História Casa comigo, hyung? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Kai
Tags 2jong, Chenkai, Exo, Kaichen, Kaidae
Visualizações 28
Palavras 2.013
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem, essa é uma OS que era pra ser fluffy, não sei se ficou, mas era pra ser. E a capa tá feinha mesmo pq não sei fazer capas, relevem ;;
Fiz como presente de três meses pro meu Chenossauro ><
Espero que gostem♡

Ps: #PorMaisKaiChen

Capítulo 1 - Casa comigo, hyung?


Fanfic / Fanfiction Casa comigo, hyung? - Capítulo 1 - Casa comigo, hyung?

    


Jongin já tinha perdido a noção de quanto tempo ficou parado em frente ao grande espelho do quarto, analisando se suas vestes estavam boas e se todos os fios de cabelo estavam em seus devidos lugares. Isso lhe trazia um gostinho de nostalgia. 

    Quando fora para a escolinha pela primeira vez, também se sentira nervoso. O Kim se lembrava de como visitou o banheiro incontáveis vezes, mas todas foram "alarmes falsos" e pôde sair do cômodo sem chamar a mãe para lhe limpar. Tudo isso era pelo medo de não fazer amiguinho algum e ter de passar os recreios sozinho. No entanto, essa preocupação foi por água abaixo quando conheceu Kim Jongdae. 

    Se lembrava como se fosse ontem de quando conheceu o Kim mais velho, que hoje era seu - primeiro e único - namorado. A professora tinha lhe feito sentar na única cadeira vazia, que por coincidência era ao lado de Jongdae, e foi com um trabalho em dupla onde tinham que montar bichinhos de massinha, que se tornaram melhores amigos até o presente momento.

    Com essas lembranças em mente, JongIn abriu um sorriso largo e verdadeiramente contente. Passou o pente pelos cabelos mais uma vez, esborrifou o perfume no pescoço e soltou o ar contra a mão, concluindo que estava com um bom hálito. Sacou o celular do bolso e ligou para o namorado que atendeu no segundo toque.

    - Amor? O que houve? Demorou para atender, tocou um milhão de vezes! - O moreno exagerou propositalmente num tom manhoso.

    - Fala logo o que você quer, ursinho. - A voz soou risonha do outro lado da linha.

    - Se lembra que hoje vamos sair, né? Você está pronto, hyung? Estou indo te buscar. - O moreno nem esperou uma resposta, desligou. Estava ansioso demais, coisa que sempre acontecia quando o assunto era sair com o namorado ou até mesmo passar um simples tempo com ele, se empanturrando de pizza enquanto assistiam uma maratona de Harry Potter no sofá da sala, por isso resolveu buscá-lo logo, a espera lhe dava mais dor de barriga.

    Enquanto isso, Jongdae, a uma distância de uns trinta minutos da casa do moreno, se levantava num pulo do seu ninho de cobertas. O que faria? Jongin já vinha lhe buscar mas nem tinha escovado os dentes ainda, havia se esquecido do compromisso!

    Se sentindo o Flash em pessoa, o Kim escovou seus dentes na velocidade da luz, o mesmo ritmo para lavar o rosto, pentear os cabelos e se aliviar no vaso. Quando estava saindo do cômodo, notou o calendário sobre sua escrivaninha, nele estava circulado o dia 10 de setembro em vermelho. 

    Como pôde se esquecer?! Era seu aniversário de 3 anos de namoro com JongIn! 

    Isso explicava tudo. O moreno provavelmente o levaria para algum lugar e faria alguma surpresa, isso lhe dava uma sensação nostálgica. Se lembrava muito bem de quando completaram um ano juntos e o Kim mais novo lhe levou para jantar no restaurante mais chique da cidade, tudo estava perfeito, até o momento em que a conta chegou e os dois perceberam que tinham esquecido a carteira em casa, resultado: passaram o resto da noite na cozinha do restaurante, lavando as intermináveis louças. 

    No segundo ano, JongIn o levou para a praia. Era noite e só estavam os dois no lugar, praticamente, o moreno teve a genial idéia de preparar um jantar a beira do mar. Lógico que estava belo; a mesinha bem posta, a comida tinha um cheio inigualável, velas postas sobre a areia formando um coração era o que iluminava o lugar; contudo, eles não esperavam que uma onda enorme e violenta poderia estragar tudo.

    Por isso, Jongdae disse a si mesmo que no terceiro ano prepararia algo especial e decidiria para onde iriam, mas tinha se esquecido completamente disso com os trabalhos da faculdade lhe enchendo a cabeça. Só conseguiu se lembrar de mais uma coisa antes de sua campainha ser tocada: os dois ainda eram virgens e tinham combinado de fazer juntos no terceiro ano de namoro. O Kim se jogaria da ponte, mas achou mais fácil correr para o banheiro e se preparar para o possível acontecimento daquela noite.





    - V-você comigo casar quer...? Não, droga, isso é tão difícil!

    Jongin estava parado com seu carro em frente a casa do namorado. Encostado no capô do fusquinha branco, treinava com a aliança na mão como poderia fazer aquele pedido ao namorado. Tentara diversas vezes mas nenhuma saiu como esperava.

    - 'Tá falando sozinho, ursinho?

    O moreno arregalou os olhos ao ser surpreendido com a voz do mais velho que tinha acabado de trancar a porta da casa e saía pelo portão, trancando o cadeado. Por isso enfiou a caixinha das alianças em seu bolso, num ato rápido que o outro Kim nem percebera. 

    - Você está lindo, hyung. Vamos? - Recepcionou o namorado com um abraço e um beijo lento que não se demorou. 

    Com um aceno positivo, os dois entraram no carrinho que JongIn conseguiu comprar com suas economias e com uma ajudinha do outro Kim. Com perguntas do tipo "aonde vamos?" vindas do mais velho, uma sensação de déjà vu se instalou no coração dos dois jovens na casa dos 21 e 23 anos.

    Na situação parecida, Jongdae tinha seus 17 anos quando pegou escondido o carro de seu pai e junto de Jongin, seu melhor e inseparável amigo mais novo, foram para uma cachoeira que ficava à algumas horas de distância. E em meio a brincadeirinhas na água, aconteceu o primeiro beijo dos amigos, que se afastaram quase no mesmo instante e pediram desculpas um ao outro, mas esse acontecimento só serviu para se aproximarem ainda mais e três anos depois, Jongdae pediu Jongin em namoro, coisa que o moreno estava juntando coragem há tempos para fazer.

    Em meio às lembranças e mãos dadas sobre a coxa do mais velho, o percurso que o carrinho barulhento fazia já chegava ao fim. A música que tocava no antigo rádio, que tinha como refrão "eu te amo até o infinito", se calou, assim como se cessou o vento que entrava pelas janelas.

    - Chegamos. - O de pele marronzinha anunciou com um sorriso bonito. Já o outro, olhava confuso ao redor.

    - Que lugar é esse?

    - Nós vamos acampar!

    Jongdae sorriu pela animação do outro, mas sentia um leve medinho lá no fundo, algo que lhe dizia que alguma coisa poderia dar errado como nos aniversários de namoro anteriores, mas nada disse, não queria desmanchar o sorriso bonito de quem mais amava no mundo.

    O carrinho estava estacionado no encostamento da pista que parecia não ter fim, apenas as enormes árvores ao redor faziam contraste com o cinza do asfalto, mas o céu ganhando um tom alaranjado que denunciava o pôr do sol também ajudava na combinação das cores. Jongin trancou o seu amado amiguinho branco que parecia sorrir com aquele parachoque um pouco curvado, e agarrou a mão do namorado depois de ajeitar na outra mão a enorme barraca que teriam que montar, enquanto Jongdae levava nas costas uma mochila recheada de "porcarias" para comerem e engordar. 

    Começaram a entrar na espessa floresta fechada, um colado no braço do outro, não era possível saber quem é que estava com mais medo, ainda mais com a lanterna querendo apagar e Jongin não sabendo se achar no mapa.

    - Ahhh, waeee?! Por que nos trouxe pra cá se não sabe onde estamos? E por quê não checou se a lanterna tinha pilhas boas? 

    - Calma, Dae. Tá comigo, tá com Deus, você sabe disso.

    Jongdae abriu a boca pra retrucar, mas apenas deixou um suspiro escapar.

    - Achei! Nós estamos aqui, só precisamos subir mais esse pouquinho e vamos chegar na clareira bonita que te falei. - Jongin dizia fazendo o percurso com o indicador no mapa. O Kim mais velho não disse nada, sua cota de "ahh, waeee?!" já tinha passado dos limites, mas suas pernas curtas já estava cansadas de andar.

    Mas lá foram eles, andar mais aquele pouquinho que durou mais uma meia hora.

    - Eu juro que ia te bater, a sua sorte é que a paisagem desse lugar compensa. - Jongdae disse, todo despojado dentro da barraca já montada, mas que levou muita paciência e esforços para ser fixada no chão sem que voasse por causa do vento forte.

    Já Jongin apenas riu, achava o namorado a coisa mais fofa do mundo quando nervoso, não conseguia levar a sério, só faltava babar enquanto contemplava aquela obra de arte que se chamava Kim Jongdae. 

    O mais novo estendeu sua mão para o outro que lhe olhou confuso, mas agarrou a mão macia e se levantou. Foi guiado para fora da barraca, realmente aquela clareira era muito bonita. No céu escuro da noite não dava para ver somente as estrelas brilhantes que cercavam a lua que iluminava a floresta, naquela área haviam bastante vagalumes que colaboravam com a iluminação e decoração da paisagem, e bem ao longe era possível ouvir o barulho da água caindo da cachoeira onde deram seu primeiro beijo.

    - Ahn, Dae hyung... - Jongin começou, chamando a atenção do namorado que até então estava distraído com a vista do lugar, mas o que o surpreendeu também fora ver o moreno ajoelhado a sua frente. - Bem... Hoje completamos três anos de namoro, isso já é algum tempo, não? Eu sei que somos novos e que não temos muito dinheiro no momento, também sei que você anda muito ocupado com a faculdade, mas... ainda assim, eu quero te pedir algo. Sabe, hyung, eu te amo muito e não me imagino mais sem você, sei que isso parece um clichê daqueles filmes românticos, mas é a verdade; você se tornou uma parte de mim, a mais importante parte de mim, desde quando nos conhecemos... Por isso quero te pedir: casa comigo, hyung? 

    Jongin que tinha os olhos fechados enquanto fazia o pedido, pois só assim achava que teria coragem para tal, abriu as pálpebras e encontrou um Jongdae com olhos brilhantes e sorriso sincero. Toda aquela dor de barriga, insegurança e ansiedade que sentia, esvaíram-se, pois não era preciso mais nada para saber a resposta de seu amado, estava tudo ali, em seu rosto.

    - Eu caso, Nini, é claro que caso. - E limpando uma lágrima de felicidade que não pôde conter, ajudou o namorado a se levantar para selar os lábios num beijo sincero.

    As línguas se encontraram de maneira terna, se acariciando mutuamente, enquanto as mãos dos dois não conseguiam se manter paradas. Jongin abraçava o outro pela cintura, a destra tímida adentrando as camadas de blusas para tocar na pele branquinha que se arrepiou, enquanto Jongdae abraçava o pescoço alheio, puxando vez ou outra os fios negros da nuca do mais novo.

    - Acho que podemos antecipar a lua de mel... - O mais velho dos Kim disse ofegante após cessar o beijo, encostando as testas uma na outra.

    - É claro, só deixa eu pegar as alianças...

    O branquinho então se afastou e ficou fitando o outro em expectativa, com um sorriso imenso, mas que foi morrendo ao poucos ao notar a expressão de pânico do moreninho que apalpava e revirava os bolsos.

    - O que foi, amor? Algum problema...?

    - Eu acho que perdi as alianças.

    E com um sorrisinho amarelo, JongIn saiu correndo de Jongdae que não sabia se ria ou se chorava, mas tinha certeza que queria socar o mais novo.

    No fim das contas, talvez não fosse um verdadeiro aniversário de namoro dos dois se algo não saísse da linha. Mas eles tinham certeza que depois que a fúria do mais velho passasse, eles sentariam dentro da barraca e JongDae teria que acalmar um Jongin que se acabava no choro, se esperneando e molhando todo seu ombro. No entanto, minutos depois já estariam rindo, pois aqueles dois sempre foram um tanto maluquinhos e talvez era por isso que se davam tão bem, como um casal e como melhores amigos, ou como preferiam dizer, super hiper ultra mega power melhores amigos.





Notas Finais


Bom, é isso. Espero que quem leu tenha gostado♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...