História Change My Mind - Harry Styles Fanfic - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry Styles, One Direction
Visualizações 348
Palavras 2.276
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola pessoinhas :)
Peço desculpas por tantas mudanças de pontos de vistas, mas há detalhes que preciso colocar agora pra no desfecho na história, na hora que a bomba estourar vocês tenham visto e lembrem: "nossa eu li que tal fulano fez isso"
Nada é ao acaso
Estou adorando a interação de vocês, muito obrigada!!!
Boa leitura!
PS: a cara do Harry define o final do capítulo para eles

Capítulo 29 - Capítulo 28 - Oi filha


Fanfic / Fanfiction Change My Mind - Harry Styles Fanfic - Capítulo 29 - Capítulo 28 - Oi filha

Miley ON:

- Aiii - grita Harry enquanto Marta limpa o machucado em sua perna. Ele está com um corte bem grande, mas não vai precisar de pontos, ao contrário da testa. Liam já ligou para o médico deles e ele está a caminho.

- Para de mexer a perna senhor, assim eu demoro e vai doer ainda mais. - ela diz bravo e Harry fecha a boca, mas continua com as caretas.

Seguro sua mão e ele a aperta forte, lhe um um beijo na bochecha e afago seu ombro. A campainha toca e Liam vai atender, é o médico.

- Porra Styles, o que você aprontou dessa ? - ele pergunta sentando em um banco de frente com ele.

- Quase morri, apenas isso - ele diz bravo e eu o cutuco - Foi mal, eu to cansado.

- Tudo bem, vamos ver essa sua testa - ele diz e começa a limpar o machucado e uma nova enxurrada de palavrões e gritos começa. - Você nunca aprende - suspira o doutor e continua o serviço. Ele aplica uma anestesia e sinto minha mão quase se quebrando com o aperto do Harry.

Ele dá os pontos e coloca um esparadrapo.

- Vou indicar comprimidos para a dor pomadas. Enfaixe a perna e leve bem o machucado - Harry concorda com os olhos fechados - Está a muito tempo sem comer?

- Só uns dois dias - ele responde e o doutor anota alguma coisa no papel.

- Esses são os remédios para o estômago. Comece com coisas leves: frutas, legumes, uma sopa rala, até conseguir voltar a comer normalmente. 

Nós o agradecemos e ele sai. Marta vai em direção a cozinha pra fazer uma sopa e eu levo Harry até o banheiro de seu quarto, ele  precisa de um banho.

Entro com ele no banheiro e tiro sua camisa bem devagar. Ele geme de dor ao levantar os braços e eu me preocupo, deve estar o corpo inteiro dolorido. Tiro sua calça, sua cueca e o coloco dentro da banheiro que está enchendo.

- E você morena? Não vai entrar ? - ele diz segurando minha mão e me olha sorrindo.

- Você ta todo machucado lindo - digo e ele ri.

- É só um banho - eu o olho com a sobrancelha erguida e ele faz um biquinho - por favor!

Respiro fundo e começo a tirar minha roupa, ele comemora e eu dou risada. É claro que isso vai acabar não sendo apenas um banho.

Entro na banheira e sento de frente pra ele me encostando na banheira.

- Vira de costas - digo e assim ele o faz. O puxo até mim e encosto sua cabeça em meus peitos, ele está deitado meio encolhido e a água cobre o seu corpo. Sua perna machucada está pra fora da banheira.

- Isso é tão bom - ele diz baixinho e eu começo a lavar os seus cabelos.

Passo minhas mãos bem devagar por eles, os desembaraçando e jogando água por eles. Faço isso umas duas vezes e vejo que ele está quase dormindo. Pego o sabonete e ensaboou seu peito, passo minhas mãos por todo o seu abdômen e tiro toda terra e sujeira. Ele geme de dor quando passo minhas mãos por cima dos arranhados e dou um beijo no topo de sua cabeça. Passo minhas mãos pelos seus braços e quando chego nos ombros, faço uma massagem.

- Porra morena, não vou sair daqui nunca mais - ele diz com a voz falhando e eu solto uma gargalhada. - Vai ter que começar a fazer isso todo dia. - Continuo fazendo enquanto olho pra ele. Vejo sua perna, sua testa e seus arranhados. Sinto um aperto no peito e lágrimas brotarem em meu rosto. - seu coração tá disparado - ele diz.

- Eu fiquei com tanto medo - sussurro e ele segura as minhas mãos - fiquei com medo de nunca mais te ver, de te perder.

- Mas eu tô aqui - ele beija as minhas mãos - Eu sempre vou voltar pra você, nunca duvide disso. Nada vai nos separar

- Promete? - pergunto e o abraço.

- Prometo meu amor - ele diz e eu sorrio. Ele me chamou de amor.

Esses dois dias que ele estava sumido, me senti péssima. Eu apenas empurrava a comida pra dentro, não conversava com ninguém e estava sempre chorando. Ver ele aqui na minha frente, bem e vivo, me traz toda a paz que faltava em meu coração.

- O banho acabou!- digo o soltando e me levanto, mas ele segura minha mão de novo.

- Tem certeza? - ele pergunta com a voz rouca enquanto olha para o meu quarto. Seus olhos estão negros e posso ver seu membro ereto na água.

Indico a borda da banheira com a cabeça e ele se senta nela. Começo a beijar o seu pescoço e ele joga a cabeça pra trás, dando total acesso pra mim. Beijo e o mordisco, ele coloca sua mãos em meus cabelos e os puxa com delicadeza. Desço meus beijos pelo seu peito, tomando cuidado com seus machucados, enquanto passo a unha de leve por suas costas. Pego seu membro com minha e olho para ele que da um salto ao sentir a minha mão. Ele merece um pouco de prazer depois de tudo o que passou.

Coloco seu membro quase que por inteiro em minha boca e ele arregala os olhos. Começo a movimentar bem devagar enquanto passo as unhas pela sua coxa com uma mão, e com a outro seguro a parte que não coube na minha boca. Ele começa gemer e mexe seus quadris me pedindo pra ir mais rápido. Aumento a velocidade e passo língua pela cabeça de seu pênis e ele solta um gritinho. Faça isso mais uma vez e ele agarra meus cabelos, desse vez com força. Vou ainda mais rápido e ele grita, gozando forte. Continua com ele ali até que termine e o largo com um estalo.

 Ele está com a cabeça apoiada na parede e de olhos fechados. Volto pra cima beijando seu abdômen, seu pescoço e dou um beijo em sua bochecha.

- Me beija - ele diz com a voz rouca - Me beija - e eu o beijo. 

Ele abre a boca e nossas língua se relam fazendo um choque percorrer pelo meu corpo. Ele me beija com força e posso sentir o desespero no dele. Eu o correspondo e nos beijamos muito intensamente. O fôlego começa a faltar e eu separo nossos lábios encostando nossos narizes, ele olha em meus olhos e faz carinho em minha bochecha.

- Eu te amo - ele diz e posso sentir a dor na sua voz.

- Eu também te amo - digo e o beijo de novo, mas dessa vez, bem calmamente. - Vamos, você precisa comer - digo e saio da banheira estendendo minhas mãos, ele as pega e eu o ajuda a se secar e a se vestir.

Ao vê-lo sentado na mesa da cozinha, comendo a sopa que a Marta preparou com uma cara de quem estava odiando aquilo enquanto Gemma conversava com ele, senti meu coração pular feliz. Ele está a salvo.

Harry ON:

Acordo e sinto cócegas em meu nariz, sorrio porque sei que são os cabelos de Miley. Sinto dor por todo o meu corpo e sei que ela não vai passar tão cedo.

- Bom dia - diz Miley virando de frente pra mim e abrindo seu lindo sorriso.

- Bom dia - respondo e lhe dou um selinho.

- Como você tá? - ela pergunta passando a mão pelos meus cabelos.

-  Dolorido, cansado e com fome - digo e ela ri - Mas não estou mais com sono.

- Também, já são cinco horas da tarde - ela diz e eu arregalo os olhos. Achei que era de manhãzinha de ainda. - Você dormiu por mais de dez horas, é pra estar sem sono e com fome. - ela se levanta e vejo que ela já está trocada e com o cabelo penteado, é claro que ela não ia me esperar pra levantar, mas voltou e se deitou comigo. Sorrio ao perceber que ela fez isso por mim.

Levanto e vou até o banheiro mancando, sinto todos os meus músculos doerem apenas ao escovar os dentes e sinto que vai ser uma semana difícil. Desço as escadas e quando chego a cozinha tem uma enorme salada de frutas esperando por mim, não posso comer anda forte ainda. Termino de comer e já são quase sete horas da noite.

- Meninos - vou até a sala e os chamo - escritório - digo e eles se entreolham

- Descansa um pouco Harry, você precisa. Depois voltamos ao trabalho - diz Zayn 

- Isso é algo que não vou conseguir agora - subo as escadas e escuto eles viram atrás de mim. Sento atrás da minha mesa e eles se espalham pelo sofá Gemma e Miley também estão aqui. - Bem, acho que descobri como identificar um agente do Alemão. Eles tem uma tatuagem, um A dentro de um círculo. Todos que eu vi a tinha tatuado no braço.

- A Ariana tinha no tornozelo - diz Liam baixinho e eu olho pra ele - Ela sempre diz que era por causa do nome dela, e eu acreditei. - ele diz com a cabeça baixa, mas posso sentir a raiva em sua voz.

- Hey, você não tem culpa de nada - Gemma vai até ele o abraça - Nenhum de nós nunca percebeu nada. 

Ficamos em silêncio por um minuto.

- Cadê seu pai Miley? - pergunto me lembrando da conversa dos capangas.

- Ele achou uma pista, um endereço e foi procurar por você - ela diz e vejo que ela ficou tensa - Mas isso foi ontem no almoço...

- Ouviu os bandidos conversarem no celular com o alemão, eles diziam que deviam me pegar porque assim pegariam o Rick. É melhor ligar pra ele - digo preocupado e ela sai do escritório.

- Mas por quê? Só por causa do contrato? - pergunta Niall e eu respiro fundo.

- Não, por causa de certos cabelos pretos.

Rick ON: 

- Obrigada por ter deixado ficar aqui Rick - diz Alex enquanto desce as escadas. Seus cabelos estão molhado e sinto o cheiro de seu perfume. O mesmo de dezesseis anos atrás.

- Não foi nada - digo balançando a cabeça para afastar tal pensamento. Termino de fazer o macarrão e sirvo em dois pratos, levo até a mesa e nós dois comemos em silêncio.

- Continua o bom cozinheiro de sempre - ela diz me olhando e eu sorrio. - Você tem um pouco de molho aqui... - ela diz esticando o braço e passando o dedo ao lado de minha boca. Nos encaramos e percebo uma tensão nos rondando. Ela também percebe porque tira seu braço, mas olha pra mim enquanto coloca o dedo na boca e sinto um arrepio passar pela minha espinha.

Graças a Deus o telefone toca e eu me levanto para atendê-lo, agradecendo mentalmente por ter ligado, seja quem for.

- Papa? - ouço a voz da Miley e olho para Alex.

- Miley, mi niña - digo e vejo seus olhos arregalarem. Ela se levanta e para na minha frente. - Tudo bem, e o Harry?

- Ele está em casa papa, Louis o achou ontem - ela diz e eu suspiro aliviado - E você? Tá sumido desde ontem, o que aconteceu?

- É que eu tive um pequeno contra-tempo, desculpa por não ter avisado. Estou em casa agora.

- Ainda bem, estava preocupada. Vou desligar então, vou voltar pro escritório. Te amo papa.

- Te amo niña - desligo o celular e Alex me encara - Se lembra dela? - pergunto sarcástico.

- Eu quero vê-la.

(...)

Aqui estamos nós, em frente a casa do Styles. Depois que ela me pediu para ver a Miley, confesso que fiquei divido, não sabia o que fazer. Mas ela é a mãe dela, merece ver, conhecer a filha.

- Está pronta? - pergunto e ela assente. Saímos do carros e entramos na casa.

Toco a campainha e sou recebido pela empregada, a Marta. Miley sempre falou muito bem dela.

- A Miley esta? - pergunto e sinto seu olhar em nós. Ela me leva até a sala - Espera aqui por enquanto

Entro na sala e sinto meu coração disparar Estou nervoso, o que vou dizer pra ela? Todos estão na sala e me olham quando eu entro.

- Papa - diz Miley vindo e me abraçando. A aperto forte e sinto minha garganta queimar.

- Oi niña. - olha para eles e vejo Harry, vou até ele e o cumprimento. - Bom te ver menino.

- Bom te ver também Rick. O que faz aqui?

- Bem... é... sabe aquele endereço que tinha marcado no mapa? - pergunto olhando pra ela que afirma com a cabeça - eu fui até ele e descobri uma coisa, não uma coisa, alguém. E também mão descobri...

- O que foi papa? Por que está tão nervoso? - ela pergunta rindo,

- Porque ela voltou Miley, ela voltou - ela me olha sem entender e os outros também ficam confusos. Vou até a porta e abro, ela entram e para na frente de todos. Eles a olham tentando entender o que está acontecendo e busco toda a minha força pra falar - Miley essa é a Alex, sua mãe.

- Oi filha. - diz Alex e todos a olham assustados. Inclusive nossa filha.  


Notas Finais


Desculpem, minha criatividade não estava em alta hoje...
Gostaram?? Deixem nos comentários, vou adorar saber!!!
Até mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...