História Besides Darkness - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Evil Queen, Once Upon A Time, Ouat, Outlaw Queen, Regina, Robin
Visualizações 143
Palavras 1.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Magia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


podem em xingar, sei que demorei de voltar, mas tamo aqui né, firme e forte.
depois dos vários baques que eu recebi com a série foi difícil voltar a escrever com a mesma vontade.
além disso tem a faculdade né? que tem tomado muito meu tempo, mas não vou ficar falando disso né mores kkk
só queria dedicar esse cap a minha luv (kim kardash do meu clã) que começou a ler a minha história e eu me empolguei um pouco mais pra atualizar.
pra rhay que também pediu em altas kkk.
enjoy <3

Capítulo 44 - Roland!!


Fanfic / Fanfiction Besides Darkness - Capítulo 44 - Roland!!

Meses separados, cada um aprendendo novamente a viver suas vidas sem a presença um do outro. A vida de regina não tinha deixado de ser movimentada, com Maya me casa os dias pareciam passar cada vez mais rápido, mas sempre faltava alguma coisa, a presença de roland e Robin.

Por outro lado Robin também tinha movimento em sua vida, entretanto Roland já entendia o que estava se passando ao seu redor e diariamente perguntava quando iria voltar pra perto de sua irmã e sua mãe.

- ela fala comigo papai, ela quer a gente em casa de novo – dizia roland seguindo seu pai pela casa.

- roland, sua irmã ainda é um bebê, já falamos sobre isso.. não tem como ela conversar com você – respondia Robin visivelmente cansado de explicar o que para ele parecia lógico.

- mágica papai, ela tem magica que nem a mamãe regina – o menino subiu numa cadeira que estava na cozinha e encarou o pai que começou a preparar um sanduiche.

- sua irmã não tem mágica roland...- Robin suspirou pesado e colocou o sanduiche na frente do seu filho que começou a comer, sem falar mais nada.

Regina tinha acabado de sair do seu carro, estacionado em frente a escola primária de storybrooke, ela pega sua pequena da cadeirinha no banco de trás do carro e assim que se vira para se direcionar ao portão dá de cara com Robin deixando Roland com uma das freiras. A morena se aproxima e faz o mesmo, entregando sua bebê a mesma freira.

- Robin... – diz ela com um pouco de encanto em seu tom de voz

- Regina – o loiro nem conseguia disfarçar, apenas abriu um sorriso olhando nos olhos castanhos dela – você...está.... linda

- ér...obrigada – disse ela sorrindo lisonjeada, colocou as mãos dentro dos bolsos do seu sobretudo preto – não sabia que você trazia roland nesse horário.

- na verdade eu não trago, mas ele insistiu tanto em vir pela manhã hoje que eu decidi fazer a vontade dele – contou.

Já dentro do pátio da escola roland olhava para sua irmã como se agradecesse a ajuda. Maya transmitiu os pensamentos de sua mãe para seu irmão, informando o horário que as duas sairiam de casa e quando a menina estaria na escolinha.

Regina e Robin seguiram andando pelas redondezas da escolinha e conversavam sobre tudo, menos sobre eles. Depois desse tempo separados, não acreditavam que deviam “importunar” a vida do outro com seus próprios sentimentos.

- você ouviu? É o sinal da escolinha – disse Robin

- é mesmo, vamos buscá-los – regina saiu andando na frente

- eu queria levar o roland pra passar um tempo com a Maya hoje a noite, se não for te incomodar

- ah claro, pode levar! A maya sente falta do irmão...

- não vai receber ninguém hoje a noite? Não quero incomodar – perguntou ele, sondando.

Regina riu como se o que ele disse não fizesse o menor sentido.

- claro que não – ela para de andar e olha pra ele – porque eu receberia alguém? Você sabe muito bem que eu não gosto de muita gente perto de mim

- é, eu sei..

Os dois continuaram andando e ficaram em silencio por alguns segundos. Assim que chegaram na frente da escola Robin puxou um novo assunto.

- eu sinto falta do reino, da vida que levávamos lá.

A morena olhou para ele como se partilhasse do mesmo sentimento e sorriu sem mostrar os dentes.

- eu também...

- talvez tudo tivesse sido diferente se nunca tivéssemos saído de lá – pontuou ele.

- eu tenho certeza que teria sido diferente – ela disse olhando para o loiro.

Os dois foram interrompidos pela voz de roland que veio correndo e abraçou a morena.

- mamãe regina!

A morena se abaixou, ficando na mesma altura que ele e sorriu lhe dando um beijo na testa.

- roland, você cresceu? – perguntou a morena brincando com os cabelos ondulados do menino

- cresci sim, papai disse que eu tenho que tomar conta da casa enquanto ele estiver fora – confessou o menino inocentemente.

A morena que estava ajoelhada até então, levanta a cabeça olhando pra Robin e logo volta seu olhar para roland novamente.

- quer dizer que seu pai tem te deixado sozinho? – perguntou regina.

- não! Eu não deixo ele sozinho... – Robin se defendeu.

- não mamãe, ele me deixa com a granny quando ele sai com a tia Ruby – mais uma vez a inocência de roland prejudica Robin.

-  tia Ruby? – regina se levanta e olha pra Robin que estava claramente procurando uma resposta suficientemente boa

- regina, eu....

- tudo bem Robin, você não me deve explicações – disse, calma e serena, forçando muito bem o seu sorriso, abraçou roland e foi se afastando – te amo pequeno – foi em direção ao portão, onde Maya estava no colo de uma das freiras.

- quando vamos voltar pra casa da mamãe regina, papai? – perguntou roland enquanto segurava a mão de seu pai, que lhe guiava para o caminho de volta para casa.

- eu não sei filho... pelo visto, tão cedo não vai ser – respondeu ele.

                                                                                              X

Mais tarde naquele mesmo dia, Regina deixou Maya sentada na cadeirinha enquanto preparava a papinha da menina, estava impaciente, as palavras de roland não saiam da sua cabeça, ecoavam para que ela tivesse mais certeza que Robin havia superado sua relação com ela. A morena larga o pratinho de sua filha em cima da pia e começa a andar de um lado pro outro em frente a menina que aguardava seu jantar.

- “sinto falta do reino, da vida que levávamos lá..” que grande mentiroso – com as mãos na cintura, usava apenas uma camisola (short e blusa) de seda preta e curta – eu não estou com ciúmes, é claro que não, só acho no mínimo curioso o modo como ele superou rápido, e ainda por cima ... a Ruby??? Sério??? Nunca achei que ela fizesse o tipo dele, acho que depois de mim ele perdeu a sensibilidade para mulheres

Maya que estava sentada na cadeirinha, entortou a cabeça como se estivesse confusa com o nervosismo de sua mãe.

- desculpa filha, eu não deveria estar falando assim do seu pai na sua frente – suspirou – vamos, está na hora de comer e depois vai dormir okay?

E assim aconteceu, regina alimentou sua filha e depois de pouco tempo ninando-a, maya dormiu com a cabeça apoiada no peito da mãe. Regina cuidadosamente subiu as escadas e a colocou dentro do berço. Vendo que a menina estava segura e que não iria mais acordar, a morena saiu do quarto de bebê e foi em direção ao seu, deitou-se na cama e mais uma vez as palavras de roland voltaram a ecoar em sua mente.

- eu não aguento mais!! Sai da minha cabeça!!

- eu tenho pedido a mesma coisa durante todo esse tempo que passamos separados para a sua voz que não saia da minha cabeça e o seu cheiro que insiste em ficar no meu travesseiro – respondeu Robin que estava de pé em sua frente.

A morena se sentou rápido com o susto que levou.

- como entrou aqui? – perguntou ela pegando o hobbe e vestindo.

- pela janela é claro – disse ele como se fosse a coisa mais normal do mundo

- você precisa aprender a usar a campainha – respondeu a morena, indo fechar a janela.

- e nós precisamos conversar – rebateu o loiro.

- não temos mais o que conversar Robin... só vamos remoer um passado que insiste em nos machucar – regina olhou para ele como se implorasse para não tocar no assunto.

- regina, você vai me ouvir! – ele foi firme e a morena engoliu seco.

- tudo bem, pode falar – cedeu.

 

 


Notas Finais


perdoem o capítulo curto e não desistam de mim!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...