História Casa de Desafios do Maiev - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Akaashi Keiji, Asahi Azumane, Bokuto Koutarou, Chikara Ennoshita, Daichi Sawamura, Hajime Iwaizumi, Kei Tsukishima, Kenma Kozume, Koushi Sugawara, Lev Haiba, Personagens Originais, Ryuunosuke Tanaka, Shouyou Hinata, Tadashi Yamaguchi, Tetsurou Kuroo, Tobio Kageyama, Tooru Oikawa, Yaku Morisuke, Yuu Nishinoya
Tags Asanoya, Bokuaka, Comedia, Daisuga, Iwaoi, Kagehina, Kuroken, Levyaku, Reality, Tanaenno, Todo Mundo X Todo Mundo, Tsukiyama, Ushiten
Visualizações 70
Palavras 2.715
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoas, espero que gostem dessa putaria.

Capítulo 3 - Vossa senhoria não tem permissão


— AÇÃO! — Hannye grita.

— Olá caros leitores, eu estou aqui para mais um capítulo desse reality que vocês tanto gostam, ou não. — Tossi um pouco. — Nós tivemos uma contagem de votos que recebemos de vocês! E vamos expulsar os dois mais votados na hora do café! Então fiquem ligados, vamos acordar todo mundo! — Falo e ligo o som nos quartos dos participantes.

De bar em bar, de mesa em mesa, bebendo cachaça, tomando cerveja.

Logo todos os participantes chegam no refeitório furiosos.

— AÍ, NÃO PODE NOS ACORDAR ASSIM TODO DIA, E COM ESSA MÚSICA? — Akaashi reclama.

— Então na próxima eu coloco Marília Mendonça. — Falo enquanto vejo a Hannye com dezoito pratos de comida, todos eles com nomes.

— NÃO, pode continuar com essas. — Akaashi diz com certo medo na voz.

— Seguinte, vocês vão receber alguns pratos do café da manhã, diferenciado para cada um de acordo com os votos que receberam. Os dois que não receberem, já podem pegar o beco e vazar daqui. — Hannye pronuncia.

Quando todos se acomodam, Hannye continua.

— Primeiro os que não receberam voto algum, Hinata, Kageyama, Daichi, Sugawara, Kuroo, Tanaka, Yamaguchi, Akaashi e Bokuto, vocês terão um café da manhã normal. Yaku, você levou a imunidade, terá banquete. Os que tomaram um voto, vão comer a comida de ontem, sem requentar; Iwaizumi, Asahi, Ushijima e Kenma. Lev e Oikawa, vocês comerão a famosa comida que se mexe, não reclamem. Por último, Tendou e Ennoshita, vocês peguem o beco. — Era possível ver o rosto de decepção de Ennoshita, ele se encaminha lentamente para o ônibus que esperava os dois perdedores na entrada.

— Tendou, não fique com essa cara de cu, tu passou o tempo todo longe das câmeras, eu devia fazer você comer minha gororoba antes de sair, mas vai com fome mesmo. — Hannye diz segurando uma faca e ameaçando jogar nele.

— Calma moça, nós vamos acabar perdendo o reality se você matar alguém... — Olha com o que o Maiev se preocupa, morte? Não, audiência e processo.

Tendou ainda com uma cara nada boa, caminha até o ônibus na entrada. O clima fica tenso no local, afinal, eles viram que mesmo não saindo por votos, eles podem se ferrar só de receber algum.

— Agora comam, o desafio hoje será na hora do jantar. — Maiev diz e sai da linha de visão de todos junto a Hannye.

— Agora falando em putaria, será que vou beijar outra pessoa hoje? — Yaku dizia animado.

Fita do Oikawa

— Então, primeiramente eu queria dizer em minha defesa que eu nem sabia o que estava acontecendo quando um cara baixinho brotou do nada e me beijou.

— Estou extremamente desapontado que o Iwa-chan nem de expressão mudou, poxa, ele fala que não namoramos, mas aí às vezes a gente vai e transa e páh, acho que ele só quer usar meu corpo... e se ele continuar com essa história de hétero de Taubaté eu vou mesmo dar em cima de geral, não dos casais como aquele pitéuzinho louco, mas de quem estiver dando sopa, contudo, sei que ninguém me recusaria, pois sou maravilhoso.

— Ainda sim, o Iwa-chan é só meu, então se afastem.

Fim da fita

— Você realmente disse isso? — Iwaizumi pergunta uma mão na cabeça.

Fita do Yaku

— GEEEEENTE! MEU DEUS DO CÉU! EU NUNCA TERIA IMAGINADO ISSO!

— Por que os lábios do oikawa são tão macios?? Melhor beijo roubado. Agora quero mais. Na próxima vou pedir pra ver se provo a língua dele também, fique avisado.

— Agora, eu acho que ter a imunidade é a melhor coisa dessa casa. Não preciso comer peixe podre, barata morta ou seja lá aquilo que a Hannye chama de comida, essa chef aí tá bom de se aposentar.

— HOJE VAI TER MUITO MAIS, NÃO VAI SER SÓ A DOSA REPETIDA. TUDO PELA PUTARIA!

Fim da fita

— COMO É A HISTÓRIA? QUEM PRECISA SE APOSENTAR É VOCÊ SEU NANICO DE MERDA! — Hannye joga uma faca na grande televisão.

— Substituam rápido! Hannye, se acalme, é só você fazer pior! — Ela parece concordar.

— Vou fazer minha comida comer esse nanico, ao invés de ele comer ela. — Diz com um sorriso sádico.

Quando a tela foi substituída, de volta para o refeitório.

Kenma olhava Kuroo assustadoramente, parecia querer lhe tirar a alma. Ele passou o dia no quarto trancado ontem, então não se sabe o que ele trama.

Fita do Kenma

— Confesso que não estou aqui pelo dinheiro ou pela putaria, estava no tédio, me convidaram e aceitei...

— Acho que isso não será uma boa ideia, daqui até a final, alguém ou comete homicídio ou suicídio.

— Tsc. 

— Ninguém aqui é certo do juízo...

— Mais uma coisa, não se deixem enganar pela minha carinha, se eu quiser posso ser pior do que vocês imaginam.

Fim da fita

— Esse daí tem o famoso ódio no coração. — Maeiv fala tomando toddynho.

— Ei, esse toddynho era meu. — Hannye reclama.

— Pede outro, nosso orçamento não cobre dinheiro para os participantes, mas cobre qualquer coisa para nós. — Quando Maiev fala, ela se lembra de algo e começa a rir. Ela pede outro toddynho.

Dessa vez, os participantes já estava fora do refeitório, Lev como de costume, iria para seu quarto praticar as artes góticas da vida, talvez até mesmo invocar o Nishinoya ou o Oikawa em seu quarto. Quando foi interrompido por Kuroo, que não deixava nenhuma vítima passar, ele sabia que Lev não teria ninguém em sua cola como o Sugawara.

— Então, seu gótico suave, por que ao invés de se perder em pensamentos, não se perde dentro da minha boca? — Lev achara aquilo ridículo, porém, oportunidades são oportunidades, qual mal faria deixar suas artes góticas para mais tarde?

— Claro. — Quando Lev responde, os dois se beijam, deixando alguns participantes chocados, Kenma observava de longe enquanto costurava duas bonecas com a aparência de Kuroo e Lev. Iria espetar elas o resto do dia pensando ser os dois.

Depois da cena, eles sobem para o quarto. Lá não temos permissão de ativar as câmeras, só à partir do sexto dia.

— Eu achei que o Lev não iria praticar a putaria, isso aqui vai dar B.O. — Maiev se pronuncia para Hannye que concorda imediatamente.

— Mas fique calmo menino Maeiv, se os leitores não quiserem ler pela putaria, ainda temos a opção da faca. — Ela fala com os olhos vermelhos.

— Vamos ser processados... — Diz por fim enquanto a câmera volta ao salão principal.

Nishinoya observava Asahi de longe, pensou sobre o quanto os dois tem ficado longe do outro nesses últimos dias, até mesmo antes de chegar nessa casa. Enquanto Asahi fazia flexões na área fora do salão.

Fita do Asahi

— Metade da casa está pelo dinheiro, noventa e nove por cento pela putaria. E uns oitenta por cento pela treta.

— Das três eu to aqui por duas, isso se eu chegar até o fim do dia sem morrer pela comida tóxica. Eu nunca vi uma chef tão ruim em toda minha vida, acho que o Maiev devia despedir ela, não, acho que os dois deviam se aposentar.

— Então eu vou pegar a pipoca me aconchegar e esperar a verdadeira treta comece. Ah, não podemos esquecer meu bronzeado, cadê o Yuu pra passar o bronzeador em mim de novo?

Fim da fita

— Olha aqui seu brutamontes com cara de buda, quem devia sair dessa casa é você, não eu ou a Hannye! — Maeiv dizia para a tela puxando seu rosto para baixo completamente puto.

Quando Hannye levanta a faca e se prepara, Maiev pula em cima dela.

— Não quebre outra atoa, deixe para jogar a faca nele quando chegarmos lá. — Ele pede.

— Certo... — Hannye se acalma.

Ainda no salão, Kageyama e Hinata estavam discutindo, como se o que aconteceu ontem fosse apenas um sonho, Kageyama dizia ser culpa de Hinata por ele ser burro. Mas culpa de que exatamente? Hinata não foi pego fazendo nada pelas câmeras, provavelmente foi apenas um surto do Kageyama, como normalmente acontecia, ele ficava puto do nada e por culpa de ninguém.

— SUA PESTE PEQUENA, USE A CABEÇA! — Kageyama gritava, queria jogar Hinata naquela piscina de ontem, e de preferência colocar uma tampa para que ele não conseguisse sair.

— EU ESTOU USANDO, SEU GRANDE IDIOTA! — Hinata corre para seu quarto chorando. Ao observar a cena, Nishinoya e Yamaguchi sobem junto dele, provavelmente para ajudar em seu controle emocional. Kenma também subiria, mas estava ocupado demais espetando os bonecos e pensando naqueles dois, não conseguiu nem ver ou ouvir a cena.

— AAAAAAAAAAAAA, EU PRECISO LIGAR AS CÂMERAS DOS QUARTOS, PRECISO VER O QUE ACONTECE NO QUARTO COM ESSES TRÊS NANICOS JUNTOS, NÃO POSSO DEIXAR O YUU FORA DA MINHA VISÃO, O CORPO DELE É IGUAL O MEU; VOU MATAR ESSE INFELIZ! — Maiev gritava de todas as formas possíveis, enquanto Hannye tomava um dos duzentos toddynhos que ela encomendou, ela também pediu suplimento infinito de pipocas, mas ainda não chegou.

— Se acalme Maiev, vossa senhoria não tem permissão. — Quando Hannye diz isso, Maiev se joga no chão rolando de um lado para o outro e em alguns segundos supera.

— Se aquela outra cópia barata de Chimbinha fizer algo errado, eu faço ele deixar de existir! — Diz completamente alterado, mas bem mais calmo e menos surtado.

— Tenha calma, sei que seu irmão gêmeo não fará nada, assim como o meu irmão. — Hannye diz se referindo ao Sugawara.

Eles voltam à assistir o que a televisão exibia, dessa vez, no corredor.

Akaashi beijava Bokuto intensamente, uma briga de leões em pleno corredor, e então os dois entram no quarto.

— AGORA EU POSSO LIGAR AS CÂMERAS? — Quando Maiev diz, Hannye fica tentada, ela pensava que só um deslize não daria em nada.

— Vamos. — Ao dizer isso, e ligar as câmeras do quarto, a energia cai.

— QUE? COMO ASSIM? — O mais alto falava desesperado.

— SEGURANÇAS, LIGUEM O GERADOR! — A mais baixa ordena para a equipe fazer a energia voltar de qualquer forma.

— Desculpem senhores, mas o gerador também quebrou. — Dessa vez, os dois se jogam no chão e a Hannye atira uma faca no segurança passando um centímetro ao lado de seu pescoço.

— CONSERTE! — Ela grita. Então a equipe desce para o fazer, eles tremiam de medo do olhar sanguinário da garota.

Algumas horas depois, no almoço, a energia volta e Hannye desce sozinha para o refeitório, entregar um almoço; dessa vez decente, para os participantes.

— Eu mereço muito mais que isso, pois eu sou Deus. — Bokuto dizia fazendo todos o olharem com certa dúvida.

— OLHA AQUI, VOCÊ FICA QUIETO, TU NÃO MERECE PORRA NENHUMA, TU NÃO É DEUS, É APENAS UM MALUCO; ACHA QUE NÃO LI SUA FICHA E SEUS EXAMES? E AÍ DE VOCÊ SE RECLAMAR, VAI TER QUE SE ENTENDER COM MINHA FACA! — Hannye advertia o Bokuto, ele certamente era um pouco doido da cabeça, mas era boa pessoa, é só a cozinheira que não tem paciência alguma.

Fita do Bokuto

— Essa cozinheira maluca quer me matar, por que tanto ódio? Ela devia me adorar, pois sou Deus! E ainda fala que sou maluco, ela que é.

— AGASHEEE! CADÊ VOCÊ? FALA PRA ELES QUE EU MEREÇO MAIS QUE ISSO!

Fim da fita

— Agora eu estou de saída, se reclamarem da comida novamente, vocês serão a próxima comida, ENTENDERAM? — Hannye faz uma cara de cachorro que ameaça morder.

Ela então volta de helicóptero para onde o irmão do Noya se encontra.

Tanaka se encontrava olhando para sua comida com um ar triste, estava se fazendo de difícil no dia anterior, devia ter aproveitado mais a companhia do Ennoshita. Agora é tarde para se arrepender, estava puto e iria passar o rodo ali. Sua primeira vítima foi ninguém mais, ninguém menos que Kuroo, ele se encontrava comendo sua comida normalmente no refeitório.

Quando Tanaka chegou sem mais nem menos e o puxou da cadeira, eles ficam frente à frente e Tanaka simplesmente o beija, o Kuroo nem para fazer algo, ele segue o baile e o beijo. Kenma na mesma hora para de comer e começa a fazer um boneco em forma de Tanaka, iria espetar ele também.

— Parece que eu iniciei uma nova moda nessa porra de casa. — Yaku se pronuncia. — Oikawa, gostaria de experimentar seus lábios novamente. — Ele diz na maior cara de pau.

— Só em sonhos. — Oikawa responde, ele não era tão difícil assim, normalmente ele aceitaria e beijaria sem problemas; mas o Yaku tinha o provocado da última vez e ele não ia deixar barato.

Todos veem Yamaguchi e Nishinoya levando seus pratos e o prato de Hinata para os quartos, enquanto Tsukishima e Asahi observam os dois subindo com uma cara de tacho. Eles se olham e um faz o sinal para o outro que era para se encontrarem após o almoço.

— Só Deus sabe o que acontece naquele quarto. — Lev comentou.

— Eu não sei de nada. — Bokuto respondeu como se fosse normal, realmente pensava que era Deus. — Vou aproveitar e abençoar essa comida. — Alguns batem a palma da mão na cabeça, mas Oikawa e Kenma se interessam pelo maior; se o que ele falara é verdade, então eles podiam se juntar.

Após o almoço, Ushijima conversava com Kageyama; agora mais calmo. Os dois viam que tinham muito em comum, Iwaizumi ouviu a conversa e não perdeu tempo em entrar nela. Eles falavam sobre tudo, até que chegou no assunto de o Iwaizumi ser hétero que o Oikawa reviveu hoje.

Ele não se sentia seguro ao falar sobre isso, como podia ele dizer o que realmente sentia pelo Oikawa? Como podia ele dizer que não era hétero e mentiu esse tempo todo? Ele não podia, apenas se retirou e foi para seu quarto à espera da hora da janta para o desafio.

Bokuto não podia ser verdadeiramente um Deus, mas uma coisa que Akaashi não podia negar, era que ele tinha uma sorte enorme, e isso junto à sua maluquice, fazia ele pensar muito que era um Deus incompreendido. Contudo; Akaashi sabia que Kenma acreditaria cegamente naquilo, afinal, o loiro seguia uma religião muito antiga. E ele era o mais próximo de sobrenatural que aquela casa tinha como participantes, já como um todo, Maiev e Hannye ganhavam em fazer coisas estranhas e atípicas. Não duvidaria nenhum pouco que os dois fossem diabo e Lúcifer. Talvez fossem, teria que tomar cuidado à partir de hoje.

Tsukishima encontrava-se com Asahi no salão, não teria ninguém ali nesse horário. Eles discutiam sobre o relacionamento do Asahi com o franja loira, um dos franja loira, às vezes o próprio narrador esquece que tem dois.

— Então, você quer que eu entre no quarto e tire o Yuu de lá, e peça para o Yamaguchi voltar? Foi mal, não posso fazer isso, o Yuu é livre para fazer o que ele quiser, apesar de estarmos namorando; é aberto. — Asahi fala chocando o loiro, Tsukishima não imaginaria tal coisa.

— Tudo bem, hoje eu desisto, mas um dia, eu vou conseguir separar aqueles três! — O de óculos fala e volta pra seu quarto, deixando um Asahi pensativo para trás.

Daichi não deixaria Sugawara escapar dele naquela tarde, puxou ele direto para seu quarto querendo ter uma conversa. Eu iria dizer mais coisa sobre eles, mas a câmera não alcança.

Finalmente chega a hora da janta e todos estavam no salão, incluindo Hannye e Maiev.

— O desafio de hoje não vai ser um desafio. — Maiev começa.

Todos ficam então sem entender, até que Hannye termina.

— Estávamos com preguiça, então resolvemos fazer um sorteio para ver quem ganharia a imunidade. Venham de um em um pegar um papel aqui, tem dezoito deles, apenas um diz nitidamente que é a imunidade. Então não é uma coisa difícil para vocês fazerem, certo? A janta já está pronta no refeitório, deixaremos vocês em paz hoje. — Hannye completa.

Todos pegam seu papel.

— Quem tirou a imunidade? — Maiev pergunta.

— Eu. — Um ser de cabelos grande responde, Bokuto. Akaashi já sabia que tal coisa iria acontecer.

— Então você vai ficar com a imunidade, se não tiverem mais nenhuma pergunta, vão comer e se preparar para amanhã. — Todos vão para o refeitório, Maiev e Hannye ficam para acabar o capítulo.

— Então, esse foi o capítulo de hoje, não esqueçam de votar com o @ e o nome do participante que você quer que saía. Vocês podem escolher até dois para sair, é só isso! — Maiev encerra o capítulo.

— E DEIXA SEU COMENTÁRIO E FAVORITO, SE NÃO EU METO A FACA. — Hannye grita jogando a faca na câmera.


Notas Finais


Se lembra de votar!!
Podem me xingar ou xingar a @Hannye, estamos abertos à passar por isso.
Se errei em algum momento, por favor, me avisem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...