História Bilhetinho - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jinyoung, Mark
Tags Fluffy, Markjin, Starter, Wonpil
Visualizações 73
Palavras 1.406
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, Slash

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiro lugar, obG LUA PELA CAPA, TE AMO MEU XUXU
Segundo, mas não menos importante TORI MEU AMOR, MEUS PARABÉNS AAAAAAAAAAAA VO POSTAR A MEIA NOITE PQ SIM AAAAAA TE AMO AAAAAAAAA
pro @ predo tbm, pq ele fez aniversário e n quero as iras alheias sobre mim, te amo meu amo
Boa leitura e esperem pelo mês que vem que vai ser supimpa!!


Ps. Galero, se quiserem entrar no starter, n tenham medo/vergonha ou quaisquer sentimentos aversos a isso, estamos sempre abertos

Capítulo 1 - Bilhetinho


“Se você se sente do mesmo jeito que eu, me encontre no nosso lugar de sempre, às 13 horas.

-M” 

 

Foi a única coisa escrita naquele papel que Jinyoung encontrou, uma mistura de inglês e coreano. Ele sempre fazia isso quando estava nervoso ou ansioso, o que seria engraçado em outro momento, mas não naquele momento.

 

Jinyoung, como trainee centrado, sempre acabava chegando tarde no dormitório que dividia com outros trainees. Ficava horas e horas aperfeiçoando os passos e técnicas que lhe renderam algum trabalho durante as avaliações mensais. Naquele dia não havia sido diferente, chegará beirando às 4 da manhã no quarto, seu péssimo hábito de dormir sem tomar banho quando estava muito cansado sempre o abraçando, e não demorou muito em dormir depois de ver que todos estavam ali. Sorriu brevemente e antes mesmo de seu corpo se ajeitar na cama ele já estava dormindo. Não eram nem dez quando ele decidiu abrir os olhos. O quarto estava vazio, tudo extremamente bagunçado. Era exatamente assim que um quarto de garotos deveria parecer……. Não é? Mas por que ele era sempre assim. A cama perfeitamente esticada e arrumada, lençóis brancos, os livros de coreano empilhados sobre a pequena estantezinha de madeira. Mas algo estava especialmente estranho nessa manhã.

 

Jinyoung coçou os olhos, para espantar o sono, e se esticou, um costume que nunca se perdeu independente da falta de tempo nas manhãs corridas. Aos poucos se aproximou da cama e pegou o papelzinho ali em cima, Mark nunca deixa nada fora do lugar. E foi aí que ele viu aquele papel dobrado, seu nome escrito e dentro letras tortas e o papel meio rasgado, provavelmente por todas as vezes que ele apagou e reescreveu a mesma mensagem. Jinyoung sentiu seu corpo retomar as energias, ao invés do cansaço de todas as manhãs, e um dos sorrisos mais bonitos brotou nos lábios assim como as ruguinhas nos olhos, ficando em um transe até ouvir seu estômago roncar, ecoando pelo quarto.

 

O relógio ainda marcava às 10:15 quando Jinyoung terminou o abençoado banho da manhã, ele realmente não se importava de dormir sem tomar banho, mas ninguém tirasse o banho matutino dele que a briga era feia. Ele escovou os dentes e arrumou o cabelo de todas as formas que seu corte tigela e cabelo escorrido permitiam. Escolheu a melhor roupa que tinha, uma das que só usava para ocasiões extremamente importantes, tipo numa reunião pra decidir o futuro dele. E, bom, essa era uma reunião importante para decidir o futuro dele.

 

 

11 horas em ponto, Jinyoung estava no portão de saída, sua mão suava em expectativa, suas pernas já seguiam para o lugar marcado. Sabia que estava cedo, mas ele já não aguentava mais ficar. Isso até ouvir uma voz conhecida.

 

“Jinyoungie” Wonpil tinha as horas mais inoportunas, mas sendo melhor amigo de Jinyoung não tinha problema. Pelo menos até aquele momento. “Fugindo de mim? Você disse que ia me ajudar a resolver aquele problema de matemática.” Além de trainee Jinyoung ainda dedicava seu tempo ao ensino médio, que convenhamos não é dos mais acolhedores.

 

“Tem que ser hoje?” Jinyoung sentia-se ansioso, não queria atrasar nem um minuto, mesmo que ainda faltasse bastante tempo.

 

“Você prometeu” Wonpil rolou os olhos. “Além do mais, hoje é feriado. Você tem algo mais importante a fazer?”

 

Era verdade que Wonpil sabia da sua paixãozinha em Mark, mas seria mesmo aquele o momento para revelar o bilhetinho para o melhor amigo? Jinyoung nem mesmo tinha a certeza sobre o que era a carta, talvez Mark estivesse falando sobre tomar sorvete, mesmo que o tempo estivesse claramente frio demais para qualquer pessoa sensata tomar qualquer coisa gelada.

 

“Hm… Nada. Eu tenho só que sair às 12:30,” Ele olhou o relógio, 11:05. “vamos?”

 

Eles andaram, Wonpil contando sua semana animadamente enquanto Jinyoung fingia estar atento. Ele não tinha cabeça para mais nada além do parquinho. E Mark.

 

Ele, enquanto balançava a cabeça afirmativamente para qualquer coisa que Wonpil estivesse dizendo, pensava nos momentos com Mark até ali.

 

Quando Mark chegou na Coreia, nem ele e nem Jinyoung podiam se comunicar direito, mas nunca foi problema para eles estarem juntos. Era uma estranha mistura de silêncio e mímica. Jinyoung lembrava perfeitamente da primeira vez que levou Mark ao que agora era ‘nosso lugar’.

 

*

*

“Hyung, esse é o meu lugar preferido aqui em Seul!” Jinyoung apontava o sorvete, que derretia em suas mãos, para o céu estrelado. Era legal dividir aquele lugar com Mark, era estranhamente reconfortante finalmente levá-lo até ali.

 

“Meu também.” Mark respondeu, em inglês, um pouco incerto.

 

“Você já conhecia aqui, hyung?” Jinyoung olhava para Mark, era linda a forma como a lua refletia nele, o sorriso que ele abriu quando olhou para Jinyoung. E foi exatamente ali…

 

“É porque você está aqui…” Que Jinyoung se apaixonou por Mark Tuan.

 

*

*

 

“Mas me diz, “ Wonpil perguntou enquanto tentava terminar uma questão que Jinyoung passou para que ele treinasse sem olhar diretamente para Jinyoung. “onde você vai? Tipo, você nunca sai.”

 

“Eu.. Ah, você sabe.” isso atraiu a atenção de Wonpil, que deixou a atividade de lado para dar total atenção a Jinyoung.

 

“Não sei não.” Ele sorriu ladino, a ponta das orelhas de Jinyoung estavam ficando vermelha. Ele via isso frequentemente já que era uma das cinco pessoas que dividiam o quarto com Jinyoung e Mark.

 

“Quer saber?” Jinyoung fechou o livro de matemática e começou a colocar as canetas no estojo. “Se você não vai prestar atenção.” ele olhou o relógio e viu que eram 12:40 e sussurrou um merda que Wonpil só ouviu pois estavam sozinho no mesmo quarto. “Eu tenho o que fazer.” E foi assim que ele saiu correndo pela porta, deixando Wonpil curioso e sozinho, mas que também não se deu ao trabalho de correr atrás dele.

 

Jinyoung nunca desceu tão rápido do quarto para a saída, o elevador foi dispensado. Ele precisava chegar rápido escadas pareciam convidativas já que ele teria que esperar subir para descer. Ele não tinha tempo. Faltavam menos de 20 minutos. 12:47, para ser exato. Jinyoung demorava pouco mais de 15 minutos naquele percurso, mas ele não poderia se dar ao luxo, não naquele dia. Suas pernas já doíam pela corrida abrupta, seus pulmões imploravam por ar e seu coração parecia querer saltar pela boca.

 

Quando chegou ao parque, 12:58, Jinyoung pausou alguns segundos para se recompor. Seu cabelo, outrora arrumado e para cima, estava uma total bagunça e caído sobre os olhos, suas roupas suadas e sua mente juntamente com seus olhos buscavam o rapaz americano. Suas mãos e pernas tremiam em ansiedade, sua boca seca pela corrida e pelo nervosismo e foi quando o mundo pareceu parar. Lá estava ele. 

 

Jinyoung caminhou lentamente até o banco onde Mark estava, tentando ainda recompor sua respiração. Olhou rapidamente o relógio, 13:02, merda, ele estava atrasado.

 

Mark tinha a cabeça encostada à árvore, balançando quase imperceptivelmente ao som de alguma música em seus fones de ouvido, seu capuz cobrindo a cabeça enquanto mantinha seus olhos fechados. Era simplesmente a visão mais bela que Jinyoung já tivera o privilégio de assistir. Mark sempre foi a referência de Jinyoung à beleza, o sorriso, os olhos, a risada, até mesmo a personalidade lhe era linda. Claro que conhecia os defeitos, já haviam brigado feio e até trocado alguns socos, mas era algo muito mais forte o que sentia por Mark.

 

“Oi.” Jinyoung retirou um dos fones de Mark, que mantinha os olhos fechados. Parece mentira, mas Mark já reconhecia o cheiro de Jinyoung e apenas sorriu sem mostrar os dentes.

 

“Oi… Demorou…” Mark se endireitou, afastando-se um pouco de Jinyoung.

 

Jinyoung então segurou as mãos de Mark e entrelaçou os dedos aos dele, Mark se assustou por um momento mas logo relaxou.

 

“É…” Jinyoung era bom em falar, mas era melhor ainda em pensar rápido. “É que só talvez eu sinta mais do que você.”

 

Mark não era de falar muito, não que ele economizasse palavras, ele preferia observar e fazer ao invés de discorrer infinitos textos, poemas, palavras pensada repassadas e medidas. Ele preferia também demonstrar, não que ele fosse muito afetivo ou fã de skinship, era novo para si ainda. E foi assim, sem palavras, que Mark apertou mais os dedos de Jinyoung entre os seus, se ajeitou ao lado do rapaz e ficou o resto do dia. E Jinyoung entendia… Ali, naquele momentos, havia nascido um novo ‘nosso’.


Notas Finais


Espero que tenham amado........ Foi só uma besteirinha, mas espero que gostem ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...