve do piano, me virando de costas para o Min enquanto eu retirava a minha camiseta azul marinho que ficava larga em meu corpo.


— Eu não sou gostoso o suficiente? — questionei me virando a ele, vendo o mesmo arregalar os olhos por mínimos segundos antes de os tampar com as mãos — Hey, não vai olhar?

Ele negou com a cabeça ainda com os olhos fechados e antes que eu pudesse me aproximar dele, Yoongi deu um salto do piano ficando em pé e saiu correndo disparado sem olhar por onde andava, consequentemente trombando em meus ombros.


Quando percebi que eu já estava sozinho e o teatro estava sendo só meu nesse momento, voltei a vestir a minha camiseta enquanto ria ao me lembrar da reação — idiota, não fofa — do branquelo baixinho. Removi o meu celular do bolso de trás da calça e já estava escolhendo uma música para por e ensaiar alguma coreografia qualquer e me apoiei no piano enquanto via as minhas playlists de músicas, até que algo chamou a minha atenção e logo peguei não me importando de quem era. Mesmo eu desconfiando de quem pertencia.

Era um celular, novo em folha em cima do piano. O iPhone não tinha uma capinha, mas atrás dele logo em baixo da maçã havia um figurinha do Naruto grudada. Guardei no bolso que antes estava o meu celular, sabendo que uma hora ou outra eu teria que devolver ao dono e quem sabe assim eu não insisto para ele aceitar a minha ajuda.


Eu sei que sou escroto e ajo de um jeito que faz as pessoas simplesmente não gostarem da minha presença, mas a minha gentileza é algo que ficava trancado a sete chaves dentro de mim e acabo revelando quando acho que a pessoa realmente valha a pena. Não faço questão de que meus colegas gostem de mim, eu não me importo com eles, desde que não pisem em meu calo. Nossa relação só existe sobre o portão da escola para dentro, fora dele espero nunca encontrar esse bando de gente feia, me recuso até a fazer trabalhos de escola com eles.

As vezes sou tão insuportável que nem eu me aguento, porém é a minha personalidade e eu não mudaria por ninguém, porém acho que não me custa nada fingir ser gentil com um colega de escola, tudo para me lançar ao sucesso.


Notas Finais


Agora vou fazer prova de Química, agorinha mesmo. Me desejam sorte.

O que posso dizer desse capítulo? Eu, @kittywilde_ não sei como fazer personagens cuzoes e é para o Jk ser muito filho da puta. Perdoa eu.

Rose Tint My Word (figurinho): https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQcxV2wYVEoKebvLTS0T0dA7J9D2x8mWwFd284bXV_1Z9IgT0zk-qUGvUd7sA
Rocky: https://vignette.wikia.nocookie.net/glee/images/7/75/Glee-rocky-horror-peter-hinwood-chord-overstreet500.jpg/revision/latest?cb=20110607033531

Pois é, amo the rocky horroe picture show.

Depois da prova respondo os comentários.

Te amo vocês ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...