História Body Party - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Bottom!jimin, Lemon, Mochidoyoongi, Pwp, Top!yoongi, Yoonmin
Visualizações 382
Palavras 3.291
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Musical (Songfic), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores 🌸

Deveria estar atualizado a fic? Com certeza!
Porém já tinha começado a escrever isso a muito tempo e quando terminei decidi postar logo porquê sou muito ansiosa! :s
Ah! A capa é temporária, minha amiga ainda está fazendo ela.
Sugiro que leiam ouvindo:
Body Party - Ciara
Crazy in Love - Beyoncé (Sexy Version)
Enfim, é isso ^^
Tenham uma boa leitura e me desculpem se houver algum erro. 💗💗

[Edit: Me desculpem pela desorganização das palavras. Ainda não me abtuei a nova atualização e não sei mexer na organização dos parágrafos. Mas assim que der vou ajeitar tudo. Bjos.]

Capítulo 1 - Your body is my party, Jiminnie.


Fanfic / Fanfiction Body Party - Capítulo 1 - Your body is my party, Jiminnie.

 

Min Yoongi

 

Todos os dias eu ia naquele mesmo lugar, somente para vê-lo dançar todas as noites.

Eu me considerava um cara hétero, até ver ele dançando ali naquele palco.
Todos seus movimentos, lentos e intensos. Suas expressões de falsa inocência e suas expressões de prazer me faziam crer que depois de 2 meses o visitando naquele lugar eu o desejava com uma intensidade absurda.

E o pior é que dividimos a mesma casa, os mesmos ambientes e desse tempo pra cá tem sido um sacrifício ter que vê-lo praticamente desfilar rebolando aquela bunda avantajada e não lhe agarrar ali mesmo.

Ele tinha me dito que tinha arrumado um trampo de frentista em um posto de gasolina a noite, mas passei a desconfiar quando ele sempre voltava mais tarde do que deveria e sempre vestido com calças de couro falso apertadas e camisetas semitransparente. Então passei a segui-lo para saber onde ele ia todas as noites.

Admito que fiquei surpreso quando descobri que o mesmo estava trabalhando como dançarino em uma boate gay. E com isso passei a ir todas as noites no mesmo local só para vê-lo.

Hoje não seria diferente, eu estou na mesma boate observando-o mostrar seus movimentos sexys e lentos, enquanto morde os lábios cheios e avermelhados que eu tanto passei a desejar.

Nesse meio tempo que passei a assisti-lo, o mesmo não sabia nem desconfiava da minha presença no local, pois eu sempre ficava recluso na parte escura do pequeno bar que havia no local. Pedi mais uma dose de vodca barata ao barman que me serviu logo em seguida e continuei a observar o garoto rebolando aquela bunda deliciosamente redondinha e apertável. Ele sempre foi o destaque, o número principal da noite e isso atraia muitos caras ao redor do palco e eles sempre jogavam algumas notas de dinheiro durante a coreografia. 

Mesmo sendo a atração principal o baixinho nunca ficava nu, no máximo que fazia era ficar de boxer. O que já me deixava extremamente excitado com a visão de suas coxas torneadas e tão apertáveis.

Bebi o último gole de minha dose quando ele terminou a dança. Joguei algumas notas em cima do balcão do bar e sai disparado até a saída, afim de chegar no apartamento antes do garoto. 

Eu já havia planejado tudo, desde o momento de surpreendê-lo até o fato de tê-lo ainda hoje em minha cama, gemendo meu nome enquanto eu o fodo. 

Adentrei em meu carro e logo já estava dirigindo em direção a nossa casa.

Já havia deixado tudo preparado e esquematizado para nossa noite - mesmo que ele não saiba de nada.E

Esta noite teria Park Jimin na minha cama.

 

•••

Cheguei e chequei o horário, 03:30h da madrugada. Faltando exatos 15 minutos para ele chegar.

Tomei um breve banho e fiquei no quarto esperando com a porta fechada. Todos os dias era a mesma rotina, ele sempre chegava, jogava sua mochila no sofá, ia para o quarto, tomava um banho, ia para cozinha beber água e depois voltava para o quarto e ia dormir e hoje não foi diferente. Pude ouvir a porta se abrir e ouvi seus passos em direção a seu quarto e depois o chuveiro sendo ligado e minutos depois desligado. Esperei ele ir para a cozinha para poder sair do quarto. 

 - Então quer dizer que você está trabalhando numa boate Jiminnie? 

Usei uma voz mais rouca que o comum somente para chamar sua atenção.

 Observei os pelos de sua nuca se arrepiarem, já que ele está de costas para mim.

  - Hyung! - Deu um pulo por conta do susto repentino e virou rapidamente, ficando de frente para mim.

 - Está Jiminnie? - Tornei a perguntar e fui me aproximando sorrateiramente do moreno à minha frente. 

  - Hy-hyung e-eu posso ex-explicar - Sua fala saiu gaguejada, não sei se pelo susto ou pelo nervosismo. 

Ele só pode estar me provocando. Seus cabelos levemente úmidos caindo sobre sua testa, usando uma camiseta cavada que deixava seus braços malhados totalmente à mostra, e para completar um shorts tão curto que eu poderia comparar a uma cueca box, totalmente colada a suas coxas.

Ele está fodidamente gostoso vestido assim. O pequeno short marcando sua tez levemente bronzeada estava me deixando completamente louco, e eu só queria marcar todo seu corpo com minha boca, deixando um rastro de chupões por seu pescoço e clavícula.

  - Shh... Não precisa explicar Minnie. Você só precisa sentir, babe.

Não sabia de onde tinha tirado tanto autocontrole para não puxar aquele homem e possuí-lo no chão da cozinha mesmo.

O puxei para perto de mim, fazendo seu quadril se colar ao meu, sua respiração quente bateu em meu pescoço.

 - Hy-hyung o q-que vo-

Não deixei que terminasse a frase, pois logo colei seus lábios aos meus.

Foi um beijo intenso, repleto de desejo. Minha língua adentrou sua boca bruscamente e começou a explorar todo o espaço. Enquanto isso segurei sua cintura e lhe dei um impulso, ele entendeu o recado e passou os as pernas em volta do meu quadril, apoiou uma das mãos em meu ombro enquanto sua destra foi para minha nuca, puxando os fios de meu cabelo descolorido.

O coloquei sentado em cima do balcão da cozinha enquanto continuava a beijá-lo intensamente. Descolei minha boca da sua e desci lentamente meus lábios para seu pescoço, dei um beijo em seu pomo-de-adão e passei a sugar sua tez, deixando marcas de chupões em toda a extensão de seu pescoço até então imaculado e sem nenhuma marquinha minha.

Suas mãos puxaram meus cabelos, fazendo-me encarar seus olhos.

 - Ahh... H-hyung... - gemeu rente ao meu ouvido - O que está fa-fazendo? 

 - Não está óbvio Jimin? Estou te fazendo meu, garoto. Porque você é só meu essa noite...

Eu gostava de usar minha voz mais rouca somente para ver o efeito que isso causava ao menor. O resultado não poderia ser mais satisfatório, já que ele se arrepiou por inteiro.

Voltei ao meu objetivo inicial e passei a distribuir leves chupões em sua clavícula. Segurei a barra de sua camiseta, Jimin ergueu os braços para poder tirá-la. Parei por um instante, somente para admirar aquele corpo malhado e gostoso que Park Jimin tem e que seria meu em alguns instantes mais tarde.

Suas mãos foram para meus cabelos quando empurrei de leve seu tronco até quase deita-lo na bancada da cozinha. Passei a dar atenção a um de seus mamilos, mordiscando-o lentamente enquanto mantinha meu olhar em seu rosto. Seus lábios estavam inchados e muito avermelhados, enquanto a mantinha os olhos fechados sentindo o prazer que eu lhe proporcionava com muita vontade. Somente com aquela visão meu pau duro já doía dentro da minha bermuda.

Passei a dar atenção ao seu outro mamilo enquanto brincava com o outro.

 - Oh hyung... Isso é muito bom...

Seu sussurro me deixou arrepiado dos pés a cabeça. Gotas de suor já desciam por meu tronco. Tudo estava quente e muito bom.

Segurei as suas nádegas e o puxei contra mim de novo, levantando-o para irmos ao quarto. Tomei seus lábios em um novo beijo repleto de luxúria enquanto caminhávamos, nossas línguas  acariciavam-se. Finalizei o ósculo dando uma mordida em seu lábio inferior enquanto abria a porta e entrava no meu quarto.

Antes mesmo que ele pudesse dizer algo, o desci do meu colo e já abaixei puxando seu shorts, deixando-o completamente nu. Subi lentamente, passando a apertar suas coxas grossas, distribuindo beijos e chupões por toda a extensão até chegar em sua virilha, mas não o chupei e segui subindo por seu corpo. Cheguei ao pé de sua barriga, dando leves modinhas, passei por seu umbigo, rodeando-o com a língua, arrancando um suspiro do dongsaeng. 

O virei de costas para mim, prensando-o na parede ao lado da porta e ouvi de bom grado seu gemido arrastado e manhoso. Dei uma mordida em sua nádega direita e levantei passando a mão em toda lateral de suas coxas até chegar no meu objetivo. 

Segurei seu falo rijo, iniciando uma masturbação lenta. Nunca havia tocado em outro pau que não fosse o meu, mas estranhamente eu sabia o que fazer. Comecei devagar fazendo um vai-e-vem, indo e vindo devagar.

 - Ahn... Hyung, m-mais. M-mais rá-rápido. - Seus gemidos manhosos eram músicas para meu ouvidos.

Queria que ele implorasse por mais, queria ele submisso por mim. Ao invés de acelerar os movimentos, os deixei mais lentos e comecei a morder devagarinho sua nuca exposta para mim.

 - Nyah h-hyung... Não me torture assim… - Jimin gemeu manhoso apoiando a cabeça em meu ombro.

Passei meu dedão pela glande devagarinho, apertando levemente, fazendo-o gemer manhoso como um gatinho no cio.

Acelerei os movimentos gradativamente, a masturbação ficando mais intensa. Por seu corpo estar colado ao medo, podia senti-lo estremecer cada vez mais, ele estava quase chegando ao ápice. Mas não iria permitir isso, então parei antes que ele gozasse na minha mão.

Seu resmungo indignado saiu audível e isso me fez sorrir ladino.

 - Yah hyung! Por-

 Não permiti que terminasse a fala. Virei-o para mim e ataquei seus lábios com vontade, ora chupando sua língua, ora mordendo seus lábios macios. Minhas mãos não paravam quietas, eu queria tocá-lo em todos os lugares. As mãos de Jimin não estavam diferentes das minhas, mas quando ele começou a apalpar meu pau ainda por cima da roupa, eu já não controlava mais meu corpo. Quando ele apertou mais forte, um grunhido rouco e involuntário saiu de minha garganta. Ainda nos beijando, ele foi me guiando até a cama, quando senti minha perna encostar na madeira, Jimin me empurrou com demasiada força e eu caí deitado, encarando o moreno à minha frente.

Seu peito subia e descia rápido, a respiração acelerada. Um sorriso repleto de malícia surgiu em seus lábios carnudos e logo depois veio um sorriso ladino.

Ele subiu na cama bem lentamente, de quatro se arrastando até mim. Quando sua respiração quente bateu contra meu pescoço ele sentou em cima do meu pau com força, com uma perna de cada lado de meu corpo.

Fechei os olhos sentindo meu pênis se encaixar perfeitamente entre suas nádegas, e ainda sim reprimi um gemido alto assim que ele começou a rebolar devagarinho.

 - Porra, Jimin!

 - Achou que só você sabe brincar hyung? - Soltou uma risadinha maliciosa, selando meus lábios em seguida.

Suas mãos pequenas foram para a barra de minha camisa, levantei os braços e ele a retirou de meu tronco. Logo seus lábios já estavam trabalhando em meu pescoço e peito, mordendo, chupando, marcando-me. Com certeza amanhã meu torso estaria pra lá de roxo, mas eu não me importava, porque ele estaria também.

Deu vários beijinhos lentamente até chegar na cintura, segurou no cós da bermuda e tirou-a com a cueca de uma vez, deixando-me nu. Suas mãozinhas seguraram meu pênis com firmeza, iniciando uma masturbação lenta num movimento de vai-e-vem contínuo. Seus olhos encontraram os meus como se pedisse permissão do que ia fazer, assenti em resposta.

Se inclinou e deu um beijo na cabecinha antes de lamber toda a extensão do meu pau. Gemi alto quando ele abocanhou todo meu pênis, chupando-o com vontade, como se fosse um pirulito. Minha mão direita se enroscou em seus cabelos, ditando o ritmo dos movimentos. Sua boca quentinha contra meu membro é uma delícia, ele subia e descia cada vez mais rápido e eu não continha nenhum gemido.

Suas mãos acariciavam minhas bolas enquanto ele lambuzada meu falo com sua saliva. Suas chupadas foram acelerando gradativamente mas não era o bastante. Comecei a movimentar meu quadril contra sua boca, praticamente fondendo-o. Um arrepio se passou por meu corpo quando a glande bateu contra sua garganta, fazendo ele se engasgar algumas vezes. Quando estava quase gozando acelerei ainda mais as estocadas, até gozar dentro da sua boca. Um sorriso malicioso surgiu de seus lábios quando ele engoliu toda minha porra. Lambeu os lábios lentamente, limpando qualquer resquício de gozo e me olhou intensamente.

Sentei na beirada da cama, chegando perto dele e acariciei seu rosto delicado com uma expressão inocente. Jimin parecia um anjo de tão lindo.

Segurei em sua nuca e grudei minha boca na sua, num encaixe perfeito de lábios. Minha língua brincava com a sua e eu passei a comandar o beijo, tornando-o sensual e intenso. Num momento rápido nos virei, ficando por cima de seu corpo, sorrindo ladino.

Observei sua situação: Respiração falha e quente, o peito subindo e descendo rapidamente, os lábios extremamente vermelhos e inchados, além de estar completamente marcado de chupões e mordidas feitos por mim. Jimin estava fodidamente lindo.

Comecei a beijar seus lábios sentindo meu próprio gosto e desci até seu pescoço novamente, maltratando o local enquanto minha destra apertava de leve sua cintura. Sua mão direita apertava meu ombro e a outra puxava de leve os cabelos da minha nuca.

- Hmm… Isso é muito bom hyung… - A cada gemido manhoso meu tesão aumentava ainda mais. Meu pênis já estava duro novamente.

Abri a gaveta do criado-mudo e retirei de lá o pote de lubrificante. Jimin me lançou um olhar acusador, como se soubesse que eu já estava planejando isso. O abri e retirei uma quantidade generosa do produto, fechando-o em seguida e o joguei num canto qualquer do quarto. Apoiei meu corpo sobre o seu com o braço esquerdo sem soltar todo meu peso. Segui com minha destra até o meio de suas pernas, abrindo-as para mim. Rodiei sua entrada com o indicador antes de entrar dentro dele, preparado-o para mim.

O mais novo soltou um gemido dolorido com a invasão repentina. Adicionei o segundo dedo, fazendo movimentos de vai-e-vem e de tesoura. Senti suas unhas curtas cravarem nas minhas costas, descontando todo o desconforto. Quando achei ser o suficiente, retirei os dedos de si e segurei meu pau masturbando-me para espalhar meu lubrificante natural. Passei a glande por sua entrada e encarei seu rosto antes de penetrá-lo devagar. Porra, como é apertado! Suas paredes esmagavam completamente meu pau, chegava a ser difícil de mover.

Distribui selares por seu rosto para o distrair da dor quando ouvi seu choramingo. Depois de um tempo seu quadril começou e se mexer, me dando o sinal para mover. Comecei a estoca-lo de leve, com um pouco de dificuldade já que ele é bastante apertado, mas isso não foi um empecilho já que alguns instantes depois eu já arremetia com vontade. Suas mãos não ficavam quietas, apertando meus braços e arranhando minhas costas e eu não estava diferente, meu corpo estava quente demais, além de sentir o suor escorrer por meu corpo e minhas mãos apertavam constantemente sua cintura ou suas nádegas.

Gemidos de prazer eram ouvidos por todo quarto. Estavam tão altos que julgaria que poderiam ser ouvido até fora do apartamento.

Segurei suas pernas com vontade e as posicionei ao redor de minha cintura, dando-me mais espaço para o estocar fundo e com força. Fiquei nisso por um tempo, penetrando com vontade e às vezes selando meus lábios seus até Jimin me parar de repente.

O olhei intrigado, sem entender sua ação.

 - O que foi Jimin? 

 - Eu quero sentar em você hyung.

Assenti ainda desnorteado pelo prazer. Encostei-me na cabeceira da cama, ficando sentado enquanto ele subia encaixando seu quadril ao meu, roçando nossos membros, arrancando um gemido doloroso e me deixando ainda mais duro - se é que isso ainda era possível.

Sua mão quente segurou meu pau, encaixando-o em sua entrada. Quando a glande entrou, ele sentou de vez arrancando um suspiro prazeroso de ambos.

Naquela posição eu podia observar todos seus movimentos e expressões tranquilamente. Seu rosto já estava mais que corado, com os lábios extremamente inchados e chamativos. Os chupões arroxeados estavam em destaque sobre sua pele outrora leitosa e imaculada. A marca dos meus dedos era visível em sua cintura e isso fazia eu me sentir gratificado, pois eu tinha marcado território como um alfa marca seu parceiro. Desci meu olhar até seu pênis, ereto, vermelho e pulsante esperando por um toque meu. Envolvi delicadamente meus dedos em volta da glande e massageando seu pau devagar, masturbando-o lentamente só pra arrancar um gemido manhoso do mesmo. Desviei os olhos para seu rosto vendo o garoto de olhos fechados e lábios entreabertos gemendo e suspirando pesadamente. Por um momento seus lábios pareciam me chamar e sem demorar tomei-os em um beijo lascivo e repleto de desejo. Eu não conseguia desgrudar sua boca da minha e cada vez eu queria mais dele.

Assim que finalizarmos o ósculo ele começou a se movimentar em mim, bem lentamente, subindo e descendo devagar. Eu sentia um prazer como nunca antes, podia sentir seu interior quente e apertado espremer meu pau a medida que ele se movimentava. Mas não era o bastante, então segurei na lateral de suas nádegas, ditando o ritmo dos movimentos e o ajudei a acelerar eles.

Já estava quase chegando meu meu limite, quando acertei o ponto doce dentro de Jimin e seus gemidos ficaram mais altos ainda, quase gritando. Sorri internamente com isso e passei a acertar somente alí.

- Ohh… Isso! Mais rápido Yoongi! Porra!

Minha respiração já estava pra lá de ofegante e eu não aguentaria por mais tempo segurando e Jimin parecia estar na mesma situação do que eu.

- De quatro, bebê.

Foi a única coisa que consegui dizer. Ajudei o dongsaeng a virar e segurei firme em sua cintura e o penetrei rapidamente. Mesmo pela posição puder ver o menor agarrar seu próprio pênis e masturbar a si mesmo enquanto eu investia contra sua bunda gostosa e seu interior.

Meu cérebro parecia ter virado gelatina, eu já não pensava mais, só conseguia sentir mais prazer a cada investida. Quando eu não aguentava mais meu dongsaeng gozou intensamente, soltando um gemido tão alto que é os vizinhos poderiam ouvir. Seu gozo escorreu por sua mão até cair sobre o lençol da cama. Sua pernas estremeceram e se eu não tivesse o segurado ele teria caído no colchão. Mesmo com as paredes me apertando continuei com as estocadas fortes até gozar dentro dele. Meu olhos se reviraram pelo com o prazer absurdo que eu estava sentindo. Permaneci dentro dele até sentir seu corpo amolecer mais e mais, chegando a quase deitar sobre o colchão. Sai de seu interior devagar, ouvindo um suspiro manhoso do garoto abaixo de mim.

Minha garganta doía devido aos gemidos intensos dados outrora. Mas a satisfação me consumia por inteiro.

Nunca tive uma foda tão intensa como aquela.

Deitei ao lado de Jimin, observando sua face sonolenta. Ele abriu os olhos levemente e sorriu pra mim.

- Jiminnie?

- Hm? - Murmurou sonolento.

- Precisamos de um banho. Vem! - Chamei-o, esperando um resposta mas não a obtive e percebi que ele havia dormido.

Sorri com a cena. Não deixaria ele dormir completamente sujo. Então tomei-os nos braços em direção ao banheiro. Enchi a banheira com água morna e o coloquei dentro enquanto voltava ao quarto e trocava os lençóis. Lhe dei o banho e troquei sua roupa e o coloquei pra dormir na minha cama mesmo.

Sentia o sono aparecer aos poucos e tomar conta do meu corpo, então tomei um banho rápido e me dirigi até o quarto vendo a hora no relógio em cima do criado mudo. Já era quase seis da manhã, não daria mais tempo de ir trabalhar, então apenas deitei na cama ao lado do dongsaeng, vendo seu peito subir e descer devagarinho, uma respiração regular a profunda. O puxei de encontro ao meu corpo, dando um beijinho em seus lábios antes de me aconchegar na cama.

Deixei o sono me levar e me permiti descansar sentindo o calorzinho gostoso do corpo de Jimin contra o meu.


Notas Finais


Então, o que acharam meus gatinhos?
Eu não consegui fazer um final diferente do que esse. Eu sempre imagino meu yoonmin fofinho, e tinha que colocar algo assim, mesmo sendo bem de leve e sutil.
Então, talvez vai ser uma twoshot e terá outro capítulo, mas ainda não tenho nada confirmado. O que vocês acham de uma troca? Yoongi por baixo dessa vez?!

É isso meus amores 💗
Espero que tenham gostado! Comentem pra me dizer o que acharam!
Se quiserem ler minha longfic yoonmin é só entrar no meu perfil.

Kissus amores, saranghae ❣❣❣


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...