História Casais briguentos tranzam? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Visualizações 248
Palavras 1.566
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Sim, eles tranzam!


- Tipo o que? - Sussurra no ouvido do outro.

- Você não sabe? - Disse sapeca.

- N- Não.... 

Jimin levanta o olhar, encarando o rosto corado do marido.

Aquele sorriso ladino, extremamente sexy e provocativo, tirou toda a sanidade de Jeongguk. 

- Eu estou carente dessa sua entradinha.

Jeongguk geme, sentindo seu baixo ventre fisgar fortemente. Seu coração batia tão rápido.

Jimin podia sentir o mesmo bater. Amava aquela sensação.

- Você está nervoso, né? - Passa as unhas pela coxa farta do mais novo.

Jeongguk morde o lábio, jogando a cabeça para trás. 

- Você gosta disso? 

- E-Eu..... Hah.

Jimin pega Jeongguk no colo, apenas para leva-lo até o centro da cama.

Mas Jeongguk começa a beija-lo ferozmente. Não dando uma brecha para os dois puxarem algum ar. Jeongguk estava necessitado demais para isso.

Com um pouco de dificuldade, Jimin abre a gaveta do criado mudo, pegando de lá uma algema.

Chegando mais perto da cama, Jeongguk arfa quando é jogado na cama.

Ele fecha os olhos, voltando a abri-los quando sentiu o corpo quente de Jimin praticamente se jogar em cima do seu.

Sem Jeongguk perceber, seus pulsos são presos na cabeceira da cama.

- De onde tirou essa algema?

- De um canto ae. Junto a umas surpresinhas. - Sorriu malicioso.

Jeongguk sentiu todos os pelinhos existentes no seu corpo se arrepiarem. As borboletas nos seu estômago acordarem com tudo. Aquela frase despertou sua curiosidade, e aumentou sua excitação.

Jimin se levanta , indo todo afobado até o guarda roupa. Tirando de lá uma caixa preta. Esta que foi colocada ao lado da cama.

- O que é isso?

- Você vai descobrir... - Sorriu ladino.


Novamente ficou em cima do mais novo. Se colocando no meio de suas pernas. Mordendo seu maxilar. 

Com uma força e coragem incrível, rasgou a blusa do marido. Ouvindo um resmungo.

Foi puxando aos poucos, enquanto lambia o pescoço branquinho, os elástico da calça moletom. 

Mordeu os lábios. Fazia tanto tempo que não via aquelas coxas branquinhas. Aquelas coxas tão deliciosas que ele ama.

Foi descendo com lambidas e beijos pelo abdômen musculoso do mais novo.

Jeongguk quase riu ,sentindo o cabelo de Jimin passar pela pele. Fazia cócegas! Ele não  tinha culpa!

Jimin lambe com mais intensidade o baixo ventre do outro. Provocando-o de todas as formas possíveis.

Foi puxando a cueca box, beijando e mordendo cada parte visível do quadril.

Quando a tirou, começou masturbando o pênis alheio. Lambendo as veias, chupando a glande inchada.

Olhou para Jeongguk durante o processo, sorrindo sapeca antes de colocar todo o membro na boca. 

Jeongguk joga a cabeça para trás, apertando fortemente a cabeceira da cama. 

Jimin lambia seu membro com vontade, fazendo sucções quando voltava a cabeça para trás. Gemendo as vezes, causando vibrações gostosas.

- AWN, Jiminie.... 

Seus olhos lacrimejaram, seus olhos de apertaram, seus lábios foram mordidos. Seus ápice chegou, jogando um prazer indescritível em seu corpo.

- Não é Jimin!

Jeongguk olha para o marido, vendo o mesmo com uma venda nas mãos, que logo foi colocada em seus olhos. O impedindo de ver qualquer coisa.

- É Daddy.... - Sussurra no ouvido do outro. Batendo fortemente na coxa branquinha.

Como provocação, Jeongguk lambe os lábios, soltando uma risadinha.

Jimin, olhando aquela cena, aperta o próprio membro.

- Fica de quatro. - Disse firme.

Mesmo não querendo, Jeon , com um pouco de dificuldade, se vira. Mas, não empinou o quadril. Mas, Jimin puxou o mesmo, batendo-o no seu próprio.

Jeongguk geme manhoso, sentindo a grande elevação no meio das nadegas. Jimin arfa, jogando a cabeça para trás. Fechando os olhos quando começou a mover o quadril, simulando leves estocadas.

Contragosto, ele para os movimentos para pegar a caixa. Tirando de lá uma camisinha.

Colocou ali do seu lado, para usar apenas depois.

O mais velho tira a blusa e calça, ficando apenas com a cueca box.

Jeongguk sente o peito desnudo de Jimin em suas costas. Junto a duas mãos presas em sua cintura.

Jimin começou beijando a nuca, recebendo um gemidinho como resposta ao estímulo.

Desceu os beijos. Lambendo as curvatura das costas branquinhas. Não esquecendo de dar muitos chupões fortes.


Foi beijando e lambendo, até chegar nas nadegas.

Deu uma mordida forte na nadega esquerda. Sorrindo quando viu as marcas de seus dentes na pele branquinha.

Voltando ao trabalho, deu chupões por toda a pele do bumbum alheio. Até chegar no meio da mesma.

Percebeu Jeongguk prender a respiração, enquanto se encolhia na cama.

Afastou as nadegas, vendo a entradinha pulsar. Sorriu sapeca

Para provocar, assoprou ar quente ali. 

Jeongguk tremeu e gemeu quando sentiu a língua macia e quente passar por ali. Naquela área sensível. 

Começou a choramingar. Jimin estava testando sua sanidade, só pode. Aquelas lambidinha perto de seu buraquinho o deixava totalmente louco.

Sem paciência, jogou o quadril para trás. Gemendo alto assim que a língua quase entrou em si.

- Você é muito apressado...

- D-Daddy!

Jimin, ouvindo aquele gemido totalmente manhoso, penetrou Jeongguk com a língua. Começando os movimentos lentos com o seu músculo. 

Jeongguk praticamente gritou, aquele vai e vem lento era muito bom. Fazia tanto tempo que ele não sentia essa sensação. 

Jimin, sem aviso, o penetrou com um dedo. Esperou até que Jeongguk se acostumar, depois colocando o segundo dedo, parando com os movimentos da língua. Apenas para se aproximar de Jeongguk.

- Você gosta disso...? - Sussurra, dando um tapa da nadega do mais novo.

- S-sim, AH.


Voltou a pegar a caixa, tirando de lá um chicote de couro. Já sabendo onde ia utilizar o objeto.

Para despertar a curiosidade do mais novo, passou o chicote pelas costas e coxas deste. 

Jeongguk se arrepiou. 

Jimin retira seus dedo do interior do outro. Gostando dos resmungos deste.


Novamente, pegou algo da caixa, desta vez tirando uma mordaça, com a bolinha vermelha e mordivel. 

Jeongguk no início se assustou, não sabendo o que era aquilo que foi colocado em sua nuca e boca. Mas, logo percebeu o que era. 

E ,se assustou mais ainda quando sentiu algo duro bater em suas costas. Gemeu alto.

Mais chicotadas. Pelas costas, coxas e principalmente nas nadegas.

Jimin queria deixar aquele corpo totalmente marcado. Tanto pelos seus chupões, quanto pelas marcas do chicote.

Jeongguk se sentia um masoquista. Estava gostando daquela dorzinha ardente. Era bom! Ainda mais vindo de Jimin. Gemia com vontade, a cada chicotada.

Logo os movimentos param. Jimin se levantou, indo pegar uma camisinha na caixa.

Jeongguk sentia que seu corpo, agora dolorido, iria desabar. Suas pernas tremiam. Mas, permanecia assim. Sua mente e ansiedade permitia que Deus músculos ficassem parados. 

Jimin, Já com o membro protegido pela camisinha, ficou de joelhos atrás de Jeongguk, passando as mãos por todo o corpo deste.

- Está pronto, Baby? - Tirou a mordaça da boca do outro, jogando-a em qualquer lugar.

- S-sim , D-daddy.

- O que quer que eu faça, huh?

- M-me fode, Daddy!

- Como você quer ser fodido?

- Forte e fundo, Daddy... - Corou.

Para provocar, Jimin entregou a glande de seu pênis pela entradinha apertada.

Jeongguk gemeu manhoso, jogando o quadril para trás, rebolando no membro.

Jimin o penetra sem aviso algum. Alisando a cintura do marido quando este gemeu alto de dor.

Beijou o pescoço alheio, dando chupões fortes. Queria dar uma nova coloração naquela pele branquinha.

Se movimentou, dando leves estocadas. Gemendo, ao que aquele interior quente o apertava cada vez mais.

Jeongguk já gemia manhoso, rebolando no membro que o preenchia. Sentindo o prazer invadir todo o seu corpo. Levando-o ao paraíso a cada estocada.

Jimin foi aumentando o ritmo, indo cada vez mais fundo e forte.

Jeongguk gemeu alto. Jimin continuou surrando sua próstata. 

Para ajudar a estocadas fortes, Jimin pegou na cintura do marido e puxou para trás. Acompanhando as estocadas.

- D-DADDY. - Gritou.

Jimin e Jeongguk gemia em sincronia. Jimin já estava sentindo o ápice próxima. Jeongguk igualmente, Já que seus olhos já acumulavam lágrimas de prazer.

- J-Jeongguk... você é tão-Hah a-aperta-d-Dinho... hah. T-tão quen-ah-tinho... Ahhh tão... hah gos-tozi-hah-nho....  HAHHH. 

Jeongguk praticamente gritou ao ouvir aquelas palavras excitantes, sussurrada em seu ouvido. Não se segurando em gozar em abundância. 

Jimin veio logo depois. Até porque aquele aperto extremamente bom em seu membro o levou ao limite.

Ele se retirou do interior do marido. Amarrando a camisinha e indo até o banheiro joga-lá fora.

Enquanto isso, Jeongguk desabou na cama. Mesmo estando desconfortável, ele fecha os olhos, tentando normalizar a respiração. 

Jimin sorri. Abriu as algemas e tirou a venda do mais novo.

Guardou tudo que utilizou na caixa, quandando-A no guarda roupa.

Voltou para a cama, se jogando ao lado do marido. Puxando-o para deitar sua cabeça em seu peito.

- Que noite maravilhosa...

- Podemos fazer isso mais vezes. - Disse malicioso.

- Você é muito pervertido, Jimin.

- Eu sei, querido. Você gosta disso UE.

- Sim, eu gosto...


O silêncio permaneceu. Jeongguk sorrindo enquanto escutava os batimentos cardíacos do marido.

- Jimin....

- Oi?

- Você.... me ama do jeito que eu sou? - Falou receoso.

Jeongguk realmente queria saber a verdade. A pergunta de  Bae ainda estava em sua cabeça.

Jimin levanta a cabeça, olhando para Jeongguk. Seu olhar era de confusão.

- Por que essa pergunta?

- Eu estou apenas refletindo.... 

- Essa noite não foi o suficiente?

- N-não sei.. 

- Olha, Jeongguk. Apesar de nos brigamos feito doidos. Quase matando uns aos outros, eu ainda te amo. Amo até demais.  Eu gosto de te irritar, gosto de fazer brincadeirinhas contigo, gosto de te deixar emburrado, gosto de te abracar, gosto de te beijar, gosto de te tocar, gosto do calor do teu corpo..... gosto dos teus gemidos... - Sussurra a hora frase no ouvido do mais novo, que cora, batendo ombro alheio.

- Obrigado, amorzinho. - Levantou o olhar.

- De nada, MOZÃO. - Rouba um selinho do marido.

Os dois foram. Se abraçaram em forma de conchinha e dormiram satisfeitos.









Notas Finais


Oi. Tchau. Acabou! Hehehehehe
Se gostou, comenta, please.
Amo voxeix

Beijos no nariz❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...