História Blue Bird - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine, Jungkook, Original
Visualizações 34
Palavras 4.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fluffy, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~ Boa leitura ^^

Capítulo 4 - Wang no caminho


Fanfic / Fanfiction Blue Bird - Capítulo 4 - Wang no caminho

~....~

" Triiiim Triiiiim "

Aquele era o sinal, minha deixa para sair da sala e fazer, finalmente, o que eu pretendia. Que dessa vez, não envolvia coisas que iriam machucar ninguém.

Sorri com esse pensamento em mente, já com os pés para longe da cadeira e mesa, eu já me encontrava no corredor, vendo as amigas de Yangmin passarem rapidamente por mim, me cumprimentando com educação e gentiliza, diferente de sua amiga.

Isso me fez lembrar dela...

Yangmin, ah, Yangmin. A garota de personalidade forte e com uma língua extremamente afiada, que parecia ser cheia de si e auto-confiança, não passava apenas de uma garotinha com medo do que lhe poderia acontecer, uma garotinha insegura, covarde e medrosa que utiliza de sua grosseria para mascarar todos essas características que ela, provavelmente, classifica como dignas de "fraqueza" aparente. O que provavelmente lhe daria como fraca.

Adoro pessoas como ela

Pessoas como ela são bem previsíveis quando se trata de movimentos, grosseria na defensiva, mas, elas são bem imprevisíveis quando se tratava de respostas...

- Noona! - Chamei esta vendo-a de longe.

Eu havia saído da sala com minha merendeira, levando uma para si comigo, na qual eu havia posto o sanduíche e as pequenas rosas de cerejeira.

- Jungkook! - Exclamou ela vindo até mim.

Ela veio até mim a passos rápidos, tentando o máximo chegar o quanto antes perto de mim, mas no meio disto ela puxava sua saia algumas vezes para baixo, esta que continuava levantando tentando mostrar a popa da bunda da garota.

- Ah, meu Deus... - Ri baixinho com esta cena que aos meus olhos era tão fofa.

Um pouco erótica também, dependia muito dos olhos de quem via.

- Noona! - Repeti quase que infantilmente quando esta se aproximou o bastante, vendo-a sorrir me fazendo sorrir por reflexo.

- Oi! Oi! Oi! - Repetiu várias vezes, um pouquinho ofegante por ter corrido até mim.

- Oi! - Eu sorri novamente ao constatar que a garota é realmente uma doce - Eu... Trouxe uma coisa 'pra você. - Lhe entreguei o recipiente de coloração rosa pastel.

Eu sabia que ela amava tons pasteis, tanto quanto amava cores quentes - e algumas frias também. Mas, uma cor em especial, ela gostava demais da cor preta.

E essa era uma coisa que tínhamos em comum...

Essa cor deveria ficar tão bem em si.

- O que... ? O que é isso? - Perguntou fazendo um biquinho curioso em seus lábios cheinhos e avermelhados.

- É... Abre. - Murmurei vidrado em seus lábios.

- Oh... - Ela abriu a tampa do recipiente, me olhando com os olhinhos brilhando em seguida - E-Eu... V-Você fez isso 'pra mim?

- Sim. - Assenti um pouco tímido sentindo minhas bochechas queimarem, vendo as suas imitarem, tendo a mesma reação.

- Obrigada - Ela sorriu abertamente, aquele sorriso, aquele bendito sorriso - M-Mas... Eu não vou saber como retribuir... - Ela parecia ter olhando para minha boca por um mísero segundo, focando nos meus olhos novamente.

" Por que ela fica olhando 'pra minha boca? "

Pensei apertando meus olhos enquanto analisava a garota com cuidado, aquilo não era muito comum para mim.

- Não precisa agradecer, tampouco retribuir. - Me aproximei mais um pouco da menina, vendo-a com um sentimento minimo de alerta - Se eu fiz isso... É por que gosto de você.

- O que disse? - Sussurrou se aproximando mais ainda, ficando a poucos centimetros de distancia de meu corpo.

- Eu disse que você não precisa me agradecer.

- Hm... - Ela desviou o olhar para o chão - Eu gostaria de saber cozinhar - Comentou me olhando novamente - Eu poderia agradecer a você devidamente.

- Eu... Eu poderia lhe ensinar a cozinhar, claro, se você quiser.

- É sério?! Woa, eu adoraria!

- Eu poderia lhe ensinar, então.

- É só marcar o dia. - Ela sorriu levemente, eu assenti de forma tímida - Woa... Flores de cerejeira. - Dizia analisando dentro do recipiente, pegando uma das pétalas soltas - São lindas, muito obrigada.

- Disponha.

- Eu... Posso comê-lo com você?

- É claro! - Assenti com a cabeça, vendo esta começar a andar, parecia querer ir para aquele lugarzinho inabitado que havia no colégio.

Fomos até aquele lugar de sempre, nos sentando ali mesmo, um do lado do outro, começando a comer. O silêncio não se fez presente por muito tempo, logo foi preenchido pela voz da morena, ela puxava conversa esperando uma resposta prontamente, logo suas risadas se faziam presentes, pelas coisas que eu falava - que, ao seu ver, eram engraçadas e comicas - e pelos momentos que nós compartilhávamos ao decorrer do dialogo.

Estava uma conversa muito agradável, mas, o sinal teve que bater novamente, denunciando que nós deveriamos voltar para a sala de aula - tá certo que poderíamos ficar mais um pouco ali, mas isso, com certeza poderia render problemas para os dois.

- Eu tenho que ir. - Ela disse com um semblante triste em seu rosto.

- Ah, tudo bem, eu também tenho.

- Nos vemos amanhã então.

- Mas... Amanhã a aula é reduzida, não é? - Ri baixinho da confusão da garota ouvindo ela soltar um " É-É verdade? ", rindo em seguida, envergonhada.

- Eu ouvi sobre, mas esqueci de perguntar para o Hongbin - Disse, mencionando o representante de turma de sua classe - Mas vamos nos ver amanhã de qualquer jeito, certo?

- Sim, o tempo só será reduzido. - Dei de ombros, com um sorriso leve.

- Aish, certo - Ri soprado, vendo-a se levantar, acompanhando esta prontamente - Nos amanhã então - Ela dizia se afastando de mim - Até lá, Jeon!

- Até. - Me despedi vendo-a acenar, já longe de mim.

Havia sido uma boa tarde afinal...

~....~

Algumas poucas horas mais tarde, o sinal tocara mais uma vez, dando o entendimento de que as aulas haviam acabado por hora e que todos os alunos poderiam voltar para casa - bom, pelo menos os que não tivessem na detenção.

Após sair da minha respectiva sala de aula, eu passava pelos corredores indo em direção ao portão principal, pronto para sair daquela joça e aproveitar todo o feriado que teria no dia seguinte.

Iria tentar ao máximo não ficar dentro de casa o dia inteirinho, tentaria sair para fazer alguma coisa, só para não ficar em casa sem fazer nada em pleno feriado.

- Hm? - Murmurei ainda no corredor, vendo a noona bem a minha frente, um sorriso tomou minha face - Noona! - Chamei por esta na intenção de me despedir de si, esta que pareceu não ter ouvido, tombando com um menino que aparecera em sua frente.

" O que ele está fazendo? "

Foi o que eu pensei quando ouvi algo sobre ele querer conversa com ela "á sós", pelo simples fato do corredor ser barulhento demais para se escutar algo, não importava o quão importante fosse - nisso eu concordava, não podia descordar.

Estava realmente barulhento.

Mas, isso não justificava o fato dele ter levado ela até uma esquina de um corredor vazio.

Se ele quisesse falar algo banal, não podia falar ali mesmo?!

- Acha que aqui é um lugar melhor? - Ela perguntava com toda sua ingenuidade.

- Sim. - Ditou ele se aproximando mais dela.

" Por que tão perto?! "

Minha mente se perguntava irritada, eu deveria estar vermelho de raiva apenas com a aproximação deles.

O que ele queria com ela, afinal?! Aquilo estava começando a me dar nos nervos...

- Bom... Eu queria lhe perguntar uma coisa. - Ele dizia mexendo inquietamente em seus cabelos platinados.

" Jackson Wang "

Minha mente murmurou enquanto eu analisava o meliante cautelosamente, com o cenho franzido e os olhos estreitados, eu conhecia ele.

Ele era um dos caras do time de basquete que tinha na escola. Eles eram muito bons, não podia negar. Mas, todos pareciam iguais olhando para suas características...

" Não sei se vale a pena mata-lo...  "

- Pode falar. - Ele falava de maneira dócil, enquanto se balançava para frente e para trás, em uma brincadeirinha fofa, e um tanto infantil.

- Eu só queria saber se, você... aceitaria... - A cada palavra dita ele se aproximava mais dela.

" Não estou gostando nada disso "

- Você aceitaria sair comigo?

" Okay, irei mata-lo "

- O-O que disse?!

- É que, como amanhã a aula vai ser reduzida, eu pensei que poderíamos sair depois da escola, 'pra fazer algo, sei lá - Deu de ombros - Sabe, nos divertir.

" Noona, por favor, não aceite... "

- Não é uma ideia ruim, Wang. - Ela sorria de leve, vendo que mesmo com a pose de "machão" o garoto estava inseguro e com medo de uma rejeição.

" Merda "

Se bem que, ela poderia ter aceitado apenas por isso...

- Sério? - Ela assentiu.

- Aham, é bom sair 'pra descontrair às vezes. - Deu de ombros ainda com aquele sorrisinho no rosto.

- Woa. - Ele passava a mão pela lateral de seus cabelos, puxando os fios brancos para trás, logo fazendo-os voltarem para a frente, em um ato explicito de animação - Nos encontramos no Starbucks então?

- Pode ser. - Ela sorria doce.

- Yes! - Ditou em inglês, dando um sorriso abertamente largo, de orelha a orelha - Vá bonita como sempre hein? - Advertiu de forma brincalhona.

" Ridículo... "

- Não seja galanteador! - Ela dizia rindo distraída.

- Nos vemos lá então! - Acenou se despedindo de si, já perto do corredor principal.

- Até lá!

- Até! - Disse de longe - Eu contratei os segundos!

la sorriu, soltando um riso anasalado, olhando o garoto que saíra vermelho e um pouco desleixado. Olhei para sua expressão mais uma vez, constatando que ela parecia realmente estar falando sério, revirei os olhos com irritação, me retirando dali até a saída.

Eu não sentia mais vontade de me despedir dela, ela havia me deixado bravo consigo. Extremamente irritado.

Nunca fui uma pessoa muito pacífica quando se tratava de controle emocional, eu sempre fui péssimo nisso. E ela aceitando tudo facilmente daquela forma só fazia meu sangue ferver em raiva.

"Retribuir", lembrei de sua fala de mais cedo, que constava com aquela palavra, trincando os dentes enquanto fechava o punho com força, enterrando as curtas unhas em minhas palmas, agarrei as alças da bolsa, me retirando dali vermelho de raiva.

Eu teria que cuidar disso de um jeito ou de outro...

Não poderia deixar que aquele "encontro" acontecesse.

~....~

Caminhando até o meu bairro, eu dava passos pesados pela calçada, querendo chegar rapidamente a minha casa, não aguentava mais ficar remoendo aquilo no meio da rua, precisava chegar em casa para pensar direitinho como eu iria me livrar daquele acéfalo...

- Aish! - Resmunguei mordendo o lábio inferior fortemente, tanto a ponto de fazer este sangrar.

" Merda "

Minha mente xingava pela vigésima vez, apenas naqueles poucos minutos que fora eu saindo da escola, eu poderia fazer um dicionario apenas com palavrões referentes aquele embuste. Tamanha era minha raiva.

Bufei pela quinta vez, andando apressadamente, atravessando a rua, eu já estava bem próximo ao meu destino - vulgo minha casa. E enquanto eu subia na outra calçada, eu pensava em diversas formas de tirar aquele esterco da minha frente, do meu caminho.

Pensei na possibilidade, de quando ele estivesse em sua aula de química, trocasse os componentes que havia nos frasquinhos, e quando ele misturasse daria uma reação bem na sua cara. Se bem que, poderia nem ser tão nocivo assim para ele, não era uma boa opção. A opção de mata-lo era bem vaga, um tanto quanto tentadora, visando as diversas formas de mata-lo, por decapitação, sufocado, hemorragia, afogamento, queimado ou até mesmo afunda-lo em ácido sulfúrico.

Se bem que tudo faria uma baita de uma sujeira, e seria complicado de limpar tudo e esconder os rastros e pistas, ah, tão cansativo.

Tão irritante.

- .... - Olhei para o céu, constatando que demorou mais do que o normal para eu chegar em casa, pelo simples fato d'eu ter pegado ônibus e me atrasado no transito, apenas 'pra pensar mais um pouco, então, já deviam ser umas seis à sete horas da tarde.

Sem mais delongas, eu entrei em casa, trancando o portão depois de passar pelo mesmo, indo até a porta de madeira mais a frente. Adentrando-a, olhei ao redor, jogando minha bolsa em um lugar aleatório na sala, tratando logo de subir as escadas, rumo ao banheiro.

Eu ainda tinha muito a pensar...

~....~

" Beep Beep Beep "

O alarme soava sem parar perto de meu ouvido, me fazendo resmungar em irritação, eu estava com preguiça de levantar da cama, mas eu realmente precisava fazer isso, se eu não o fizesse quem iria impedir o Jackson de sair com a noona por mim?

Com muito custo, me levantei da cama, andando até minha escrivaninha, pegando o calendário em mãos constando ser sexta, o penúltimo dia da semana, o último dia para finalmente eu ter meu devido descanso daquela escola.

Me direcionei para o banheiro, pegando minha toalha no caminho, esta que estava jogada em um canto aleatório de meu quarto por conta da minha afobação noite passada. Enquanto eu estava no banho, eu me lembrei do problema do dia passado, me lembrando que eu não havia encontrado uma solução - nem mesmo uma ideia - para o mesmo. Eu ainda estava na estaca zero, e aquele seria o dia que tudo iria acontecer.

- Ah, que droga! - Esbravejei batendo os punhos nos azulejos da parede em plena frustração.

Com o cenho franzido, eu desliguei o chuveiro, saindo deste, olhando para a banheira logo em seguida. Aquela casa conseguia ser grande o bastante para que os meus pais fizessem um banheiro com box para chuveiro e uma banheira.

Era incrível o quão exagerado eles podiam ser, se bem que eu sabia que eles haviam feito aquilo apenas para conforto e não um capricho - bom, talvez um pouco de capricho. Sorri levemente ao pensar nisso, negando com a cabeça, eles sempre foram boas pessoas até onde eu me recordava.

Peguei a toalha branca em mãos, enrolando-a em minha cintura em seguida, segurando sua lateral com uma das mãos, me dirigindo até a porta. Quando eu cheguei nesta, pronto para sair, com minha mão posta em sua maçaneta, eu girei-a mas nada aconteceu. Tentei novamente, com convicção, mas nada aconteceu. Precisei fazer aquilo repetidamente, umas três vezes para finalmente sair daquele banheiro, eu não estava totalmente desesperado, em partes - pois se eu não saísse dali, o desgraçado iria conseguir sair com a noona -, eu tinha meu celular e qualquer coisa ligaria para o número deixado de emergência.

Se bem que aquilo havia me dado uma ideia genial....

" Prender o Wang, seria a forma mais fácil de eu me livrar dele.. "

Era a ideia perfeita!

~....~

Eu já estava na escola, passando pelos corredores rumo a minha sala, olhando ao redor sem parar, tentando avistar o Wang de alguma forma, e acabei por achar outra pessoa, não menos importante.

- Jungkook! - Esta vinha até mim com um sorriso - Chegou agora?

- Sim, e tenho que colocar isso na sala. - Ditei secamente, lhe mostrando a bolsa.

- Ah, quer que eu lhe acompanhe?

- Não, tudo bem.

- Oh... Tudo bem. - Ela pareceu meio sem jeito, dando de ombros para disfarçar seu constrangimento - Nos vemos depois então.

- Até depois. - Disse acenando para si, indo até minha sala.

- Até. - Ela murmurou comigo já longe de si.

Eu não queria trata-la com grosseria, mas eu não pude evitar.

Como ela podia ter aceitado sair com aquele acéfalo?!

Alguns minutinhos depois, já em sala de aula, eu escrevia em meu caderno com um misto de empolgação e irritação - irritação por causa do sem cérebro, nem raciocínio lógico, do Jackson Wang, e empolgado pelo fato de, se meu plano desse certo, eu sairia com ela no lugar dele.

Analisando o plano minunciosamente, cuidando até dos mínimos detalhes - porque, mesmo se fosse um plano simples, eu teria que fazê-lo direitinho se quisesse ver um bom resultado -, agora, eu só precisava conferir uma coisa.

Se ele havia chegado...

Isso era a parte mais importante de todo o projeto, porque, se eu tivesse tudo preparado, seria em vão se ele não fosse. Eu tinha quase certeza que ele iria, a julgar que ele tinha treino toda segunda, quarta e sexta, sem contar o encontro que ele marcou com minha noona.

- Não será possível que ele irá faltar, não é meu Deus?! - Revirei os olhos com após essa frase, com aquelas coisas em mente.

Ele seria um belo de um babaca se faltasse, se bem que isso iria facilitar meu trabalho de separar o "casalzinho" que quer se formar. Olhei para a porta de relance, vendo-o passar em frente a esta, junto com seus colegas de turma, e do time de basquete.

Não sei se foi coincidência, porque, para mim, elas não costumam existir, mas mesmo se for, eu adorei. Sorrindo com isso posto em mente, eu havia me certificado do que era necessário.

Ele não perdia por esperar...

~....~

" Triiiiim Triiiiim "

O sinal para a última aula havia tocado, finalmente esta havia acabado. Soltei um suspiro em alivio, sentindo-me empolgado com o que logo aconteceria.

Cruel? Talvez um pouco...

Saindo da sala com minha mochila posta em minhas costas, andei animadamente - quase que dando pulinhos - até a área da quadra, seguindo diretamente até o vestiário masculino, ouvindo um murmurio de pessoas dentro deste.

Olhei para os lados constando que não havia ninguém em volta, além das pessoas que estavam dentro do comodo. Sorri maldosamente, pensando seriamente em entrar sorrateiramente no vestiário, e esconder uma coisa do Wang só para que este demorasse mais do que o necessário procurando esta coisa no lugar. Isso ajudaria muito na hora de executar o plano...

- Certo... - Respirei fundo, me pondo a entrar no local silenciosamente.

Olhei para os lados, vendo vários dos jogadores do time, se trocando enquanto conversavam, então, eu sorrateiramente entrei tentando visualizar qual das bolsas era a do Jackson, todas eram muitos parecidas.

- Vamos ganhar com certeza. - O loiro dizia, se aproximando distraidamente de sua bolsa, me fazendo me esconder rapidamente por reflexo.

A dele era uma meio avermelhada... Bom saber.

Depois dele ter pegado o que queria, eu voltei para a sua bolsa, e peguei sua roupa, escondendo-a em um lugar extremamente imprevisível e aleatório do local.

Do jeito que ele era lerdo e despeço, nem sonharia que suas roupas estariam ali.

Comecei a rir baixinho com isso em mente, me escondendo rapidamente mais uma vez, assim que outra pessoa se aproximou.

- Hm? - Ele olhava o local que eu estava escondido com curiosidade.

Ele se parecia com meu antigo melhor amigo que havia mudado de escola junto com os outros.

Se parecia muito com o Jimin...

Ele chegou mais perto, me fazendo suar frio com sua aproximação, ele estava à poucos centímetros de distancia do meu corpo. A toalha enrolada na base de sua cintura para baixo, deixando seu abdome definido, suas pernas e coxas torneadas bem aparentes.

Será que foi pelo fato dele se parecer muito com meu hyung que me fez suspirar por um breve segundo?

O que havia de errado comigo?!

- Quem é você? - O menino perguntara de forma baixinha, me olhando com curiosidade.

- Shhh! - Pus o indicador na boca, lhe pedindo silêncio.

- Hm... - Ele murmurou fazendo um biquinho manhoso, franzindo o cenho em seguida, parecia estar fazendo birra por não ter conseguido meu nome, que nesse caso era a resposta para sua pergunta.

Parecia muito "grande" para ser manhoso daquela forma, era até fofo parando 'pra pensar.

" N-No eu que estou pensando? "

- O que houve Jimin? - Um dos outros jogadores, questionou a si.

" Jimin?! "

Não era possível que aquele ali fosse meu melhor amigo de infância, cara, faziam, o que? Uns dez anos talvez? Que a gente não se via. Aquele era mesmo ele?

Não podia ser... Podia?

- Jimin? - Murmurei analisando a si com extremo cuidado.

- Nada demais, não precisa se preocupar comigo I.M! - Ditou saindo dali ainda com um biquinho em seus lábios - Hm...

- Beleza. - Respondeu ele de volta.

- Já tá na hora né, gente? - O que parecia ser o líder se fez presente, com um sorriso aberto em seu rosto - Até segunda! - Se despediu levando boa parte dos meninos do time consigo.

- Até! - Os que ficaram responderam.

" Ufa... "

Suspirei em alivio, vendo que estes que ficaram foram poucos, fazendo eu me retirar do vestiário junto a eles, sem ser percebido.

- Caras, vocês viram minhas roupas? - Do lado de fora, eu pude ouvir a voz do Wang questionar aos que sobraram junto a si.

- Não tá na sua bolsa?

- Não, eu já procurei lá. - Ele suspirava em frustração - Vocês tem alguma aí sobrando?

- Foi mal mano. - Deram de ombros, mostrando as bolsas vazias do que lhe interessava.

- Aigoo, como eu saio daqui?

- Sei lá, cara. - I.M dava de ombros - Eu só sei que eu preciso urgentimente voltar 'pra casa, o Kihyun tá me esperando 'pra eu ajudar ele em uma coisa, e se eu não chegar logo ele vai bagunçar a minha cara.

- Eu também. - O outro não reconhecido por mim, mas que eu deduzia ser Hyungwon, um dos mais altos do grupo, junto do Chanyeol e do Sehun - Preciso voltar urgentimente.

- Tá, okay - Ele suspirava derrotado - Podem ir, eu... vou dar um jeito sozinho.

- Qualquer coisa liga 'pra gente, Jackson.

- Ou senão, liga pro JB.

- Certo...

Após mais uns segundinhos, eles finalmente sairam, deixando o amigo lá dentro procurando por suas roupas.

Já era hora de executar a próxima parte do plano.

Fechei a porta rapidamente antes de qualquer coisa, pegando a chave cujo eu havia pegado com o zelador na hora do intervalo - foi meio difícil para ele me dar a chave, mas, com um pouquinho de persuasão, eu consegui -, trancando a porta em seguida.

- O que foi isso? - Pude ouvir sua voz sair de maneira espantada.

Sorri maleficamente, pegando a pequena garrafa especializada que havia em minha mochila.

" Ácido sulfúrico "

Sorri novamente, pegando minhas luvas - também especializadas nesse "departamento", próprias para que o líquido não tocasse diretamente com minha pele - e pondo-as com exito.

Peguei a garrafinha em mãos, jogando um pouco do conteúdo na fechadura, deixando a chave intacta junto a mim.

- O-O que? - Ele tentava girar a maçaneta diversas vezes, falhando todas estas.

" Missão completa! "

- Socorro! Por favor! Alguém me ajude! - Ele gritava mais e mais quando percebera que o negocio não ia funcionar de nenhuma forma.

Era tão bom ouvi-lo gritar desesperado por uma mísera ajuda, tão patético e ridículo ele era...

- Ei! Por favor, me ajude! - Gritou para mim, aparentemente ele havia me visto ali.

Ele havia visto apenas minha silhueta, até porque o vidro que tinha no centro da porta, era uma espécie de vidro fumê, era embaçado não se conseguia enxergar nada através dele.

- Tchauzinho! - Murmurei me distanciando de si.

- P-Por que está se afastando?! - Ele questionava de olhos arregalados provavelmente.

- Vai ser um prazer ir no encontro com a noona, no seu lugar. - Eu sabia que ele havia escutado, mesmo que por la dentro minha voz soasse abafada e meio falha.

- H-Hey! Volta aqui, por favor! - Enquanto eu me distanciava de si, era possível ouvir ele de longe.

Patético

Revirei os olhos, sorrindo abertamente em seguida, já próximo a saída. Todos pareciam ter ido para casa, por isso, eu passei pela sala do zelador e deixei a chave no mesmo lugar que eu havia roubado.

Para que o plano se concluisse com maestria, eu só precisava fazer mais uma coisa.

Me arrumar e ir de encontro a noona...


Notas Finais


~ Espero de coração que vocês tenham gostado, eu estou trabalhando muito ultimamente nesta fanfic, e em várias outras também, são muitas coisas ao mesmo tempo, espero que me perdoem pela demora <3
~ E deem muito amor a esta fanfic, porque estou dando todo meu blood, sweat and tears nela >3<
.
.
.
~ See ya!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...