História Chicago in love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 365
Palavras 1.850
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo para vocês! <3
Boa leitura!

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Chicago in love - Capítulo 4 - Capítulo 4

 

CAPÍTULO 4

 

SAKURA ON

 

Sasuke praticamente me arrastou para o hospital e ainda por cima duvidou de minha capacidade, não tinha como ele ser um deus grego e ser educado? Seria a perfeição extrema já que ele tem uma bunda redonda e aparentemente durinha, sim enquanto ele me arrastava dei uma conferida e está mais que aprovado! Ino me diz que sempre que vê um homem com a bunda assim lembra de mim, por causa da minha tara por bundas masculinas.

 Mas ser arrastada e desacreditada, não foi o pior, o pior foi ficar em uma sala sozinha com aquele ser sem camiseta! Eu imaginava que ele possuía um corpo atlético, mas PORRA!! Quando me virei para dar a anestesia e vi aquele corpo, fiquei sem rumo!! Foi inevitável não corar um pouco, mas por sorte acho que ele não percebeu, me limitei a olhar o corte, não podia olhar para mais nada. Eu não confiava mais em mim mesma, nunca limpei e suturei um corte tão rápido em minha vida.

Por fim a tortura havia acabado, só faltava dar as instruções de como cuidar, levantei minha cabeça para explicar, não consegui, me perdi naqueles olhos negros que me fitavam tão intensamente, minhas pernas bambearam quando ele baixou o olhar para a minha boca e meu coração falhou uma batida, não resisti fitei a sua boca também. Parecia que aquela boca tinha me hipnotizado. Fomos nos aproximando, até que para o meu azar Kabuto bateu em minha porta. Quis arrancar a cabeça dele fora! Quase gritei: Cortem as cabeçaaas!! Mas talvez tenha sido melhor, não era o melhor momento para isso e fora que mais da metade de nossas conversas foram brigas, mas se bem que aquilo aliviaria a tensão do dia (sorriso malicioso).

 E para completar o dia, Ibiki não resistiu a cirurgia, fiquei arrasada queria muito ajudá-lo, as vezes a maior prisão e castigo de uma pessoa é a própria mente, por isso não o julgo. Eu precisava de um tempo para me recuperar, foram muitas coisas para um dia só, me sentei no chão e não vi o tempo passar. Voltei a mim quando Sasuke me abraçou falando algo para me consolar, sabe acho que ele precisa tratar essa bipolaridade dele. Depois disso fomos para a delegacia depor, não demorou muito e em menos de uma hora fomos liberados. Agora estávamos no táxi indo buscar nossos carros que coincidentemente estavam no mesmo lugar e eu estava pensando em tudo o que ocorreu naquele dia, no que podia ter feito diferente para impedir e salvar o Ibiki.

- Para de pensar tanto, daqui a pouco vai sair fumaça da sua cabeça. – Eu suspirei assentindo, ele tinha razão, não adiantava ficar pensando nisso, não tinha mais o que fazer.

Chegamos no mecânico e Sasuke pagou o táxi, eu perdi minhas coisas no acidente e nem me lembrei de as procurar. Nos atenderam e foram buscar os nossos carros, estava na hora de nos despedirmos, mas eu não sabia o que falar. Por sorte, o carro dele chegou primeiro.

- Ei algodão doce. – Estava demorando. – Pega. – Me entregou um cartão pessoal dele. – Caso um dia precise de ajuda, pode me procurar.

- Ah. – Corei um pouco. – Obrigada Senhor Rabugento, eu te daria o meu, mas não tenho nenhum comigo agora, mas se precisar de ajuda sabe onde me procurar. – Ele deu um sorriso de lado, foi em direção ao seu carro, mas antes de entrar se virou e disse:

- Até logo Sakura. – Disse olhando em meus olhos e entrou no carro. Fiquei olhando feito boba ele ir embora.

- Senhorita. Senhorita! – O mecânico me chamou.

- Ah sim! Me desculpe, obrigada. – Fui em direção ao meu carro, nem acreditava que iria para casa.

Cheguei e fui direto tomar um banho quente, a água bateu em minhas costas e finalmente pude relaxar um pouco. Coloquei um pijama confortável, precisava comer alguma coisa urgente! Ao chegar na sala a porta foi aberta por uma Ino elétrica.

- Testuda como assim você entra e sai do hospital acompanhada de um deus grego e não me conta? Tive que saber disso pelas enfermeiras! – Disse jogando minha bolsa em mim, quando quer Ino consegue ser a rainha dos dramas.

- Ah Ino é uma longa história, agora eu só quero comer e dormir. – Disse fazendo carinha de cachorro que caiu da mudança.

- Chantagista. – Ela inflou as bochechas. – Sabe que não consigo negar nada quando você faz essa carinha. De qualquer jeito no caminho para cá eu pedi comida tailandesa para a gente. Deve estar chegando, mas depois de comer você não me escapa! Vou tomar banho, recebe a comida por mim.

- Está bem amor da minha vida e obrigada por achar minha bolsa. – Disse a abraçando e ela não me retribuiu.

- De nada e nada de abraços para você enquanto não me contar tudo o que aconteceu hoje, aliás depois do banho vou dar uma olhada no seu braço, certeza que você só fez os pontos e mais nada. – Ino me conhecia melhor que eu mesma.

- Está bem mamãe. – Ela me fuzilou com os olhos e foi em direção ao banho.

Não demorou muito para comida chegar, arrumei a mesa enquanto Ino tomava o seu banho. Ela chegou e se sentou sem falar nada, certeza que estava fazendo isso para comermos mais rápido. Era uma curiosa mesmo.

- Está bem Sakura, eu já esperei tempo demais, desembucha! – Suspirei terminando de secar o prato.

- Você não vai me deixar em paz até saber todos os detalhes, não é? – Disse me dando por vencida e indo para a sala.

- Você sabe a resposta. – Disse me encarando mortalmente.

Comecei a contar desde a minha entrada no trem, a cada coisa que eu contava Ino se remexia no sofá, tentando se controlar para não me interromper. Ela sabia se ficasse me interrompendo eu desistiria de contar. Eu estava terminando de contar tudo e já estava prevendo o escândalo que ela faria.

- NÃO ACREDITOOOOOOO SUA VACA SORTUDA!!!!!!!! EU DARIA MEU BRAÇO PARA PASSAR O DIA COM AQUELE GOSTOSO E VOCÊS QUASE SE PEGARAM, NÃO TO ACREDITANDO!!! – Não disse que ela faria um escândalo, mas espera um pouco.

- Você conhece o Sasuke? – Disse confusa.

- Mas é claro! O irmão dele é o Itachi, o Sasuke vai lá no batalhão de vez nunca falar com o ele, mas sempre fica pouco tempo. Se você saísse um pouco eu acho que o teria conhecido a muito tempo. – Eu quase nunca saia com o pessoal do batalhão da Ino, aliás eu quase não saia com ninguém.

- Eles são bem parecidos mesmo! – Disse lembrando de Itachi que também é de perder o folego, que ventre abençoado o da mãe deles tem heim!

- Essa família Uchiha é um mais gato que o outro e sem contar que a maioria são oficiais. Os irmãos por exemplo, um é comandante da Swat e o outro tenente do esquadrão do corpo de bombeiros. Sem contar os primos Obito e Shisui que são da inteligência.

- A genética dessa família é ótima! Mas enfim Ino, eu preciso dormir. – ou melhor fugir – Boa noite! – Disse me levantando.

- Parada aí Sakura Haruno! – Ferrou ela falou o nome completo - Se você acha que eu esqueci que ele te deu o número dele está muito enganada e amanhã mesmo você vai tratar de mandar pelo menos uma mensagem para ele! – Bufei ela não me deixaria em paz.

- Amanhã a gente vê isso. – Disso sorrindo, vou enrolar ela o máximo que der.

- Agora senta aqui vou ver seu braço. – Me sentei e ela examinou meu braço. – Está tudo bem, mas vê se não esquece de passar a pomada e tomar os anti-inflamatórios. – Revirei os olhos, acho que ela esquece que sou médica.

- Posso ir dormir agora?

- Pode, mas nossa conversa não terminou. – Revirei os olhos. – Nem adianta revirar os olhos faz muito tempo que você não sai com alguém e não vou deixar você não dar para aquele deuso.

- Boa noite. – Não quis prolongar a conversa estou cansada de mais para isso, me levantei indo para o quarto.

- Ah Sakura, vê se não se culpe pelo Ibiki, você fez tudo o que pôde. – Disse me olhando seriamente.

- Eu sei, é que queria tanto ter o ajudado. Mas sabe pensando por outro lado, o tratamento dele seria muito difícil, ele não teria motivações para isso e caso ele melhorasse assim que ele saísse do hospital seria maltratado por muitos pelo o que ele fez. E talvez isso o levasse a outro ataque ou ao suicídio. – Disse olhando para baixo.

- Você sabe que não podemos ajudar a todos sempre. Foi melhor assim.

- Eu sei, obrigada porquinha, vou dormir. – Disse dando um pequeno sorriso.

Deitei em minha cama exausta tanto fisicamente como emocionalmente. Virei para o lado, puxei um travesseiro o abraçando e a última imagem que vi antes de apagar foi Sasuke dando aquele sorriso de lado charmoso.

 

SASUKE ON

 

Me despedir da Sakura foi mais difícil do que eu pensei, mas tinha a certeza que voltaria a vê-la. Se Naruto ou Itachi soubessem de tudo o que aconteceu hoje, me encheriam o saco para chama-la para sair. Mas por enquanto não poderia, tenho que me forcar em minha nova equipe, quem sabe depois. Sorri com esse pensamento.

Estacionei o carro na garagem e subi para o meu apartamento, estava cansado, sujo e faminto. Precisava resolver essas coisas o mais rápido possível e colocar uma roupa confortável. Assim que terminei o meu banho, a pizza que pedi chegou e pude matar o que estava me matando. Quando finalmente encostei a cabeça em meu travesseiro, o idiota do Itachi me liga.

- O que você quer? – Disse mal-humorado, eu queria muito dormir.

- Que isso heim irmãozinho tolo, nem parece que passou o dia com uma deusa cor de rosa. – Pude perceber de longe a sua malicia em relação a ela e isso não me agradou.

- E o que você tem a ver com isso? Aliás de onde a conhece? – Dependendo da sua resposta poderia deixar Izumi viúva.

- Você faz jus a seu apelido de rabugento. – Ele bufou e foi inevitável não lembrar de Sakura me chamando assim. Sorri sem perceber.

- Respondi logo Itachi. – Odeio quando ele me enrola e não responde.

- Só queria saber se você estava bem. E Sakura bom ela dividi o apartamento com uma paramédica do meu batalhão, as vezes ela nos faz uma visita ou busca a Ino. – Interessante saber disso.

- Se era só isso, eu estou bem! Tchau. – Desliguei em sua cara, Itachi não conhecia limites iria ficar falando até a eternidade, pelo menos me deu boas informações.

Precisava descansar, amanhã iria receber meus novos agentes e precisava treiná-los o mais rápido possível. Virei para o lado e senti um pequeno incomodo por causa do corte, tinha essa ainda, não poderia fazer movimentos bruscos, então teria que fazer toda a parte teórica essa semana. Mas isso deixaria para organizar amanhã, estava cansado demais.

 

Continua........


Notas Finais


Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...