História Boneca de Luxo — Nas Mãos do Destino - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Boruto Uzumaki, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Jiraiya, Kakashi Hatake, Killer Bee, Konohamaru, Kurenai Yuuhi, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Drama Intenso, Fnh, Fns, Máfia, Naruhina4ever, Romance, Trafico Humano, Traumas Psicológicos
Visualizações 1.025
Palavras 5.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Harem, Hentai, Policial, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde, gente.
Tudo bem com vocês?

Voltei até depressa, não é mesmo? Aproveitei que hoje é feriado e eu estou em casa para trazer mais um capítulo pra vocês.
Primeiro, quero mais uma vez me desculpar por ainda não ter respondido a todos os comentários. Aos poucos, estou respondendo com muito carinho a cada um de vocês que tem me acompanhado nas minhas histórias. Saibam que eu fico extremamente feliz por isso e agradeço de todo o coração o carinho.
Também quero agradecer as mensagens de melhoras pelo meu filho. Ele está bem melhor, por isso, acredito que conseguirei atualizar minhas histórias mais rapidamente, ok?
Esse capítulo tem novos elementos também. Poucos, mas perceptíveis. Espero muito que essa nova cara de BDL esteja agradando.

Obrigada a todos pelo imenso carinho. São mais de 1100 favoritos. Uau!!! Estou muito feliz por isso.

Sem mais delongas, Capítulo IX pra vocês.
Beijos e ótima leitura.

Capítulo 10 - Livro I Capítulo IX


Fanfic / Fanfiction Boneca de Luxo — Nas Mãos do Destino - Capítulo 10 - Livro I Capítulo IX

Boneca de Luxo



Capítulo 9 —




(Naruto Uzumaki Namikaze)

Na manhã seguinte, quando Hinata acordou, ainda estava visivelmente desconfortável perto de mim. Eu precisava fazer alguma coisa para mudar aquela situação urgentemente.

— Hinata, hoje é a luta da Tenten e eu gostaria muito que você fosse. Aceita ir conosco? — perguntei esperançoso.

Nunca havia ficado tão ansioso por uma resposta em minha vida. Tive medo que ela recusasse, depois do ocorrido da noite anterior.

Mas quando Hinata sorriu timidamente e aceitou o meu convite, fiquei em êxtase. Meu coração quase saiu do meu peito, tamanha a minha alegria.

— Então arrume-se porque daqui a pouco nós estaremos saindo, ok? — disse sorrindo.

Quando Hinata terminou de se arrumar, eu praticamente babei ao vê-la. Ela estava simplesmente linda. Tinha vestido uma calça jeans escura e uma blusa soltinha de cetim na cor branca. Era a mulher mais linda do mundo para mim.

Descemos até a sala e notei o quanto ela estava empolgada. Era a primeira vez que ela sairia de casa nos dezessete dias em que estava comigo.

— Hinata, me espere aqui. Eu preciso resolver um assunto, mas já volto — disse a ela e saí.

Fui até a casa das meninas e a Temari já me esperava.

— Bom dia, Temari. Vamos lá?

Íriamos ver como a Shion estava.

— Bom dia, Naruto. Vamos — respondeu séria.

Seguimos em direção ao porão e assim que descemos, e acendemos a luz, a loira olhou para nós espantada.

— Com medo de mim, Shion? Talvez isso seja bom — disse a olhando sério.

— Naru, me tira daqui. Eu prometo que vou mudar — pediu-me chorando.

— Por que será que eu não estou acreditando nesse seu arrependimento, hein? Ah... vai ver porque o que você fez foi realmente muito grave, não é mesmo? Hinata poderia ter morrido, Shion. Você tem ideia disso? — questionei-a sério.

Ela abaixou a cabeça e chorou ainda mais.

— Você vai ficar mais uns dias aqui até ter consciência das suas atitudes — disse e me virei para sair.

— Você só está fazendo isso porque foi com ela, não é? É porque você está apaixonado por aquela desgraçada, não é verdade? — cuspiu as palavras com raiva.

Parei, pensei no que ela me disse, e então me virei para respondê-la.

— E se for verdade, Shion? O que você tem a ver com isso, hã? Por acaso eu te dei esperanças? Eu alguma vez te fiz promessas de que ficaria com você? Não. Eu nunca fiz promessa alguma nem a você nem a ninguém. Então o que eu faço da minha vida não lhe diz respeito — respondi decidido.

— SE VOCÊ NÃO QUERIA NADA COMIGO, ENTÃO PARA QUÊ VOCÊ ME COMPROU? — gritou descontrolada.

Puxei o ar profundamente e respondi a ela o que tanto queria saber.

— Boa pergunta, Shion. No momento eu mesmo estou me fazendo essa pergunta sabe? Mas ao contrário do que você e muitos imaginam, eu não compro mulheres para me divertir. Não... é muito mais do que isso — falei sério e caminhei até ela me abaixando na frente da loira.

Shion era uma mulher muito bonita, mas a soberba e a prepotência lhe estragavam em todos os sentidos.

— Eu realmente não suporto ver uma mulher tão bonita se acabando no mundo da prostituição por falta de opção ou por ter sido obrigada a isso. Eu não acho que uma mulher mereça ser tratada como um simples objeto de prazer. Isso pode até soar contraditório da minha parte, pela minha maneira de viver. Mas procure pelo mundo: quantos bilionários você conhece que resgatam mulheres da prostituição e devolvem a vida para elas? Se você achar a resposta para essa minha pergunta, venha e discuta comigo. Fora isso aprenda ao menos ser mais agradecida. Tchau, Shion, reflita muito bem em tudo o que eu lhe disse — despedi-me dela e deixei o porão.

Temari trancou a porta e me olhou analítica. Talvez estivesse tentando entender as minhas atitudes também.

— Naruto? — chamou séria.

— Humm? — respondi olhando-a tranquilo.

— Obrigada por tudo. Você me salvou. A mim e ao meu irmão. Muito obrigada — disse com sinceridade.

Temari não era de expor suas emoções, mas sabia o momento certo de fazê-lo. Eu apenas sorri para a loira e voltei para casa. No meio do caminho, fui surpreendido pela Sara, que me agarrou aos prantos.

— O que foi, Sara? — perguntei desconfiado.

No mesmo instante me lembrei do sonho.

— Naruto, foi a Hinata — respondeu chorosa.

— O que aconteceu? — questionei-a duvidoso.

— Eu fui visitá-la e me desculpar por ontem à noite. Ela simplesmente me disse que não queria nenhum tipo de contato nem comigo nem com as meninas da casa. Eu perguntei a ela o porquê e pedi desculpas se foi por alguma coisa que eu tivesse feito, mas ela me disse algo que me magoou muito — falou entristecida.

— E o que foi que a Hinata te disse? — perguntei sem muita paciência.

— Ela me disse que não queria ter contato conosco porque somos todas putas e ela não é da nossa laia — disse e voltou a chorar.

Eu não ia acreditar naquela história. Hinata jamais diria isso a ninguém. Não parecia ser do feitio dela destratar as pessoas daquele jeito.

— Sara, posso te pedir uma coisa? — perguntei sério.

A ruiva me olhou esperançosa.

— Evite ir a minha casa, sim. Será bem melhor para você — falei sério e virei às costas.

Se ela queria me envenenar contra Hinata, perdeu seu tempo.

Quando cheguei em casa, Hinata estava pensativa e aquilo me preocupou. Precisava saber dela o que a Sara havia dito.

Fui até onde ela estava e perguntei cuidadosamente:

— Hinata, a Sara veio até mim e me disse que você chamou as meninas da casa de putas. Isso é verdade? — perguntei apreensivo.

Eu sabia que era mentira, mas tinha que saber até que ponto a Sara era capaz de mentir para prejudicar alguém.

— Não — respondeu segura. — A Sara veio me dizer que você jamais se interessaria por mim porque eu não sou diferente, que eu sou tão puta como as meninas da casa e sou descartável. Eu disse a ela que não se preocupasse com isso, pois você jamais iria querer algo com uma qualquer como eu. Eu não preciso humilhar a ninguém para me sentir melhor. Minha mãe e meu pai me ensinaram a tratar a todos como iguais — concluiu magoada.

Meu coração doeu por ouvi-la me dizer aquilo. Hinata não era nada do que a Sara disse. Nem ela nem as meninas. O que a Sara disse era imperdoável.

— Você não é uma qualquer, Hinata. Não se importe com o que a Sara disse — falei com sinceridade.

Hinata olhou para mim e percebi que seus olhos estavam marejados.

— Eu não me importo, Naruto. Só que me sinto uma intrusa nessa casa. Aqui não é o meu lugar. Deixe-me ir morar na casa com as meninas, eu não sou especial — pediu ressentida.

— NÃO! — disse alarmado. — Você vai ficar aqui. É aqui que eu te quero — completei decidido.

— Por que, Naruto? Eu não sou nada sua. Eu sou apenas mais uma Boneca da sua coleção.

Hinata me disse aquilo com tanta amargura, que eu me desesperei. Abaixei-me na frente da morena e segurei seu rosto delicadamente com as mãos, obrigando-a olhar para mim.

— Hinata, você não é apenas uma Boneca para mim. Você é muito mais do que isso — falei com toda sinceridade olhando-a nos olhos.

— Eu não quero ser motivo de brigas na sua casa. Eu também não gosto disso — respondeu com olhos cheios d'água.

Limpei cuidadosamente as lágrimas que molhavam seu rosto e respondi a ela com todo o carinho:

— Pelo contrário, Hinata. Você trouxe vida para a minha casa e eu não quero que você saia.

Ela me olhou boquiaberta e abaixou a cabeça envergonhada.

— Tudo bem. Se você quer que eu fique, então eu ficarei — respondeu num sussurro.

E, num impulso, acabei abraçando a morena. E quando dei por mim, já o tinha feito.

— Obrigado, Hinata. Você não imagina o quanto estou feliz por isso — falei alegremente abraçado a ela.

Hinata ficou mais vermelha que um tomate me fazendo rir de sua reação. A mulher a minha frente era mesmo incrível.

— Agora vamos, senhorita. Senão a Tenten me mata — disse com um enorme sorriso.


Fomos animados até o ginásio onde a luta entre a Tenten e a mexicana aconteceria.
Hinata estava maravilhada por ter visto um pouco da cidade de Boston, mesmo sendo pela janela de um carro em movimento.

A luta da Tenten foi realmente impressionante. A mexicana não teve chance alguma contra ela. Gai, o treinador da Tenten, estava orgulhoso. Mas o mérito era todo da morena de coques.

Aproveitei a oportunidade para apresentar Hinata a alguns amigos que estavam presentes.

— Hinata, esse aqui é Sasuke Uchiha. Meu amigo de infância e advogado pessoal — apresentei-o cordialmente.

— Muito prazer, doutor. Sou Hinata Hyuuga — cumprimentou-o Hinata educadamente.

Sasuke a olhou pasmo.

— Então você é a Hyuuga de quem o Dobe aqui tanto fala? Muito prazer, Hinata. — Sasuke me olhava admirado.

O desgraçado tinha um sorriso abusado na cara.

— Ah… seu Teme dos infernos — murmurei nervoso entre os dentes.

Hinata olhou para nós sem entender nada.

— O que as duas gazelas estão fazendo com essa dama?

Olhamos para o ruivo que havia acabado de chegar.

— E olha só quem está por aqui: Gaara no Sabaku — falou Sasuke com ironia.

— Meu caro doutor Uchiha, obrigado pela recepção calorosa, mas não vim por sua causa. — O sorriso do ruivo era debochado.

— Hinata, lembra do irmão da Temari? Pois aí está ele — apresentei-o a ela.

— Muito prazer, senhorita. Sou Gaara no Sabaku, irmão da loira ensandecida ali — disse apontando para a Temari.

— Olá, Gaara... é um prazer conhecê-lo — cumprimentou-o Hinata, gentilmente.

Eu tinha um assunto para conversar com o Sasuke, então deixei Hinata aos cuidados da Temari, enquanto conversava com ele.

— E aí, Naruto. Já conversou com o Asuma? — perguntou Sasuke seriamente.

— Ainda não. Combinei com ele de conversarmos hoje depois que eu chegasse da luta — respondi sério.

— O Itachi deu notícias. Ele descobriu que Otsutsuki não é o verdadeiro sobrenome da Shion. Esse era o sobrenome do primeiro marido dela — contou-me por alto.

— Então a loira já aprontou mais do que imaginávamos? — refleti intrigado.

— Com certeza. A questão agora é tentar descobrir alguma coisa do passado dela na Rússia. Ela está escondendo algo muito sério e nós iremos descobrir — falou com convicção.

— Assim eu espero, Sasuke. Agora deixa eu ir porque preciso resolver as coisas com o Asuma. Depois nos falamos.

— Ok, te vejo depois.

Nos despedimos e voltei, indo até onde Hinata estava com a Temari, e chamando-a para irmos embora. Precisava processar toda aquela informação sobre a Shion.

Todas as garotas que comprei fiz questão de pesquisar tudo sobre o passado delas. E o da Shion foi o que mais me deixou intrigado.

Um grande empresário inglês, entrando em falência, do nada coloca uma suposta “noiva” a venda num leilão na internet? Aquilo era muito estranho para o meu gosto.

Enviei o Itachi, irmão mais velho do Sasuke, para investigar o passado da loira.



Assim que chegamos em casa, levei Hinata para o quarto e, depois, fui até a casa do Asuma para conversarmos. Eu estava esperando por notícias daquele caso há muito tempo.

— E então, Asuma? O que você descobriu na Itália? — perguntei ansioso.

— Bem... Você não vai acreditar, mas, a sua mãe e a senhora Terumi, tem um passado em comum. Mei Terumi, ou simplesmente Madame Terumi, como ela é conhecida, foi sequestrada na Irlanda quando tinha 16 anos de idade e levada para a prostituição na Holanda. A quadrilha que a levou foi basicamente a mesma que sequestrou sua mãe na Rússia. Como eu disse, a senhora Terumi é só mais um peão usado por essa quadrilha. O chefão é um homem grande, rico e influente no mundo — contou seriamente.

— E sobre o assassinato dos meus pais? Conseguiu alguma pista? — perguntei esperançoso.

— O homem que você me descreveu, tem as características de Gengetsu Hozuki. E, se for realmente ele um dos que mataram os seus pais, com certeza foi a mando do chefão. Já que a sua mãe foi a Boneca particular dele e o seu pai a roubou dele, por assim dizer.

— Inferno — xinguei socando a parede a minha frente.

As imagens daquele maldito dia não saíam da minha cabeça. Minha mãe chorando e aquele porco a violentando, enquanto meu pai estava amarrado e sendo espancado. Eles nem se importaram que eu estivesse vendo aquilo.

— Calma, senhor… Nós ainda iremos pegá-los — disse Asuma tentando me acalmar.

— Está tudo bem, Asuma. Eu só me lembrei de umas coisas — respondi forçadamente.

Falei aquilo para tranquilizá-lo, mas na verdade eu não estava nada bem. Eu era uma criança de 4 anos assistindo a execução dos pais, por um bando de desgraçados, que ainda por cima abusaram da minha mãe antes de matá-la. Vi meu pai morrer sem poder ao menos proteger a esposa.


Despedi-me do Asuma e fui embora para casa. Minha mente estava um caos.

Assim que entrei no quarto, Hinata me olhou preocupada. Passei direto por ela e fui para o banheiro.

Tirei minha roupa, entrei debaixo do chuveiro e desabei. Eu estava com tanta raiva, me sentindo tão impotente. Eu queria matar aquele desgraçado que fez aquilo com a minha mãe.

Quando eu saí do banheiro, Hinata estava encostada na parede do lado de fora com a cabeça baixa. Assim que me viu, ela entrou no banheiro rapidamente e tomou um banho.

Ainda era de tarde, mas eu havia perdido a fome e a vontade de sair do quarto.

Hinata saiu do banheiro, foi até o closet e trocou de roupa. Nem a vi sair do closet. Contudo, me surpreendi com a sua presença.

— Naruto, quer comer alguma coisa? — perguntou preocupada.

Olhei para ela e notei sua preocupação. 

— Não, Hinata… Obrigado. Mas se você quiser pode descer — falei gentilmente.

— Tudo bem, não irei demorar — respondeu decidida e virou-se para ir.

Vinte minutos depois, Hinata voltou, trazendo consigo uma bandeja com dois sanduíches, uma jarra de suco e um girassol.

Olhei para ela sem entender.

— Tome, eu mesma fiz para você. Espero que goste — disse com doçura.

A morena parecia tão preocupada que não tive coragem de rejeitar aquele lanche. Iria comê-lo por educação. Porém, ao dar a primeira mordida, mudei de ideia instantaneamente. Aquele sanduíche estava tão gostoso que não ia comê-lo só por educação, mas por estar delicioso.

— Humm... obrigado, Hinata. Está muito bom — agradeci de boca cheia.

— Dou itashimashite. Que bom que você gostou — respondeu alegremente.



E depois daquele dia eu pude entender que o que eu sentia por Hinata ia muito além de um simples desejo. Eu não queria Hinata por apenas uma noite, eu a queria para sempre.


Mas acabei descobrindo que para ser feliz com a morena precisava me desfazer de algumas Bonecas da minha coleção. E aquilo se tornou muito mais difícil do que eu imaginei.




(Hinata Hyuuga)

Naquele domingo, íamos ver a luta da Tenten e eu estava muito animada por estar saindo de casa pela primeira vez. Naruto me deixou sozinha na sala e me pediu que o esperasse. Ele ia resolver um “pequeno problema”. Estava até me acostumando com aqueles pequenos problemas que Naruto tanto resolvia.

Assim que ele saiu, Sara entrou discretamente pela cozinha e veio até onde eu estava.

— Oi, Hinata. Tudo bem com você? — perguntou secamente.

— Tudo muito bem — respondi de forma simples.

— Sabe, eu poderia me desculpar pelo ocorrido de ontem a noite, mas acho que seria desnecessário — falou olhando para janela.

— E porquê seria desnecessário? — questionei-a sem entender.

— Porque eu te livrei de uma. Pois assim que o Naruto conseguir o que quer com você, vai te descartar. Não se iluda muito, ele nos comprou porque somos putas que ele usa e descarta quando bem quer. E não pense que com você seria diferente, porque você é tão descartável quanto qualquer uma de nós. — O desprezo em sua voz era notável.

Eu não ia bater boca com aquela mulher. Se era isso que ela queria, havia perdido seu tempo comigo.

— Tem razão, Sara. Eu sou tão descartável quanto qualquer uma de vocês, como você mesma disse. Mas não se preocupe, o Naruto não ia querer nada com uma qualquer, não é verdade? Descanse o coração — respondi seriamente.

Sara me olhou com ódio nos olhos e não demorou para eu recebesse o primeiro ataque da ruiva. Ela foi até o Naruto e contou a história do jeito dela.

— Hinata, a Sara veio até mim e me disse que você chamou as meninas da casa de putas. Isso é verdade? — perguntou sério.

— Não. A Sara veio me dizer que você jamais se interessaria por mim porque eu não sou diferente, que eu sou tão puta como as meninas da casa e sou descartável. Eu disse a ela que não se preocupasse com isso, pois você jamais iria querer algo com uma qualquer como eu. Eu não preciso humilhar a ninguém para me sentir melhor. Minha mãe e meu pai me ensinaram a tratar a todos como iguais — respondi com o coração apertado.

— Você não é uma qualquer, Hinata, não se importe com o que a Sara disse — disse preocupado.

Eu realmente fiquei triste por tudo o que a Sara havia me dito. Naruto já tinha tantas outras preocupações e eu não queria preocupá-lo ainda mais. Então, para evitar mais problemas, resolvi pedir ele que me deixasse ir morar com as meninas na casa das bonecas. Entretanto, para minha surpresa, Naruto não permitiu.

— NÃO! Você vai ficar aqui, é aqui que eu te quero.

Eu olhei para ele com o coração disparado. Queria saber o que Naruto sentia por mim, porque se eu fosse apenas mais uma de suas bonecas, não teria sentido permanecer ali. Não tínhamos parentesco algum.

E mais uma vez Naruto me surpreendeu.
De repente, ele se abaixou na minha frente e com todo o cuidado levantou meu rosto para si, me fazendo olhar em seus olhos.

— Hinata, você não é apenas uma Boneca para mim, você é muito mais do que isso — disse me olhando intensamente.

Por mais que eu amasse ter ouvido aquela declaração, eu ainda me sentia uma intrusa naquela casa. Estava sendo motivo de discórdias e me sentia horrível por isso.

Chorei angustiada com toda aquela situação. Eu estava longe da minha família, num lugar estranho e com pessoas estranhas. Entretanto, o lindo homem à minha frente, me tratava de maneira especial. Era como se eu realmente fosse importante para ele, assim como as meninas haviam me falado. Todavia, aquele tipo de tratamento, de certo modo, me incomodava.

Se Naruto estava realmente apaixonado por mim, eu queria que ele me provasse.

E, para minha surpresa, dedos firmes enxugaram minhas lágrimas com todo o carinho.

Olhei para Naruto e me perdi na imensidão azul de seus olhos.

— Pelo contrário, Hinata. Você trouxe vida para a minha casa e eu não quero que você saia — respondeu com sinceridade.

Meu coração disparou ao ouvir aquilo e, inevitavelmente, eu corei. Abaixei a cabeça no mesmo instante morrendo de vergonha que ele me visse corar.

“Céus!” pensei aturdida.

— Tudo bem. Se você quer que eu fique, então eu ficarei — sussurrei tímida.

E quando dei por mim, estava sendo abraçada fortemente por ele. Meu coração parecia que ia bater voo de tão acelerado que estava.

— Obrigado, Hinata. Você não imagina o quanto estou feliz por isso — declarou abraçado a mim.

O perfume amadeirado de Naruto inebriou meus sentidos e me peguei o inspirando profundamente, sem perceber. Fiquei da cor de um tomate tamanha vergonha pela minha reação. Naruto percebeu o meu constrangimento e deu um sorriso de canto. Cheguei a pensar que desmaiaria.

“Meu Deus, eu não posso me apaixonar assim por ele” pensei angustiada.

Aquele lindo homem à minha frente, estava conseguindo roubar meu coração mais depressa do que eu imaginava.

— Agora vamos, senhorita. Senão a Tenten me mata. — Seu sorriso era brincalhão e me tirou do meu devaneio.

Eu estava muito feliz por poder sair pela primeira vez desde que cheguei. Naruto me levou até um carro muito bonito e assim rumamos para o local onde a luta aconteceria.

Da janela do carro, eu olhava a tudo admirada. Boston era linda. Uma cidade cheia de charme, contrastando o moderno com o antigo perfeitamente bem.

Quando chegamos ao ginásio, eu fiquei empolgada. Havia muita gente no local e algumas meninas da casa também compareceram. Porém, eu era constantemente encarada pela Sara. Ela me olhava com os olhos apertados, como se estivesse planejando alguma coisa.

Resolvi deixar aquilo de lado e fui com o Naruto até onde iríamos ficar.



A luta da Tenten foi realmente incrível. Ela escolheu um estilo de luta originária do seu país, o que deu a ela uma vantagem absurda sobre a sua oponente e, consequentemente, a vitória.

Quando a luta terminou, fiquei próxima ao Naruto esperando ele para irmos embora.

— Venha, Hinata. Quero que você conheça uns amigos meus — disse animado.

Dirigimo-nos até onde um rapaz alto, branco e de cabelos pretos estava. Ele parecia ter a mesma idade do Naruto e também era muito bonito.

Fomos apresentados e, naquele dia, fiquei conhecendo Sasuke Uchiha. Além de ser amigo íntimo do Naruto, Sasuke também era seu advogado particular.

O homem à minha frente tinha um sorriso debochado no rosto e parecia bem surpreso ao me conhecer. Escutei quando o Naruto murmurou alguma coisa nervoso, só não entendi o que era.

— O que as duas gazelas estão fazendo com essa dama?

De repente, uma voz baixa e fria soou atrás de mim. E quando o Sasuke disse o nome de quem falava, tive uma enorme curiosidade de me virar para conhecer o dono daquela voz intrigante.

Quando olhei para o novo integrante do grupo, na hora me lembrei do meu nii-san. Se Naruto conseguiu salvar o irmão da Temari, eu poderia ter esperanças de que a minha família também seria salva.

— Hinata, lembra do irmão da Temari? Pois aí está ele — apresentou-nos com um grande sorriso.

O ruivo tinha um ar intimidador. Com uma tatuagem vermelha na testa, escrita a palavra amor em japonês, o ruivo parecia mais assustador ainda. Porém, era totalmente o oposto do que aparentava ser.

— Muito prazer, senhorita. Sou Gaara no Sabaku, irmão da loira ensandecida ali.

Olhei para a direção em que ele apontava e Temari conversava tranquilamente com a Tenten e outra loira que eu ainda não conhecia.

Para mim foi uma grande alegria conhecer o irmão da Temari. Era sinal de que Naruto realmente cumpria com as suas promessas.

Naruto me pediu para ficar junta da Temari por uns instantes enquanto conversava com o Sasuke.

Assenti concordando com um aceno de cabeça e ele me levou para junto das garotas onde Temari estava, me deixando aos cuidados dela.

Naruto cochichou algo no ouvido da loira e ela apenas acenou confirmando. Ele me deu um sorriso e foi ao encontro de Sasuke que o esperava tranquilamente.

— Hinata, já teve o prazer de conhecer a Ino? — perguntou Temari sorrindo.

— Olá, Hinata. Sou Ino Yamanaka e é um grande prazer conhecer a futura senhora Namikaze — disse com um sorrindo gentil.

Devo ter ficado tão vermelha que assustei as três mulheres ali presentes.

— O que foi, Hinata? Está passando mal? — perguntou Tenten apreensiva.

A loira apenas deu uma gargalhada antes de se pronunciar.

— Ai... Hinata, você e o Naruto realmente foram feitos um para o outro, sabia? Ele é lerdo e você inocente. A combinação perfeita — disse e voltou a rir.

— Do q-que vo-você está-tá falando? — gaguejei nervosa com a situação.

— Ino, Ino… deixe a Hinata em paz. Não liga para a loira louca aí não, Hinata. A Ino é assim mesmo. — Temari me sorria amigavelmente.

Eu fiquei ali conversando animadamente com as três. Ino estava nos contando sobre um jantar que a empresa do Naruto daria naquela semana para a apresentação da nova coleção, onde ela seria a modelo, quando a Sara chegou entrando na conversa.

— Posso saber o que vocês tanto conversam? — perguntou interferindo no assunto.

— Nada que seja da sua conta, Sara. Meninas, preciso ver uma coisa com o Gai. Hinata, obrigada por ter vindo ver a minha luta — disse Tenten me olhando séria.

Ela saiu e tanto a Temari quanto a Ino, olharam de forma ameaçadora para a Sara.

— O que foi meninas? A Hinata é minha amiga, não é Hinata? — disse ela olhando para mim.

Quando eu ia responder, Naruto chegou olhando sério para a ruiva.

— Vamos, Hinata. Tenho assuntos para resolver em casa.

Naruto me pegou pelo pulso e já me levava consigo quando a ruiva o parou.

— Ei, Naruto… espera. Posso ir com vocês? — pediu cheia de esperança.

Naruto a olhou sério e respondeu no mesmo tom.

— Bem… acho bom você não andar junto com a Hinata, Sara. Já que você mesmo disse que ela te chamou de puta, não é mesmo? — falou Naruto impassível.

— Não! Você deve ter entendido errado, eu não disse is...

Naruto nem esperou ela terminar.

— Sara, me faça um favor, sim? Se você ainda quiser ter o meu respeito, ao menos assuma os seus erros — disse taxativo.

Eu não abri a minha boca, muito menos me meti na conversa dos dois. Aquilo não era da minha conta.

— Vamos, Hinata — chamou-me sorrindo.

Acompanhei o Naruto sem dizer uma única palavra.

Estava conhecendo o homem que dormia ao meu lado todos os dias e comecei a perceber que Naruto não era tão imaturo quanto aparentava ser de vez em quando.



Voltamos para casa e nenhum de nós dois disse uma única palavra. O som do carro estava ligado tocando uma música que eu não conhecia, mas Naruto parecia distante.

Quando chegamos em casa, Naruto me levou para o quarto e me disse que precisava resolver uma situação com o marido da Kurenai e que não iria demorar. Apenas sinalizei com a cabeça, enquanto ele se virava para sair do quarto.

Aproveitei para pegar a minha agenda e fazer algumas notificações.


08/08/2010


Naruto Namikaze


“Naruto parece ser um homem bipolar, mas não creio que chegue a tanto. Na verdade, é mais como se ele sofresse com questionamentos internos, não sabendo como resolvê-los. Às vezes, ele aparenta ser um adolescente que está começando a descobrir a vida e depois muda drasticamente, se tornando um adulto sério e responsável. Não sei o que pensar sobre isso, é como se ele tivesse uma dupla personalidade e eu conhecesse os dois lados dele. Um que quer atenção e busca desesperadamente por ela, e outro que precisa proteger, e age como se fosse um pai que está preocupado em prover o sustento da sua família e a educação moral dos filhos. Isso me intriga.”



Escrevi essa nota e apertei a agenda contra o meu peito.

Lembrei-me no mesmo instante das palavras da Ino:

“... é um grande prazer conhecer a futura senhora Namikaze.”

Minha mente gravou aquelas palavras e eu me sentia perdida.

“Será que eu me apaixonei por ele e ele por mim?” pensei preocupada.

De repente, a porta do quarto se abriu e Naruto passou por mim com um semblante amargurado.

Eu o olhei sem entender nada e me preocupei com ele.

Naruto foi direto para o banheiro e simplesmente trancou a porta.

— O que será que aconteceu? — perguntei a mim mesma apreensiva.

Caminhei devagar até a porta do banheiro e tentei ouvir alguma coisa. Naruto estava chorando e meu coração doeu ao ouvi-lo.

Parecia que a dor dele era a minha e acabei chorando sem perceber.

Encostei-me na parede do quarto e sentei-me no chão melancólica.

Eu queria fazer alguma coisa por ele, eu estudava para aquilo. Eu queria poder ajudar pessoas com problemas e trazer um pouco de alívio para as suas vidas.

Até me assustei quando a porta do banheiro se abriu. Levantei-me correndo e entrei no banheiro apressadamente.

Tomei o banho mais rápido que pude. Não sei o porquê, mas meus instintos pediam que eu não saísse de perto do Naruto naquele dia.

Corri para o closet, vesti uma roupa e assim que terminei fui até ele. Naruto não estava bem.

— Naruto, quer comer alguma coisa? — perguntei preocupada.

Ele estava triste, eu via isso em seus olhos.

— Não, Hinata... Obrigado. Mas se você quiser pode descer. — Ele parecia deprimido.

— Tudo bem, não irei demorar.



Assim que cheguei a cozinha, decidi fazer alguma coisa para agradá-lo. Ele estava sendo tão gentil comigo e vê-lo triste daquele jeito, me deixou triste também.

Tive uma ideia ótima: sanduíche. Tinha certeza que ele iria gostar.

Peguei tudo o que precisava na geladeira e preparei dois sanduíches bem recheados e bem caprichados. Fiz um suco de laranja e arrumei tudo em uma bandeja. Olhei para ela e vi que faltava alguma coisa.

Procurei em volta para ver se achava e foi então que vi o jardim. Os lindos girassóis me chamaram a atenção na mesma hora. Era a minha flor preferida, e eu daria um girassol a ele em agradecimento por tudo o que ele vinha fazendo por mim. Nem sei onde estaria se Naruto não tivesse me comprado. Começava a compreender melhor o sentimento de gratidão que a Sakura e a Tenten demonstravam ter.

Arrumei a bandeja carinhosamente e subi em direção ao quarto. Quando entrei, vi Naruto deitado e encolhido na cama. Fiquei triste por vê-lo naquele estado.

Caminhei até ele e entreguei-lhe a bandeja com todo carinho.

— Tome, eu mesma fiz para você. Espero que goste.

Naruto se sentou na cama hesitante, mas aceitou o lanche de bom grado.

Ele pegou o dele e eu o meu. Assim que ele mordeu um pedaço, fiquei muito feliz por vê-lo saborear com muita vontade aquele simples sanduíche.

— Humm... Obrigado, Hinata. Está muito bom — falou de boca cheia.

Meu coração saltitou em meu peito.

— Dou itashimashite. Que bom que você gostou — respondi com alegria.

Naruto comeu tudo e parecia radiante.

Tinha sido mesmo uma ótima ideia agradá-lo um pouco.

Porém, mesmo que tivéssemos tido um momento tranquilo como aquele, eu ainda tinha com o que me preocupar. Sara se mostrou ser mais desequilibrada que a Shion em vários sentidos.


Daquele dia em diante, toda vez que ela chegava num ambiente eu saía. Mas quando o Naruto não estava, ela vinha até o meu quarto me incomodar. Eu não queria ser mal educada e expulsá-la, mas ela só aparecia para me diminuir, o que já estava me deixando cabisbaixa.


Fiz várias anotações sobre o comportamento da Sara em minha agenda e o que mais me preocupou foi o fato dela ser ardilosa e mentir para conseguir o que queria. Se por um lado Shion era agressiva e fazia tudo às claras, do outro, Sara era cínica e não fazia nada sem ter uma segunda intenção por trás.



Notas Finais


Bom... Espero de coração que tenham gostado do capítulo.
Gostaria de dizer também que fiz uma oneshot para um desafio que estou participando. Caso alguém deseje ler, o nome é Mais Que A Mim.
Outra coisa: estarei postando mais uma oneshot para outro desafio por esses dias e, até o fim do mês, postarei outra que eu fiz para o dia dos namorados e não tive coragem de postá-la Kkkkkkk. Não me perguntem o motivo, mas na época do desafio, eu fiquei muito ansiosa e não terminei a tempo. Só que agora ela está pronta, ok?
Pra quem me perguntou, pretendo postar o último capítulo de EVTE no domingo. Só peço que aguardem um pouquinho.

Obrigada a todos pelo carinho.
Abraços
Dani


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...