História Broken - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila G!p, Camren, Camren G!p
Visualizações 445
Palavras 3.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meu anjinhos!

Voltei.

Vejo vocês nas notas finais!

Capítulo 5 - 4. Metade de mim


Fanfic / Fanfiction Broken - Capítulo 5 - 4. Metade de mim

Continuação

POV- Lauren Jauregui

Camila saiu tão rápido que eu nem tive reação, mas eu rapidamente recobro os sentidos ao escutar a voz do Ty e pela primeira vez desde que começamos esse namoro eu percebo o quanto me equivoquei, no quanto Camila foi paciente em tentar me ajudar com as crianças e equilibrar as coisas, mas de nada adiantou já que o Tyrone é realmente um babaca.

Dolla: Lauren você não vai fazer nada? Aquela vadia me deu um murro!

Eu: é claro que eu vou fazer algo!

Me aproximo e meto um tapão na cara dele.

Eu: pega as suas coisas e vai embora. E não é só daqui, como também da minha vida. E outra coisa, fala dos meus filhos novamente daquela maneira, que eu não só deixo a Camila quebrar a sua cara como eu ajudo. Agora some da minha frente, eu não quero te ver nunca mais.

Saio deixando ele pra trás sobe os olhares das minhas amigas e familiares. Subo pro quarto e tiro a Luna da cama que a essa altura já tinha acordado. Coloco um casaquinho nela, pois já está esfriando.

Luna: mom, cadi o No?

Eu: o No está dodói bebê, ele está com a mamãe no médico.

Luna: eu quelo fica ele, mom.

Eu: você vai ficar com as vovós e o Lu, bebê. Mas depois a mom vai te levar pra ver o No, ta bem?

Luna: e a ma tabem?

Eu: e a sua mamãe também.

Ela então abre um sorriso e eu dou um abraço na minha bebê e tento me acalmar. Nesta hora o Lucas entra no quarto.

Lucas: mommy eu quero ir pro hospital. Eu quero ver o meu irmão.

Eu: filho me ajuda ok? Vai com o seu tio e a Lu pra casa das vovós e assim que o seu irmão estiver melhor eu te busco para vê-lo, ok?

Lucas: mas eu estou com medo mommy. E se ele, se ele...

Desabou a chorar. Meus filhos são extremamente unidos, por mais que briguem e se impliquem, principalmente os meninos, mesmo assim a paixão que eles têm uns pelos outros que é tão linda. E isso foi algo que eu e Camila sempre presamos muito, sempre cuidamos para que eles fossem amigos, e graças a Deus está dando certo.

Eu: vem cá meu amor.

Sento na cama e coloco cada um na minha perna.

Eu: olhem pra mommy.

Os dois passam a me encarar.

Eu: o No vai ficar bem, foi só uma crise do problema dele de asma, mas a mãe já deve estar chegando com ele no médico e vai ficar tudo bem. Agora vocês vão com o tio Ale e amanhã vocês vão ver o seu irmão, não fiquem com medo.

Os dois me abraçam forte e cada um me dá um beijo de cada lado na bochecha.

Peço para o Lucas arrumar a bolsa dele e do Noah, enquanto eu termino de arrumar a bolsa da Luna. Assim que terminamos descemos e eu encontro o pessoal na sala.

Eu: meninas eu quero me desculpar com vocês, tinha tudo pra ser um fim de semana agradável, mas deu tudo errado. Mas eu gostaria que vocês ficassem, eu tenho que ir pro hospital, mas vocês podem ficar e vocês também pai e mãe.

Ally: você não tem nada que se desculpar Laur, essas coisas acontecem. Mas eu acho que é melhor irmos embora, nós voltamos em outra oportunidade.

Dinah: isso mesmo. Laur eu vou com você pro hospital.

Mike: eu e sua mãe também vamos filhota, só o tempo de arrumarmos as malas.

Eu: eu agradeço, mas é melhor eu ir sozinha, isso é algo que eu e a Camila precisamos resolver e eu ainda preciso conversar com ela.

Eles assentem.

Eu: Ale eu estou com um pouco de pressa, você consegue ligar pras suas mães e explicar tudo?

Ale: eu já liguei Laur, elas já estão esperando as crianças, mas mesmo se elas não pudessem eu e a Ally ficaríamos com eles sem problemas.

Eu: ok, eu já vou então. Agradece elas por mim.

Dou um beijo nos meninos e parto pro hospital.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

1:30 depois- Hospital Mediton Los Angeles/California

Assim que eu chego no hospital eu me encaminho a ala pediátrica, paro na recepção e pergunto pelo meu filho.

Eu: olá, meu nome é Lauren Jauregui e meu filho Noah Jauregui Cabello foi trazido pra cá, eu posso vê-lo?

Recepcionista: espere só um minuto que eu vou me informar.

Aguardo uns segundos quando a moça me chama.

Recepcionista: a senhora pode se dirigir ao quarto em que ele está, quarto 303 – 3º andar.

Eu: mas você sabe se ele já foi examinado?

Recepcionista: a dra. Andres já está quase terminando de examina-lo, mas a sua entrada foi autorizada.

Eu: obrigada.

Corro pro elevador e rapidamente chego na porta do quarto, não me dou nem o trabalho de bater e já vou entrando. Vejo meu bebê com um inalador e a médica que já é conhecida por nós dra. Andres checando a pressão dele, quando ela me vê faz um gesto de cabeça e eu me aproximo da cama onde Camila também estava.

Dra. Andres: Lauren boa noite.

Eu: boa noite.

Dra. Andres: eu vou repetir o que acabei de falar pra Camila. Ele teve uma pequena crise asmática, mas muito mais devido a um pequeno estresse emocional do que a um esforço físico em si, ele chorou muito e acabou perdendo o ar e no final foi bom o desmaio porque aí ele descansou e a respiração voltou aos poucos.

Camila: então você acha que não necessário passarmos eles com algum terapeuta? Como eu te falei, não só ele como o Lucas e a Luna não estão reagindo muito bem ao nosso divórcio.

Dra. Andres: vamos até a minha sala. O Noah está medicado e agora só vai acordar amanhã.

Assentimos e acompanhamos ela até o seu consultório, entramos e nos sentamos de frente pra ela.

Dra. Andres: como eu conheço vocês a tanto tempo eu vou tomar a liberdade de conversar com vocês mais como amiga do que como médica.

Nos assentimos.

Dra. Andres: meninas é natural que eles reajam negativamente a separação de vocês. Vocês já viram filhos reagirem bem a separação dos pais? Então essa reação é natural, sem contar que vocês sempre foram mães muito presentes, iam pra reuniões escolares juntas, eventos esportivos deles juntas, colocavam pra dormir juntas, ou seja, eles estavam acostumados a terem as mães juntas a todo momento, então não é fácil. Mas pelo o que eu pude perceber o que vem incomodando eles é o fato da Lauren ter assumido um relacionamento recentemente, mas de modo geral eles estão bem, na consulta em que você os trouxeram mês passado eu pude conversar com eles e foi só isso que eu notei, porém se vocês perceberem que a situação esteja saindo do controle, daí talvez um psicólogo ajude vocês a passarem por isso.

Camila: Gabriela eu agradeço muito o carinho e atenção que você sempre teve com a minha família, mas eu confesso que eu estou muito preocupada com essas crises do Noah, fora que ele é agitado por natureza e para uma criança não poder fazer atividades físicas é bem complicado. Em resumo o que eu quero perguntar é se aquele tratamento que você sugeriu na Suíça, ele ainda está em fase experimental, ou já evoluiu?

Dra. Andres: na verdade eu já está pra falar com vocês sobre isso, meu amigo Dr. Ford me contatou essa semana e me disse que esse tratamento evoluiu bastante e que já está quase sendo implementado de vez pela agência de medicina mundial, acredito que no máximo mais 6 meses e vocês já poderão decidir se faram esse tratamento ou não. Mas por hora vamos manter as precauções de sempre, nada de grandes esforços e o uso da bombinha caso ele sinta algum cansaço e inalação toda noite. Mas tenham fé que logo isso vai melhorar se o tratamento realmente for eficaz.

Eu: Gabi e quanto a essa crise de choro que ele teve que causou o cansaço e o desmaio, nós precisamos tomar alguma precaução?

Dra. Andres: na verdade não, ele já foi medicado e essa agitação foi devido uma situação atípica, mas peço que vocês procurem não permitirem muitas discussões e situações que não sejam muitos favoráveis a ele pelos próximos dois dias, ele é um menino muito forte, mas ele ficou um tanto sensível com tudo que aconteceu e precisa destes dias para poder se reestabeler emocionalmente, então fora isso vida normal. Amanhã de manhã ele já terá alta. Bom meninas eu ainda tenho que fazer outras rondas, acredito que apenas uma de vocês irá ficar de acompanhante, mas se as duas quiserem ficar eu já deixei autorizado. Amanhã eu passo no quarto para dar uma última olhada nele.

Eu: muito obrigada Gabi.

Camila: não sei nem como agradecer a toda essa atenção. E Gabriela, por favor nos mantenha informadas sobre esse tratamento, ok?

Dra. Andres: pode deixar.

Depois disso nos levantamos e voltamos ao quarto dele.

Me sentei na poltrona perto da cama e Camila ficou no sofá.

Até o momento não tínhamos trocado uma palavra, mas eu precisava conversar com ela, pois o que aconteceu foi muito grave e eu não tiro a sua razão ter perdido a cabeça, por mais racional e controlada que ela seja, nossos filhos sempre foram o ponto fraco da Camila. Me lembro até hoje quando eu decidi me separar a cara dela ao sair de casa e se despedir das crianças.

Flashaback On

Eu: eu tomei uma decisão Ally e desta vez não vou mais voltar a atrás, meu casamento chegou ao fim a tanto tempo só que eu venho ignorando esse fato. Mas agora é pra valer, eu vou me separar.

Ally: isso é tão triste, desde do colegial vocês formaram o casal mais fofo e lindo que eu já conheci, tem certeza Lo?

Eu: ai pequena, por mais que eu ainda a ame, a chama se apagou, o sexo esfriou. Acho que eu só seguro a barra até hoje por causa das crianças. Camila pode ter todos os defeitos, mas ela é uma mãe tão maravilhosa e as crianças são loucas por ela.

Deixo as lagrimas que teimam em cair rolarem.

Ally: porque você não faz assim, hoje é o aniversário de casamento de vocês, certo?

Eu assinto.

Ally: veja se ela se lembra, se isso acontecer, você tenta reconsiderar, conversa de novo e vê no que dá.

Eu: eu acho que vai ser inútil, mas vale a tentativa, afinal são 12 anos juntas e eu ainda a amo.

Me despeço da Ally e parto pra casa, quando chego eu ligo pra minha cunhada Luana e peço pra ela ficar com as crianças hoje pra mim. Depois que eu explico o que vou fazer ela se prontifica a pega-los e em minutos chega aqui em casa. Conversamos brevemente e depois ela leva os meninos pro parque para depois leva-los a casa das minhas sogras onde eles passaram a noite. Assim que eles saem eu corro pro banheiro, tomo um bom banho, termino e me seco, passo um óleo corporal que tem um cheiro de morango que Camila adora, visto minha melhor lingerie, coloco um vestidinho floral bem soltinho arrumo meu cabelo, passo apenas um batom rosa claro e peço um jantar japonês que ambas adoram, preparo uma mesa na varanda que dá acesso à vista da piscina e fico na sala esperando o jantar chegar. 30 minutos depois eles realizam a entrega do jantar, eu pago e dou uma boa gorjeta para o rapaz, levo tudo e termino de arrumar a mesa, quando termino eu vou pra sala esperar minha esposa. Hoje faríamos 10 anos de casadas e 12 anos que estávamos juntas e eu realmente esperava que ela se lembrasse e que nós possamos rescender a velha chama que se perdeu com os anos. Uma hora já havia se passado e nada dela chegar, hoje ela tinha prometido que ia chegar cedo, pois só tinha uma sessão de autógrafos para cumprir e nada mais, mas pelo jeito isso não ia acontecer, resolvo deitar no sofá pra não me cansar e não deu outra apaguei. Acordei com alguém me pegando no colo e quando abro os olhos vejo Camila me levando pro quarto, assim que chegamos lá eu olho no relógio do home theater e percebo que são 02:00 da madrugada, ela então me coloca com cuidado na cama e depois vai até o banheiro isso sem perceber que eu havia acordado. Era isso esse era de fato o fim do meu casamento, me apoio na cabeceira da cama e começo a chorar, choro tanto que soluço, ela escuta o barulho e corre em minha direção.

Camila: o que foi meu amor, você teve um pesadelo?

Ela então me abraça forte e eu me agarro nela como se minha vida dependesse disso, inspiro seu cheiro na esperança de não me esquecer dele.

Camila: Lern você já está me preocupando, o que aconteceu? Olha pra mim meu amor, calma.

Eu: que dia foi ontem Camila?

Camila: eu não sei.

Ela então pegou o celular e conferiu e nesta hora arregalou os olhos assustada.

Camila: meu Deus Lo eu- eu me per-doa eu. Eu só ia fazer a sessão de autógrafos, mas depois me ligaram do escritório, pois teve um problema em um dos hotéis e a polícia estava acionando os proprietários e eu não consegui falar com o Ale, e eu acabei me esquecendo, Laur me perdoa.

Se curvou na cama e colocou a cabeça no meu colo.

E nesta hora eu resolvi falar de uma vez antes de desistir.

Eu: eu quero o divórcio. Acabou.

Ela levantou a cabeça e me olhou com os olhos pequeninhos.

Camila: não diz isso nem de brincadeira Lauren. Olha eu sei que eu não venho sendo a melhor esposa do mundo, mas a nossa família é a minha razão de viver. Se eu trabalho tanto é para dar o melhor a vocês.

Eu: eu entendo você fazer isso no começo do nosso casamento, minha gravidez foi uma surpresa e nós precisávamos terminar a faculdade e não tínhamos dinheiro, mas agora, agora nós somos milionárias, eu sou uma das melhores e mais bem pagas produtoras do mundo e você nem se fala, nós não precisamos mais correr dessa maneira e você não quer admitir que é viciada em trabalho. Na semana passada você parou uma transa nossa pra atender seu agente as 03:00 da manhã. Não dá mais, não quero mais sofrer assim, eu só tenho 28 anos eu preciso viver, viver de verdade!

Camila: você não me ama mais?

Eu: eu sempre vou te amar, eu só não estou mais apaixonada, pois a Camila por quem eu me apaixonei não existe mais.

Nesta hora ela se levantou tirou toda a roupa, colocou um pijama velhinho do ursinho pooh, puxou toda a coberta, pediu para eu me deitar e assim que eu o fiz ela se encaixou atrás de mim e me abraçou, ficamos nesta conchinha até eu apagar de novo. Assim que eu acordei tinha um café da manhã no meu criado mudo e o espaço ao meu lado estava vazio. Tomei apenas um cole de café preto e depois fui até o banheiro, quando me olhei no espelho parecia que eu tinha tomado uma surra, fiz minha higiene matinal e desci de roupão pra sala, assim que eu chego na sala eu vejo uma mala e Camila conversando com as crianças que provavelmente tinham acabado de chegar. Ela tinha Luna que no colo e os meninos sentados no pufe a sua frente.

Camila: então eu quero que vocês cuidem da mommy e da Lu pra mim. Assim que eu tiver numa casa legal eu vou passar a pegar vocês sempre, eu e a mommy ainda vamos conversar sobre isso, mas por hora vai ser assim.

Lucas: por que você está fazendo isso mãe? Foi por que eu tirei nota ruim em matemática ou por que ontem o Noah fez birra pra tomar o remédio? Por que mãe??

Nesta hora Noah estava agarrado no braço esquerdo da Camila e chorava baixinho, já Luna chorava alto acho que sentindo o que estava acontecendo e Lucas ficava encarando a mãe esperando uma explicação e eu não conseguia me mover.

Camila: filho olha pra mim! Vocês não têm nada a ver com isso. Isto é algo entre a mommy e eu. Vocês são a razão da minha vida e eu nunca, NUNCA, vou abandonar vocês! Acredita em mim?

Lucas: eu acredito mãe, mas por favor não vai embora!! Não vai.

Nesta hora os três estavam agarrados na Camila e choravam muito e pela primeira vez na vida eu a vi chorar. Eu nunca a tinha visto chorar, nunca, nem mesmo quando os meninos nasceram. Uns minutos depois eles se acalmaram e eu me aproximei, eles assim que me viram correram em minha direção e pediam para eu não deixar a mãe deles irem embora. Neste momento quem desabou fui eu, chorei tanto que nem sabia se tinha mais água no meu organismo. Nos sentamos no sofá enquanto Camila foi colocar Luna que tinha dormido no berço, assim que ela voltou ela abraçou cada um dos meninos e disse algo no ouvido deles, não sei o que foi mais depois disso eles subiram ainda chorando para os quartos. Assim que eles saíram do nosso alcance ela se levantou e me deu uma carta que estava no seu bolso, limpou minhas lagrimas e me deu um beijo na testa, eu me agarrei nela e chorei mais ainda, depois de uns segundos ela me soltou, me deu um selinho demorado, outro beijo na testa, pegou sua mala e saiu sem olhar pra trás, eu desabei no sofá e depois abri a carta.

“Você quer mesmo me machucar?

Me dê um tempo

 Para tomar consciência do meu crime

Deixe-me amar e roubar

Já dancei dentro dos teus olhos

Como posso eu ser real?

Você quer mesmo me machucar?

Você quer mesmo me fazer chorar?

Beijos preciosos, palavras que me queimam

Amantes são aqueles que nunca perguntam porque

Em meu coração há um fogo que arde

Escolha minha cor, encontre uma estrela

Pessoas preciosas sempre me dizem

Que isso já é dar um passo um passo longo demais

Você quer mesmo me machucar?

Você quer mesmo me fazer chorar?

Você quer mesmo me machucar?

Você quer mesmo me fazer chorar?

Poucas são as palavras que eu falei

Eu poderia desperdiçar mil anos

Embrulhado em mágoas, palavras são garantias

Venha para dentro e apanhe minhas lágrimas

Você esteve falando mas acredite em mim

Se é verdade, você não sabe

Este garoto ama sem uma razão

Estou preparado para deixar você partir

Se é amor que você quer de mim

Então pode levar embora com você

As coisas não são aquilo que você vê

Terminou, outra vez

Você quer mesmo deixar de me amar? ”

 

E foi assim que eu a deixei partir levando consigo metade de mim.


Notas Finais


E ai o que acharam?

Vejo vocês em breve?

Bjosss e de coração obrigada pelos comentários, me deixa MUITO feliz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...