História Candy (Imagine Kim Seokjin) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amarga, Deepsuga, Doces, Meios-irmãos, Platônico, Romance
Visualizações 1.754
Palavras 2.056
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


primeiramente, me perdoem pela demora
segundamente (?), oi meus xuxus, tudo bem com vocês?
terceiramente (q ???) adivinha quem quer divulgar mais uma filhinha? estreei um imagine com o Tae, se chama Liberté, espero que deem uma olhadinha nela (link nas notas finais)

agora chega de enrolação e bora ler <3

(se não quiser ler o hot, vai até o Hoseok P.O.V) ;)

Capítulo 11 - Game Over.


Fanfic / Fanfiction Candy (Imagine Kim Seokjin) - Capítulo 11 - Game Over.

_________ P.O.V 

– Yoongi, tá louco? – perguntei assim que nos afastamos. 

– Você praticamente implorou por isso _____, só estou fazendo o que tanto queria. 

– Eu nunca disse que queria transar com você, para de ser idiota. 

– Não precisa dizer, acha que eu não percebi que mesmo que apenas quisesse me provocar seus olhos se enchiam de luxúria ao me tocar? 

– Isso não importa, só me deixa ir embora daqui. 

– Você não quer ir – disse dando um beijo em meu pescoço. 

– Se você acha que fazendo isso vai me levar pra cama, está completamente enganado. 

Ele levantou rapidamente e me pegou com força em seus braços, me erguendo no colo. 

– Eu não acho – disse puxando meus cabelos de forma nada delicada enquanto seus lábios se arrastavam lentamente em um beijo quente pelo meu pescoço – Tenho certeza absoluta. 

– Me solta Yoongi – falava decidida mas lá no fundo não queria que ele me largasse e ele sabia disso. 

– Diz que não fica excitada com o meu toque e eu te largo. 

Se eu já me derreto pelo tom de voz rouco dele, imagina o toque. 

– Foi o que eu pensei – sorriu vitorioso e me colocou no chão – Vem, vamos pra minha casa. 

Me puxou pela mão e então fomos até seu carro. 

Em pouquíssimos minutos  chegamos em sua casa, mas nem tive tempo de reparar em absolutamente nada. Assim que descemos do carro, Yoongi me empurrou contra a parede e começou a apertar minha cintura com força. 

Ele abriu a porta e eu o puxei pela camisa até seu quarto, que não era muito difícil de identificar já que ele morava sozinho. 

Fechei a porta e ele me puxou pelo braço, me jogando na cama com rapidez. 

Arranquei sua camisa assim que ele ficou em cima de mim e arranhei lentamente seu abdômen levemente definido. 

Yoongi sorriu malicioso e mordeu a boca enquanto me encarava, se deitou sobre meu corpo e me beijou com vontade. 

O sabor doce de seus lábios não representavam aquele momento, afinal, não quero que ele seja doce comigo. 

Quero apenas que ele me satisfaça, o que não seria nada difícil se continuasse desse jeito. 

Em um movimento ágil, Yoongi rasgou meu casaco e eu o encarei brava. 

– Eu amava esse casaco. 

– Posso te dar um bem melhor – sorriu e logo me vi derretida novamente. 

Em seguida tirou minha camiseta e começou a brincar com a alça do meu sutiã. 

– Tem um corpo tão lindo, sua pele é macia, pena que vai ficar toda roxinha. 

– Yoongi não... 

Foi tarde demais, apenas senti a pressão de seus lábios contra minha pele em diversas regiões, deixando vários chupões que ficariam completamente roxos em minutos. 

O puxei pela nuca, dando um beijo desesperado nele, como era bom o toque daquele garoto idiota. 

Logo ele começou a passar a mão na barra da minha calça jeans. 

– Para com essa tortura – falei assim que senti sua mão se aproximando da minha intimidade. 

– Tortura é o que você tá fazendo comigo. 

– Ah é? Como? 

– Me deixando assim – disse pegando minha mão e colocando sobre seu membro ainda coberto pela calça, mas já dava pra sentir exatamente o volume. 

Arfei baixinho com o toque e ele sorriu malicioso novamente. 

Ele tirou minha calça e logo que achei que terminaria com a minha tortura, se levantou e abriu meu sutiã. Começou a apalpá-lo e chupá-lo com vontade, mordiscando algumas vezes e eu gemia baixinho.  

Logo senti sua mão descendo pela minha barriga e logo entrou pelo pano fino da minha calcinha, finalmente chegando ao toque que tanto necessitava. 

– Tão molhadinha, tem certeza que não queria isso? – e mais uma vez sorria vitorioso ao me ver tão entregue aos seus toques. 

Me puxou com força, fazendo com que eu ficasse de lado na cama. Ajoelhou no chão, tirou minha calcinha e colocou minhas pernas sobre seus ombros. 

Assoprou minha intimidade, fazendo com que eu arrepiasse por completo. Logo em seguida começou a lamber e chupar, me fazendo contorcer. Peguei em seus cabelos e o puxei para ainda mais perto. 

– Eu quero mais Yoongi – dizia entre gemidos. 

Enfiou um dedo e eu gemi ainda mais alto. 

– Rebola nele vai – disse rouco e eu o obedeci. 

Logo sentindo mais dois dedos serem penetrados com força, sem dó. 

Ele voltou a me chupar e eu gemia cada vez mais alto. 

Se levantou e colocou seus dedos em minha boca, fazendo com que eu sentisse meu próprio gosto. 

– Não tô afim de preliminares – disse me encarando e eu concordei. 

Apenas me sentei e tirei sua calça e a box, deixando seu membro bem próximo ao meu rosto. 

– Gostou? É todo seu – disse me empurrando novamente na cama. 

Espalhou o pré gozo em todo seu membro e logo tirou uma camisinha do armário, a colocando com a mais extrema agilidade. 

Começou a passar apenas a cabecinha na minha intimidade e arfava ao mesmo tempo.  

– Anda logo com isso, porra – disse de olhos fechados enquanto gemia baixinho. 

– Fala direito comigo, implora vai. 

– Mete logo, oppa – sorri ao saber que ele perderia o controle. 

Logo seu membro me penetrou com força e gritei fazendo com que ele gemesse. 

– Rápido oppa – dizia entre gemidos altos. 

Cada vez ele metia mais fundo e mais rápido, fazendo com que eu gritasse seu nome, o que fazia ele sorrir entre gemidos. 

Com seu membro ainda dentro de mim, me virou e fez com que eu ficasse de quatro pra ele. Deu alguns tapas fortes em minha bunda e voltou a me penetrar ainda mais rápido e eu rebolava em seu membro. 

Como pode ser tão babaca e tão gostoso ao mesmo tempo? 

Puxou meus cabelos e começou a fazer com que eu cavalgasse com força em seu membro e ele gemia tão alto quanto eu. 

– Tá apertando ele, vai gozar? – disse dando mais um tapa em minha bunda – Goza nele todo, vai. 

E foi exatamente o que aconteceu, logo cheguei ao meu ápice e gemi alto, fazendo com que ele saísse de dentro de mim. 

Tirou a camisinha e apertou minhas bochechas, fazendo com que eu abrisse a boca e logo gozou lá dentro, me mandando engolir tudo. 

Pegou dois pirulitos na gaveta e me entregou um, logo chupando um como de costume. 

– Por isso que eu falei pra não tocar em mim – disse rodando o doce em sua boca. 

Talvez eu devesse ter te tocado antes. 

– Mandou bem, oppa – sorri sem graça. 

– Você também é boa, muito boa por sinal – olhou no celular e me encarou logo em seguida – Seu irmão está preocupado, tá lá na casa do Tae. Acho melhor te levar pra casa antes que ele chegue lá. 

– É uma boa – me levantei e comecei a vestir minha roupa, logo o vi fazendo o mesmo. 

Senti seus braços ao meu redor e logo vi um casaco. 

– É meu uniforme reserva do time de basquete, fica pra você – sorriu. 

– Obrigada Yoongi. 

– Me chama de oppa daqui pra frente – sorri envergonhada. 

Saímos da casa e fomos pro carro, logo indo até minha casa onde não estava nem um pouco preparada pra sofrer um questionário enorme do meu irmão assim que ficássemos à sós. 

Chegamos na frente de casa, desci do carro e encarei Yoongi antes de entrar. 

– Até amanhã – ele disse sorrindo ainda com o pirulito na boca. 

– Até amanhã oppa. 

Me virei e assim que abri a porta e vi Jin de mãos dadas com aquela garota, minha única vontade era parar o Yoongi e voltar pra casa dele. 

Tudo é melhor do que isso. 

Hoseok P.O.V 

Passei na casa do Taehyung já que tinha deixado meu celular lá, não ia conseguir ficar sem meu filho até amanhã. 

Abri a porta e Tae estava sentado no sofá com o celular em mãos. 

– Achei que não viria – sorriu me entregando o aparelho. 

– Não sou louco de ficar sem meu celular. Onde tá o Yoongi? Ele tinha me dito que ia passar a tarde com você. 

– Digamos que ele teve coisa melhor pra fazer. 

– E a minha irmã, como ela tá? Ainda não acho certo ter feito isso. 

– Garanto que ela vai estar bem feliz quando chegar em casa. 

– Como assim?  

– Sabe aquela coisa que eu falei que o Yoongi tinha pra fazer? Então... 

– Tá me zoando?  

– Não cara, ah para com essa cara, é só tensão sexual, nada de mais. 

– É só tensão? Minha irmã tá se pegando com um cara que odeia ela e é um dos melhores amigos do Jin e você diz que não tem nada de mais? 

– Eles só tão aproveitando um tempo juntos Hoseok, vai dizer que você nunca tinha reparado o clima entre os dois? Só faltava a oportunidade perfeita, deixa eles se curtirem um pouquinho. 

– Ela podia pegar todo mundo, até você, mas o Yoongi foi golpe baixo com o Jin. 

– Ele não vai saber se você não contar. 

– Ele é meu melhor amigo Tae, seria traição de confiança. 

– A _____ e o Yoongi só vão ficar essa vez, só precisavam matar a vontade, não vão casar, relaxa. 

– Tem certeza? 

– Absoluta. 

Não confiava muito nas palavras do Tae já que até o Yoongi foi capaz de trair a confiança do amigo.  

Mas acho que ele tá certo, se o Jin não souber vai doer bem menos. 

Me despedi rapidamente e fui pra casa, só queria me trancar no quarto e ficar sozinho até toda essa informação ser digerida. 

Porém quando cheguei em casa vi que esse não seria o futuro da porcaria do meu dia. 

De um lado estava Stella e Jin de mãos dadas, do outro ______ vestindo a jaqueta de basquete do Yoongi. 

Seja bem vindo à guerra do século, Jung Hoseok. 

__________ P.O.V 

Que palhaçada é essa? 

O que ela tá fazendo de mãos dadas com ele? 

Achei que fosse só sexo casual, sei lá. 

– Queria contar a novidade pra vocês – Jin disse assim que Hoseok fechou a porta e nossos pais finalmente estavam juntos na sala. 

– Conta filho – minha madrasta disse empolgada. 

– Eu e a Stella estamos nos conhecendo melhor – sorriu recebendo um sorriso meigo da garota, tão meigo que me dava embrulho. 

– Nossa, grande merda – falei desanimada – Tô indo pro meu quarto de tanto que eu me importo. 

Entrei no quarto e bati a porta com força. 

Por que ela? 

Algumas horas depois... 

Meu pai me chamou pra jantar e eu fui rapidamente, mas me arrependi no mesmo instante em que notei que a garota ainda estava lá. 

Me sentei na ponta oposta à deles na mesa e comecei a comer. 

Mas me dava tanta raiva olhar pra ela. 

Queria espancá-la apenas por estar respirando o mesmo ar que eu. 

O jantar deixou bem claro o clima tenso que pairava ali. 

Quando terminamos de comer, Jin me puxou pelo braço até seu quarto e nos trancou lá. 

– Escuta uma coisa aqui – disse sério me empurrando com calma até a cama – Para de olhar pra ela desse jeito. 

– De que jeito? 

– Fazendo caretas e sussurrando xingamentos, a garota nunca te fez mal algum. 

– Não gosto do jeito que ela fala com você. 

– E desde quando se importa comigo? Sempre fui um lixo pra você não é mesmo? Nunca tive popularidade ou riqueza o suficiente pra que pudesse me dar uma chance. 

– Não é bem assim Jin. 

– É assim sim e quer saber? Você merece ouvir umas verdades. 

– Jin eu... 

– Me deixa falar, eu já ouvi muita merda e agora é sua vez. 

Abaixei a cabeça e respirei fundo. 

– Eu até entendia seu desprezo e sua raiva pelas pessoas por causa do que sofreu, sei o tanto de merda que aguentou daquelas garotas ______, sempre estive lá afinal. Mas você se tornou tão arrogante e superficial que eu não te reconheço mais – respirou fundo– Está bem longe de ser aquela garota pela qual me apaixonei pela primeira vez, agora só se importa em dar pros caras populares não é mesmo? Primeiro Jungkook, depois Taehyung e pelo que eu percebi Yoongi é o próximo alvo. 

Riu baixinho enquanto encarava a jaqueta. 

– Você não vale nada. E agora eu cansei de ser uma peça do seu joguinho idiota, só fale comigo no dia que se tornar mulher o suficiente e ter coragem de assumir que gosta de mim ao invés de tentar ofender a garota que está ao meu lado. 

Então ele abriu a porta e me deixou ali, completamente sem palavras. 

Você ganhou, Jin. 

Game over.


Notas Finais


Liberté: https://spiritfanfics.com/historia/liberte-imagine-kim-taehyung-7324834

aleluia Kim Seokjin tomou uma atitude, que orgulho <3
espero que tenham gostado :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...