História Can You Hear Me? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Yugyeom
Tags Bangtan Boys, Broken!fic, Bts, Câncer, Love Yourself, Menção Vmin, Menção Yugkook, Myinfireszzz, Parabéns Amor, Paraplégico, Sope, Taekook, Tragedia, Três Meses, Vkook, Yoonseok
Visualizações 72
Palavras 1.907
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaa meus amores! Eu vim bastante rápido mas tenho vontade de atualizar essa fanfic! ♡
Boa leitura ♡
Obrigada pelos os 24 favs!

Capítulo 2 - CYHM? - 02


Fanfic / Fanfiction Can You Hear Me? - Capítulo 2 - CYHM? - 02

E Tanto que o doutor o avisou para nunca sair sem avisar, ou para nunca sair sem antes tomar seus remédios. Mas Taehyung, como sempre, nunca dera ouvidos.

A ambulância do hospital foi acionada por um casal que passava por ali de carro, eles pararam e se preocuparam ao ver dois corpos desmaiados na rua.

Quem os socorreu foi a equipe tão conhecida por Taehyung. O enfermeiro ajudante, Namjoon. E o médico responsável por si, Seokjin.

Mas nunca que Seokjin poderia imaginar que o Kim estaria em perigo agora, pois recordava-se de ter passado no quarto de Taehyung agora pouco, vendo-o todo enrolado em baixo dos lençóis.

Mas é claro, Seokjin fora enganado pelo o jovem Kim e seu namorado.

O Kim mais velho estava curioso em saber quem era aquele outro jovem. Logo deu aviso para outros enfermeiros pegassem os dois acidentados e partissem para o hospital.

Seokjin teria uma séria conversa com Kim Taehyung assim que o mesmo acordar.

*✷•✷*

Jeon Somin nunca pensou que pudesse ter notícias mais triste que essa, um enfermeiro ligara para si, avisando-o que seu menino envolvera-se em um acidente.

Com o filho mais velho, Somin acelerava pela as ruas até o hospital principal de Seul. Seus olhos ardiam, as lágrimas lavavam seu rosto. O que havia acontecido com seu menino?

O hospital estava cheio, médicos andando para todos os lados, gritos e pessoas chorando eram o som mais comum ali dentro. Somin respirou fundo e caminhou até a secretária.

- Boa noite. – diz tentando manter a calma. – Sou a mãe e responsável pelo o adolescente, Jeon Jungkook. Pode me dizer em que quarto ele estar?

- A senhora se sente e aguarde uns minutos. – disse a secretária olhando fixamente para o computador. – O acidente do senhor Jeon não fora simples, e terá que passar por uma cirurgia de última hora. Pois ferros do carro atingiram suas pernas.

Somin sentia o coração apertar, não importa se Jungkook estiver paraplégico, ela só quer seu filho vivo.



Ainda aquela noite, Jimin corre e pede urgentemente um táxi para ir até o hospital. Seja lá o que aconteceu, o Park sentia uma enorme dor no peito.

Após a corrida que teve com o táxi, Jimin desce do mesmo, pagando o motorista, e com a pressa, nem ao menos pegou de volta seu troco.  A passos rápidos, o Park andava até a secretária tão conhecida por si. 

- Park Jimin. – A mulher diz. – Sinto muito, mas não poderá ver seu namorado agora, Taehyung deu entrada na UTI.

- U-UTI? – Jimin sentia o estômago embrulhar, logo avisou o doutor Seokjin e seu enfermeiro ajudando andando rapidamente. – DOUTOR!

- Park Jimin. – Seokjin para sua corrida e avista Jimin. – O que você tem na cabeça?! E a sua mantra de sempre proteger o Taehyung??

- Jin eu-

- Ainda não acabei. Por mim, te daria um sermão aqui e agora, mas a vida de Taehyung e de um outro rapaz corre risco. – Seokjin diz. Outro rapaz?

Jimin olha para uma mulher e um rapaz que estavam sentados no sofá branco de espera, ele se senta ao lado deles, respirando fundo e desejando que tudo dê certo com Taehyung.



O dia amanheceu não muito bom para o Jeon, sua cabeça doía e suas mãos também. Os olhos varreram o local onde estava, reconhecendo rapidamente ser o hospital de Seul.

Hospital? Mas o que ele fazia ali?

O mínimo que se lembrara, era de quando saiu de casa para ir até a casa de Yugyeom e ver aquela-

Ah, aquela cena. Traição.

Aquela cena o fez relembrar o ódio por Kim Yugyeom.

O que Jungkook não entendia era como viera parar ali, no hospital. Observou dois médicos naquele quarto.

Seokjin e Namjoon, assim que notaram o olhar de Jungkook entre eles, trataram de tirar rapidamente o tubo que ajudava na respiração do Jeon.

- Você está bem, meu jovem? – Namjoon perguntou. Jungkook apenas assentiu. – irei pedir para que uma outra enfermeira venha aqui e recolha tudo que você se lembra. Se incomoda?

Jungkook negou.

Namjoon olhava para Seokjin, o Kim mais novo estava preocupado, pois suas teorias afirmavam o óbvio.

- Doutor Seokjin. Preciso dar uma pequena palavrinha com o senhor. – diz. Seokjin desvia seu olhar que antes estava em Jungkook, e agora encara Namjoon.

- Já voltamos, ok? – diz o Kim mais velho. – Irei pedir para que a enfermeira Min-

- Eu já expliquei a ele, ela chegará aqui daqui a pouco. – Namjoon o corrige rindo em seguida. Ah, Seokjin. Sempre tão lerdo.

- O que tem a me dizer? Preciso ainda ver como está Taehyung.

- Minhas suspeitas apontam para o óbvio. – Namjoon diz, Seokjin o olha confuso. – Taehyung atropelou o jovem Jeon. E o pior ainda es-

A fala do Kim mais novo fora atrapalhada por um grito de Jungkook.

- EU NÃO ESTOU SENTINDO MINHAS PERNAS! – Era tudo que Jungkook gritava, o desespero não cabia em si.

- Eu temia que isso poderia acontecer.. – Seokjin diz puxando Namjoon, e os dois adentraram o quarto de Jungkook. – Menino, se acalme eu-

- Me acalmar?! – Jungkook grita. – Você não sabe como é perder o movimento das pernas!

É, Seokjin não sabia, mas ele poderia adivinhar o tanto que era ruim.

- Não se irrite muto, isso não o fará ficar bem. – Diz Namjoon.

- Isso, escute-o. – Seokjin diz.

Não é, e nunca será fácil perder o movimento das pernas. Não para um jovem como Jeon Jungkook. O melhor dos atletas de sua escola. Campeão de diversos prêmios na categoria "Run".

Sem as pernas, Jungkook não era ninguém. Não existia mais o "Jeon Jungkook."

Agora o garoto encarava a cadeira de rodas a sua frente, que, segundo as teorias de Namjoon, ficaria consigo pelo o resto de sua vida. — Se é que ele tinha vida, sem suas penas Jungkook não sabia exatamente o que era viver.

Só queria saber agora aonde estaria a pessoa que o atropelou. Para o Jeon, ele com certeza estaria tendo uma vida melhor que a sua. Com suas pernas e uma vida completamente saudável. Enquanto Jungkook estava aqui, perdido, sem sua liberdade.



Taehyung está a mais de três horas na UTI. Ataque Pulmonar. Em apenas uma noite. Sua garganta simplesmente fechou, e logo a máquina ao lado do Kim apitava sem parar, acordando Seokjin, que saiu correndo com o Kim para, novamente, a sala de emergência.

Taehyung não havia tomado seus remédios direito, teve que tomar sua injeção diária assim que chegou no hospital, ao menos para amenizar as dores.

O corpo do Kim doía, muito. Sua cabeça parecia explodir, sua pulmão não está bem. Mas, isso não é nada de novo para si.

- Eu disse para não ir! – Seokjin avisava andando com Taehyung devagar pelo o corredor do Hospital. – Imagina se você estivesse morrido!?

- Seria até melhor, assim eu não iria olhar para a cara de Jimin nunca mais. – Taehyung diz respirando devagar. Vezes ou outra, sua voz ficava rouca e era preciso tomar mais água. Desidratado? Nunca.



Jungkook saira do quarto, queria respirar melhor, sem sentir aquele "cheiro de hospital".

Ele girava as rodas rapidamente, queria poder saber se aquelas rodas eram mais  potentes do que suas pernas. Mas é claro que as mesma falharam. Estava tão imerso ao seus pensamentos, que nem ao menos deu-se conta que haviam dois caras a sua frente. O Jeon parou a cadeira mais rápido que o próprio vento.

Seokjin se encontrava ao lado de um garoto desconhecido por si. Ele usava aquelas roupas clássicas de hospitais — roupas que Jungkook ainda não teve o desprazer de vesti-las. —, o de cabelos castanhos, que Jungkook jurou ser mais velho que si, estava apoiado a uma máquina que produzia soros, enquanto um cubo fino estava em suas narinas.

- Ei, cara. Olha para onde anda! – Taehyung diz, reparando mais ainda no garoto de cabelos pretos a sua frente. – Anda não.. é.. desculpa..

- Não, está tudo bem. Eu que devo-me desculpar-me. – Jungkook insiste. Até que esse castanho não é feio. Pensou sorridente.

Seokjin queria se atirar do vigésimo quinto andar daquele prédio.

Os dois estavam ali, frente a frente um com outro. Parece que a vida queria lhe pregar uma peça. Só pode.

- Doutor Seokjin. – escutou a voz de Namjoon. – O paciente do quarto duzentos e doze está passando muito mal.

Seokjin olha para Jungkook, em seguida para Taehyung. Ele teria que deixar os dois sozinhos, se perguntando se Jungkook conhecia quem o atropelou.

Assim que Seokjin saiu, as pressas. Taehyung encarou o garoto de cadeira de rodas a sua frente.

- Então, não quer ir tomar um café comigo? – Jungkook sugere. Duvidoso se o outro aceitaria. – Pra sabe, eu quase te atropelei né, então..

Taehyung nada disse. Apenas sorriu.

- Vem, deixa que eu te ajudo. – O Kim ofereceu ajuda, mas Jungkook pegou rapidamente nas rodas.

- Não precisa, eu sei fazer isso sozinho! – disse. Mas para o seu azar, pareceu rude demais.

- Tudo bem, eu só queria ajudar. – E era verdade, Taehyung sempre quis ajudar. Todos.

- Desculpe. – Jungkook sorri tímido. – Pode.. pode me ajudar se quiser.

Apesar de jurar que o castanho mais alto fosse mais velho que si, Jungkook viu os olhos do mesmo brilhar e um sorriso quadrado maravilhoso, brotar nos lábios do mesmo.

- Kim Taehyung. – O mais velho diz, se pondo atrás de Jungkook.

- Jeon Jungkook. – Jungkook diz sorridente. Taehyung o guiou até o refeitório do hospital.

Os dois andaram até onde servia comidas e bebidas. Não havia muitas pessoas ali, apenas umas cinco. Jungkook ainda estava com uma certa Vergonha, ver todas aquelas pessoas olhando para si, o fez pensar que estava ridículo com aquela cadeira de rodas.

- Não se preocupe, aqui somos todos amigos. – Taehyung diz perto da orelha do Jeon, como se tivesse lido seus pensamentos. – O que vai querer?

Jungkook pediu somente um chá de limão, enquanto via Taehyung escolher diversas coisas. Jungkook até queria pedir mais, mas era tímido demais para fazer tal ato.

- Por que você ficou paraplégico? – Taehyung perguntou enquanto enfiava uma torta de morango na boca. Jungkook tossiu nervoso.

- Fui atropelado. – Responde. – Mas eu juro, Kim. Que quando eu encontrar essa pessoa, ela vai pagar por tudo que me fez!

- E eu te ajudo! – Taehyung disse na inocência, pois nem ele mesmo sabia que havia atropelado Jungkook. – Tem certeza que não quer essa torta? Está ótima!

Jungkook riu tímido e pegou um pouco.

- Mas não fique assim Jungkook, exitem coisas muito piores. – Taehyung diz.

— mas nenhuma doença deve ser pior do que ficar paraplégico.. — Jungkook diz mirando a torta na sua frente  Chamando a atenção das poucas pessoas que estavam ali.

Taehyung o olha. Indignado, irritado.

— Você já teve câncer, Jungkook? Você já sentiu seu pulmão diminuir a cada a dia? Já sentiu como é ruim ter falta de ar?! — Taehyung respirou devagar. – Você já sentiu-se desesperado por seus cabelos estarem caindo e sua autoestima indo embora? Você já acordou no meio da noite por que seu pulmão resolver que "é hora de parar de funcionar"?

— Você tem..

— Eu tenho câncer, Jungkook! — Taehyung diz — Mas veja você pelo o lado bom.. você ainda pode viver.. ter uma famí-

— Taehyung! — Jungkook interrompe a fala do mais velho — Você vai viver!

— Eu vou morrer, Jungkook! — diz simples, rindo soprado em seguida. — Na real, estou nesse morre ou não morre faz uns cinco anos. 


Notas Finais


OPA! bom, me digam se gostaram do capítulo! Dêem amor a Can You Hear Me, é a minha fanfic xodozinha! Amo todos vocês, seus comentários me motivam muito!

Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...