História Cause That's Just The Kind Of Boy That I Am - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fall Out Boy, Panic! At The Disco
Personagens Andy Hurley, Brendon Urie, Joe Trohman, Patrick Stump, Pete Wentz
Tags Brendon Urie, Drama, Fall Out Boy, Panic At The Disco, Patrick Stump
Visualizações 9
Palavras 1.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


I'm back!!!
Desculpa gente, eu acabo sumindo, depois volto, sumo, volto, sumo... Desculpa.
Eu demoro muito pra escrever, e as vezes o capítulo não fica bom e isso desanima. (MAS ESSE AQUI É O CAPÍTULO DEUS)
O título é "Tonight The Headphones Will Deliver You The Words That I Can't Say", mas cortou ;-;
Boa leitura!

Capítulo 15 - Tonight The Headphones Will Deliver You Words That I Can't


Fanfic / Fanfiction Cause That's Just The Kind Of Boy That I Am - Capítulo 15 - Tonight The Headphones Will Deliver You Words That I Can't

-Um pouco de base deve tampar._ Mia analisa a marca rosa que havia na bochecha de Patrick._ Mas eu com certeza não tenho essa base. Sou morena e você branquinho.

   -Eu devo ter._ Falou Max._ Tive que usar em uma apresentação uma vez, estava de olho roxo.

   -Teve uma briga por um acaso?

   -Um menino me socou porque eu quebrei o brinquedo dele._ Todos começam a rir.

   -Tem como ensaiar mais uma vez? Eu estou muito tenso..._ Falou Pete.

   -Estamos sem tempo, Pete. Temos que começar a arrumar agora._ Patrick olha para Max. Ela estava com o semblante triste e o olhar distante.

   -Bom, eu vou começar a me arrumar, poderiam me dar licença?_ O garoto pergunta educadamente.

   -Ok Patrick, eu vou para casa me arrumar também. Nos encontramos lá?

   -Sim, Andy.

   -Também estamos indo. Vou dar carona a Mia e a Marie._ Joe já estava saindo._ Não quero ninguém atrasado.

   -Você fala isso como se fosse o mais adiantado._ Pete o acompanhou.

   -Tchau Patrick. Já vou te desejando um ótimo show, fique calmo que tudo vai dar certo._ Mia o abraça, seguido de Marie.

   -Obrigado meninas. Nos vemos amanhã.

   Max também estava saindo, quando Patrick agarra seu pulso e sussurra um "você não". Quando ele se certificou de que todos já haviam saído, fez um sinal para a garota o acompanhar até o seu quarto, já que estavam na garagem/estúdio da casa dele.

   -Então, o que aconteceu na sala da Rose?_ A menina encarava o chão, segurando as lágrimas que tentavam escapar. Respirou fundo e começou.

   -Ela ligou para minha mãe, que não sabia de nada._ Sua voz saiu trêmula._ Ela ficou chocada, e Diego não falou nada, apenas ficou ouvindo tudo o que eu dizia. Ele não respondia nenhuma pergunta feita. E agora... Minha mãe está decepcionada.

   -Mas você não fez nada!

   -Eu fiz, Patrick. Eu fingi que nada aconteceu. Eu escondi de todos por um ano. Minha mãe agora está completamente triste._ Patrick abaixa a cabeça. Imaginava qual seria a reação de Patrícia ao descobrir o que ele escondia a três anos._ Patrick, você não entende... Eu perdi minha virgindade com ele._ Ela começa a chorar._ Que queria que pelo menos fosse com alguém que eu amava._ O garoto a abraça, enquanto faz carinho em sua cabeça._ Minha mãe me odeia!

   -Não diga isso! Ela te ama. Ela está mal é pelo o que você passou. Eu sei que você não merecia._ Ele desfaz o abraço, e olha em seus olhos, cheios de lágrimas. Ele tira uma mecha de cabelo do seu rosto e coloca atrás da orelha dela._ Você é muito legal para chorar. Por favor, pare._ Patrick dá um sorriso fofo, e ela também.

   -Obrigada... Mas agora acho melhor você se arrumar.

   -É mesmo! O show!_ Ele vai correndo pro banheiro._ Se arrume, você vai coma gente!

   -O que?

   -Isso mesmo!_ Ele gritava dentro do banheiro._ Quero te ver sorrir. Aliás, qual seria a graça de dar o nosso primeiro show sem a nossa primeira fã número um?_ Ela ri.

   -Ok. Vou voltar para casa, me arrumar para a festa e trazer sua base.

   -Beleza. Peça ao Kevin para abrir a porta! Tchau!

   -Tchau!_ Max estava prestes a sair, quando ouviu o chuveiro ser ligado. Olhou para a porta do banheiro fechada por alguns segundos._ Patrick é uma piada..._ Falou baixo, rindo.

 

 

 

   -Olha só se não são meus alunos favoritos!_ Carlos recebia Patrick e Andy de braços abertos._ Max! Você também veio!_ Ele a abraça também._ Venham cá! Conheçam minha filha, Larissa._ A menina aparece ao lado do pai.

   -Então é essa a banda?_ Larissa olha para os meninos._ Nada mal, gostei do estilo deles.

   -Esse é o Patrick, o vocalista._ O professor o apresenta.

   -Prazer._ Patrick estava tímido.

   -O prazer é todo meu! Sintam-se à vontade!_ Larissa recuava alguns passos._ Licença que eu tenho que resolver algumas coisinhas, ok? Tchau! Estou ansiosa para o show! Arrasem!_ Ela foi embora.

   -Ocupada?_ Pete perguntou.

   -Está muito ansiosa. Enfim, está na hora de vocês se prepararem, não?

   -Ah, claro! Estamos indo. Max, vem ajudar a gente._ Patrick chama os garotos.

   -Vou deixar vocês conhecendo o palco. Caso precisem de alguma coisa me chamem, viu?

   -Pode deixar.

   -Ok, até daqui a pouco.

   Os garotos sobem no palco, todos ansiosos. Eles analisam cada detalhe: o espaço, altura, iluminação, público, decorações, piso, público, cores, público, ventilação, público.... Eram muitas pessoas.

   Se fossem chutar, teriam quase mil pessoas lá, sem contar com as outras trabalhando no bar e atrás do palco. Mil pessoas.

   Mil pessoas assistiriam ao show.

   Patrick começa a suar. Sentiu as pernas bambas e seus braços tremerem. Pete estava ao seu lado, e estranha o comportamento do rapaz.

   -Patrick, você está bem?_ Todos o encaram.

   -É m-muita... Gente._ Max ri.

   -É muita gente que vai assistir ao belíssimo show da banda... Qual é mesmo o nome?_ Os garotos se encaram assustados.

   -A GENTE ESQUECEU A PORRA DO NOME!_ Joe grita._ EU FALEI QUE A GENTE NÃO ESTAVA PRONTO, PATRICK! EU FALEI.

   -JOE, SERÁ QUE TEM COMO VOCÊ ACALMAR? PATRICK JÁ ESTÁ TENSO O SUFICIENTE E VOCÊ TÁ AÍ GRITANDO NA CABEÇA DELE!

   -AH CALA A BOCA ANDY. EU AVISEI! VAMOS TODOS PRO MÉXICO!

   -Garotos, desculpe interromper a discussão de vocês mas teria como vocês nos passarem algumas informações básicas antes do show?_ Uma mulher da produção pergunta.

   -Ah, claro._ Joe fala calmamente.

   -Nome da banda?_ Todos se encaram.

   -PATRICK EU VOU TE BATER.

   -CALMA JOE!_ O rapaz respira fundo._ Então... Ainda não temos..._ A mulher parecia confusa._ Somos novos, moça. Prometo que até essa noite teremos um nome.

   -Ok então... Depois do show eu pergunto novamente.

   -Obrigado._ A mulher vai embora._ Viu Joe? Resolvido.

   -A gente vai morrer..._ Pete estava quase chorando.

   -CHEGA!_ Max grita e todos se assustam._ Como vocês querem provar ser uma boa banda, se nem conseguem se acalmar?! Relaxem! Joe, se você continuar assim, lógico que vão ser ruins! Patrick, se você não controlar essa sua ansiedade, vai acabar sendo um bobo na hora! Então RELAXEM.

   -Isso mesmo, Max, assuma o controle._ Carlos surge._ Prontos? Está na hora.

   Patrick encara os rapazes e ergue a mão para frente. Todos fazem o mesmo, exceto Max e Carlos. Eles levam as mãos para o alto.

   -Vamos provar a esse povo que somos os... Os... Garotos! Vamos lá._ Falou Joe. Todos se dirigiram ao palco.

   -Eles não tem nome ainda, né?_ O homem perguntou a garota ao lado.

   -Não._ Ela ria._ Mas já vão ter.

 

 

   -"Senhoras e senhores, agora vamos animar a festa com o show do... Hãn?_ A mulher cochicha no ouvido do narrador._  Ah, huhum. E agora vamos animar a festa com um show!"_ O homem avisa no microfone. Os garotos aparecem e recebem aplausos. "Mantenha-se calmo, Patrick. Senão você irá parecer um bobo!" pensava o garoto. Pete vai até seu microfone.

   -Boa noite. Nós somos uma banda nova e sempre tivemos o sonho de torná-la famosa. E hoje tivemos a oportunidade de tocar no aniversário dessa belíssima jovem chamada Larissa. Onde ela está?_ O povo começa a gritar, até um holofote iluminá-la._ Feliz aniversário Larissa. Essa música nós dedicamos a você. Ela se chama "Best Thing In Town", do Green Day._ Todos aplaudem.

   Patrick começa a cantar e os garotos tocam a música direitinho. Eles podiam ver que Larissa estava pulando e se divertindo muito, e não chorando como Joe havia falado. Enquanto terminava de tocar, Patrick encara Max. Ela o olhava, e ele cantava como se a música fosse dedicada à ela, e não à própria aniversariante. Ele desvia o olhar, nervoso. Quando a música acaba uma chuva de aplausos surge.

   -Oh... Muito obrigado, é muito bom saber que estão gostando, mas que tal mudarmos para o nosso querido Blink 182?_ A plateia começa a gritar._ "I Miss You"._ Pete anuncia.

   E o show continua. Patrick, com sua voz angelical, conquistou o coração de várias garotas presentes. "Qual é o nome do gordinho cantando no palco?" ele pôde ouvir, e nunca gostou tanto de ser chamado de gordo. As pessoas estavam realmente gostando desse "gordinho". Novamente lança um olhar para Max, que continuava sorrindo, orgulhosa. Ele acena para ela, que alargou ainda mais seu sorriso.

   Eles tocaram mais umas quatro músicas, até Patrick resolver falar no microfone.

   -Boa noite._ A plateia grita novamente._ Meu nome é Patrick Stump, e fico muito feliz em ver que vocês estão gostando do nosso show. Mas agora nós queremos cantar parabéns, tudo bem? Vamos lá, no três! Um! Dois! Três!_ Larissa sorri envergonhada enquanto todos cantam parabéns. Ao terminar, Pete volta ao microfone.

   -Agora, gostaríamos de cantar uma música composta por nós, que iremos colocar no nosso próximo álbum, quem sabe. Essa música se chama Death On Arrival!

   Aplausos, assobios, foi tudo o que conseguiram ouvir. Algumas pessoas já até gravaram o refrão da música. Carlos pulava feito louco com sua filha, que estava com um sorriso enorme no rosto desde que o show havia começado. Essa foi a melhor sensação que eles já sentiram em suas vidas.

   -Bom... Acho que já estamos chegando ao fim...

   -Mais uma! Mais uma! Mais uma!_ O público implorava, e então tocaram mais uma música deles, Growing Up.

   -Obrigado a todos que assistiram o show até aqui! Larissa, feliz aniversário, tudo de bom. Talvez algum dia nós nos encontremos. Muito Obrigado!

   -Espera!_ Patrick interrompe Pete._ Antes gostaria de saber: que nome deveríamos dar a banda?_ As pessoas começam a discutir, enquanto os garotos esperavam alguma resposta.

   -Fall Out Boy!_ Larissa grita.

   -Fall Out Boy?

   -Sim, por favor! É meu personagem favorito!_ Eles pensam um pouco.

   -Obrigado a todos que compareceram! Nós somos o Fall Out Boy, e algum dia nós seremos famosos!_ Patrick grita.

   -Fall Out Boy! Fall Out Boy! Fall Out Boy!

 

 

   -Rapazes._ A mulher da produção aparece novamente.

   -Oh! Olá! Decidimos o nome, é Fall-

   -Não, eu já sei o nome. Vim pedir um autógrafo, tudo bem?

   -Oh... Claro!_ Patrick assina em um papel na prancheta dela.

   -Muito obrigada._ Patrick sorri, e ao se virar, se depara com seus amigos rodeados de garotas.

   -Pete? Seu nome é Pete? Uau! Meu primo se chama Pete! Será que é o destino?

   -Adorei suas tatuagens, Andy!_ As garotas falavam.

   -Belo show._ O rapaz se vira._ Cedo demais para pegar um autógrafo?_ Ele ri.

   -Talvez um pouco, mas te dou mesmo assim, Larissa._ Ela sorri.

   -Muito obrigada por ter comparecido, você me salvou.

   -De nada! Nós que devemos te agradecer._ Ela tira um papel do bolso.

   -Meu telefone._ A garota ergue o papel._ Caso queira conversar ou... Quem sabe trocar uma ideia._ Ela pisca.

   -Oh... Ok! O-obrigado._ Larissa vai embora. Quando Patrick olha para o lado, observa Max, sorrindo abertamente.

   -Saiba que eu sou a fâ número um._ O garoto sorri._ E que nenhuma daquelas oferecidas me supera._ Ela aponta para o tumulto de gente.

   -Lógico. Aliás, como eu fui?

   -Maravilhoso.

   -Que bom._ Ele ri, e logo depois os dois se sentem desconfortáveis com o silêncio.

   -Com licença, Patrick?_ Uma garota o chama._ Poderíamos te pedir um autógrafo?_ Ele avista uma fila de garotas. Ser famoso não seria fácil.

 


Notas Finais


Então, esse inicio da história ta sendo meio lento, mas mais pra frente vai dar uma acelerada. (P.S. AMANHÃ TEM MUSICA NOVA DELES HIHIHIHIHIHI)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...