História Blood, Sweat and Tears - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Blood+, Bts, Suspense, Sweat, Taehyung, Tears
Visualizações 19
Palavras 2.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


(+18) Eu disse pra se prepararem pra esse capítulo 👀
Por hora... Espero que gostem e desculpem qualquer erro 🌹

Boa leitura 💕

Capítulo 17 - Ato XVII


Fanfic / Fanfiction Blood, Sweat and Tears - Capítulo 17 - Ato XVII


"Mate-me com cuidado, feche meus olhos com o seu afago. Eu não poderia rejeitar, de qualquer forma, eu não posso mais nem tentar escapar. Você é muito doce..."

(Blood, Sweat & Tears)





CORPO À CORPO





Namkyu


A discussão com a minha omma me deixou sem sono. De madrugada, a insônia me pegou e eu me encontrava apoiada na minha escrivaninha, sentada em uma cadeira de frente pra janela, observando o dia clarear. Estava escrevendo coisas em folhas de papel sobre Taehyung e sobre a minha vida e pensava profundamente sobre todos os meus preceitos. 

Estava tão pensativa, que esqueci meus compromissos nessa manhã de domingo. Eu iria para a igreja com os meus pais e deveria fazer o máximo para esconder a marca que havia no meu pescoço, que por uma felicidade do destino, minha omma não percebeu.


¤¤¤


- Você está pronta? - ela aparecia na porta e eu a olhava com os olhos caídos de sono.

- Estou! Podem ir na frente... Eu sei muito bem o caminho.

- Filha! - ela se senta ao meu lado e me olha séria. Senti minhas mãos tremerem, coloquei o cabelo na frente da marca disfarçadamente - Quero que você saiba que tudo é pelo seu bem.

- Eu entendo omma... Mas... Custa me dizer porque não gosta de Taehyung?

- Custa muito! Mas eu não quero que você saiba, está claro? - ela toca meus ombros e me puxa para um abraço - Eu só quero que você seja feliz minha filha.

- Eu sei omma! - sinto uma lágrima escorrer pelo meu rosto.

Por mais que eu entendesse a minha omma, eu não podia deixar de me arriscar com tudo isso. Eu gosto de Taehyung e não quero que ele me escape tão fácil, seria um absurdo da minha parte. O que me resta é continuar tentando.


¤¤¤


A igreja estava vazia, haviam algumas senhoras sentadas e outras de joelho enquanto a música em tom grego tocava. O padre estava sentado no altar e os fiéis oravam incessantemente. Usei uma pano para cobrir meus cabelos e fiz de tudo para que a marca em meu pescoço não aparecesse. Olhei para os lados e me sentei ao fundo do templo. Queria perguntar algumas coisas do padre, estava tentando pensar mais sobre coisas relacionadas ao "ato sexual". Me aproximei do altar e cumprimentei o padre, que sorriu assim que me viu.

- Nossa, como você cresceu Namkyu! - ele sorriu.

- Obrigado Padre! - fiz reverência e depois voltei a olhá-lo - Será que eu poderia... Tirar uma palavrinha com o senhor?

- Mas é claro! Quer ir ao confessionário?

- Sim! - respondo e ele me leva até o local apertado, onde uma simples parede de madeira e uma grade de ferro nos separavam. Eu podia muito bem olhar seu rosto, porém ele não via o meu.

- Pode começar! 

- Padre... - respiro fundo e depois volto a olhá-lo - ... O que senhor me diz sobre o conservadorismo?

- Ah... Você já está nessa fase?

- Sim! Diria que um pouco nervosa de perguntar algo assim do senhor, já que sempre fui temente a Deus e conheço a Bíblia como a palma da minha mão. 

- Bom... O que eu posso te dizer sobre isso Namkyu, é que... As coisas não são mais como eram antes. Eu entendi perfeitamente sua preocupação. - ele continuava com o olhar fixo na sua frente, sem ao menos olhar para o lado - Hoje em dia, a vontade de satisfazer seus prazeres, ficou ainda maior do quê a vontade de seguir as palavras de Deus.

- Mas... O problema é que... Eu tenho vontade, só que eu sinto medo. Entende?

- Entendo perfeitamente. Como uma pessoa temente a Deus, você sabe que o correto é guardar seu corpo até o casamento. Certo? - ele me olhou pela primeira vez.

- Certo Padre!

- Esse pensamento está na Bíblia... Mas, como eu disse: O mundo mudou muito e nada é como antes.

- O que o Senhor quer dizer? - o olho mais de perto.

- Quero dizer que... Você não precisa se sentir culpada por entrar nessa fase tão madura da vida, quanto ao sexo. Diria que... É normal você se entregar a alguém, mesmo que seja muito cedo.

- Mas... Fazendo isso... Eu não estaria indo contra Deus?

- Estaria! Mas somos todos pecadores, temos nossas fraquezas e nossas indefesas, e isso é normal. Deus perdoa aqueles que pedem o perdão e se arrependem de tudo. - ele segura minhas mãos pela brecha na grade e me olha sorrindo - Você é jovem, bonita, então não se sinta culpada de querer viver sua vida.

Eu absorvi tudo o que o padre me disse e sorri abertamente. Fiquei fitando a minha mão e fui até o banheiro, olhei minhas mãos e depois a minha fisionomia, olhei meu corpo como nunca tinha visto antes e depois sorri, por me sentir segura com tudo que eu via.

- Respira Namkyu... É uma decisão importante. - sorri.




Taehyung




Os garotos resolveram dá uma volta para relaxar um pouco, o domingo era calmo e estava um clima agradável. Resolvi ficar em casa e ler um pouco a matéria da prova de biologia que eu teria amanhã. Apesar de saber que nada disso vai interferir na minha vida, gosto de estudar e fazer coisas que adolescentes normais fariam.

- "O embrião usa um cordão umbilical para receber informações da mãe" - paro de ler ao ouvir alguém batendo em minha porta. Levantei e desci para ver quem era - MEU DEUS VOCÊS ESQUECERAM A- me calei rapidamente ao ver quem estava parada em minha frente - Namkyu? - cocei a cabeça.

- Desculpa incomodar... Mas eu preciso de você... Agora! - ela parecia tensa. Dei espaço para ela entrar e em fechei a porta.

- Pode pedir que eu faço. - ela se sentou e eu a acompanhei em seguida - O que quer?

Ela me olhava nervosa, seus dedos passavam acariciando suas pernas, que estavam expostas por causa do vestido rosa que ela usava, a deixando cada vez mais linda.

- Você vai ficar calada? - sorri nervoso.

Seu olhar passou das suas pernas para os meus olhos e eu pudi notar que ela mordia os lábios. Em um momento senti uma aproximação mais quente de Namkyu e quando reparei, seus lábios estavam encostando aos meus em um selar lento. Seus braços se envolviam em meu pescoço e desciam pelo meu peito, indo direto para as minhas costas. Senti a pressão de seu beijo quando sua língua tocou as minhas e me fez arfar drasticamente.

- Namkyu? - me afasto um pouco e vejo-a de olhos fechados - Você tem certeza que quer isso? - ela me beija novamente e se senta no meu colo, de forma em que cada perna ficasse a cada lado do meu corpo.

- Tenho! Nunca tive tanta certeza na minha vida. - ela sorriu e voltou a me beijar.

- Se é assim... Vamos para um lugar mais reservado. - levantei com ela ainda em meu colo e subi as escadas a beijando de maneira calma, até chegar no quarto e deitar com ela na cama.

Movimentei minhas mãos sobre seu corpo e acariciei suas pernas de maneira calma, enquanto eu beijava seu pescoço. Pude ouví-la arfar e senti um arrepio nos braços quando suas mãos alisaram meu pescoço de forma leve. O beijo fica cada vez mais rápido e eu arfo sentindo suas mãos passarem em meu abdômen, por dentro da minha camisa de botões. Ela pega uma das minhas mãos e a conduz até seu seio, fazendo eu acariciá-los lentamente, sem machucar Namkyu.

- Você é linda sabia? - sussuro em seu ouvido enquanto passo minha mão por dentro de seu vestido e acaricio mais seus seios.

- Quer que eu tire? - concordo com a cabeça e levanto para ela poder sentar e retirar a seu vestido.

Ela se deita ainda me olhando e sorriu ao ver suas mãos acariciando seu próprio corpo. Me deito de volta por cima dela e beijo seu busto, descendo minhas mãos até sua perna. Namkyu estava de shorts, resolvi retirá-los lentamente enquanto beijava seu abdômen. Volto a beijar seu pescoço e eu arfo ainda mais, sentindo suas mãos em meu membro, que já estava bastante excitado. Sorri e resolvi por minhas mãos entre suas pernas e acariciar sua intimidade lentamente, fazendo movimentos leves e carinhosos. Ela gemeu baixo e eu arfei assim que ela apertou meu membro com delicadeza.

- Está gostando Oppa? - ela sussurou em meu ouvido.

- Estou amando... Continua gemendo vai. - ela assim obedeceu e eu parei o ato para desabotoar minha camisa.




Namkyu




Ele levantara e desabotoava sua camisa lentamente, mostrando mais de seu abdômen. Senti um arrepio ao tocar seu peito e sentir seus dedos viajarem em minhas pernas, indo em direção a minha intimidade, que estava molhada de excitada. Olhei para ele e sorri. Ele voltou a se deitar por cima de mim e começou a me beijar novamente, dessa vez, mordendo meus lábios inferiores e tocando minha intimidade com maestria.

- Ahh Oppa... Isso está muito bom! - gemo alto e ele sorri anasalado em meu ouvido.

- Posso te jurar... Com a minha língua é melhor. - me arrepio ao ouvir a provocação de Taehyung.

Ele desce o beijo pelo meu pescoço e depois chega no meu abdômen, deixando um simples selar no meu quadril enquanto retirava minha roupa íntima. Seus dedos viajavam sobre minha pele, enquanto eu sentia sua língua encostar levemente na minha intimidade, me fazendo gemer baixo. Sinto os movimentos de Taehyung ficarem intensos e arfo, sua língua penetra e seus lábios cobrem o meu clitóris, o acariciando lentamente com os mesmo.

- Ahhh... Ahhh Continua Oppa! 

Ele seguia o ato, até sentir seus dedos penetrarem na minha intimidade e começarem a transitar se dentro para fora. Sua língua faz movimentos giratórios e eu arfo, sentindo um prazer nostálgico em meu corpo.

- Agora vem a melhor parte! - ele sorri e levanta da cama, ficando parado em minha frente . Seus olhos penetravam os meus enquanto ele retirava suas roupas a minha frente, dando uma visão perfeita do corpo de Taehyung - Vamos continuar?

- Sim... Vem Oppa! - chamo-o com o dedo indicador e retiro meu sutiã. Ele morde os lábios, se deitando por cima de mim.

- Prometo que não te machuco, está bem? - concordo com a cabeça - Pode tocar se quiser. - sorrio

Conduzo minha mão até seu membro e toco com delicadeza, envolvendo minha palma sobre sua glande e fazendo movimentos leves de cima para baixo. Olho Taehyung e vejo sua expressão de prazer, até ouvir um curto gemido sair de sua boca, me fazendo ficar ainda mais excitada. Tal dádiva me fazia querer ainda mais o loiro que eu insistia em tocar.

- Continua... Ah... Está muito bom! 

Suas mãos jogam meus braços para cima e ele se deita ainda mais colado em mim, abrindo minhas pernas e encontrando seu membro com a minha intimidade. Eu arfo ao sentir Taehyung roçar seu pênis em minha vagina de forma delicada. A dor era grande, mas o prazer era ainda maior. Meu corpo se contorce e Taehyung se deita ainda mais sobre mim.

- Está pronta? 

- Mais do quê nunca.

Seu membro roça devagar em minha intimidade e finalmente o ato acontece. Seu membro se via dentro de mim, fazendo movimentos de dentro para fora, me fazendo gemer ainda mais intensamente. Taehyung joga meus braços para cima e segura minhas mãos com força, de forma em que seus lábios se contraem ao meu e os beijam. Os movimentos de Taehyung ficavam cada vez mais rápidos e eu gemia com mais frequência, fazendo o loiro sorrir ainda mais. Seus lábios viajavam pelo meus pescoço e suas mãos apertavam meus seios, podia sentir os batimentos rápidos do loiro que arfava. Nossos corpos estavam suados e nossa respiração cada vez mais rápida e pesada, me fazendo ficar ainda mais excitada. Sorri opara ele que acalmava meus gemidos com um selar rápido em meus lábios.

- Ah... Ah Oppa... Ah!

- Isso... Geme! - ele sussura e eu agarro suas costas com minhas unhas e mordo seu ombro, deixando Taehyung vermelho.

Ele começa a ficar cada vez mais lento, até sentir sua respiração ofegante tocar meu rosto e espairecer uma expressão de prazer. Esse momento me fez gemer um pouco mais alto que o normal e Taehyung arfar, gemendo de forma calma e aliviada. Ele ejaculou.

- Ah... Ah... - ele ofegava e eu seguia sua respiração.

- Foi bom... Ah... Muito! - disse ofegante, enquanto ele se deitava ao meu lado e respirava aliviado.














- Foi a melhor tarde de toda a minha vida!


Notas Finais


Pois é né... 🙈🙈🙈

Ps: Juro que não teria colocado um HOT tão cedo se não fosse realmente necessário para a história 👀 ok?

E não me matem! Eu sei que Taehyung é só um bebê pra eu fazer ele fazer essas coisas impuras '-' SORRY SORRY '-'

Se vale de consolo, as coisas vão começar a ficar mais claras a partir daqui :)

Beijos e até mais 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...