História Breath - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug), Originais
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Personagens Originais
Tags Adrien, Amizade, Aurora, Chat, Chat Noir, Drama, Ladybug, Marinette, Miracolous Ladybug, Noir, Original, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem <3 Sei que está meio confuso, mas em breve vocês irão entender. Boa leitura!

Capítulo 3 - II


Após a constrangedora apresentação, Aurora fez questão de caminhar para o canto mais fundo daquela sala.

Podia sentir alguns olhares sobre ela, porém não desviou o seu para saber de onde vinham.

Havia apenas uma carteira desocupada, e agradeceu mentalmente por não ter que dividi-la com ninguém. Como se já não bastasse ter sido, literalmente, empurrada para aquela escola, não precisava se obrigar a arranjar desculpas para fazer amizades. 

E se dependesse dela, isso realmente não aconteceria. 

Após chegar em seu lugar, puxou a cadeira tentando fazer o mínimo de barulho possível. Ainda haviam muitas pessoas conversando entre si, porém não precisava, e muito menos queria, ficar chamando a atenção. Jogou sua bolsa na cadeira ao seu lado, se afundando no assento. Fechou os olhos, coçando-os levemente. Ela estava tão cansada... Tanto física, quanto mentalmente. As noites mal dormidas lhe acertaram em cheio. 

Cruzou seus braços sobre a mesa, deitando a cabeça sobre eles. Travava uma luta interna com seus pensamentos, tentando a todo custo afugentá-los. A última coisa da qual precisava, era ter uma recaída dentro daquele lugar.

— Fique calma Au... Tudo ficará bem. Eu estou com você, lembra?

Sorriu minimamente ao ouvir a doce voz em sua cabeça. Sorrateiramente, puxou uma de suas mãos, levando-a até o meio de seu peito.

— Obrigada Luna.

Quase pode sentir a mesma aconchegando-se em si, como sempre fazia para lhe confortar.

Afagou carinhosamente o local em que sua mão repousava, antes de voltar a apoiar seu braço abaixo de sua cabeça, fechando os olhos.

Ela não estava sozinha. Isso era o que importava. Pelo menos por hora.

Respirando profundamente, ouviu as conversar diminuindo, dando lugar ao tom repreensivo da professora.

Poderia receber uma bronca depois, mas por hora, a única coisa que gostaria, era ficar sozinha.

Pensando nisso, permitiu-se desligar sua mente. 
 

                                                 (...)

 

Levantou a cabeça em um rompente, ao sentir uma mão sobre seu ombro.

Aurora olhou ao redor, um tanto desnorteada. A sala estava praticamente vazia. Haviam apenas dois garotos na primeira fileira, conversando com uma menina de óculos. Pelo tom sussurrado, provavelmente falavam sobre ela.

Bocejou, coçando um de seus olhos.

Acabara dormindo.

Sentiu-se finalmente desperta, quando a mão em seu ombro lhe deu um pequeno aperto. Cautelosamente voltou seus olhos para a pessoa ao seu lado.

Encontrou uma morena de olhos azuis sorrindo-lhe amigavelmente.

Assim que notou o olhar de Aurora sobre si, Marinette retirou a mão do ombro da garota.

— Olá, Aurora certo? — Perguntou a morena animadamente. Aurora apenas acenou positivamente com a cabeça. Marinette mordeu o lábio inferior, um tanto quanto nervosaa. — Sou Marinette. — Falou estendendo a mão.

"Droga..." 

Aurora a olhou por alguns embaraçosos segundos, se perguntando se deveria simplesmente ignorar e sair, ou apertá-la também. 

Suspirando, optou pela educação, estendendo a sua mão.

Pode jurar ouvir Marinette soltar uma respiração.

— É um prazer te conhecer. Sou a representante da classe, então qualquer coisa que precisar, não hesite em me procurar ok? — Tagarelou, abrindo um sorriso. 

Aurora não saberia dizer se fora o enorme sorriso que a menina lhe dirigia, ou apenas o pequeno cochilo que havia tirado, porém sorriu minimamente para a garota. Essa animação toda a assustava um pouco. Perguntou-se se seria exagero de sua parte cobrir seus olhos por conta da luz que a garota emanava.

— Claro, hm... Obrigada. — Respondeu, puxando sua mão, um pouco desconfortável. A quanto tempo ela não interagia com pessoas?... Ela realmente não lembrava.

Marinette soltou uma pequena risada, coçando sua cabeça. Era estranho estar conversando com alguém novo. A última pessoa que havia entrado em sua sala, fora Adrien, e bom... Até hoje ela não conseguia dirigir muito bem sua palavra a ele. Logicamente que por um motivo totalmente diferente. Mas estava se esforçando para ser simpática e prestativa. Poderia imaginar o quão ruim era não ter ninguém conhecido por perto.

Aurora sentiu uma sensação estranha, porém conhecida, de olhos sobre si. Aquilo realmente era muito desconfortável.

Mirou sua frente, encontrando um garoto loiro lhe encarando curiosamente. Assim que seus olhares se chocaram, o menino desviar o rosto. Ela pode jurar ver sua pele branca ficando gradativamente corada.

Aurora apenas voltou seu olhar para Marinette. “Ignorar quando necessário, ignorar quando necessário” era seu mantra.

— Acho que seus amigos estão te esperando. — Falou polidamente, apontando minimamente para o trio. Marinette os olhou rapidamente.

— Ah, claro... — Respondeu olhando para seus amigos que lhe encaravam pelo canto do olho. Balançou sua mão imperceptivelmente para que eles parassem de as olhar. Prontamente os três viraram para frente.

A loira desviou o olhar da morena, abrindo sua bolsa, puxando consigo seu surrado livro. A capa azul estava desbotada, assim como as folhas amareladas. Para ela não poderia estar melhor. Acariciou levemente a capa dura e lisa. 

Esperou ouvir os passos de Marinette, mas isso não ocorreu. Ao olhar para o lado novamente, encontrou-a ainda parada, estalando os dedos da mão. Aurora levantou uma sobrancelha, em um questionamento mudo.

A morena pigarreou, antes de prosseguir.

— Bom, agora é o intervalo, e nós estávamos pensando se, você sabe... Não gostaria de ficar conosco? — Perguntou rapidamente, tropeçando um pouco nas palavras.

Aurora ficou em silêncio alguns segundos, encarando Marinette e digerindo o pedido. Não achou que fosse ter que passar por isso. Estava esperançosa de que ninguém ao menos tivesse a coragem de vir falar com ela. Realmente esse não era seu dia de sorte.

Segurando seu livro contra o peito, levantou-se de sua cadeira. Ela era exatamente da mesma altura que sua colega de classe.

— Nós? — Questionou seriamente. Marinette sentiu novamente a timidez lhe tomar com a brusca mudança no tom de voz da colega. Apenas acenou com a cabeça.

Aurora olhou novamente para o trio, encontrando — novamente — aqueles olhos verdes do garoto loiro, lhe encarando. Revirou os olhos ao vê-lo desviar novamente o rosto, franzindo a testa e os lábios.

Pelo jeito alguém já não ia muito com a sua cara.

— Agradeço o convite, mas acho... Que prefiro ficar sozinha. — Respondeu prontamente, desviando de Marinette e rumando para a porta com os olhos no chão.

Marinette apenas franziu o cenho, extremamente confusa.

Aurora passou pelo trio de cabeça baixa. Ainda pode ouvir uma voz feminina perguntando o que ela havia falado. Não esperou para ouvir a resposta.

— Por que fez isso Au? — Questionou a tão conhecida voz em sua mente.

Ela continha um tom repreensivo.

A menina caminhou a passos apressados, tentando encontrar qualquer canto silencioso para poder se sentar. Caminhou rapidamente até o final do corredor, encontrando uma pequena abertura que dividia as paredes. Sentou-se, escutando vozes animadas ao longe. Colocou sua cabeça para fora, visualizando rapidamente o trio saindo da sala. Voltou-se rapidamente, recostando a parte traseira de seu crânio na parede, fechando os olhos. 

—  Por que eu não preciso envolver mais pessoas Luna. Eu não vou conseguir lidar com isso. – Respondeu com a voz embargada. As lembranças voltaram como uma bala disparada diretamente em sua cabeça, a fazendo tapar a boca para abafar os soluços sofridos que saíram sem sua permissão. Enquanto as lágrimas caiam de seus olhos, Luna, a pequena raposinha branca, enrolou-se no coração de sua dona, tentando a todo custo diminuir aquela angústia.

Em meio ao choro silencioso e angustiado da garota, sem perceber, olhos verdes curiosos a observavam de longe.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...